segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Chegou ao fim a era Francorail série 5000?

Trem série 5000 - Estação Itapevi - Linha 8-Diamante
Por Diego Silva

A renovação de frota da CPTM trouxe a aposentadoria para alguns trens mais antigos. A nova era que começou já em 2007, com a chegada de 12 trens da série 2070, deu mostras do que iria acontecer dali para frente. Já falamos muito sobre a necessidade de mais trens, de espaço para estacioná-los, além de toda a logística necessária. Mas a aposentadoria das frotas antigas é o tema de hoje, em que falaremos de uma frota que está circulando no limite: a série 5000.
Os trens franceses, adquiridos em 1978 pela antiga FEPASA, provavelmente estejam realizando suas últimas viagens nos trilhos paulistas. Na época da aquisição, esse trem possuía o que havia de mais moderno no mercado, e veio para socorrer os serviços de subúrbio da lendária empresa, que passava por um momento muito complicado. As primeiras vinte unidades chegaram da França, para serem montadas na antiga fábrica da Cobrasma, em Osasco. As unidades seguintes, foram construídas e montadas já em São Paulo. Essa frota sempre chamou a atenção, principalmente por circular com uma formação de 12 carros, sendo o maior trem da CPTM em operação.

Trem série 5000 em Engenheiro Cardoso: frota participou de muitos acidentes
 Além de serem trens gigantes, a série 5000 sofreu com inúmeros acidentes durante sua trajetória: colisões, batidas com automóveis em passagens de nível, descarrilamentos, atropelamentos...
Algumas unidades ganharam uma revisão, nos idos anos de 1999. Tanto que é possível vê-las em circulação com o padrão metropolitano, adotado nos transportes naquela época. As demais unidades, são uma mistura de identidades: algumas não tem qualquer identificação da CPTM, estando só no inox; outras possuem o logo da empresa, e as faixas azul e vermelha nas laterais. Em algumas poucas, ainda é possível ver as duas faixas vermelhas, dos tempos de Fepasa.
Esse ano, a CPTM anunciou a compra de 36 novas unidades para a Linha 8-Diamante, como parte do plano de renovação e modernização do sistema. Inicialmente, falava-se de 24 novos trens, e da possível reforma e requalificação de 12 unidades série 5000. Mas depois de muito se discutir, chegou-se a conclusão de comprar uma frota nova inteira.

Trem série 5000 modernizado - Estação Itapevi - Linha 8-Diamante
Das 17 unidades que ainda circulam pela Linha 8-Diamante, imagina-se que pelo menos 12 delas não receberam qualquer tipo de cuidado ao longo dos anos. Esses trens chegaram ao ponto de estarem com três revisões gerais vencidas (mais de 4 milhões de quilômetros rodados), levando os equipamentos à fadiga total. E com isso, gera um problema importante: não existem mais peças de reposição. Se existirem, é necessário importar da França, de outros trens antigos. Diante disso, não há alternativa a não ser trocar a frota por uma mais moderna e eficiente, situação que levou a CPTM a comprar os 36 CAF série 8000.
A frota 5000, por si, é um trem muito confortável. Em algumas viagens realizadas entre Júlio Prestes e Itapevi, sempre pudemos notar que é um trem muito tranquilo, apesar de pesado e lento (principalmente pelo seu tamanho e ausência de mais motores). Essa postagem é apenas uma breve introdução à história dessa frota. Em breve, traremos para vocês algo muito mais completo, com mais imagens e definições. Mas esse é mais um trem que ficará na história das ferrovias paulistas...

Trem série 8000: o substituto da série 5000 já começou a chegar

44 comentários:

  1. E uma pena que este trem saira de circulacao, pois é na minha opiniao o mais confortavel trem que a cptm tem, tanto em seus assentos tanto em sua conducao, sem balanços, nem trancos, e apesar de nao ser um trem tao rapido como outros, servia bem ao seu proposito, dado que na linha 8 os trechos entre as estacoes sao curtos e mesmo assim em alguns destes trechos um pouco mais longos o trem desenvolvia a velocidade de 70 km.

    ResponderExcluir
  2. Caro Diego pelo que sei havian inicialmete 50 trens da serie 5000 com a formacao de 12 carros; Pergunto a voce: Onde estao os outros 33 trens? Será que viraram sucata?

    ResponderExcluir
  3. Olá Diego, agurado pelas próximas postagens sobre este trem.

    Uma coisa que eu gostaria muito de saber, é se antigamente os trens da série 5000 chegou a circular na linha 9(Osasco - Grajaú).

    ResponderExcluir
  4. O 5000, nosso querido Fepasão, é um bom trem realmente. Mas posso descordar de você arquiteto, é difícil, mas as vezes (Principalmente ao frenar) você sente um, ao chegar em Jandira, já vi senhoras tropeçando, quase caindo, mas opinião todos temos e devemos respeitar a de cada um. Só que apesar de não ser o predileto meu, acho o 2100 bem mais confortável que o 5000 e o mesmo digo do 1100, só que o barulho que faz o 1100, esse dá gosto!

    Daniel, eu mesmo respondo pois conheço bem essa história: Os 5000, quando chegaram na Fepasa, rodaram nos dois ramais (Oeste e Jurubatuba, atuais Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda) e disse para min o blogueiro Diego Silva, que naquela época, o 5000 rodava com 6 carros na Linha Sul e chegavam a 140 Km/h entre Pinheiros e Santo Amaro (Pois naquele tempo não haviam estações entre Pinheiros e Santo Amaro, e depois foram construídas as outras). E no começo da CPTM, sem 3000 e 2100, a Linha 9 (Nos tempos Linha C) contava com a frota da Série 5000, e até 2005, os 5000 continuaram na Linha 9-Esmeralda e após isso, o 5000 saiu de operação na Linha 9, se tornando exclusivo da Linha 8-Diamante.

    Arquiteto, eu vou tentar achar um pouco a resposta, em Altino, tem vários 5000 sucateados e até desmontados, não sei dizer se 33, mas pelo menos uns 10 tem lá. A Fepasa não cuidou bem deles, por isso creio que muitos viraram sucata mesmo.
    Boa noite para todos!!

    ResponderExcluir
  5. Concordo com o amigo Diego Fernando o CCTU 5000 "Fepasão" como chamam é um ótimo trem pena que não há mais peças de reposição pra ele se houve-se merecia permanecer por mais algum tempo e até mesmo dar um trato pra durar mais 20 anos mas ele está bem maltratado por dentro mas ele dava conta do recado em termos de lotação por ser o unico trem a trafegar com 12 carros.

    ResponderExcluir
  6. Corrigindo o arquiteto são 48 trens de 6 carros formando 24 de 12 carros se eu estiver errado me corrijam OK!

    ResponderExcluir
  7. Caro Celso Digo que sao 50 trens desta srie, simplenmente pelo que consta no registros da wikipedia. sendo que 10 foram feitos na franca, e os demais aqui foram montados pela extinta cobrasma, do qual meu pai trabalhou.

    ResponderExcluir
  8. Bom meu caro Diego Fernando, o serie 5000 no geral nao da trancos, as vezes um maquinista com menos pericia, comete este erro de dar trancos, as vezes eu sinto isso tambem, mas e muito raro, se comparado com alguns outros como 1700, e o proprio 7000 ele e bem mais agradavel de andar.

    ResponderExcluir
  9. Arquiteto, eu não sei dizer quantos trens foram adquiridos dessa série, já que pela numeração, sabe-se que vai até o 5100. A formação básica seria: 5001-5201-5301-5302-5202-5002. Portanto, devem ser mesmo 50 trens de seis carros, tornando 25 trens de 12 carros...
    Grande parte está inativa, pois sofreram acidentes, incêndios criminosos e etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta correto mas o 5000 roda com 4 trens acoplados MC+R+R1 São na verdade 100 trens de 3 carros, 50 de 6 carros e 25 De 12 carros por isso vai do Alfa 01 ao Alfa 25 e o bom do 5000 q ele ñ é Lerdo ja vi 5000 deixar 1700 no Chinelo mas vai do Maquinista Usar o PR3(Marcha do 5000 q em 3 chega a usar os 3000V no Chopper)mas é o q força o motor Por isso os mqts ñ o usam muito e tbm fazendo abrir As DJs do trem.

      Excluir
  10. Daniel, os trens da série 5000 circularam sim na atual Linha 9-Esmeralda. Para se ter uma ideia, na época, não existiam estações entre Pinheiros e Santo Amaro, ou seja, era velocidade máxima num longo trecho. Depois, foram substituídos pelos Eletrocarros série 5500.

    ResponderExcluir
  11. Particularmente, amigos leitores, acho esse trem um tanto difícil de se conduzir. Sempre tentei entender como esse trem sai do lugar, mas em 3 anos de ferrovia, ainda não entendi! (risos)
    Meu amigo Binho sabe dizer com maior clareza para todos vocês, uma vez que anda nesses trens desde que nasceu.
    No quesito conforto, sem dúvidas, é um trem excelente. Mas peca muito no fator ventilação.

    ResponderExcluir
  12. Agradeço bastante aos 2 Diegos pela reposta que me deu sobre os trens de série 5000.
    Sempre ficava curioso em sabe se eles já andaram alguma vez na linha 9.
    Só fiquei surpreso ao saber que antigamente não havia estações entre Pinheiros e Santo Amaro.

    ResponderExcluir
  13. Já andei muito nesse trem. Quando eu tinha uns 8 ou 9 anos, minha tia morava em Itapevi, e sempre aos domingos chegava na estação Barra Funda e esperava esse trem, que por interessante, seu motor de arranque tem um som legal! A CPTM poderia usar esse trem para fazer o trecho entre Itapevi e Amador Bueno, caso não seja feita direta entre Júlio Preste e Amador Bueno.

    ResponderExcluir
  14. Daniel, não há de que!

    E Vitor, boa tarde! O 5000 tem um bom motor de arranque, que não emite sons peculiares (Como o 2070,3000,2000,1100), mas o sons do chopper é bem legal, e idêntico ao do 5500. A CPTM planeja o trecho direto(Amador Bueno a Julio Prestes), só que se houver a extensão operacional (Coisa que é improvável) acho que seria melhor se os budd's das Séries 1400 e 1600 poderiam operar naquele trecho (A. Bueno a Itapevi). Mas o 5000 já fez alguns testes lá, e 12 carros não cabem nas estações de A. Bueno a Itapevi. Mas devemos ter o trecho completo, não sei se logo, mas acho que até 2013 teremos o trem direto até A. Bueno.
    Boa tarde a todos!!

    ResponderExcluir
  15. Daqui a pouco, vou passar o comando do blog para o Diego Fernando, hein pessoal!
    Daniel, ainda tenho muita coisa para contar para vocês no blog, é que não tenho tempo hábil para digitar tudo... Mas com o tempo vamos contando histórias e coisas que vocês nem imaginam...

    ResponderExcluir
  16. Obrigado caro amigo!
    Mas não presto ainda para o comando de um blog de tamanha expressão quanto a CPTM em foco, penso em um outro blog meu mas isso é diferente. Ninguém nunca seria capaz de conduzir o blog tão bem quanto você!

    ResponderExcluir
  17. Amigos, seguinte...eu nasci nesse trem kkkkk ou melhor dizendo, nasci em 1979, época do início de operação do "Fepasão". Com uns 3, 4 anos de idade ia com minha família para Jandira e Lapa visitar parentes. Hoje trabalho diretamente com o 5000 e tenho muitas impressões sobre ele. Seguem.
    Estes trens compunham uma frota de 100 unidades, mas unidades de 3 carros. Ou seja, tínhamos mais ou menos 25 quadrados (4 TUEs) de 12 carros cada. Hoje só temos 17. Os outros estão aqui em Altino, aos retalhos. Ano passado mesmo 12 carros saíram de circulação, por causa de dois acidentes, o 5026 e mais outro que não me recordo, acho que 5042.
    São trens macios (já dormi muito neles nas viagens) e "lentos demais" na arrancada. A maior velocidade que já constatei nesse trem foi algo em torno de 82 km/h, entre Lapa e Palmeiras-Barra Funda. Segundo alguns amigos, em testes ele já bateu 120 km/h, apesar de marcar só 100 no RT9(Velicímetro).
    É facílimo de conduzir, apesar de seu modo arcaico de "ligar", com pequenas manivelas. A frenagem é ruim, se comparada ao todo-poderoso 7000.
    Está tão velhinho (ou mal cuidado) que se ficar uns minutinhos desligado esgota todo o ar do sistema.
    Não tem mais peças para reposição. O pessoal da CTrens se vira como pode e, como no ano passado, se um trem envolver-se em acidente, ele é desmontado e "retalhado" para suprir os outros. Bom pessoal é isso aí, Diego Silva, acho que o bom e velho 5000 está dando seus últimos suspiros.
    Abraço, fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o VI do 5000 só permite 100KM/H mas ele ja bateu 120KM/H de boa agora 140 é balela e a CAF acabou com os 5000s como td bom mqt dele fala!

      Excluir
  18. Belíssima história, Paulinho! Uma das melhores postagens que já deixaram aqui no blog! É uma pena que essa frota esteja saindo de circulação, pois eu enxergo grande potencial nesses trens. Uma boa reforma, e eles poderiam ganhar vida nova em outra linha... Mas paciência.

    ResponderExcluir
  19. Caro amigo Paulinho, ótima história mesmo, parabéns!!
    Diego Silva, o 5000 em minha opinião poderia ir para a Extensão Operacional da Linha 11-Coral com 6 carros...Se bem que não vejo lá grande futuro para eles lá, o destino do 5000 será a aposentadoria, mas dependendo conforme fosse, o 5000 poderia ser modernizado e dar apoio em alguma linha, mas é difícil, o destino é a aposentadoria.

    ResponderExcluir
  20. Não acho que o 5000 com 12 carros seja um trem gigante, ser comparar com os trens subúrbios das companhias japonesas aonde a maiorias roda com 18 vagões.

    Outra coisa que me irrita, é dizer que tem de diminuir o tamanho dos trens para também diminuir os intervalos entre os trens, isso é balela, que ajuda a diminuir o intervalo e agilidade dos trens, ou seja, o diminuir o tempo para acelerar e frear os trens. Por isso que acho que CPTM devia investir em trens 100% motorizados em vez dos 50% de hoje. Lógico que também tem de trocar toda sinalização, algo que na CPTM anda a passos de tartaruga.

    Não deveriam aposentar os 5000, sim reforma-los como o metrô estar fazendo com a sua frota antiga. Essa desculpa de faltas de peças não cola muito já que os trens que serviram de base pro 5000 ainda estão rodando na França. Na Europa é comum ver trens com mais de 40 anos e sem reforma ainda em funcionamento.

    http://www.railfaneurope.net/pix/fr/electric/emu/Z6400/Ile-de-France/SNCFZ6537BLB0804.jpg

    ResponderExcluir
  21. Já que foi comentado de que o 5000 chegava a andar à 140kh/h no trecho entre a estação Santo Amaro e Pinheiro. me veio uma dúvida na cabeça:

    1-A quantos kilômetros por hora os trens de Expresso Leste atigem entre as estações Tatuapé e Itaquera?

    2-E qual a velocidade que um trem na linha 12 alcança entre as estações Tatuapé e Engenheiro Goulart?

    Faço essa pergunta, já que os trechos ditos acima possuem uma distância considerável entre 2 estações.

    Agradeço se alguém me responder(Seja o autor do blog, o Diego Fernando ou uma outra pessoa qualqer)

    ResponderExcluir
  22. Olha, pelo que eu sei, entre Tatuapé e Corinthians-Itaquera, os trens do Expresso Leste, atingem mais ou menos 120 Km/h. A segunda questão, essa não sei resolver, mas Diego Silva deve saber.

    ResponderExcluir
  23. Olá Diego F.
    Muito obirgado pela sua resposta.
    Já andei algumas vezes nesse expresso e noto que do Tatuapé a Itaquera, o tempo de viagem fica cerca de uns 10 minutos.

    ResponderExcluir
  24. Diego, você está errado. Nenhum trem da CPTM pode passar dos 90 km/h, devido às restrições do ATC. Seja na Linha 8-Diamante, seja no Expresso Leste, a velocidade máxima permitida é de 90 km/h.

    Trecho entre Tatuapé e Itaquera, VMA: 90 km/h.
    Trecho entre Tatuapé e Goulart: VL: 50 km/h ou 70 km/h. Nota-se que a via permanente não é muito confiável naquele trecho, por isso as restrições.

    ResponderExcluir
  25. Oi Diego.
    Como você disse, é comum de se ver trens com as 2 faixas vermelhas, dos tempos da Fepasa.
    Só que eu queria saber de uma coisa: Há alguma composição que circula na linha 8, em que o logotipo da Fepasa ainda aparece estampado na máscara?

    ResponderExcluir
  26. Daniel, essa eu digo sem correr o risco de errar. Os trens da série 5000 não rodam mais com o simbolo Fepasista. Em Altino, tem um sucateado ainda no padrão Fepasa e com o simbolo ainda, mas a grande maioria ao entrar na CPTM teve apenas o simbolo removido e a nova identificação colocada.

    ResponderExcluir
  27. Eu repito: vou passar a administração do blog para o Diego Fernando. (risos)
    Não existe mais nenhum 5000 com o padrão Fepasa, Daniel.

    ResponderExcluir
  28. Eu insisto: Não presto para esse comando.(Risos) Nunca comandaria a CPTM em Foco tão bem quanto você Diego!

    Os 5000 padrão Fepasa não existe mais, mas vontade não me falta.

    ResponderExcluir
  29. Mais uma vez eu agradeço a resposta dada pelos 2 diegos.

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. o'qwe sera feito com as composições francesas qwe estão rodando atualmente, vão ser vendidas ou vão para corte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não temos informação sobre o destino dessa frota

      Excluir
  32. Eles deveriam modernizar o trens antigos da mesma maneira que estão fazendo no metro modernizar é deixar eles como novos mas quem disse que é assim na CPTM mas uma pergunta que eu tenho é PRA ONDE ELES VÂO?Pra Bahia fazer companhia com os 4800?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edu, não temos ideia do que a CPTM pretende fazer com esses trens. Uns dizem que é corte, outros que ainda vão rodar, outros que irão modernizar. Temos que esperar para ver.

      Excluir
  33. Opa sou fã numero 1 do fepasão. Eu adoro ele pq ele é grande e naum da trancos como o 1700. E como um grande fã eu quero que ele seja modernizado como os irmãos dele, os 5500 que modernizado é o 5550. O 5000 é realmente muito confortavel e a aceleração dele tambem não é tão fraca pois ele tem vagões D+ e que trem pode aguentar tds eles? Só se for os 7000 e 8000 mas eles não contam pq são novos. Semana passada peguei um 5000 o UI5073 parece e ele parece que tava com problemas nas portas pois nas estações os maquinista abria e fechava as portas varias vezes. No mesmo dia um fepasa não tava querendo fechar as portas e teve que ficar fora de serviço. Hoje aconteceu a mesma coisa com um 4400 parece que era o 4429.

    Os novos CAFs estão dando problema muito facil. Já vi o 18º novo trem a aceleração ruim, acelerava e andava muito pouco. O 61º novo trem com portas problematicas e tds com os problemas do letreiro digital tanto no interior como exterior.

    O Fepasão foi muito descuidado pelas empresas e por isso que hoje a maioria odeia ele pela aceleração e falta de AR assim como os problemas diarios. Eu tambem nunca mais vi um metropolitano rodando eles estão parados em otimo estado no patio de altino, e tem um na linha 9 parado sem pantografos.

    Muitos dos 5000 estão muito sujos, pretos e vidros depredados e uns até sem transparencia de tão amarelo.
    Espero que eles tenham uma vida longae sejam modernizados e não acabar como o toshiba. É muito triste o que fazem com os trens pois não cuidam e se eles quebrarem ficam mais de 1 mes sem rodar e as vezes até lá surgem mais problemas.

    ResponderExcluir
  34. a era Francorail chegou mesmo?

    tadinho dos trens da série 5000! Alguns foram destruídos nem sei por quê... Lamento muito. Mas olha, o que é chopper?

    os sons do chopper tocam tipo três notas musicais.

    e quanto aos que ainda não me conhecem ou vão me conhecer, me chamo Marcos Paulo, tenho 19 anos e estou a fim de fazer amizades e contar as novidades...

    abraços a todos e fiquem com Deus!

    Marcos Paulo, um novo amigo!

    ResponderExcluir
  35. ei, amigos, a era Francorail já chegou?

    coitado dos trens da série 5000! alguns deles viraram sucata... não sei por que. Lamento por isso....

    mas olha, eu percebi que os trens da Francorail, desde que chegaram, começaram a fazer sucesso no youtube!

    eu não agüentei de tanta curiosidade e por isso resolvi conhecê-los virtualmente, depois pessoalmente.

    se, no caso, forem enviados para a linha 13, terão que ser reformados...

    E o que é chopper?

    os sons do chopper tocam 3 notas musicais ou 4... sei lá rsrs.

    mas olha, espero que façam amizades comigo. Primeiro, pra me identificar, me chamo Marcos Paulo e sou deficiente visual e tenho 19 anos de idade.

    que Deus abençoe os trabalhadores da CPTM; e, embora os trens da série 5000 estejam por aí, eu digo que estão de parabéns!

    abraços do amigo Marcos Paulo!

    ResponderExcluir
  36. os trens da linha 7 Rubi são bem mais antigos e não foram leiloados, porque leiloar os da série 5000 que podem ser reformados e ser do tipo papa estação, carrega muito mais.

    ResponderExcluir
  37. É isso ai! Para considerar modernizado é só trocar as janelas, colocar um Ar qualquer e se poder apertar os engates. A aceleração dizem que é muito ruim, mas é muito boa! Ganha até do 1700 se bobear. A minoria é que é ruim como o 5071. Mas acho que isso é por causa dos maquinistas mesmo :D
    Mas acho que não tem jeito realmente por que hoje só tinha 1, 1 unico 5000 circulando na sua linha :'( Parece que todos os 8000 ja tomaram conta da linha :'(

    Francorail Voltaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  38. Eu um dia avistei unidades série 5000 estacionados no pátio da estação Manoel Feio da linha 12, me perguntei se seriam usados para prestação de serviços, ou se iriam ser aposentados.
    Vi nesse ano mesmo, me deu vontade de entrar no pátio e reviver os velhos tempos dentro de uma das unidades.
    Não consigo acreditar que eles vão mesmo sair de circulação...
    Mas vou me despedir dele antes que eles partam.

    ResponderExcluir
  39. Já andei muito no Fepasão, ou série 5000 quando era mais jovem, o que mais sinto falta dele é do barulho de seu motor ganhando força e velocidade, som inesquecível, eu gostava de ir no primeiro vagão só pra escutar o som do motor e do primeiro banco próximo a porta da cabine do maquinista dava pra ver o velocímetro dele que marcava 100 km/h, entre as estações Barra-funda e Lapa já vi ele chegar nos 97 km/h, vou sentir saudades desse trenzão.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores