quinta-feira, 2 de junho de 2011

Greve CPTM 2011: Greve será decidida às 17h em assembleia

Fonte: UOL / Diário da CPTM
Imagem: Diego Silva


Os sindicalistas que representam os ferroviários em greve na Grande São Paulo se comprometeram, em audiência conciliatória no Tribunal Regional do Trabalho, a realizar assembleias às 17h desta quinta-feira (2), para decidir se a paralisação continua.
A Justiça propôs que os ferroviários mantenham o estado de greve, mas voltem ao trabalho. Caso a categoria decida manter a paralisação, a legalidade do movimento será julgada por volta das 18h.
A Justiça do Trabalho determinou que, se os ferroviários grevistas não garantirem o funcionamento de 90% dos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) durante o horário de pico e 70% nos demais momentos, os sindicatos terão de pagar multa de R$ 200 mil, o dobro do que foi decidido anteriormente. 
Mais cedo, em reunião com o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e diretoria da CPTM, os sindicalistas decidiram manter a paralisação. 
"A reunião começou tensa, mas aos poucos fomos nos entendendo. No entanto, ainda não há previsão para o retorno ao trabalho. Eles não estão cumprindo uma ordem judicial, mas isso terá de ser discutido no tribunal", afirmou Fernandes. 
A greve paralisa todas as 89 estações das seis linhas da malha ferroviária da região metropolitana de São Paulo e afeta cerca de 2,5 milhões de moradores das 22 cidades da Grande São Paulo. Segundo o presidente da CPTM, Mario Bandeira, não há como implantar um plano emergencial de transporte para aliviar a situação dos usuários.
"Não existe sistema para absorver esta demanda. O Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese) - plano de emergência que prevê colocação de ônibus extras em circulação - só funciona para cobrir pequenos trechos", explicou, em entrevista ao "Bom Dia Brasil", da Rede Globo.
Os funcionários querem 5% de aumento nos salários e o governo oferece 3,7%.
De acordo com  o presidente do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, Eluiz Alves de Matos, a decisão do TRT não abalou os ânimos da categoria. “Aguardávamos uma proposta que atendesse as reivindicações, mas nem Estado nem CPTM ofertaram algo que os trabalhadores não entendessem ser de segunda classe, a greve vai ser geral --e a multa que o TRT coloca vale tanto para o sindicato quanto para a empresa”, disse o dirigente.
Na noite de quarta-feira (2) houve registro de tumultos na estação Jurubatuba, gerados pelo acúmulo de passageiros que tiveram de optar pelo ônibus com a operação parcial da linha 9-Esmeralda. A CPTM admitiu o incidente, mas informou que se trata de "um dia atípico" e que o caso foi isolado. Em Guaianazes (zona leste), contudo, também houve relatos de pequenos tumultos.
O Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPAM-6), da Polícia Militar (PM), disse que reforçou a segurança nas estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) no ABC paulista a fim de evitar tumultos por conta da greve deflagrada pelos funcionários da companhia.
O CPAM-6 é responsável pelas cidades da região. Não há informação se a PM reforçou o policiamento na capital paulista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores