terça-feira, 6 de setembro de 2011

Evolução da frota série 5500

Trem série 5500 - Consórcio Eletrocarro
Por Diego Silva

Uma das piores frotas da CPTM, comprovado por funcionários, usuários e principalmente, fãs da empresa e de seus trens. Assim é classificado o trem série 5500, conhecido como Eletrocarro ou Belga. Construído pelo Consórcio Eletrocarro (Budd/Mafersa/Sorefame/ACEC), a pedido da Fepasa, os trens portugueses vieram ao Brasil para atender a crescente demanda do então Ramal de Jurubatuba (atual Linha 9-Esmeralda). Por um acaso, a RFFSA (que operava as atuais linhas 11/12), passava por momento muito delicado no que se dizia a material rodante, e solicitou à Fepasa ceder unidades da então série 9500 para os subúrbios da Zona Leste, que foram posteriormente renomeados como Série 160. Circulando na zona leste, tais trens se adaptaram da maneira mais prática. Porém, um detalhe chamava a atenção: consumia muita energia.
Ferroviários da época sempre contam que, se dois belgas passassem seguidos no mesmo sentido, a subestação de energia desarmava, tamanho era o consumo desses trens. Os anos passaram, e aos poucos, essa frota se perdeu. Muitos carros foram condenados, incendiados e com avarias sérias. Em 2006, a CPTM licitou um contrato para 'limpar' as sucatas que estavam em Engenheiro Manoel Feio, e essa licitação gerou uma nova frota de trens, impecável: série 5500 fase II, ou série 5550.

Trem série 5550 - Modernização da série 5500

A modernização dessa frota veio em um ótimo momento, pois a CPTM não precisou adquirir novos trens (apesar de que a reforma tornou essa frota nova). Além de renovar a máscara facial do trem, dando um ar mais moderno e agressivo, o consórcio Bombardier/Tejofran trocou todos os equipamentos, dando mais confiabilidade para o trem. O salão de passageiros foi totalmente modernizado, ganhando um tom mais leve que o anterior. Mas em contrapartida, ainda existem exemplares da série 5500, que chegaram até mesmo a circular na Linha 8-Diamante por algum tempo, sendo logo retirados, graças aos constantes problemas que causavam. A CPTM está recuperando mais uma unidade da série 5500, que estava 'esquecida' no pátio da Alstom (havia sido retirado da circulação para reforma, e acabou sendo deixado lá). Mas a dúvida que paira: porque não reformar toda a frota série 5500, deixando os trens com mais vida útil e efetividade?

Trem série 5500, com o novo padrão da CPTM
Seria mais viável modernizar toda a frota dessa série, por melhores que os trens estejam. Em circulação desde 1980, tal frota merece uma modernização, ganhando então mais 20 anos de vida útil. Quem utiliza a frota 5500, e depois usa a frota 5550, nota uma diferença crucial. Nesse ponto, defendemos a reforma, porque daria mais vida e efetividade para todos. Quem ganha é a empresa, com um trem 'novo', mais fácil de realizar manutenção; e os usuários, que ganham conforto e mais trens em circulação. De acordo com a numeração atual, que segue até o carro 5566, caso haja modernização completa, teríamos até o carro 5582. Esse é um ponto interessante a ser observado pela administração da CPTM. E vocês, leitores e visitantes do blog, o que acham?

Trens série 5550 na estação Brás


15 comentários:

  1. Eua acho ele um bom trem dessa parte eu não sabia que ele consumia tanta eletricidade outra coisa também eu achava que o apelido eletrocarro fosse por causa do barulho eletrônico que ele faz quando ele arranca se for assim seria melhor transformar os 4 trens que restam desse 5500 e transformalos em fase 2 pra ai se tornar uma unidade unica e desde que ele consuma pouca energia eu não sei se os 5500 fase 2 consomem o mesmo tanto do original ou estão mais econômicos.

    ResponderExcluir
  2. Caro Celso, o som que ele faz quando dá a arrancada é proveniente do Chopper. Esse aparato eletrônico pode ser percebido nessa frota e no trem série 5000, já que ambos o possuem. Eu também sou a favor da modernização de toda a frota Eletrocarro. Os trens da Fase II consomem menos energia, pois foram modificados para consumir menos, sendo mais econômicos e mais versáteis.

    ResponderExcluir
  3. Esta apoiado Diego, também sou a favor da modernização... Diego pelo que tenho visto na CPTM em suas obras de melhorias, a nova sinalização(ATO) da linha 12 já esta vem sendo instalada... E quanto a L7, quando será instalada a nova sinalização(ATO)

    ResponderExcluir
  4. Somos 4,eu também sou a favor da modernização dos 5500 e virar 5550,e nessas últimas unidades ser instalado ar-condicionado.E uma dúvida:Devido as avarias,não tenho andado com frequencia pela linha 7-Rubi.E gostaria de saber se aquele problema de Barra Funda á Luz ocorre apenas no sentido Luz,ou também em Fco.Morato?
    Boa noite a todos!!

    ResponderExcluir
  5. também sou a favor da modernização por que se parar pra ver esse trens não são tão antigos perto dos 1600 e 1400, e também acho q nas ultimas unidades a serem reformadas deveriam instalar ar-condicionado!

    ResponderExcluir
  6. Gustavo,os 1400 são de 1977 e os 1600 de 1978,os 5500 são de 1980,mas parecem um tanto mais velhos,e os 1600 e 1400 acho que deveria ser instalado ar-condicionado e bancos como os do 3000 ou 7000.Para que possam rodar na extensão da linha 7-Rubi(Fco. Morato á Jundiaí).Bom dia a todos!!

    ResponderExcluir
  7. Wagner, eu acredito que a sinalização ATO da L7 será instalada gradativamente. A princípio, a CPTM está dando mais atenção para a via permanente. Afinal, não adianta vc ter sinalização de ponta e uma via que não tem condições, certo?

    ResponderExcluir
  8. Diego, a lentidão da Linha 7 é apenas no trecho Barra Funda x Luz. No contrário, circulação normal. Nao concordo com a modernização do 5500 com ar-condicionado. Sou a favor de janelas abertas.

    ResponderExcluir
  9. Diego Silva,as vezes os trens com ar-condicionado deixam aberta a basculante para entrar um vento de fora.Mas em assunto de ar-condicionado,preferiria um alá 3000,que em minha opinião é o melhor de todos.Acho que todos os trens deveriam ter ar-condicionado,mas só funcionar no calor,e a abertura de janelas seria normal.Boa noite!!

    ResponderExcluir
  10. Ar condicionado tem que ser do 2100. O mais forte e eficiente. Mesmo assim, ainda prefiro janelas abertas. Imagina o 1100 ou o 5000 com ar? Se no calor, de janela aberta, já são duas saunas...

    ResponderExcluir
  11. O ar-condicionado é justamente para isso no calor esfriar o ambiente,se for do 2100 não há problemas por que também é muito bom,mas tem que funcionar...e janelas abertas não são tão ruins.
    Bom dia a todos

    ResponderExcluir
  12. Ah Belga, por que voltaste para a linha 8? Esse nosso velho 5500, pelo menos aqui em Altino foi motivo até de piadas de mal gosto por parte dos funcionários. Caiu subestação? Foi o Belga. Os trens desarmaram disjuntora? Culpa do Belga. Além dos usuários que falavam do compressor de ar do trem, dizendo que parecia um motor de fusca. Já andei no 5550 e aprovei. A CPTM poderia não somente reformá-los mas também reformar toda a frota antiga, melhorando seu padrão de serviços, como é o caso do série 5000. Abraços.

    ResponderExcluir
  13. É verdade, por que se não os trens não poderão atingir 90 Km em todos os trechos da linha...

    ResponderExcluir
  14. Concordo, Paulinho... sua postagem resumiu o que o belga passou na Linha 8... rsrs

    ResponderExcluir
  15. Mas eles na época de 80 rodaram na linha 8 nos trechos Julio Prestes - Itapevi e Luz - Carapicuiba, tem um filme A Freira e a tortura tem uma cena de um 5500 passando no moinho sentido Julio Prestes depois foram pra RFFSA e algumas unidades no ramal de Jurubatuba

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores