sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Visita técnica em Presidente Altino

Saudaçoes seguidores! Estou atrasado em algumas postagens, porque alguns fatos ocorreram por aqui, e depois de tudo explicado, volto a fazer as matérias. Voltando um pouquinho no tempo, venho contar para vocês como foi a visita técnica em Presidente Altino, no dia 17 de outubro. Essa visita foi meio que marcada ás pressas, porque só soube que aconteceria na antevéspera. Bom, começamos por Rio Grande da Serra, as 06h40 da manhã de um domingo frio. Embarcamos no trem série 2100, e chegamos na estação Brás por volta de 08h. Ali, encontrei os demais participantes da visita, bem como o orientador da visita, Paulo Vinícius.
Uma nova palestra foi acompanhada por todos nós, dessa vez dirigida pelo supervisor da Linha 10, o sr. Wagner Schneider. Após todo o processo, e também toda a palestra de segurança, novamente visitamos o Centro de Controle Operacional (CCO), onde todos os sinais e trens são controlados por sistemas computadorizados. Após rápidas perguntas, saímos do CCO, e embarcamos em um trem da linha 11 até Luz, onde posteriormente seguimos para Palmeiras-Barra Funda e, na linha 8, até Osasco. Ao sair do sistema, caminhamos até o pátio de Presidente Altino, acompanhados por um funcionário da CPTM. Ao chegar no pátio, entramos, e avistamos alguns vagões ainda com o logo da Fepasa, e caminhando mais a frente, chegamos enfim ao local onde ficam os trens. Inicialmente, encontramos um trem série 5500, que está prestando serviços provisoriamente na linha 8. Após rápidos cliques, seguimos em frente, onde estavam duas unidades de série 3000, durante o processo de higienização. Entramos na oficina, onde estavam estacionados alguns trens como série 5000, 2100, 3000 e 7000.

Como estávamos em um grupo muito grande de visitantes, não tivemos tempo suficiente para fotografar da maneira que realmente desejávamos, mas há de se entender que tudo estava sendo realizado de acordo com um cronograma de tempo, o que tornou tudo mais rápido. Seguindo em frente, saímos da oficina, e seguimos até o estoque de peças dos trens, onde havia de tudo um pouco. Mas antes de sair, cliquei uma imagem bastante legal, que gostei de ter feito: três unidades do trem série 2070 estacionados em fila:
Visitamos os estoques, e conhecemos vários locais de manutenção e armazenagem de peças, desde parafusos até pantógrafos. Um amplo espaço onde havia de tudo um pouco sobre os trens. Eu, como sou estudante de logística, achei bastante interessante, já que notei a forma como a CPTM costuma estocar suas peças de reposição. Mais adiante dos estoques, uma cena bastante inusitada de ver: uma automotriz Budd sendo reformada. Recentemente, li o livro ´´Carros Budd no Brasil``, e nessa publicação falava-se muito das automotrizes Budd, que fizeram bastante sucesso nos percursos de média distância no país. Mas enfim, segundo informações, a litorina estaria sendo reformada para prestar serviços como Expresso Turístico, sendo o provável trajeto compreendido entre Luz e Pindamonhagaba.
Ao deixarmos a litorina, saímos dessa parte do pátio, e nos deslocamos até onde estava mais uma unidade da série 7000, que acabara de chegar das fábricas de Hortolândia. Trata-se do décimo quinto trem entregue, de um total de quarenta unidades que foram adquiridas pelo governo do estado, no programa Expansão SP. Já bastante comuns em São Paulo, os trens série 7000 contam com diversas inovações tecnológicas, como câmeras de vigilância, sensores de incêndio, telas de LCD que informam as estações e diversos outros sistemas, que o fazem ser um trem de última geração.
Ao lado do trem série 7000, estavam os três sobreviventes da aquisição da EF Sorocabana: os trens série 4800, ou jotinhas. Também conhecidos por ´Toshibas`, tais trens deixaram de circular em meados de março, quando a CPTM resolveu reformar todo o trecho compreendido entre as estações de Itapevi e Amador Bueno. Com isso, a reforma incluiria a modificação da bitola, de um metro, para a bitola larga utilizada nas demais linhas, que é de um metro e sessenta centímetros. Por essa razão, os toshibas deixaram de operar comercialmente, e estão parados no pátio, fora de operação desde então. Disseram que essas três unidades poderiam se juntar às outras três que estão em Salvador (BA), mas por enquanto, nada foi acertado.
Ao terminar a visita pelo pátio, saímos do mesmo, e nos dividimos em vários grupos para a hora do almoço. Cada um escolheu o seu local para a refeição, e tivemos uma hora e quinze minutos para fazer isso. Fiquei na companhia do amigo Wesley, de Barueri (lembrando que também tem o Wesley de Pirituba). Após a hora do almoço, a parte mais interessante da brincadeira: a viagem na cabine de uma composição. Nos posicionamos na plataforma central da estação Osasco, e divididos em grupos de três pessoas, gradativamente fomos realizando as viagens. Meu grupo realizou a viagem na cabine, de Osasco até Grajaú, no trem série 2070 #2072, a primeira unidade que a CPTM apresentou com a nova identificação visual. Realizada totalmente a viagem, após muitas fotos e vídeos, desembarcamos em Grajaú, e retornamos até Osasco, onde a visita foi encerrada.
Mais uma vez, agradeço aos participantes da visita, pela simpatia e pelas informações concedidas. Esse foi mais um sonho que se realizou (viagem em mais uma cabine), e mais uma história que temos para contar a vocês, nos trilhos da CPTM. Particularmente, gostei muito dessa visita, pois ao contrário da primeira, tivemos a oportunidade de visitar um pátio, e desfrutar de um maior tempo na cabine de uma composição.
Abraços ferroviários a todos, e até o próximo post.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Trens série 1100 voltam a rodar na linha 10

Texto e Imagens: Diego Silva

Caros seguidores, de uns dias para cá, está sendo bastante comum encontrar trens série 1100 rodando na linha 10-turquesa (Luz x Rio Grande da Serra). Hoje mesmo, haviam 4 composições rodando na linha, algo que não acontecia há tempos. De acordo com informações apuradas com alguns maquinistas, a linha 7-Rubi está com excesso de trens, e com as recentes chegadas das novas unidades série 7000, alguns trens série 1100 podem rodar na linha 10, auxiliando os trens série 2100, e reduzindo o intervalo gradativamente. Hoje, aconteceu um fato curioso, que sempre tive vontade de presenciar: a unidade que eu estava (#1111) partiu da estação de Palmeiras-Barra Funda, e anunciou que seguiria até Rio Grande da Serra. Em meias palavras, partiu de Francisco Morato, e fez final em Rio Grande da Serra. Muito interessante! 
Segundo as palavras do supervisor da linha 10, quando todos os trens série 7000 encomendados para a linha 7 chegarem, é possível que todos os 1100 desçam novamente para a linha 10, para ficarem em definitivo. Porém, muitos trens série 2100 tem apresentado uma série de avarias, o que torna ainda mais necessário a presença de trens reservas rodando por aqui. Mas não deixa de ser uma boa notícia, ter novamente essa ótima frota rodando pelos trilhos do ABC. Quem puder viajar neles entre Luz e Rio Grande da Serra, aproveitem! Fica a dica! Abraços para todos.


terça-feira, 26 de outubro de 2010

Nota de Esclarecimento


Bem, diante dos últimos comentários que tenho recebido diante da postagem ´´Direito de Resposta``, concedido a Willian Molina pelo fato ocorrido em Bauru, venho dar minha declaração sobre o que realmente penso sobre tudo, de que lado estou, e o que realmente quero dentro da CPTM.


Quando comecei a fotografar trens, não conhecia absolutamente ninguém na ferrovia. Saí sozinho, com um celular simples, procurando conhecer trens e linhas, e fotografando de forma simples e amadora. Como todos fazemos, comecei a postar as fotos no orkut, e entrei em comunidades da CPTM, onde acabei conhecendo alguns outros fãs de ferrovia, e um deles era Well 700. Vi muitas fotos dele em pátios da CPTM, em cabines dos trens, e dava a entender que ele era funcionário ou algo parecido. Comecei a conversar com o mesmo, que havia dito ter acesso em todos os lugares da CPTM (pátios, cabines...), e recebi um convite do mesmo para conhecer o pátio da Lapa. Diante da situação, não conhecendo ninguém da ferrovia e encantado com a possibilidade de conhecer um local restrito, acabei aceitando a visita. Fomos a esse pátio em 21 de Junho de 2009, onde também visitamos o pátio e oficina da Luz. Antes disso, conhecera Daniel e Willian Molina, em 31 de maio, juntamente com Derick (que hoje é um grande amigo) e Fábio. Nesse dia, fomos até Jundiaí, de onde posteriormente caminhamos até a estação de Jundiaí Paulista, não invadindo qualquer espaço privado da CPTM. Após conhecer Well 700, passei a conversar mais com outros ferroviários, e descobri que o mesmo invadia espaços ferroviários, como os da CPTM e da MRS. Tal fato se confirmou aqui em Rio Grande da Serra, onde ele e Willian Molina foram detidos por invadir o pátio da MRS, sendo que meu pai presenciou tudo (na época, meu pai era segurança da estação de Rio Grande da Serra). Sabendo dessas situações, em nenhum outro momento encontrei Well 700 com a finalidade de invadir espaços das empresas, mesmo tendo encontrado o mesmo em eventos como o a Feira Negócios nos Trilhos, e a entrega do trem série 7000. Mas ambas situações foram por coincidência, não por ter marcado nada.

