sexta-feira, 15 de outubro de 2010

CPTM e MRS fecham acordo para trens na Grande SP

MRS e CPTM fizeram acordo para trens na grande SP
Fonte: Jornal Valor

A concessionária de ferrovias MRS Logística acaba de firmar acordo para segregação de um trecho de 12 quilômetros de vias férreas na Grande São Paulo com a Companhia de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo (CPTM). Com isso, o trecho entre a localidade de Manoel Feio, em Itaquaquetuba e Suzano, na região leste, terá tráfego de cargas e passageiros simultaneamente. Hoje, os trens de cargas não podem operar em horários de pico, reservados aos de passageiros. O início das obras está previsto para este ano, tão logo seja concluído o processo de licenciamento ambiental, e o término, para meados de 2012, segundo informou as duas empresas em comunicado.

De acordo com a MRS, essa operação de segregação de linhas é parte da solução integrada de transposição de São Paulo, o chamado Ferroanel, obra que ainda continua no papel. O projeto foi desenvolvido conjuntamente pelas empresas e consiste na construção de uma nova via férrea, exclusiva para o transporte de cargas da MRS, paralela às linhas existentes, dentro do limite da faixa ferroviária.

A segregação vem sendo estudada e discutida com a CPTM há vários anos. O projeto elimina um gargalo logístico e começa a resolver, de forma estruturada e definitiva, a convivência do transporte de carga e passageiro em São Paulo, observa a MRS. Nesse trecho, a empresa vai investir em torno de R$ 100 milhões.

Essa operação, indica a concessionária, vai permitir a interligação com sua linha para o porto de Santos, onde está investindo outros R$ 130 milhões em novas locomotivas de cremalheira. Com isso, informa, vai aumentar a capacidade de movimentação na serra de Santos de 8 milhões de toneladas para 24 milhões de toneladas ao ano, podendo chegar a 56 milhões em uma segunda fase, destaca Eduardo Parente, presidente da MRS.

Ele explica que a segregação é fundamental para que a carga chegue até a Serra do Mar. “Demanda existe, mas atualmente não temos como atendê-la por causa desse gargalo, que estamos removendo agora. A segregação permitirá a ligação das regiões do Vale do Paraíba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro diretamente com a Baixada Santista e o Porto de Santos, sem as restrições da convivência atual.”

Para o presidente da CPTM, Sérgio Henrique Passos Avelleda, no passado, trafegar pelas mesmas vias não era problema. Nos últimos quatro anos, o transporte diário de passageiros saiu de 1,5 milhão para 2,2 milhões e os planos são de atingir 3,7 milhões nos próximos anos. O plano de expansão da CPTM visa à operação de suas linhas com qualidade de metrô e às vias existentes não admitem mais esse compartilhamento. “O projeto da Segregação Leste considerou as futuras demandas da CPTM e da MRS para a região e, com sua implantação, também nos permitirá a ampliação do Expresso Leste e também a redução dos intervalos entre nossos trens”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores