terça-feira, 13 de dezembro de 2011

E o fim dos Eletrocarros vai se aproximando...

Eletrocarro chegando em Itapevi (foto de Diego Silva)
Por Diego Silva

E o fim dos Eletrocarros está cada vez mais próximo, caros leitores. Acompanhando a circulação desses trens na Linha 12-Safira, nota-se que quase não existem mais. A única unidade que rodava com mais frequencia, que estava com as máscaras vermelhas, está estacionada próximo do Tatuapé há semanas, com outra unidade sucateada logo à sua frente. Em Presidente Altino, ainda está uma das unidades que foram emprestadas para a Linha 8-Diamante meses atrás. Em Engenheiro São Paulo, no estacionamento, mais uma unidade que não presta serviços.

A frota 5500 é uma das mais antigas da CPTM, datada de 1978. Construída pelo consórcio Eletrocarro (composto por Sorefame, ACEC e Mafersa), foi uma das grandes aquisições da Fepasa durante sua administração das ferrovias paulistas. Porém, com o tempo, a frota mostrou ser uma compra precipitada: diversos carros tiveram problemas, levando ao seu sucateamento prematuro. Diversas unidades se perderam com o tempo, segundo conta a história. Com a transferência de algumas unidades para a RFFSA, com o intuito de circularem na zona leste (linhas 11 e 12), o sucateamento foi quase que completo. Essa frota era e continua sendo muito problemática.

Agora, vemos que seu fim está se aproximando. Com a necessidade de trens tecnológicos, confortáveis e rápidos, os Eletrocarros irão perder seu espaço nas linhas da CPTM. Das muitas sucatas que ficaram pelo caminho, em 2007, a CPTM resolveu enviá-las para modernização, devido à constante necessidade de novos trens ou de aumento de frota. Nascia o 5500 fase II, totalmente modernizado e muito mais confortável, com um ótimo desempenho. Desde sempre, defendi que os ''sobreviventes'' série 5500 fossem enviados para modernização e voltassem com a mesma cara dos 5500 fase II. Seria até melhor para a CPTM, pois contaria com trens 'novos', com melhor desempenho, sem ter que gastar tanto com novos trens e esperar pela fabricação de novas composições (uma modernização demora em média, quatro a seis meses, enquanto um trem novo pode demorar mais de um ano para ficar pronto).

Cabe a CPTM observar a situação desses trens, pois até onde sabemos, pelo menos quatro ou cinco unidades completas (com oito carros), da série 5500, estão à disposição. Seria interessante o pessoal da operação observar essa sugestão e enviar os 'sobreviventes' para reforma e modernização. Quem conhece, sabe que os 5500 fase II são muito melhores, tanto em desempenho quanto em conforto. Cabe à vocês de cima observar se é viável e se é possível levar essa ideia adiante.

Trem série 5500 fase II (Foto: Diego Silva)

25 comentários:

  1. Prezado Diego.
    Primeiramente te parabenizo pelo trabalho realizado com o blog que, sem dúvidas, é um dos mais interessantes e bem estruturados que já vi. Meu nome é Welington e escrevo como advogado de vítima de acidente da CPTM. Necessito de um contato direto contigo, pois suas informações serão muito úteis para me subsidiar alguns casos. Meu telefone é 7027-2255 e meu e-mail wrgropo@adv.oabsp.org.br. Contando com seu retorno, deixo um forte abraço!

    ResponderExcluir
  2. Nenhuma surpresa. Eles, os 5000, os 1400 e os 1600 estão com os dias contados. Uma fez que eles apresentaram ser inferiores aos modernos trens que estão sendo adquiridos. Mais sou a favor pela reforma deles, mesmo nunca ter andado neles, eles parecem ser confortáveis, ainda sendo mais barato e rápido para a CPTM.

    ResponderExcluir
  3. Esse comentário não é referente a esse post, estou comentando aqui pois é o post mais recente, hoje pelo twitter a CPTM começou a responder que esta estudando não voltar com a Linha 10 para a Luz, é um absurdo, o que nós podemos fazer? nada, aceitar...

    ResponderExcluir
  4. Os trens da serie 1700 e 5000 sao os unicos na minha modesta opinia que merecem uma reforma, e com certeza os 1700 merecem mais ainda ja que vao continuar rodando nas linhas da cptm e tambem ja esta bem judiados e esta mais que na hora de uma reforma completa ou ate mesmo uma modernizacao.

    ResponderExcluir
  5. Isso responde a linha 12 ter recebido mais trens que a L7... Daqui a pouco a frota de 12 será apenas de trens série 7000, 5550 (ou 5500 fase II) e 4400... Enquanto isso a linha 7 perecendo... Apesar da frota da 7 ser excelente, o problema está em falta de trens de 8 carros e metade da frota ter 6 carros, o que faz com que a oferta seja menor... E precisamos desses trens por que não tem nem como a demanda aumentar, visto que a linha está recebendo baixos investimentos.... O Q02 deveria estar sendo reformado para ajudar mas a CPTM está fazendo pouco caso (e isso porque é trem novo)... A CPTM tem que dar um jeito de arrumar as peças de reposição para os trens, porque trem velho parado já é difícil e entre novo então, nem se fala...

    E também sou a favor dessa modernização dos 5500 parados... Seria uma decisão acertada por parte da CPTM, mas essa gestão só pensa em trens novos, aí fica complicado... Mas estão aí os trens novos parados, por falta de peças, vergonhoso... D=

    ResponderExcluir
  6. Curiosidades:

    A CPTM chama cada frota de trens por um nome

    Na linha 7 são:

    1100 - Juliet (J11 por exemplo)
    1700 - Golf (G05)
    7000 - Quebec (Q38)

    A linha 7 tem as melhores frotas: São as que dão menos problemas...

    Na linha 7 operam 21 trens no pico, sendo 6 minutos os intervalos, mas pode operar com 22 trens que é o máximo que a sinalização atual permite...

    ResponderExcluir
  7. Por favor, que levem os 1100 junto......

    ResponderExcluir
  8. Bom vou comentar sobre o post! Só quem já usou os trens da Série 5500 sabem como são, uma desgraça!!! DESGRAÇA MESMO!!! Os 1400 são bens melhores que eles!!!

    Os trens totalmente reformados os 5550 são ao total de 5 uma unidade sofreu um problema drástico e foi baixada, as demas circulam normalmente!

    Como a L12 ficou num padrão meio parecido de METRÔ as estação ficaram muito próximas umas das outras e como a linha tem muitas curvas acentuadas os trens não costumam a correr muito igual nas linhas 7; 10; 11, mais a linha está excelente, só falta arrumar a educação dos usuarios e dos favelados que atacam pedras nos trens em quanto estão em movimento (pois isso é um perigo ao maquinista e aos usuários).

    Enfim os trens da Série 5550 são excelentes como disse, por que? Bom tem uma potência muito boa para a linha em si (12) eles são muito confortáveis tem bancos em L (com a disposição feita igual dos trens novos no METRÔ) os seus ventiladores são até mais potentes que os da série 1700, as portas são mais fortes e melhores que as que tinha, o piso é em tarra-flex igual da FROTA D do METRÔ, seu interior lembra os trens da Série 2070, num mesmo tom de cor um pouco mais puxado para o fresco, além de que não é muito consumista de energia como eram!!!


    Bem eles são excelentes a BOMBARDIER está de parabéns pelo trabalho feito neles!!! Só acho que na época a CPTM e o Governo deveriam ter mandado todos os 5500 que estavam bem para a modernização assim teríamos umas 10 unidades deles hoje circulando!!!

    ResponderExcluir
  9. Os 5500 estão sendo abandonados mesmo, infelizmente, pois essa ideia da modernização deveria sim ser adotada. Eu apoio a ela, por que, além de demorar menos que a fabricação de novos trens e ser mais barato, padroniza a frota, e evita qualquer tipo de desconforto na estação (Pois um para em um lugar, o outro em outro lugar, o que com isso, seria evitado), além disso, esse 5550 possui o padrão dos novos trens do metrô (Como o layout interno, o conforto e etc. Tirando apenas os painéis informativos e mapas dinâmicos), por tanto, é a ideia que a CPTM precisa tirar do papel (Se é que está nele), e se houver essa modernização, gostaria de saber o novo visual dos então 5500, e se Deus quiser, futuro, 5550.

    Vitor Santos, veja, os 5000, nem espaço na CPTM iriam ter, o correto é mesmo aposenta-lo (Na minha opinião). Já os 1400 e 1600, são trens muitos restritos ao novo padrão que a CPTM vem a adotar. Embora, acho que os 1600 merecem um gás a mais. Ganhando um padrão parecido ao do 1100, mas é bem provável que isso não de certo.

    Cléber, o que me deixa nervoso é isso: Achar que não podemos fazer nada, mas nós podemos, temos de exigir melhorias. Não é fácil, mas podemos organizar protestos e movimentos, mas o povo se acomoda, e não procura faze-lo.

    Arquiteto, nossas opiniões são parecidas. Só acho que os 5000 não devem ser modernizados (Mas quem sou para dizer o que deve ou não ser feito), mas se forem, acho que o correto seria realoca-los na extensão entre Amador Bueno e Itapevi. Mas os 1700, esses sim, na minha opinião merece uma modernização, e uma boa modernização, ganhando Ar-Condicionado, e padrões dos trens da Série 7000. Os 1700, para min, não estão judiados (Talvez pelo imenso gosto que tenho a essa frota [1700]), mas eles merecem muito essa modernização.

    Wagner, a Linha 12-Safira, conta com uma baixa oferta, por isso, precisa de mais trens mesmo. A Linha 7-Rubi, para min, conta com as melhores frotas da CPTM (O melhor da CPTM, 1100, o quarto melhor, 1700 e o sexto melhor, 7000). E os problemas da Linha 7-Rubi podem ser resolvidos com a chegada dos 3000 para lá, mas não se sabe nada ao certo. Infelizmente, a gestão atual, vai mal, mas o pensamento pode mudar, ainda há tempo...
    Já a os intervalos da Linha 7-Rubi, são baixos (Comparados aos da Linha 8-Diamante que são de 12 minutos. Acho que é por possuir aqueles trens de 12 carros).

    Já as pronuncias das frotas, conhecia essa curiosidade, mas prefiro dizer o nome mais "simples" mesmo.

    ResponderExcluir
  10. So uma observacao: os trens da serie 1700 tem um grave problema que é a instabilidade durante o trecho, sendo que quando ele esta em baixa velocidade parece que vai parar, logo o Maldito maquinista(desculpem- me o termo), da aceleradas bruscas, e logo volta a andar lento e assim por diante. Este é o unico problema com este trem.

    ResponderExcluir
  11. Acho que os 3000 não deveriam vir para a L7 e sim para a L12 que está mais necessitada, já que ele é tratado como ultima opção nas linhas 8 e 9... Aí com a chegada dos 8000 alguns 7000 poderiam vir para a 7...

    ResponderExcluir
  12. Eu já disse e repito em outro post esses 5500 devem sim ir para reforma e torna-la unidade unica seria um desperdicio esse trem ir pra frota inativa e também acho que essas unidades já estam de bom tamanho para linha 12 Safira ainda mais que nessa linha tá cheio de bardeneiros e vandalos que gostam de rabiscar e esculaxar trens e não acho viavel botar trens novos nessa linha seria um desperdicio de dinheiro.

    ResponderExcluir
  13. Mudando um pouco o rumo do assunto....Do que adianta comprar tantos trens novos se não têm peças de reposição??? A CPTM antes de comprar tantos trens, deveria ter pensado nisso, e novos pátios para abrigar tantos trens.... Por que não adianta nada comprar trem novo e daqui a algum tempo eles estarem temporariamente inativos, por causa da falta de peças de reposição...

    ResponderExcluir
  14. Wagner está praticamente fóra de cogitação o Siemens 3000 ir parar na linha 12 ainda mais esse trem como o amigo Diego Silva disse ele é um trem muito chique para uma linha repleta de bardeneiros que vão acabar judiando desse explêndido trem o mais provavel que ele continue na linha 8 Diamante e voltar pra sua linha de origem linha 9 Esmeralda.

    ResponderExcluir
  15. E outro ponto negativo na minha opinião: A CPTM reformou praticamente todos os trens da linha 12 Safira a uns 3 ou 5 anos atras, e agora esses trens estão parando de prestar serviços... Dinheiro jogado no lixo (Dinheiro esse, de impostos de muitos cidadãos, triste)... Enquanto que os trens da L7 foram reformados há mais de 10 anos e continuam prestando serviços até hoje e até que estão muito conservados se olharmos a época de RG...

    ResponderExcluir
  16. Caro Celso, o 7000 é bem mais moderno e chique e em que linha que ele está operando 7, 8, 9, 11 e 12... Se o 7000 que é melhor que o 3000 roda na L12 porque os 3000 não podem??? E como outro visitante já disse (não me lembro quem)... O vandalismo pode ser causado por um usuário da linha, mas nem por isso todos merecem andar em apenas trens antigos...

    ResponderExcluir
  17. Em todas as linhas existem vândalos, se fossemos pensar em colocar trens novos em linhas que não existem vândalos, nenhuma linha da CPTM os possuia...

    ResponderExcluir
  18. Mas é claro que se os 3000 viessem para a linha 7 eles seriam muito bem vindos (por mim) e acho que por todos os usuários... E fora que ajudaria muito já que precisamos de mais trens de 8 carros... O ideal seria os 7000, mas como a linha não está preparada para receber, fica para um futuro próximo (assim espero)...

    ResponderExcluir
  19. Diego você saberia responde ser a subestação de Jaraguá já está em pleno funcionamento???

    ResponderExcluir
  20. E lá se vai o "Belguinha", aliás, já vai tarde...

    Aqui em Altino, o último que restou parece um idoso abandonado que ninguém quer cuidar. A oficina Eng.São Paulo não o quer de volta e aqui em Osasco, o colocamos numa linha morta, esquecida, chamada de "Céu Aberto". Lá estão seus doze carros, ficando para trás, para uma época que não haviam assim tantas glórias. Trem ruim, problemático, gastador de eletricidade, desarmador de subestação.
    Vai-te para sempre Belguinha, e não voltes mais.

    ResponderExcluir
  21. E um pena que não colocaram ar condicionado nos 5500 fase II.

    ResponderExcluir
  22. Wagner discordo de você porque o Siemens 3000 não é trem para essa linha mais pelo vandalismo se eles já estão do jeito que estão se for para na linha 12 vão estar bem surrados porque ninguém respeita ainda mais na linha 12 que conheço esse pessoal o CAF 7000 já achei um milagre terem colocado nessa linha e ele é um trem bem mais simples ele não é tão chique como o 3000 o CAF 7000 ele tá mais pra ser comparado com os novos trens do metrô que tem o mesmo padrão de modernidade e tecnologia e no caso de trens velhos tá certo que ninguém vai querer andar de trem velho o resto da vida só que também não adianta colocar novos trens numa linha que está cheio de gente maloqueiro.

    ResponderExcluir
  23. Você tem razão Celso, mas felizmente isto está mudando, timidamente mas está. Precisa mudar. Era interessante ver, as pessoas na linha 8 com um certo comportamento e ao chegarem na Barra Funda no metrô, ficavam mais comportadas e silenciosas.

    ResponderExcluir
  24. Se a CPTM dependesse dos ferrofãs, ainda estariamos com maria fumaça operando nas linhas. O usuário não quer saber de pau velho, barulhento, quente e desconfortavel e sim quer trens novos e menores intervalos. Em dias quentes, colocar esses pau velho com o trem lotado só torna a viagem ainda mais sufocante e desgastante, diferente de viajar em trens novos, silenciosos, com assentos forrados e ar condicionado.

    Sorry, sou entusiasta de trens, mas ao mesmo tempo tb sou usuário, pago minha passagem e exigo conforto. Estão mais do que certos em quererem trens novos ao invés de ficar reformando trens antigos, que normalmente o valor acaba saindo igual a de um trem novo.

    Que tal pensar um pouco na população sofrida do que na p*** de uma maquina?

    ResponderExcluir
  25. Renato, sou entusiasta de trens também, além de usuário da CPTM desde que nasci. Entendo a sua posição em relação aos trens antigos. A postagem foi apenas para expor o fim de uma frota muito problemática, que depois de tanto tempo, anuncia sua própria aposentadoria. A questão da renovação de frota já estava mais que na cara, pois nenhum trem desses que temos aqui será eterno.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores