domingo, 12 de junho de 2011

É possível ir até mais longe

Novos trens estão chegando aos poucos

Texto e Imagens: Diego Silva

Uma questão que foi observada há algum tempo por nós, e que hoje vem à tona para todos vocês, leitores do Blog CPTM em Foco: porque não levar os serviços de trem até cidades mais distantes? A CPTM e o governo do estado estão com planos de criarem um trem regional para Campinas e Sorocaba. Após observação de algumas situações, pensamos no seguinte: é possível levar trens metropolitanos até tais cidades? Acompanhe nosso raciocínio nessa postagem.

Trem série 1100: nova reforma daria continuidade nos serviços

Francisco Morato até Campinas
Para os que circulam na CPTM há algum tempo, principalmente usuários da Linha 7-Rubi, se lembram que até anos atrás, era necessário pagar uma segunda tarifa, caso quisessem seguir viagem de Francisco Morato até Jundiaí, tarifa essa que hoje não se faz mais necessária. A Linha 7-Rubi, que atende desde São Paulo (estação Luz) até a cidade de Jundiaí, poderia receber um investimento mais pesado. Qual é a ideia: em vez da extensão atual, o serviço poderia ser realizado desde Francisco Morato até Campinas. Tudo isso se daria da seguinte maneira: duplicação das vias a partir de Jundiaí, re-eletrificação do trecho, acordo comercial com a MRS Logística (a quem pertence o trecho via concessão), reconstrução de estações intermediárias, como Jundiaí Paulista, Louveira, Vinhedo, Valinhos e Campinas. É de conhecimento popular que muitas pessoas residentes em Campinas, se deslocam para trabalhar em São Paulo, e vice-versa. Campinas, por ser uma cidade de grandes proporções, necessitaria sim de um transporte coletivo até São Paulo, mesmo existindo a necessidade de se fazer transbordo em Francisco Morato. Ainda: a estação de Francisco Morato será reconstruída, e o projeto poderia ser feito abrangendo 4 plataformas, sendo duas para o serviço até São Paulo, e as outras duas até Campinas.
Certo, e vem a questão: trem. Numa conversa descontraída com o dono de uma publicação ferroviária, veio a seguinte situação: se a Linha 7 está recebendo novos trens (série 7000), o que fazer com os série 1100? Esses trens já estão com a idade avançada, mas ainda são de grande utilidade. O que haveria de ser feito com eles seria uma nova reforma, completa, já que as caixas de aço inox encontram-se impecáveis, o que mostra que é o melhor material a ser utilizado na construção de trens. As suspensões, de ´mola`, passariam a ser pneumáticas, trazendo mais conforto aos usuários. O salão de passageiros receberia um novo layout, mais atraente e espaçoso, além da possível substituição das janelas por ar-condicionado. A CPTM conta com 11 trens de seis carros dessa frota, e esse plano seria muito bem observado, caso a empresa se interessasse realmente em realizar esse projeto. Com isso, a Linha 7, em seu trecho principal, ficaria com trens de oito carros (séries 1700 e 7000), e em seu segundo trecho, com 11 trens de seis carros, atendendo a demanda até Campinas. Caso houvesse necessidade, trens séries 1400 e 1600, com mesmo layout e potência dos 1100, também poderiam operar nesse trecho, como frota reserva.


Itapevi até Sorocaba
A questão desse trecho é mais delicada. Trata-se um trecho de bitola métrica, após Itapevi, o que tornaria a obra mais complicada, e talvez mais demorada. Vide a atual situação da extensão entre Itapevi e Amador Bueno, que foi prometida para novembro desse ano, mas sequer está na metade das obras. A questão aqui seria óbvia: tratar da concessão do trecho com a ALL (América Latina Logística), realizar a construção (ou reconstrução, já que foi tudo abaixo) das estações de Santa Rita, Ambuitá, Amador Bueno, São João Novo, Mailaski, São Roque, Mairinque e Sorocaba. Mas observando as atuais circunstâncias locais, trata-se de um trecho muito difícil de se fazer. Até Amador Bueno, o trecho está apto, mas a partir desse ponto, trata-se de locais praticamente abandonados, tomados de vegetação. Haveria de se fazer obras faraônicas. Claro, no tempo da Fepasa, tudo era funcional, mas com o abandono das ferrovias no século XX, ao invés de manterem como estava, simplesmente jogaram ao tempo. Caso o governo observasse a ideia, e fosse a favor, qual seria a situação: com o recebimento de 36 novos trens para a Linha 8-Diamante, toda a frota de trens série 5000 seria desacoplada, reformada por completo (troca de todos os equipamentos, reforços estruturais, uma verdadeira faxina no trem), e com isso, haveria frota para circular nesse novo trecho, totalmente modernizada e apta. Além disso, desapropriações deveriam ser realizadas, pois em pesquisa realizada para composição dessa postagem, vimos que a estação de São João Novo é o velório municipal de São Roque. A estação de São Roque é a sede da Polícia Militar... Então, fica uma situação complicada. Mas não é impossível. Talvez nesse trecho, o trem regional seja a melhor opção.

Extensão da Linha 11 poderia ir até Guararema (Foto: Willian Molina)

Suzano até Guararema
Atualmente, está em trâmite no governo a chegada da Linha 11-B até Cézar de Souza. Observando outra situação, porque não levar o trem até Guararema? A Linha 11-B, que passará a ser Suzano x Estudantes a partir de 2012 (com a chegada do Expresso Leste até Suzano, não haverá mais necessidade do trecho atual, entre Guaianazes e Estudantes, e sim a partir de Suzano), seria mantida com a frota série 4400, que atualmente atende esse trecho. Com a chegada dos novos trens na Linha 12-Safira, os trens série 4400 que atendem aquele trecho seriam deslocados para a Linha 11-B, e aumentando a oferta de lugares, sendo possivel levar o serviço até Guararema, sem maiores problemas. As estações de Cézar de Souza, Sabaúna, Luiz Carlos e Guararema necessitam de reformas e adaptações, mas nada de muita complexidade. Seria uma ótima alternativa, e algo a ser pensado pelo governo, pois aumentaria a demanda e facilitaria a vida das pessoas, para alcançar São Paulo de trem. A CPTM, atualmente, não tem problema com frota, uma vez que está em processo de renovação. E como existe muito falatório sobre o destino desses trens, o Blog mostra que é possível todos eles continuarem prestando serviços normalmente, levando a CPTM mais longe.


Claro que tudo o que falei hoje aqui para vocês são hipóteses, observações que fiz para mostrar aos leitores e para o pessoal da CPTM que também acompanha o blog, que é possível levar o trem mais longe. Se esses planos forem concretizados, não haveria mais a necessidade de ônibus fretados entre essas localidades, para acessar a ferrovia. Considerando o fator Campinas x São Paulo, onde diariamente, diversos ônibus fretados cortam a rodovia dos Bandeirantes trazendo pessoas, com o trem tudo isso mudaria. Ganhariam mais tempo, mais qualidade, economia e principalmente, a redução de emissão de poluentes pelos ônibus. Vale sempre lembrar que o trem é um transporte limpo, de alta capacidade, de alta velocidade, de maior qualidade. É possível chegar mais longe, basta querer.

5 comentários:

  1. Isso deveria ser uma coisa fácil pro governo de SP e do Brasil, querem ter copa, mais deixam tudo no projeto, bom dizem que falar é fácil mais na hora de fazer é difícil, eu não acho isso, se tem vontade tudo se torna fácil, mais pros políticos o que é fácil é só aumentar seus salários!!!

    É excelente essa ideia de reutilizar os trens antigos, mais com tanto impostos que o governo recebe (no trecho de Campinas-Jundiaí) daria para pegar os 2100, os coloca-los nesse trecho e no Expresso ABC, comprar mais 24 trens da série 8000 para rodar na definitivo na Linha-10 e dar um auxílio se caso a Linha-07 precisar, fazer uma reforma total nos 1700 (piso, portas, janelas, frente, layout moderno, AC, substituição de equipamentos) tipo fazer eles parecer que acabou de sair da loja, e com isso eles poderiam aumentar a frota das linhas 7 e 10... Em, fim...

    Ainda bem que sonhar não paga IMPOSTOS!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Sensacinal é o que digo sobre isso.
    Iria melhorar o transporte tanto reginal quanto local.lembro quando minha tia me conta do trens que iam para bauru,jaú,pederneiras,etc.E dizem que éra muito bom.E agora com isso a cptm faría um ótimo negócio. reformando COMPLETAMENTE os série 1100,1400,1600,5000 e até os 4400 para irem até guararema ia ser ótimo.Se bem que isso deveria ter sido feito ha anos.Mas acho que aínda esta um pouco curto a extenção da banda b na linha 11,acho que deveria ir até Santa isabel e a linha 9 deveria ir até term.varginha.
    Mas mesmo assim fiquei felizimo sabendo disso.
    sei que eles fariam falta, mas o 2100 seria ideal para os trechos fco. morato e campinas e itapevi e sorocaba.E se fizessem falta a cptm deveria enocomendar sei lá uns 22 série 7700,26 série 8500,10 séries 10.000 hehehe...
    Tambem deveria ser diréto esse trajeto sem extensão operácional, e aí seriam mais e melhores trens para todos, ou seja mais democracia.
    então resumindo,se isso acontecer realmente a cptm vai acertar muito. Boa noite a todos!!!

    ResponderExcluir
  3. Gostei dessa matéria. Seria bom sim, se tivesse trens para esses locais.
    mas vendo por outro lado, um exemplo, luz - francisco morato - campinas. hoje no horario de pico os trens já não comportão mais o numero de passageiros, mesmo com as chegadas dos novos trens (serie 7000). Agora se o trem for até Campinas, muitos Passageiros viriam de lá até Francisco Morato pois o trem é mais rapido, muitas pessoas optariam pelo trem, mas também iria aumentar o numero de passageiros nas plataformas em horario de pico.
    Claro que se um dia isso acontecer será muito bem aceito por muitas pessoas, mas teria que mudar muito o sistema de trafego dos trens, com menos intervalos e maior numero de trens.
    teria de ter também um sistema que não permitisse que as plataformas ficasse cheias em horario de pico. como é na cidade do méxico (quando a plataforma enche os portões da estação são fechados, abrindo somente depois que a mesma esvaziar).
    Bom. o que tenho a far é isso, mas a sua Hipótese é muito boa, e se futuramente a CPTM querer fazer a extenção dessas linhas teria de fazer muitas mudanças no sistema que temos hoje.

    ResponderExcluir
  4. Discordo em muita coisa, principalmente quanto a distâncias, intervalos e obras.
    Pensa comigo:
    Caso 1: Francisco Morato até Campinas
    Se formos pensar nesse modelo metropolitano, veja que de Chico até Campinas são SÓ módicos 64,5km (traçando com o Google Maps). Se, em breve, PARA MANTER PADRÃO METROPOLITANO COM INTERVALOS DE 5 MINUTOS ENTRE LUZ->F. MORATO serão necessários 20 7000 + 17 1700 (retire, obviamente, 2 trens de cada frota para reservas), pense que, se oferecer para aquela região o mesmo padrão de transporte ou mesmo que um intervalo maior vai gerar lotação e descontentamento. Pode ser opção? Claro. Mas outras estações intermediárias deverão ser contruídas se o padrão metropolitano quer ser atingindo, RESSALTANDO, mesmo que o intervalo seja alto. E, dado esse intervalo, pense no tempo de viagem: deve haver conforto, logo, os 1100 e outras séries antigas deveriam voltar às antigas e ter os bancos acolchoados. Modificar a mecânica e elétrica do trem talvez não seja tão interessante, se não houver tantos problemas de defeitos e falhas.
    Neste caso, o região não pra agora é interessante.
    Caso 2: Itapevi a Sorocaba
    Não há muito o que comentar. O trecho é complicado, serrano e cheio de curvas, até para as cargas é complicado. Antes, partiam da Júlio Prestes e da Luz trens com destino final a Sorocaba e era uma locomotiva apelidada de "Baratinha", com características semelhantes as dos Pendolinos que circulam pela Itália e algumas linhas da europa. Tanto que o projeto dos regionais é baseado em trens pendolinos assim (como os que a Virgin Trains operam, vide modelo da Alstom). Nesse caso, é mais interessante atender Sorocaba com um trem regional até a copa, junto a Santos, uma por receber turistas com potencial interiorano e outra por trazer turistas de navio e poder subir a serra de trem, evitando as rodovias que até lá estarão superlotadas e os ônibus não darão conta da demanda.
    Caso 3: Suzano a Guararema
    Esse trecho é mais complicado ainda. É equivalente a criar uma nova linha 8 em extensão (Suzano a Guararema segundo o Maps, 37,4km). Mesmo a frota completa de 4400 não daria conta de manter um intervalo aceitável a população de Mogi das Cruzes (10 minutos é o tolerado, além disso é atraso)e com certeza mogiano algum vai querer aguardar muito por trem pra ir pra capital, MESMO SABENDO QUE A DEMANDA É DE SUZANO EM DIANTE. Mas os embarques caseiros e a influência de Mogi ainda é muito grande, logo, a proposta não sairia devido a isso. Cézar sai porque a distância é pouca: 5km. Outro ponto citado são obras: "reformas e adaptações, mas nada de muita complexidade". Veja bem: Mogi é a cidade com o maior número de passagens em nível entre todas que os trens da CPTM passa. Além dos locais por onde a CPTM passa, ainda há mais PN's (Cézar, logo ao lado da estação, Sabaúna e dentro de Guararema também). Projetos dos viadutos estão no papel e nas passagens em nível quase toda semana ocorre alguma espécie de acidente (desde quebra no portão da PN, provocado ou não por carro até os mais graves como batida, esses, claro, muito mais raros). Além das estações: Pô, Luiz Carlos está destruída, estações repassadas para patrimônio público tem todo um processo para ser repassada, ou seja, leva um baita tempo, tanto que é muito mais fácil comprar um terreno e fazer uma estação nova nas proximidades do leito da via do que reformar as antigas (caso da própria César, ficará metros antes da antiga e privará o poder público de construir um viaduto). Além de ficar mais caro, oneroso e burocrático mexer em estações, em dados casos, tombadas pelo patrimônio histórico.
    Tenho dito: Mogi, trem só até Cézar.

    ResponderExcluir
  5. Acabo de encontrar esse post fazendo pesquisa no Google, anos depois. Conheço a ideia de revitalizar o trecho Jundiaí-Campinas (40km de trilhos) e desde 2011 audiências vêm ocorrendo pra que o projeto saia do papel, o que até agora não saiu. É complicado a população precisar de trens metropolitanos de passageiros e os políticos agirem constantemente contra os projetos para obter ganhos pessoais.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores