quinta-feira, 29 de julho de 2010

Oito estações da CPTM são tombadas como patrimônio histórico

 Estação Rio Grande da Serra: Patrimônio do Condephaat (Foto: Diego Silva)
Fonte: CPTM

Oito estações da CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] agora são, oficialmente, patrimônio histórico de São Paulo. Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires, da Linha 10-Turquesa [Luz―Rio Grande da Serra]; Caieiras, Jundiaí, Franco da Rocha, Perus, Jaraguá e Várzea Paulista, da Linha 7-Rubi [Luz―Jundiaí], foram tombadas pelo Condephaat [Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo].

A decisão do Colegiado do Conselho foi publicada no Diário Oficial do Estado, em 17 de julho. Com isso, a CPTM tem hoje 11 estações tombadas e que ainda estão em plena operação [Luz, Brás e Júlio Prestes se tornaram patrimônio histórico nos anos 1970/80].

Além dessas sete estações, cujos prédios são da década de 1880, a antiga estação de Santos, popularmente conhecida como estação do Valongo e hoje pertencente à prefeitura local, também passou pelo processo de tombamento.

Remanescentes históricos

A CPTM herdou o patrimônio da antiga SPR [São Paulo Railway] ― primeira ferrovia paulista, aberta em 1867 ― que impulsionou o desenvolvimento de São Paulo a partir da metade do século XIX, quando o café passou a ser o principal produto de exportação no Brasil e passou a ser escoado para o Porto de Santos pela ferrovia.

As estações tombadas estão entre as últimas estações que mantiveram a arquitetura original da segunda metade do século XIX, trazida pelos ingleses da SPR. "Quem quiser conhecer esse importante patrimônio ferroviário brasileiro é só pegar o trem da CPTM e descer em uma delas. Nosso patrimônio é de fácil acesso para quem quiser conhecê-las", explica Ayrton Camargo, gerente de Projeto Funcional e Integração do Transporte da CPTM.

Embora esteja em pleno processo de modernização, a CPTM vem mantendo o compromisso de zelar pelo seu patrimônio histórico. Para isso, a Companhia trabalha para garantir as condições de uso dessas estações tombadas, por meio de manutenção periódica e sempre de acordo com as diretrizes dos órgãos de preservação. Além disso, as estações Luz e Brás, por exemplo, já passaram por restauro.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Visitas técnicas na CPTM e no Metrô


Saudações Seguidores! Dias agitados nessas últimas duas semanas, e venho contar para vocês as novidades ferroviárias. Fui convidado para participar de duas visitas técnicas, uma no Metrô e outra na CPTM. Contarei em detalhes para vocês o que aconteceu nessas visitas, onde estivemos e as impressões deixadas:

VISITA TÉCNICA NO METRÔ DE SÃO PAULO - 19.07.2010
Recebi o convite do amigo fotógrafo e ferroviário Willian Molina para participar de uma visita técnica no Metrô de São Paulo. Por ser um programa que nunca fiz sobre trilhos, aceitei de bom grado. Nos encontramos na estação Luz, juntamente com meu irmão ferroviário Derick, e demos início ao grande passeio. Começamos pelo CCO (Centro de Controle Operacional) do Vergueiro.

Fomos recebidos pela Graça e pela Suzana, que nos conduziram na visita técnica. De passagem, vale lembrar que foram muito atenciosas e gentis com nós três, respondendo todos os questionamentos. Começamos para valer conhecendo a sala do CCO, ou a ´´sala negra``, como ficou conhecido o Centro de Controle:


Após isso, conhecemos o CCS (Centro de Controle de Segurança), onde não foi permitido fotografar, por se tratar de um local restrito. Ao sair do CCS, nos dirigimos para a estação Paraíso, próxima do CCO, onde fizemos a visita á cabine do Metrô da Linha 1-Azul (Composição 134):

Apesar de eu ter feito um trecho curto (Liberdade - Sé), foi bastante gratificante poder viajar na cabine do Metrô mais antigo de São Paulo. Desembarcamos em Sé, e conhecemos uma salinha de supervisão, além de alguns procedimentos e locais fechados para funcionários... Fizemos a integração gratuita em Sé, e ascendemos para a Linha 3-Vermelha, para rumar até Itaquera. Em mais uma oportunidade, pudemos viajar em uma cabine, agora do Metrô #313 (Cobrasma) da linha 3.

Nessa oportunidade, pude desfrutar de uma viagem maior, entre Carrão e Itaquera. Nesse meio tempo, passamos pelo novo trem frota H, em Brás. Criamos uma expectativa em poder viajar na cabine desse novo trem da linha 3, mas não se concretizou. Mas voltando a viagem no #313, foi tudo bastante interessante, aprendi alguns conceitos sobre o trem, e claro, fotografei a viagem.

Desembarcamos em Itaquera, e nos dirigimos até o pátio de Itaquera (PIT), e logo na entrada do pátio, uma surpresa: o novo trem da linha 1-azul, recém chegado da fábrica da CAF em Hortolândia:

Visitamos o abrigo de Itaquera, e procuramos mais informações sobre os novos trens que estão por vir... Dentro do abrigo, mais uma nova composição, que deverá ir também para a Linha 1:

No final das contas, foi uma visita bastante rápida, porém muito proveitosa. Pude conhecer o Pátio de Itaquera, viajei em duas cabines, conheci o CCO e o CCS, e estou aqui compartilhando com vocês tudo o que aconteceu nessa visita técnica. Gostaria de agradecer publicamente ao amigo Willian Molina, pela oportunidade e pelo convite, ao amigo Derick, por estar presente mais uma vez, e as monitoras Graça e Suzana, pela contribuição grandiosa com informações sobre o Metrô;

VISITA TÉCNICA NA CPTM - 25.07.2010
(aguardem texto)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Expansão SP não será concluído dentro do prazo estipulado pelo Governo de SP



Saudações seguidores! Hoje vamos encerrar a série de três matérias sobre o expansão SP, que venho apresentando para vocês... Hoje, finalizo a matéria para vocês com um retrato do Expansão, o que foi mudado e o que ainda deve vir para nós, cidadãos paulistanos que utilizamos os transportes sobre trilhos todos os dias...

CPTM
O programa Expansão SP representou uma perceptível evolução para a CPTM. Novas estações construídas, novos trens, reforma de 34 unidades... Com tudo isso, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos pode comemorar essa ação do governo do estado, já que os benefícios vieram realmente. Podemos citar como melhorias na CPTM a remobilização de uma frota abandonada (Série 5500), que foi totalmente modernizada e hoje está em circulação como a Série 5550; Reconstrução da estação Comendador Ermelino; Readaptação da estação Calmon Viana; Construção das estações USP Leste, Jardim Romano e Jardim Helena-Vila Mara na Linha 12; Readaptação da estação Pinheiros, na Linha 9; Aquisição de 12 novos trens para a Linha 9; Aquisição de 20 novos trens para Linha 12 (apenas 3 foram entregues); Aquisição de 20 novos trens para a Linha 7 (Apenas 1 entregue); Construção de passarela em Rio Grande da Serra; Construção de muros e gradeamento dos arredores de toda a rede... Como se vê, a CPTM foi bastante beneficiada, e foi um investimento necessário, visto o tamanho do sistema. E até o final de 2010, esperamos ainda pela entrega da estação Tamanduateí, e pela chegada de mais 36 novos trens a serem entregues pela CAF.


Nova estação Comendador Ermelino


Trem Série 5550, frota remobilizada de trens série 5500


Novo trem Série 7000


Dois dos 34 trens reformados


CMSP - Metrô
Seguindo na mesma linha, mas com menos investimentos, o Metrô recebeu melhorias objetivas. Por se tratar de um sistema de primeiro mundo, mas ainda atrasado em alguns conceitos, a companhia recebeu do Expansão SP investimentos para expandir a Linha 2 até Vila Prudente, compra de 16 novos trens para a Linha 2, compra de 10 novos trens para a Linha 3, e outros 8 novos trens para a Linha 1. Estuda-se também a expansão da Linha 5 até Chácara Klabin.


Novo trem da Linha 2 - Verde


Novo trem das Linhas 1-Azul e 3-Vermelha


Trem da Linha 5-Lilás, que deve chegar em Chácara Klabin


VIA QUATRO
No caso da Via Quatro, como vocês já sabem, é uma PPP, e não faz parte do Metrô de SP. Recebemos 16 novos trens, juntamente com a inauguração da Linha 4-Amarela, porém, apenas duas estações estão em funcionamento, sendo Faria Lima e Paulista. Espera-se até o meio de 2011 a inauguração de mais duas estações, e da entrega de todo o sistema até 2014.


Trens da Linha 4-Amarela, do Consórcio CCR


Numa análise final, concluímos que a ideia do Expansão foi muito boa, visto que os transportes metropolitanos necessitavam urgentemente de investimentos, já que circulavam no limite extremo. Mas eu imagino que você, seguidor, se pergunta: ´´mas porque não conseguiram concluir tudo no prazo?``. Há de se entender o seguinte: construir novas linhas gera uma série de processos, como licenças ambientais, certidões negativas, investimentos, desapropriações, licitações, concorrências e diversos outros fatores. Comprar trens é algo necessário, mas SP não contava com nenhum fornecedor de peso. A francesa Alstom não conta com um grande parque industrial na Lapa, visto que recebe diversos pedidos de vários locais (recentemente entregou metrô para Santiago e Brasília), e com isso, não pode concorrer em grandes licitações. Vendo essa dificuldade, a espanhola CAF chegou no Brasil, e logo levantou um gigantesco parque industrial em Hortolândia, ou seja, SP conta agora com duas fábricas de trens, reconhecidas mundialmente. Com tudo isso, trens não vão faltar em SP, visto que as carteiras de ambas as indústrias estão recheadas até o final do ano.
O caso da Via Quatro é diferente, já que o consórcio está importando trens da Coreia do Sul (Hyunday - Rotem), e utiliza mão de obra terceirizada.
Esperamos ainda pela conclusão da Linha 2-Verde do Metrô, a construção do VLT ou do Monotrilho até Cidade Tiradentes (extensão da Linha 2), os novos trens da Linha 3 e da Linha 1, bem como as unidades reformadas de ambas as linhas que ainda não voltaram... Esperamos pela expansão da Linha 5 até Chácara Klabin... Isso por parte do Metrô, sem contar a construção da nova linha 6 - Laranja.
Da CPTM, esperamos pela Linha 13-Jade, que sairá do Brás e seguirá até Guarulhos, juntamente com a Linha 14-Ônix, o famoso Expresso Aeroporto... Esperamos pela estação Vila Aurora, na Linha 7; Expresso ABC, na Linha 10; As unidades série 7000 restantes, e novos investimentos em reformas de trens. As eleições estão aí, caros seguidores, e analisem bem as propostas dos próximos governantes do estado e da nação, para que possamos continuar com o crescimento dos transportes! Agradeço a atenção e o acompanhamento de todos nessas matérias, e em breve, mais novidades para vocês aqui no blog, porque somos iguais os transportes: não paramos nunca!

sábado, 10 de julho de 2010

Expansão SP não será concluído dentro do prazo estipulado pelo Governo de SP.

Seguidores, com certo atraso, venho trazer a segunda parte da matéria para vocês. Resolvi demorar um pouco para todos poderem visualizar a reportagem com calma, já que essa página está sendo bem visitada.



Hoje, falaremos sobre o Metrô de São Paulo. O que o Expansão SP ofereceu para o Metrô, desde o início do programa...

O QUE O METRÔ GANHOU COM ISSO
A Companhia do Metropolitano, conhecida somente como Metrô, foi bastante beneficiada com o programa Expansão SP, do governo do estado. A extensão da Linha 2 - Verde até Cidade Tiradentes, a compra de 16 novos trens para a mesma linha, modernização dos sistemas e agora a recente compra de mais trens para a linha 3 - Vermelha são algumas das realizações que podemos frisar nessa reportagem.


Primeiro novo trem da Linha 2 - Verde.


Entrega do Primeiro novo trem do Metrô.


Primeiro novo trem da Linha 3 - Vermelha

Em tese, o METRO ganhou:
16 Novos trens para a Linha 2 - Verde;
02 Novos trens para a Linha 3 - Vermelha;
04 Novas estações (Chácara Klabin, Santos-Imigrantes, Alto do Ipiranga e Sacomã);
01 Estação com o sistema de portas de plataforma (Sacomã), inédito na América Latina;


Sistema de portas de plataforma na Estação Sacomã

O que deve vir ainda esse ano:
- Primeiro trem reformado da Linha 1 - Azul
- Primeiro novo trem da Linha 1 - Azul
- Portas de plataforma da Estação Vila Matilde (Linha 3)
- Portas de plataforma da estação Penha (Linha 3)
- Novos trens da Linha 3 - Vermelha (Quantidade não divulgada)


Trem da Linha 1. Uma composição destas está para voltar da reforma.

O CASO DA LINHA 4 - AMARELA
A Linha 4 - Amarela não pertence ao Metrô. Como experiência do governo, é a primeira linha em PPP (Parceria Público Privada), operada por um consórcio independente, denominado VIA QUATRO. A Via Quatro é responsável pela operação e administração da linha, bem como a compra de trens. Atualmente, a linha 4 opera com duas estações (Paulista e Faria Lima), com trens coreanos do Consórcio ROTEM. Em uma tecnologia exclusiva na América Latina, os trens operam em sistema Driverless (não possuem operadores). Com isso, a linha 4 também está incluída no pacote de obras do Expansão SP.


Trem coreano da Linha 4 - Amarela


Portas de plataforma da Linha 4

O QUE DEVE VIR PARA A LINHA 4
04 Novas estações (Oscar Freire, Fradique Coutinho, República e Luz);
16 Trens (todos já entregues, mas grande parte ainda está em testes).

O QUE NÃO VEM MAIS NESSE ANO PARA O METRÔ
- Extensão da Linha 5 até Chácara Klabin;
- 26 Novos trens para a Linha 5.

ANÁLISE GERAL
Assim como na CPTM, o Metrô foi bastante favorecido no Expansão SP. Com a chegada dos trens da Linha 2, a frota ganhou 16 novos trens de última geração, excelentes, com ar-condicionado, detector de incêndio, câmeras de vigilância e maior espaço interno. Para a Linha 3, até o momento entregaram dois trens da Frota H, sendo que o primeiro foi entregue junto com o primeiro novo trem da CPTM. com a chegada desses trens, e a reforma gradativa da frota existente, a linha 3 ganhará mais conforto. Na Linha 1, o primeiro trem partiu para reforma já há algum tempo, e está prestes a voltar. Além disso, espera-se novas composições. Para a Linha 5, acontecem as obras para a extensão até Chácara Klabin. Atualmente, as obras estão na estação Adolfo Pinheiro.
Já para a linha 4, não há muito o que se esperar, já que surgiu a notícia que metade da obra deverá ser licitada novamente. Com isso, a obra que já está atrasada, deverá ser entregue totalmente em meados de 2014. Para esse ano, espera-se ao menos a conclusão de mais duas estações (Oscar Freire e Fradique Coutinho). Os trens para a operação dessa primeira fase já foram entregues: 16 composições de 6 carros cada.
Num geral, o Metrô será bastante beneficiado, apesar de não sofrer com problemas de estrutura e frota. A Linha 4 que será um problema nessa história. Mas vamos esperar para ver.

Em breve, a conclusão dessa matéria com a terceira e última parte. O que o Expansão representou para os trilhos paulistas desde o seu princípio: um retrato das mudanças, como era e como ficou tudo que foi mudado. Aguardem!! Abraços ferroviários!

domingo, 4 de julho de 2010

Expansão SP não será concluído dentro do prazo estipulado pelo Governo de SP.



Saudações seguidores! Tenho acompanhado certa insatisfação de algumas pessoas com o programa Expansão SP, do governo do estado. Venho aqui hoje, numa série de 3 Matérias, apresentar para vocês o que foi feito, e o que aconteceu com as obras que não foram entregues dentro do prazo estipulado pelo governo. Hoje, começaremos com a CPTM, que foi uma das mais beneficiadas nesse programa de modernização dos transportes.

EXPANSÃO SP
O Plano foi criado para revolucionar os transportes de SP, com intuito de modernizar as frotas e estações (falamos aqui somente dos trens e do metrô, mas o projeto também abrange a EMTU). O Plano em si considerava a construção de 28 estações, aquisição de 107 novos trens e reforma de 34 trens da frota da CPTM, e algumas unidades do Metrô. Algumas etapas foram, de fato, cumpridas. Mas de acordo com o que foi prometido, o plano inteiro deveria estar concluído até o final desse ano, o que não foi feito, já que muitas obras sequer começaram, e outras estão muito atrasadas.

O QUE A CPTM GANHOU COM ISSO
A CPTM foi muito beneficiada com o programa, uma vez que teve vários trens reformados, além de ganhar até o momento, 4 novas composições de última geração. Com isso, algumas estações foram reformadas, e outras reconstruídas. Um erro do Governo foi anunciar a construção das estações de Socorro e Jurubatuba (Linha 9 - Esmeralda) e incluir as duas no programa, visto que elas foram construídas em 2000, portanto, na administração de Geraldo Alckimin.

34º Trem Reformado da CPTM pelo Expansão SP


1º Novo trem da CPTM


Estação Grajaú (Linha 9 - Esmeralda), uma das últimas entregues para a CPTM.

Em tese, a CPTM ganhou:
08 Novos trens da Alstom (Série 2070, da Linha 9 - Esmeralda);
04 Novos trens da CAF (Série 7000, das linhas 7-Rubi, 11-Coral e 12-Safira);
05 Novas passarelas;
Isolamento total das vias, com construção de muros e grades;
34 Trens reformados (das séries 1100, 1400, 1600, 1700, 2000, 4400, 5000 e 5500);
05 Novas estações (Jardim Romano, Jardim Helena-Vila Mara na Linha 12 e Autódromo, Primavera-Interlagos e Grajaú na Linha 9)
02 Estações reconstruídas (Itaim Paulista e Comendador Ermelino, na Linha 12)


Nova estação Comendador Ermelino, na Linha 12-Safira. (estação reconstruída)

O QUE AINDA DEVE VIR ESSE ANO
- Nova estação Tamanduateí (Linha 10), integrada com o metrô (Linha 2);
- 16 Novos trens para a Linha 12 Safira (a serem entregues pela CAF);
- 20 Novos trens para a Linha 7 Rubi (a serem entregues pela CAF);
- 09 Novos trens para a Linha 11 Coral (a serem licitados);
- 12 Novos trens para a Linha 8 Diamante (a serem entregues pela CAF);


Canteiro de obras da nova estação Tamanduateí, da Linha 10-Turquesa, que terá integração gratuita com a Linha 2-Verde do Metrô.

O QUE NÃO VIRÁ MAIS NESSE ANO:
- Nova estação Vila Aurora, da Linha 7-Rubi; (obras paralisadas desde o mês de junho. Já foi realizado a colocação de novos trilhos e dormentes, bem como a abertura de espaço, nada além disso.)
- Nova estação Penha, da Linha 12-Safira; (sequer saiu do papel, não passa de um projeto, sem data a ser entregue)
- Linha 13 - Jade (Brás - Zezinho Magalhães) ´´Trem de Guarulhos`` (depende muito da evolução da linha 14, já que utilizarão o mesmo trajeto);
- Linha 14 - Ônix (Luz - Aeroporto de Guarulhos) (a licença ambiental já foi aprovada, e aguarda licitação);
- Reforma de 12 trens da Linha 8-Diamante (Série 5000) (foi licitada uma PPP, e a CAF ganhou essa licitação, e deve começar as reformas em 2011, bem como a entrega dos 24 novos trens para reforçar a frota).


Projeto da estação Vila Aurora, Linha 7-Rubi.

Numa análise final, a CPTM ganhou grandes obras e novos trens nessa história toda. Se o programa tiver continuidade, a empresa terá muitas novidades para apresentar em breve, o que tornará a sua imagem ainda mais consolidada. Há muito a se fazer, porém, se tudo andar bem, as obras sairão até 2012. Amanhã, trarei para vocês a análise do Metrô. O que o Expansão resultou para o Metrô, novas estações e novos trens. Abraços ferroviários!

Siga o blog por email

Seguidores