Na época da entrega do primeiro tue série 7000, entreguei nas mãos do presidente da CPTM, sr. Sérgio Avelleda, um documento com a proposta de fundação de uma associação, sem qualquer ligação com os então membros do FSA, que visava a valorização da companhia, bem como a permissão de visitas técnicas, de reconhecimento daqueles que fotografam e registram a história e evolução da empresa, desde sua fundação até os dias de hoje. Derick e eu fomos chamados na administração da companhia, na Boa Vista, onde fomos recebidos pelo supervisor da linha 11 e pela diretora de marketing. O documento está na companhia, arquivado, e mostra muito claramente qual o nosso principal fundamento dentro da CPTM: fotografar e registrar.


Deixo claro para todos os que me conhecem que eu fui uma vítima, tendo sido fisgado com uma conversa sem muito fundamento do sr. Thomas Wellington. Recentemente, recebi convite do mesmo para ir ao Rio de Janeiro, ´´visitar`` as oficinas da Supervia, convite obviamente recusado por fatores óbvios. Todos os que convivem comigo sabem o quanto admiro trens e a CPTM em si. Jamais fiz qualquer coisa que prejudicasse a empresa, jamais vandalizei qualquer trem ou estação, e sempre levei a marca da companhia adiante. Mas por simples fato de desconhecer pessoas que pudessem me orientar, ou mesmo da situação em que estava entrando, acabei por ser mais uma vítima do mesmo, e hoje tenho sido alvo de comentários de muitos dos ferroviários, como sendo integrante do tão falado FSA (Ferroviários Sociedade Anonima). DECLARO A TODOS QUE NUNCA FIZ PARTE DO REFERIDO GRUPO. Reitero que estive apenas uma vez com Well 700 em visitas de pátio, que foi a que citei. Em nenhum outro momento estive em qualquer invasão com o mesmo, tampouco com seus diretores Daniel e Willian. Tenho testemunhas do que estou dizendo aqui, e todos aqueles que me conhecem, sabem que eu sou sincero e verdadeiro em tudo o que digo e faço. Com humildade e respeito, venho conquistando meu espaço na ferrovia, assim como todos vocês são conhecidos por suas fotos e conquistas. Passei grande parte desses quase dois anos fazendo o que sempre gostei: admirando trens, sempre com responsabilidade e respeito aos proximos, fazendo o que sempre foi correto.
Todas as minhas conquistas na CPTM, foram adquiridas sem a participação de pessoas ligadas ao FSA: viagens na cabine dos trens, primeira visita técnica, amizades com funcionários, participação no programa Usuário Amigo, reunião com diretores sobre a associação... Nunca dependi de nenhum deles para nada, dentro da CPTM. Sempre conquistei tudo com minhas próprias pernas, e se não, sempre tive o Derick como braço direito, onde sempre estivemos juntos em tais situações.


Então, declaro para todos vocês que não compactuo com o sr. Thomas Wellington dos Santos, conhecido por Well 700, tampouco participo de seu grupo. Todos podem ver em minhas fotos que, em grande parte de meus passeios, estou na companhia de Derick, ou então de outro férreo-fã que não seja do grupo FSA. Deixo aqui a confirmação dos fatos, e espero ter esclarecido tudo para vocês. Estou, e sempre estarei do lado da verdade, da justiça e do bem. Não será diferente dentro da CPTM nem com nenhum de vocês que acompanham meu blog. Estou aqui para cultivar o hobby que todos partilhamos, e espero que, com esse post, tudo tenha se resolvido, e que vocês todos entendam o que quero dizer. Aqueles que ainda duvidarem, tenho várias testemunhas que passaram pela mesma coisa, e hoje estão livres e curtindo seu hobby sem maior problema, vide Binho Francorail, Derick, Vinicius Garcia e tantos outros, que ao perceberem que estavam sendo logrados, mais que rapidamente deixaram de conviver com Thomas Wellington.


Estou aberto para receber qualquer comentário ou dúvida, de qualquer um dos ferroviários ou mesmo da CPTM. Simplesmente estou tranquilo sobre tudo isso, e transmito tudo para vocês com a maior clareza possível, para que todos vejam que eu estou dizendo a verdade. Agradeço a atenção de todos.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Evangélico tira o sossego de usuários da Linha 10

na imagem, evangélico prega em trem da Supervia (RJ) 
Caros seguidores, hoje falaremos de um tema bastante complicado, mas infelizmente muito comum entre todos nós: as pregações evangélicas nos trens. Não por acaso, trataremos de uma situação que ocorreu na semana passada, e que se repetiu hoje. Ao embarcar no trem das 06h35 em Rio Grande da Serra, todos nós, usuários, queremos uma viagem tranquila. Alguns aproveitam para esticar um pouco mais o sono, dormindo até seu destino, outros estudam, outros apenas observam... Pois bem, existe um usuário não identificado, que embarca em Ribeirão Pires, e começa uma pregação evangélica todo santo dia dentro do trem, até a Estação terminal Luz. Na semana passada, presenciei a pregação entre Mauá (onde acordei pelo falatório) até Luz. Hoje, o mesmo usuário embarcou e começou a dar seus sermões na composição #2127, que é o último carro. Estava tentando estudar para uma prova que iria fazer poucos minutos depois, e alguns usuários tentavam dormir ainda, mas os já acordados se mostravam bastante irritados. Já sem paciência também, me irritei e entrei em contato com a CPTM, solicitando a retirada do mesmo da composição, isso chegando em Mauá. Na estação de Santo André, dois seguranças e dois agentes da CPTM já o aguardavam. De Santo André em diante, finalmente a paz reinou naquele trem.
Mas vamos aos fatos, caros seguidores: sou católico, como muitos de vocês também devem ser, e já tive a minha experiência em igrejas evangélicas. Não sou religioso fervoroso, e respeito aqueles que são, mas convenhamos que Deus não precisa disso. Ele nos deu livre arbítrio para escolhermos nossos caminhos. Ademais, já pagamos uma tarifa bastante cara (R$ 2,65), para viajar bastante apertados em horários de pico, acordamos cedo para estudar ou trabalhar, e durante a viagem, queremos ao menos tirar mais alguns minutos de sono. Uma viagem tranquila, é o que todos queremos, mas os evangélicos nunca permitem isso... Vocês já viram algum católico ´´possuído`` em alguma praça ou algum meio de transporte? Atire a primeira pedra quem já viu. Vale lembrar para todos vocês: NOS TRENS, É PROIBIDA TODA E QUALQUER PREGAÇÃO OU MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA, INDEPENDENTE DE QUAL SEJA. Não me arrependo nem um pouco de ter pedido para tirarem ele do trem, e farei novamente se encontrá-lo tirando o sossego dos usuários.
Por fim, tenho que salientar também a acomodação dos usuários, que deixam tais coisas acontecerem. Enquanto os usuários ficarem de rabo preso, tudo o que é errado irá acontecer nos trens e estações. Tenham atitude! Viram algo errado? Denunciem! A CPTM não pode melhorar tudo sozinha, e todos vocês que usam o trem devem colaborar. Não permitam que evangélicos preguem nos trens, não permitam comércio ambulante, não deixem ligarem aparelhos sonoros em volume que causem incomodo... enfim, tenham atitude para tornar suas viagens cada vez melhor! Mas se todos continuarem acomodados como estão, nada do que eu disse será válido, e posteriormente, não terão do que reclamar.

CPTM
Atendimento ao usuário: 0800 055 0121 (ligação gratuita)
SMS Denúncia: 7150 4949 (preço de um sms comum)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Livro Livre distribui 8 mil livros de graça na CPTM, para corrente de leitura

Fonte e Imagem: CPTM

Quem viaja pelos trilhos dos trens da CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] poderá encontrar verdadeiros tesouros da literatura. Durante toda a próxima semana [de 25 a 29/10], a CPTM irá distribuir oito mil livros nas estações. A iniciativa é a quinta edição do projeto "Livro Livre".

O movimento ocorre em vários lugares do mundo. A ideia é deixar os livros em locais públicos, como uma catraca ou banco de lanchonete da CPTM, para que pessoas possam pegá-los, lê-los, e colocá-los em outros lugares, fazendo o processo se repetir.

Organizado pela Biblioteca CPTM - Mário Covas, a ação nos trens, estações e prédios administrativos tem o objetivo de incentivar o gosto pelo saber. Trata-se de uma legítima "corrente de leitura".

Além da disponibilização de publicações, a semana conta com muitas atrações culturais. Os usuários e empregados do sistema ferroviário irão se deparar com sessão de autógrafo de escritores, apresentação de dança, trio musical, sarau e contadores de histórias.

Para que a iniciativa fosse possível, a compahia contou com a ajuda de parceiros: a Biblioteca Pública Monteiro Lobato de Osasco, e ainda 22 instituições, entre editoras, órgãos estaduais e institutos.

Confira a programação:

Dia 25 [segunda-feira]
Estação da Luz
10h às 12h - Distribuição de livros

Estação Brás
15h às 17h
- Distribuição de livros;
- Sessão de autógrafos e contação de histórias com os escritores Chico Lélis e Marco Aurélio Olímpio, no Espaço Cultural CPTM; e
- Apresentação do grupo de dança de rua da Estação da Juventude.

Dia 26 [terça-feira]
Linha 9-Esmeralda
9h às 12h
Distribuição de livros: estações Cidade Universitária, Hebraica-Rebouças e Grajaú

Santo Amaro
14h30 às 17h
- Distribuição de livros na estação
- Apresentação musical do Trio NAEM

Dia 27 [quarta-feira]
Estação Osasco
9h às 12h - Distribuição de livros nas plataformas da estação

Linha 8-Diamante
14h30 às 17h
- Distribuição de livros: estações Comandante Sampaio, Carapicuíba e Barueri
- Eventos culturais na Comandante Sampaio.

Dia 28 [quinta-feira]
Linha 7-Rubi
9h30 às 13h00
Distribuição de livros: estações Francisco Morato, Franco da Rocha e Caieiras.

Linha 11-Coral
9h30 às 12h00
Distribuição de livros: estações Guaianazes e Corinthians-Itaquera

Linha 12-Safira
13h às 15h - Distribuição de livros: estações São Miguel e Itaim Paulista

Estação Barra Funda
15h às 17h
- Distribuição de livros em toda a estação
- Apresentação musical: Anísio do Bandolim.

Dia 29 [sexta-feira]
Linha 10-Turquesa
9h às 11h
Distribuição de livros: estações Ribeirão Pires, Prefeito Celso Daniel-Santo André e Mauá.

Estação Júlio Prestes
14h às 17h
- Contação de histórias [Patrícia Maria Bercht - Secretaria da Cultura];
- Trio NAEM - espetáculo musical Sarau Brasilidades;
- Distribuição de livros na estação; e
- Encerramento da semana.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

20 de Outubro: Dia do Maquinista


Fonte: CPTM

Desde os tempos da "Maria Fumaça", a figura do maquinista povoa a imaginação de crianças e adultos. Os apaixonados por trens consideram esta a melhor profissão do mundo e não escondem a vontade de viajar na cabine de um trem para sentir a real magia de conduzir uma locomotiva. Os profissionais que têm esse privilégio são lembrados no dia 20 de outubro, Dia do Maquinista Ferroviário.

A CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] conta com cerca de 1.200 maquinistas, que comandam uma frota de 142 trens e estão distribuídos em seis linhas. Eles são os responsáveis pelo transporte diário de mais de 2,2 milhões de pessoas e têm a tarefa de conduzir o trem com segurança e dentro do horário previsto, nas quase 2.300 viagens realizadas todos os dias. "Os maquinistas são o coração da ferrovia e os responsáveis pelo controle dos trens e a segurança dos usuários. Esses profissionais são um orgulho para a CPTM", declara o presidente da Companhia, Sérgio Avelleda.

Entre as principais atribuições do maquinista estão o controle de velocidade do trem, a abertura e o fechamento de portas, a comunicação com os passageiros e com o CCO [Centro de Controle Operacional] e a constatação de falhas ou avarias do equipamento. O maquinista também é responsável por realizar testes e manobras, atuar no controle de tráfego e elaborar relatórios das viagens realizadas.


Estado desiste do Expresso Aeroporto


Fonte: Revista Ferroviária
Imagem: Divulgação

O governo do Estado de São Paulo decidiu abandonar, pelo menos por enquanto, o projeto de uma ligação sobre trilhos entre o centro da capital e o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos - o Expresso Aeroporto. O governador Alberto Goldman (PSDB) reconheceu ontem que não foi aberta licitação para a obra porque o projeto não atraiu o interesse do setor privado.

O Expresso Aeroporto inicialmente operaria no modelo de parceria público-privada (PPP). O edital para a licitação chegou a ser lançado no segundo semestre do ano passado, mas foi interrompido por uma decisão judicial. A Secretaria do Transportes Metropolitanos obteve uma liminar para retomar o processo, mas informou que antes realizaria modificações no edital.

O governo agora reconhece que segurou a licitação por não haver interesse do mercado e culpou o clima de incerteza a respeito do futuro de Cumbica. Goldman afirmou que não há uma definição clara do governo federal sobre a construção do terceiro terminal de passageiros e por isso os empresários questionam se haverá demanda suficiente para operar o serviço de trens.

Não tem empresa interessada na concessão. Por quê? Porque as empresas não sabem qual vai ser a demanda do Aeroporto de Guarulhos. E a razão inicial é que estava previsto o terminal 3 e o terminal não saiu, disse.

O governador disse que o terceiro terminal aumentaria de 18 milhões para pouco mais de 30 milhões a quantidade de passageiros por ano no aeroporto. Essa quantia seria suficiente para viabilizar a PPP. Com 18 milhões não viabiliza economicamente. Mas não sai o terminal 3 e não se sabe quantas pessoas virão. Nenhuma empresa se dispõe a fazer um investimento.

O projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV) do governo federal também foi apontado como entrave ao Expresso Aeroporto. Implica também no problema da demanda, já que você vai ter um trem que para aqui. Quantas paradas ele vai ter? Quantas vezes por dia ele vai parar?

O projeto do Expresso Aeroporto previa que o trajeto entre um terminal próprio no centro e Cumbica duraria 20 minutos. O preço não havia sido definido, mas o teto estipulado seria de R$ 35. A previsão é de que começasse a operar no fim de 2012. Com a interrupção do projeto, também fica ameaçada a Linha 13-Ônix da CPTM, o Trem de Guarulhos. Isso porque a estrutura ferroviária usada seria a mesma.

Infraero.
A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) questionou todas as declarações do governador Alberto Goldman, principalmente as relacionadas com a suposta indefinição sobre o terceiro terminal de Cumbica. A execução do Terminal 3 do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos Governador André Franco Montoro é um fato e está em andamento, informou.

A Infraero afirma que a primeira fase das obras vai começar em janeiro. Também informou que tem observado na execução de seu projeto a existência do Expresso Aeroporto reservando área destinada ao empreendimento, tanto no Terminal 3 quanto nos Terminais 1 e 2 existentes. A empresa diz que mantém interlocução com o Estado.

sábado, 16 de outubro de 2010

Modernização da estação Calmon Viana garante total acessibilidade

Estação Calmon Viana, completamente reformada
Fonte: CPTM
Fotos: Diego Silva

As obras de modernização da Estação Calmon Viana, que faz a integração entre as linhas 11-Coral [Luz-Estudantes] e 12-Safira [Brás-Calmon Viana], foram entregues pela CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] nesta sexta - feira [15/10]. O local, antes acanhado e desprovido de facilidades de acesso, deu lugar a uma estação mais moderna, ampla e totalmente acessível, especialmente para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Uma das melhorias mais significativas são os três elevadores localizados na nova passarela metálica totalmente coberta, na cor vermelha, revestida de piso antiderrapante. A CPTM também construiu nova plataforma, a de número 4, no lado norte, que se somará às outras três em operação. Em breve, ela permitirá à estação acomodar dois trens da Linha 12-Safira ao mesmo tempo. A novidade agilizará a chegada e partida dos trens e vai melhorar os fluxos de embarque e desembarque da estação.

Na ocasião, também foi entregue a quinta nova composição, de um total de 20 que atenderão a Linha 12-Safira, e assinado convênio entre CPTM e MRS para segregação do transporte de passageiros e de carga, em um trecho de 12 quilômetros, entre as estações Manoel Feio e Suzano.

O evento contou com a presença do governador, Alberto Goldman, do secretário dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, da secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, do presidente da CPTM, Sérgio Avelleda, e do prefeito de Poá, Francisco Pereira de Sousa.

Detalhes que fazem diferença
Antes inexistentes, banheiros públicos e sanitários exclusivos para pessoas com deficiência foram construídos. A estação terá um bicicletário anexo, totalmente coberto e com 84 vagas gratuitas, com possibilidade de ampliação, dando mais comodidade e facilidade para os usuários chegarem ao local. Pessoas com deficiência poderão utilizar nova rampa de acesso, que vai da calçada ao nível da plataforma.

Usuário dos trens há mais de meio século, Abel Gomes, 71 anos, aprovou as obras em Calmon Viana. "A estação não ficou dez, mas umas 100 vezes melhor, uma coisa maravilhosa. Para quem conhecia aqui é a até difícil descrever como era. A empresa está de parabéns", disse.

As plataformas foram ajustadas, com regularização e elevação do seu nível em concreto. Novos pisos de porcelanato antiderrapante para alto tráfego substituíram os antigos, de cimento, oferecendo mais conforto para o deslocamento dos usuários. Piso e rotas táteis [direcionais e de alerta], atendendo as normas brasileiras de acessibilidade, foram colocados em toda área útil da estação. A CPTM também instalou novas coberturas metálicas nas plataformas, protegendo as pessoas de intempéries como sol forte ou chuva. A estação ganhou nova iluminação, mais abrangente e clara.

Outra novidade é a comunicação visual atualizada [mapas, placas indicativas e totem], mais moderna e com o mesmo padrão que está sendo adotado nas estações recém-inauguradas e trens [novos e reformados]. A fachada da estação foi revitalizada, com pastilhas cerâmicas na cor vermelha, e a bilheteria agora possui vidro blindado com intercomunicadores para facilitar o atendimento aos usuários no momento da compra de bilhetes.

Novas salas técnicas, com gerador de energia que permitirá manter os principais equipamentos em operação mesmo em casos de blecaute, e um reservatório de água, com 80 mil litros, também foram incorporadas à estação. A nova caixa d’água permitiu a instalação de sistema de combate a incêndio por meio de hidrantes.

Onde tudo começou



Caros seguidores, muito de vocês que me acompanham talvez não saibam onde comecei a fotografar e filmar trens, nem tampouco quando. Pois vamos lembrar aqui, aproveitando que estamos tratando do local onde tudo começou realmente: Calmon Viana. Em 04 de fevereiro de 2009, véspera do meu aniversário de 18 anos, quis conhecer uma nova linha, que ainda não havia explorado: a linha F da CPTM (atual linha 12-Safira). Estava com um celular que havia acabado de ganhar, e como ele é dotado de câmera, resolvi partir de Rio Grande da Serra até Calmon Viana, para conhecer a linha e dar início as minhas fotografias. Durante a viagem, nada de anormal, visto que a imagem da linha F era péssima. Muito ouvi falar sobre essa linha durante pesquisas, e tive certo receio de visitar essa linha sozinho. Mas fui. Chegando em Calmon Viana, tratava-se de uma estação bastante pacata, sem muito padrão de acessibilidade... A plataforma, em sua grande extensão, era de madeira, assim como a passarela. A estação não era totalmente coberta, e haviam poucos assentos para aguardar o trem. A estação marcou o início de minhas aventuras fotográficas na CPTM, e fico realmente muito feliz que a empresa tenha feito uma obra de modernização completa na estação.

 Estação Calmon Viana - 04 de Fevereiro de 2010

Em 04 de fevereiro desse ano, em comemoração ao primeiro aniversário das fotografias ferroviárias, novamente me desloquei até Calmon Viana, e encontrei o início das obras. Pela foto, vemos as bases da nova plataforma já prontas, e a estrutura da nova passarela ao fundo (ainda em azul). Além disso, a estação já estava coberta por inteiro, e com mais assentos. No dia da entrega do novo trem da linha 12 (Trem série 7000), não pudemos ver direito como tudo estava, por que já estava bastante escuro (já era noite), e não demoramos muito por lá. Mas em outras idas, notamos que as obras avançaram rápido.
Estação Calmon Viana - 01 de Outubro de 2010

Estivemos conferindo as obras no último dia 1º de outubro, e de fato, é uma obra muito importante. Foi construída uma nova plataforma, uma nova passarela, elevadores, troca de todo o piso, novas placas de sinalização, novo sistema de som... enfim, foi uma reforma estrutural completa. Parabéns a CPTM e ao Governo do Estado de São Paulo, por mais uma importante obra na ferrovia! Sejam bem-vindos a nova CPTM.

CPTM confirma mais R$ 85 milhões para novas estações na Linha 11

Estação de Calmon Viana foi entregue ontem pelo Governo

Fonte: CPTM

O governador do Estado, Alberto Goldman (PSDB), disse ontem que o contrato para a construção da nova estação em Suzano deverá ser assinado na próxima semana. O secretário de Estado de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portela e o presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Sérgio Avelleda, também confirmaram a informação. Depois desse procedimento, a empreiteira contratada (o nome não foi divulgado) poderá instalar o canteiro e tocar as obras que o governo estadual espera concluir até final de 2011.

Nesse mesmo espaço de tempo, ou seja, menos de 15 meses, a CPTM quer entregar aos usuários a nova estação central de Ferraz de Vasconcelos. E não está descartada a possibilidade de nove novos trens entrarem em circulação antes do fim do próximo ano, o que garantirá transferência do ponto final do Expresso Leste e consequentemente da temida baldeação de passageiros de uma composição para outra, de Guaianases para Suzano.

Todas essas informações e previsões otimistas foram apresentadas por Goldman, Portela e Avelleda em evento promovido para inaugurar a revitalização da estação de Calmon Viana e destacar os pesados investimentos públicos para garantir aos trens da CPTM o padrão de qualidade oferecido pelo Metrô.

Ontem, o governador Alberto Goldman também aproveitou a atividade para exaltar os feitos dos governadores tucanos que comandam São Paulo desde a década de 1990 e criticar indiretamente a candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República.

As obras das novas estações custarão pelo menos R$ 85 milhões, sendo que a unidade prevista para Suzano está orçada em pouco mais de R$ 50 milhões. Ela será maior que a estação projetada para Ferraz. Goldman adiantou que nas próximas semanas viajará ao exterior para assinar a liberação de recursos que serão utilizados para a compra de trens e obras de infraestrutura e acessibilidade nas estações. Nove trens novos chegaram em um prazo de 15 ou no máximo 18 meses.

Essas novas composições que Goldman quer encomendar antes do fim de 2010 garantirão a ampliação das viagens do Expresso Leste e sua chegada a Suzano. Avelleda explicou que a obra de Ferraz será iniciada assim que uma estação provisória for estruturada. Em Suzano a obra poderá ser iniciada depois que o contrato for formalizado.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

CPTM e MRS fecham acordo para trens na Grande SP

MRS e CPTM fizeram acordo para trens na grande SP
Fonte: Jornal Valor

A concessionária de ferrovias MRS Logística acaba de firmar acordo para segregação de um trecho de 12 quilômetros de vias férreas na Grande São Paulo com a Companhia de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo (CPTM). Com isso, o trecho entre a localidade de Manoel Feio, em Itaquaquetuba e Suzano, na região leste, terá tráfego de cargas e passageiros simultaneamente. Hoje, os trens de cargas não podem operar em horários de pico, reservados aos de passageiros. O início das obras está previsto para este ano, tão logo seja concluído o processo de licenciamento ambiental, e o término, para meados de 2012, segundo informou as duas empresas em comunicado.

De acordo com a MRS, essa operação de segregação de linhas é parte da solução integrada de transposição de São Paulo, o chamado Ferroanel, obra que ainda continua no papel. O projeto foi desenvolvido conjuntamente pelas empresas e consiste na construção de uma nova via férrea, exclusiva para o transporte de cargas da MRS, paralela às linhas existentes, dentro do limite da faixa ferroviária.

A segregação vem sendo estudada e discutida com a CPTM há vários anos. O projeto elimina um gargalo logístico e começa a resolver, de forma estruturada e definitiva, a convivência do transporte de carga e passageiro em São Paulo, observa a MRS. Nesse trecho, a empresa vai investir em torno de R$ 100 milhões.

Essa operação, indica a concessionária, vai permitir a interligação com sua linha para o porto de Santos, onde está investindo outros R$ 130 milhões em novas locomotivas de cremalheira. Com isso, informa, vai aumentar a capacidade de movimentação na serra de Santos de 8 milhões de toneladas para 24 milhões de toneladas ao ano, podendo chegar a 56 milhões em uma segunda fase, destaca Eduardo Parente, presidente da MRS.

Ele explica que a segregação é fundamental para que a carga chegue até a Serra do Mar. “Demanda existe, mas atualmente não temos como atendê-la por causa desse gargalo, que estamos removendo agora. A segregação permitirá a ligação das regiões do Vale do Paraíba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro diretamente com a Baixada Santista e o Porto de Santos, sem as restrições da convivência atual.”

Para o presidente da CPTM, Sérgio Henrique Passos Avelleda, no passado, trafegar pelas mesmas vias não era problema. Nos últimos quatro anos, o transporte diário de passageiros saiu de 1,5 milhão para 2,2 milhões e os planos são de atingir 3,7 milhões nos próximos anos. O plano de expansão da CPTM visa à operação de suas linhas com qualidade de metrô e às vias existentes não admitem mais esse compartilhamento. “O projeto da Segregação Leste considerou as futuras demandas da CPTM e da MRS para a região e, com sua implantação, também nos permitirá a ampliação do Expresso Leste e também a redução dos intervalos entre nossos trens”. 

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

CPTM bate novo recorde


Por Diego Silva

Caros seguidores, a CPTM bateu mais um recorde em sua história: novamente o número total de passageiros transportados num mesmo dia foi batido! Na última sexta, véspera de feriado, a CPTM transportou 2 milhões e 310 mil usuários, número superior em 6,4% do último registro, que era de 2 milhões e 280 mil passageiros. Esses números mostram para todos que a CPTM está cada vez mais importante na vida da população paulista, e que os usuários estão notando as mudanças da empresa, que investiu pesado em segurança, em reformas, na compra de trens e no tratamento a seus usuários. Estamos caminhando a passos largos, rumo ao objetivo principal: transportar 3 milhões de pessoas até 2014! Sejam bem-vindos a nova CPTM! Números como esses mostram que o objetivo é alcançavel, e vocês usuários, são o prestígio da empresa. Vamos continuar elevando o padrão da companhia, que em breve será a mais importante transportadora de passageiros da América Latina.

Siga o blog por email

Seguidores