segunda-feira, 4 de abril de 2011

A Eterna reclamação dos usuários - Parte 6 de 8

Série 2000 - Expresso Leste é a linha mais lotada da CPTM (foto: Diego Silva)

Estação Luz, 18h. Plataforma quatro absurdamente lotada, com usuários disputando lugares na força. Essa é a realidade do Expresso Leste, a Linha 11-Coral da CPTM. A linha que foi reprojetada para atender um maior número de usuários, sofre constantemente com trens superlotados no horário de pico, mesmo tendo um dos menores intervalos de toda a malha. A frota atual passa por revisão geral, e conta com trens reservas que tem sido de muita utilidade (série 7000). Mas o serviço expresso da CPTM tornou-se uma linha muito congestionada. Na sexta reportagem da série, falaremos sobre os problemas e soluções aplicáveis na Linha 11-Coral da CPTM, desde sua origem na Luz, até o seu fim em Estudantes.

EXPRESSO LESTE

Trem série 2000 recém-chegado ao Brasil


O Expresso Leste foi concebido em 2000, sendo uma alternativa viável em vista do antigo traçado, que cortava a região da zona leste de São Paulo. A obra do novo traçado foi completamente executada pelo Metrô de São Paulo, que chegou a comprar 11 trens para dar seguimento à Linha 3-Vermelha (realizando o transbordo na estação C.-Itaquera, e seguindo até Guaianazes). Essa frota foi utilizada na Linha 3-Vermelha do Metrô durante algum tempo, e após o final da obra, ficou decidido que o traçado permaneceria com a CPTM, sendo um novo serviço da companhia. Então, tais trens foram mandados para a Linha 2-Verde, e a CPTM abriu licitação para compra de 15 trens de oito carros para realizarem o trajeto. A vencedora da licitação foi a CAF espanhola, que forneceu as 15 unidades em aço carbono, que são hoje os trens série 2000. Com isso, o Expresso Leste começou suas operações em maio de 2000, com grande êxito. Nesse meio tempo, praticamente nada mudou.

Trem série 7000 correndo pela Linha 11, auxiliando a frota série 2000

Atualmente, a frota série 2000 passa por sua primeira revisão geral, visto que já fizeram dez anos de uso contínuo. Durante essa fase de reforma e revisão, algumas unidades da série 7000 estão auxiliando nos serviços diários, até que todos os primeiros passem pela revisão. Nesse meio tempo, a CPTM encomendou um lote de 9 novos trens, vencidos pela Alstom, e que deverão chegar até o ano que vem. Com isso, a frota do Expresso Leste será ampliada dos atuais 15 trens para 26 composições. Com esse aumento, já foi determinado a extensão do serviço até a Estação Suzano.
A principal reclamação dos usuários do Expresso Leste é a lotação, afinal, o serviço que é rápido não comporta a carga de usuários, que beira a margem de 551 mil por dia. Comércio ambulante também é um problema a ser resolvido nessa linha, assim como em todas as outras. A reeducação dos usuários sobre as regras básicas de segurança (como não sentar no piso do trem) é algo a se fazer com mais calma e dedicação.

Linha 11-B / Extensão
Trem série 4400 na estação Suzano: próximo terminal do Expresso Leste

A extensão da Linha 11-Coral, conhecida como 11-B, abrange de Guaianazes até Estudantes. Esse trecho conta com uma grande demanda, e atualmente, com frota padronizada (trens série 4400). As estações são datadas de muito tempo atrás, e basicamente todas elas sem muitas opções de acessibilidade. A mais considerável da linha é Calmon Viana, que conta com mais acessibilidade em vista das outras. Antigamente, essa linha era servida desde a estação Brás, até Mogi das Cruzes, com trens alternados até Estudantes. Muitos estudantes universitários se deslocavam da capital para as universidades de Mogi das Cruzes, daí foi criado o Expresso dos Estudantes, e posteriormente, a estação Estudantes. Hoje, a demanda é principalmente de trabalhadores, mas ainda existem os estudantes. Está em trâmite, um projeto de se levar o trem até Cezar de Souza, mas é apenas um projeto. Não sabemos informar se isso irá ocorrer.

Trens série 4400 em Calmon Viana

A principal questão da Linha 11-B é a transferência em Guaianazes. Ali, quando o Expresso chega da estação Luz, praticamente todos os usuários desembarcam, e fazem uma verdadeira avalanche nos trens com sentido à Mogi das Cruzes. As maiores reclamações vem dessa atitude inapropriada dos usuários, que, com a construção de Guaianazes nova, ficou ainda pior. Agora, espera-se para saber o que irá acontecer quando o transbordo for realizado em Suzano, uma vez que essa ganhará uma novíssima estação. Comércio ambulante, para variar, também é um problema nessa linha. Os intervalos médios são razoáveis, e a demanda é escoada rapidamente. Alguns usuários reclamam que os trens pulam muito, mas isso é característico dessa frota. Em horários regulares, os trens provenientes da estação Luz seguem até Estudantes.

Expresso Leste realiza viagens regulares até Estudantes

Nessa linha, melhorias nas estações são bem-vindas. Um maior combate ao comércio ambulante, e aos usuários que insistem em sentar no piso do trem também deve ser mais visto, além da reeducação dos usuários para realizar um embarque com segurança no transbordo em Guaianazes. No mais, a linha é bem tranquila em determinadas situações... Na próxima reportagem, a Linha 12-Safira em foco. Como uma linha considerada a pior do sistema entra em uma mudança radical e vira uma das mais equilibradas do sistema. Ainda esse mês, aqui no blog CPTM em Foco.

6 comentários:

  1. Ainda acho que os trens da Banda B poderiam ser maiores

    ResponderExcluir
  2. A ideia é realmente que todos os trens sejam de oito carros, caro Wesley. Porém, ainda temos que esperar para ver o que vai acontecer com a 11-B. Não sabemos até agora sobre licitações de novos trens para substituir os 4400, então, fica tudo uma incógnita.

    ResponderExcluir
  3. O Expresso Leste na verdade era extensão da Linha 3 até Guianazes e o então presidente da CPTM que renovava a malha na época sugeriu ao Metrô repassar esses investimentos a CPTM, como uma troca de favores "paga" com o turnkey da Linha 5.
    De fato, a estação Guaianazes foi planejada p/ receber 300mil/dia (média de até 15 a 30mil/hora), como informa, hoje já ultrapassa os 500mil/dia. O intervalo ainda está num patamar aceitável, houveram intervenções para melhorá-la, mas, falta infraestrutura que será corrigida com a construção da estação Suzano. Ainda, os 9 trens não são a solução para o loop Suzano~Luz, mas, com a sinalização permitindo um intervalo de até três minutos no horário de pico, isso melhore. É difícil não falar que não mudou nada, pois mudou: o serviço foi consagrado como o padrão de Metrô da CPTM, o que encorajou a prefeitura de Mogi a solicitar a vinda dos trens série 2000 em viagens diretas, algo que não ocorria antes. E os trens já vem em revisões gerais desde 2008, só que, devido ao grande aumento da demanda, os série 7000 foram utilizados como frota e reserva operacional. O que, graças ao aumento da demanda forçou em 2009 a iniciar testes com o limite da sinalização: 17 trens no carrossel, até então, em condições normais, eram 15 e, quando haviam trens em RG e manutenção, 13. César de Souza trata-se de especulação midiática: a imprensa fica sem pauta no início do ano e resolve explorar um assunto que esteve sempre por aí e dá uma nova roupagem. Se sairá, é difícil de prever, já que nem mesmo a STM se pronunciou oficialmente sobre os movimentos dentro da cidade, logo, cairá no esquecimento.

    ResponderExcluir
  4. E um abisurdo o quer vcs faz com população e uma vergonha agente sai de casa cedo para pegar essa merda de trem , vive dando defeito hoje estava um inferno, os trem nunca passa na hora certa, para toda hora no meio do caminho, a unica coisa que vcs sabe fazer e subir o preço da passagem só isso mais nada melhoria zero respeito os trabalhador nada.
    imagine na copa si vcs não tem estrutura pra comportar a população do dia a dia imagine uma copa do mundo.

    ResponderExcluir
  5. Pela milésima vez, eu informo que não sou funcionário da CPTM! Sou apenas observador e admirador da empresa e dos trens! A demanda não para de crescer, e a CPTM está investindo pesado na compra de trens para suprir tudo isso, mas vocês usuários tem de enxergar que isso é um processo de médio prazo! Além de comprar quase uma centena de novos trens, a CPTM está atualizando e modernizando todo o sistema de sinais, para aproximar os trens e poder reduzir o intervalo. Agora, os usuários só enxergam o ´ruim` da Companhia. Ninguém vê as melhorias. Meter o pau todo mundo sabe né? Tá na hora de vocês usuários acordarem para a realidade! Não adianta vir me dizer que pega trem de madrugada, lotado, porque eu também pego, e sei muito bem como todas as linhas são. Procurem ver o lado bom da CPTM, porque as coisas ruins tem conserto.

    ResponderExcluir
  6. De fato isso é verdade prova disso em 1998 quando eu trabalhava na região do Tatuapé essa linha sofria ou ainda sofre de lotação sem contar as pessoas que sempre entravam nos trens empurrando quem estivesse pelo caminho disputando lugar eu inclusive fui vitima desses ignorantes não dão passagem pro povo sair vai empurrando quem estiver pelo caminho eu quase capotei sorte a minha que cai sentado devolta no banco dai eu e meus colégas de trabalho decidimos que sempre antes de sair esperar sentado a cambada entrar e depois sair do trem esse fato aconteceu quando essa linha chamava de linha E que antes ia só até a Estação Roosevelt até Julho de 1998 hoje chamada de Brás.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores