terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Governo reduz investimentos na CPTM, que acumula falhas e superlotação

Desembarque do Expresso Leste
Fonte: STEFZS

Os problemas na CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – só vêm se acumulando ano a ano: superlotação, falhas, acidentes e fraudes. Mesmo diante deste quadro negativo, o governo Alckmin reduziu investimentos* nos programas de expansão, modernização e operação das linhas 7 (Luz-Jundiaí), 8 (Júlio Prestes-Amador Bueno), 9 (Esmeralda-Osasco/Grajaú) e 12 (Brás-Calmon Viana).


Relatório de execução do Orçamento estadual, entre janeiro e outubro de 2011 comparado ao mesmo período de 2010, aponta que a maior queda nos investimentos do governo tucano foi na Linha 12, 64,7%. Em seguida, vem a Linha 9, com 45,4%; Linha 7, 31,6%; e Linha 8, 21,3%. No total deixaram de ser aplicados mais de R$ 118 milhões. A Linha 7 - Rubi, por exemplo, é apontada como uma das mais superlotadas. Por metro quadrado chega a ter 8,4 pessoas, quando o considerado confortável é de até seis usuários.


Descaso com a acessibilidade

O número que mais chama à atenção é o programa de adaptação para acessibilidade das linhas da CPTM, onde a queda no investimento é de 98%. Foram liquidados, até outubro, apenas R$ 206 mil.

Se considerarmos a queda nos investimentos em todos os programas e ações da Secretaria de Transportes Metropolitanos, o montante chega a R$ 413 milhões, ou seja, uma baixa no investimento de 43,6%.


Fraudes

O Ministério Público também apura, em inquérito civil público, o ex-presidente da CPTM e atual do Metrô, Sérgio Henrique Passos Avelleda, por irregularidades em contrato de R$ 10,6 milhões de 2008 de manutenção dos trilhos da Linha 9-Esmeralda.


Falhas e acidentes

Praticamente todos os dias, os usuários das linhas da CPTM sofrem com falhas técnicas e mecânicas. Na manhã desta sexta-feira (2/12), por exemplo, a Linha 10-Turquesa operou com velocidade reduzida após avaria em trem e na quinta-feira (1/12), em pleno horário de “rush”, entre 17h40 e 18h40, a Linha 9-Esmeralda também paralisou.

Também em menos de uma semana, quatro funcionários da companhia morreram atropelados, atingidos por composições, enquanto faziam inspeção nas vias. Nesta sexta-feira (2/12), o acidente que vitimou fatalmente um funcionário foi na Linha 8 – Diamante.

Em nota, o Sindicato dos Metroviários de São Paulo atribuiu as mortes ao abandono e à falta de investimentos nos transportes públicos no Estado de São Paulo. "Faltam funcionários, novas linhas que possam atender a demanda da população e trens. O resultado é um verdadeiro sufoco para a população e também para os trabalhadores do Metrô e da CPTM, que têm de se desdobrar para prestar um serviço de qualidade à população, muitas vezes arriscando as próprias vidas", avalia.


* Os investimentos significam, basicamente, obras e compra de equipamentos e os valores tomaram as diferenças entre os recursos que foram liquidados/realizados conforme determina a Lei de Responsabilidade Fiscal.

11 comentários:

  1. Eu amo a ferrovia desde criança. Comecei andando nos trens da Fepasa e atual CPTM.

    Mas o descaso dessa empresa para com os usuários está me deixando muito consternado.
    Carregadas como gado, as pessoas se vêem obrigadas a usar um sistema falho, que nunca cumpre horários

    Certa vez, conversando com um engenheiro da ferrovia e falávamos sobre confiabilidade.

    Toda a população reconhece que houve melhorias. Novos trens, estações, etc. Mas ainda é pouco. É ineficiente. Replanejar uma ferrovia com mais de 1 século não é tarefa fácil, mas os senhores do poder estão pouco se importando.

    Vemos o exemplo do metrô. