quinta-feira, 16 de junho de 2011

Remodelação de frota da Extensão da Linha 7-Rubi

Trem série 1600: Frota Budd está de volta à extensão

Texto e Imagens: Diego Silva

A extensão da Linha 7-Rubi, que liga Francisco Morato à Jundiaí, está contando com trens diferentes de algum tempo para cá. A CPTM retornou alguns trens mais antigos, das frotas 1400 e 1600, a fim de oferecer um serviço mais contínuo. Anteriormente, apenas a frota 1700 circulava por esse trecho, que contava com quatro unidades de quatro carros cada. Com o retorno da frota Budd, os trens da série 1700 deverão ser retirados da extensão, acoplados e deslocados para circulação no trecho principal dessa linha. Existem rumores sobre a possível reforma dessa frota, sendo que sua última revisão geral foi entre 1999 e 2001, realizado por diversas empresas contratadas. A extensão da Linha 7 conta com um trecho de 21,5 km, e cinco estações: Francisco Morato, Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí. Não é um trecho de grande demanda, visto que é domínio de cidades interioranas. Todavia, a extensão é mais da metade da Linha 7-Rubi (Luz x Francisco Morato, com 39 km), o que traz a necessidade do serviço nesse ponto. Em matéria passada, sugerimos para a CPTM a extensão do serviço até a estação de Campinas, eliminando a necessidade do trem regional. Com isso, a Linha 7-Rubi seria dividida em dois grandes pólos: Luz à Francisco Morato, com o atual trem, e posteriormente, Francisco Morato até Campinas, com uma integração gratuita realizada na nova estação de Francisco Morato (ainda em obras).

Trem série 1100: viagens esporádicas aos sábados na extensão

Os trens da frota Budd foram adquiridos em meados da década de 1970, a fim de realizar os serviços de subúrbio da então Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. Compostos de seis carros, os trens de aço inox sobrevivem até hoje, sendo duas das frotas mais versáteis da CPTM. Tais frotas basicamente acabaram ao longo do tempo, com cortes, acidentes e incêndios causados por usuários. Os poucos trens que restam atualmente, encontram-se em sua grande parte na extensão da Linha 7, exceto uma unidade da série 1400 e uma unidade da série 1600, que prestam serviços diários na Linha 12-Safira (ligando o Brás a Calmon Viana). Ainda não se sabe se a CPTM pretende colocar um trem direto, ligando Luz até Jundiaí (isso acontecia esporadicamente, em horários determinados, mas com a mudança de gestão, o serviço acabou). Durante uma visita técnica na CPTM, apuramos que não existe demanda suficiente para realização do trem direto, o que seria um desperdício de tempo e de energia. Atualmente, o governo do estado fala muito em trens regionais, e muito provavelmente teremos alguma novidade no que se diz a isso. Vale lembrar também que Jundiaí é um dos roteiros do Expresso Turístico, o trem de viagem da CPTM, que faz viagens semanais (aos sábados) para esse destino. A estação de Jundiaí continua em seu projeto original, e recentemente foi tombada pelo Condephaat, como patrimônio histórico.

4 comentários:

  1. Bom da extensão só vai dar pra pegar 2 dos 3 1700 que tem então as 2 unidades no modelo reformado com a cor da pintura Metropolitana.

    Com isso a extensão operacional ficara com 1 unidade vermelha de 3 vagões 1600, 1 unidade metropolitano de 4 vagões 1600, 1 unidade antiga pintura de 4 vagões 1400 (QUE TEM QUE PARA DE CIRCULAR POIS ESTÁ SUCATEADA), 1 unidade metropolitano de 4 vagões 1400 e mais 1 1700 de 4 vagões na pintura antiga (QUE ESTÁ TAMBÉM SUCATEADA).

    Bem que o governo em parceria com a CPTM poderia pegar trens da série 1600 e 1400, fazer 6 unidades de 4 vagões mais toda reformada, com: mascara nova, internamente com um novo layout (tipo os 5550), novo piso (igual dos trens novos), novas portas com vidros maiores (tipo os 7000, só que mais largas), bancos iguais da frota H do METRO-SP só que na cor vermelha e preferencia na cor cinza e como os vagões desse modelos de trens são maiores nos bancos de lado ao invés de 1 unidade de 2 lugares ter 1 unidade de 3 lugares, passagem livre entre os 4 vagões, novas janelas (maiores se poder), novos ventiladores (maiores e mais potentes), pintura vermelha (pintar os pantógrafos e as caixas dos motores na cor cinza escuro) e por fim televisores que mostram o mapa dinâmico da CPTM, informações e propagandas...

    Bom com isso eles durariam mais e daria bem mais conforto aos usuários da extensão, pois não é por que não tem muita demanda que a CPTM pode escangalhar com essa parte da linha, NÉ!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Acho que isso tem a ver com a extensão até campinas,pois se os budd's(1100,1400 e 1600)forem reformados ficariam mais potentes e mais confortáveis, durariam mais tempo e seriam mais úteis e tambem deveria de haver mais unidades para a linha 7 e a extensão.se o trem regional não for até campinas ou se for até campinas acho que os budd's deveriam ficar com 8 carros(1400,1600 e 1100)e talves outros trens deveriam fazer parte da frota como o 2100 tanto para a extensão de campinas quanto a de itapevi até sorocaba e a linha 10 seria remodelada com novos trens.

    ResponderExcluir
  3. Diego Fernando, eu acho se fazer as Série 1400 e 1600 em unidades de 4 vagões e se acoplarem não vão caber em nenhuma plataforma de nenhuma estação da extensão Operacional... Bom do trem ir até Campinas eu adoraria essa ideia, pois com isso a Linha-07 Rubi iria quase que dobrar de demanda, isso ira fazer o estado e a CPTM investir pesado nessa linha, assim fazendo construir novas estações para desativar as antigas (isso pois quase todas as estações da linha 7 estão tombadas como patrimônio histórico), comprar mais trens novos para o trecho principal, construir mais vias no trecho principal (Morato- Luz) assim fazendo aonde tem 2 vias construir 3 e aonde tem 3 construir 4 vias, isso para separar o trem cargueiro dos trens de passageiros, isso serviria para tentar reduzir os intervalos dos trens para 3 minutos.

    Já no trecho de Morato-Campinas reconstruir as estações Botujuru e Campo Limpo já na Várzea construir uma nova um pouco há frente assim fazendo a estação sair na Av. Projetada e junto com o Estação Plaza Shopping (está em construção tal shopping) assim não iria ficar muito fora de mão para ir há estação de trem da Várzea dando mais segurança aos usuários e por fim em Jundiaí modernizar a estação (mais não pode-se alterar muito a estação pois ela foi tombada como patrimônio histórico). Já depois de Jundiaí tem que investir pesado pois as vias estão precárias, não tem eletricidade mais e as estações foram apodrecida com o passar do tempo.

    Já as série 1100, 1400 e 1600 tem a estrutura muito semelhante se forem totalmente Modernizadas com direito a tudo e com o mesmo Layout interno e externo elas podem se transformar em uma nova série de trem uma frota única!!!

    ResponderExcluir
  4. Bruno, foi bem dito o que você disse, e com as extensões não só apenas a liha 7 será "modernizada", mas tambem as linhas 8 e 11 sairam ganhando, por que no caso da extensão da linha 8 de itapevi até sorocaba.Os fepasões serão completamente modernizados com ar condicionado, novo layout,etc. e então com a saída dos 5000 do trcho principal haveria que ter mais trens na linha 8, pois não se sabe a origem do 5000, pois há quem diz que 12 fepasões serão reformados para rodarem com os 8000 no trecho principal e com a extensão isso não vai acontecer e então + 12 trens irão para a linha 8(7000,2070,4400,5500?) portanto nem só os interioranos ganham mas tambem os usuários da linha principal.

    Já a formação de uma só frota e série com os budd's 1100,1400 e 1600 não acho viável, por que na minha opinião tem de haver uma certa variedade.Até emocionamente pois é até o meu caso pois sou usuário da linha 8 mas o trem que mais admiro é o milzinho 1100 e então prefiro novas séries como novos 1100,1400 e 1600.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores