quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Patrimônio histórico, estação sofre com goteiras

Goteiras atrapalham usuários em Rio Grande da Serra

Por: Diego Silva

Recentemente, algumas das estações da CPTM foram tombadas como patrimônio histórico do Condephaat, e entre elas, está a estação de Rio Grande da Serra, datada de meados de 1862. Terminal da Linha 10-Turquesa, a estação recebe em média dez mil passageiros por dia, em sua grande parte trabalhadores que exercem suas funções em outras cidades do ABC paulista, ou mesmo na capital. Com estrutura simples, a estação está preservada nos moldes da antiga SPR, companhia que construiu esta que é uma das primeiras construídas em São Paulo (para se ter idéia, Rio Grande da Serra foi erguida antes mesmo da Estação Luz).
Mas um detalhe vem chamando a atenção dos usuários e funcionários de um tempo para cá: as goteiras. A plataforma 2, que abriga os trens que chegam de São Paulo, sofre com intermitentes goteiras, e em dias de chuva forte, a goteira vira praticamente uma cachoeira. Em observação à estrutura, notamos que trata-se de um problema antigo, que já teve conserto anos atrás, mas que voltou a apresentar esse defeito. Uma goteira não tratada assim poderá provocar um desabamento muito em breve. A cidade, para quem conhece, tem um clima muito úmido, e é comum chuvas mais fortes. A cada nova chuva, o problema se repete na estação.
Em conversa rápida com um funcionário da estação de Rio Grande da Serra, tivemos a informação que os materiais de construção para os reparos na edificação já foram recebidos, agora resta saber quando começarão a realizar as obras.

A cada nova chuva, o problema se repete

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores