terça-feira, 31 de maio de 2011

Licitação para reforma das estações da Linha 10 deverão sair ainda esse ano

 Projeto da nova estação Mauá

Ainda este ano serão licitados os projetos executivos para reconstrução ou reforma de 11 estações da Linha 10-Turquesa da CPTM, que atende o ABC. As obras fazem parte de projeto de modernização das cinco linhas da empresa, um investimento de R$ 244,4 milhões.
Além de readequação às normas de acessibilidade, em atendimento ao decreto 5296/04, estão previstas trocas dos sistemas de sinalização, telecomunicações, rede aérea e via permanente (trilhos), e melhoria no suprimento de energia.
A Linha 10-Turquesa recebe média 365 mil passageiros em dias úteis. As estações Mooca, Ipiranga, São Caetano, Utinga, Prefeito Saladino, Santo André, Capuava, Mauá, Guapituba, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra serão beneficiadas com as melhorias. 
A previsão é oferecer estações modernas e confortáveis, com banheiros para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, escadas rolantes e todos os itens de acessibilidade (elevadores, piso e rota táteis, comunicação em Braille, corrimãos e rampas adequadas), viagens mais rápidas e mais oferta de lugares aos usuários.
Segundo a CPTM, está em andamento a reforma de subestações e cabines seccionadoras, construção de nova subestação em Santo André (localizada na Cidade Pirelli, que antigamente contava com uma estação) e a implantação de sistema de telecomando de energia. 
Também estão sendo remodelados os dois pátios de trens nas proximidades da estação Mauá.
Passageiros dão sugestões
Para quem utiliza o sistema de transporte coletivo oferecido pela CPTM diariamente, as melhorias anunciadas são boa notícia. É o caso de Daniela Santos, estudante de Santo André, que utiliza o trem todos os dias para ir até o curso, em Utinga. “A reforma é muito bem-vinda, porque as estações estão velhas”, comenta.
Daniel Denk, técnico de laboratório, vai todos os dias da estação Prefeito Celso Daniel, em Santo André, até o Brás para estudar. “O grande problema é com banheiros e falta de acessibilidade”, considera. Para Denk, precisa haver investimento em mais composições para evitar a superlotação observada nos horários de pico.
Nadia dos Santos, desempregada, realiza tratamento contra um tumor em Santo André e, por isso, utiliza o trem de Ribeirão Pires até a estação Prefeito Celso Daniel todos os dias. Para Nadia, falta maior conscientização por parte dos passageiros sobre o uso do trem. “As pessoas precisam se comportar melhor, esperar o desembarque para então embarcar”, destaca.

4 comentários:

  1. Muito bonito esse projeto da futura estação Maua, provavelmente a plataforma maior seja a da Linha 10 e a menor (de dentro) do expresso ABC, estações como: Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires, Cabuava, Utinga, Ipiranga e Mooca vão ter novas estações? (pois são tombadas como patrimônio histórico)... Já as de Guapituba, Maua, Santo Andre, Prefeito Saladinho e São Caetano vão ser reconstruídas? (Já essas estações não tem arquitetura tão histórica assim e 3 das citadas vão receber o Expresso ABC, com isso tais estações tem que ser bem mais modernas e espaçosas).

    ResponderExcluir
  2. Bom dia!
    A Estação Rio Grande da Serra já passou da hora de ser colocado em prática a construção de uma nova estação. Quem conhece a cidade sabe o clima. Em dia de chuva mesmo na pouca parte que possui cobertura os usuários são obrigados a usarem seus guarda-chuvas. Dificultando a si mesmo a passagem de embarque e desembarque. Todos aguardam melhorias antes que aconteça algo que venha machucar qualquer quem seja na plataforma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Juliana. Sei perfeitamente do problema da estação de Rio Grande da Serra (pq moro na cidade e utilizo lá todos os dias). Já foi pedido mais de uma vez à CPTM que cuide ou realize os devidos reparos. Mas por ser uma estação tombada (patrimônio), fica difícil uma intervenção mais pesada. Já existe o projeto da nova estação, mas o governo ainda não definiu em que ano deve iniciar as obras... Resta a nós esperar.

      Excluir
    2. Olá Diego. Já morei na Cidade e também tenho conhecimento de ser uma estação tombada (patrimônio). Inclusive à Cidade que nasci Ribeirão Pires e Caieiras da Linha 7-Rubi onde moro foram tombadas devido serem as últimas a manterem a arquitetura original trazida pelos Ingleses. A CPTM classifica o trabalho como reconstrução, você pode ler o Diário do Grande ABC postado em 20 de Junho de 2014 onde consta que as obras deveriam acorrem em agosto começando por Ribeirão...Rio Grande e Guapituba.
      Já ouvi falar desse projeto da nova estação, seria a construção de um terminal rodoviário na cidade no campo ferrovia. Confesso que cheguei a ver uma imagem da futura estação mas não sei onde. Já procurei e não encontrei, caso tenha fico grata desde já. Com a construção nova a reforma no prédio tombado poderia ser concluída preservando mais servindo como ponto turístico.
      Inclusive o retorno do Trem para Santos, confesso não ser do meu tempo, me lembro que apenas cheguei a ir para Paranapiacaba pouco antes de deixar ser prestado o serviço de Trem. Mas meu pai admite que era muito...muito bom, e um meio de lazer. Esse retorno se ocorrer certamente irá trazer mais crescimento e desenvolvimento para o Município.
      Mas vamos por parte...e agradeço pelo retorno. É muito bom saber que há mais pessoas interessadas na melhoria.

      Abraços!!

      Excluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores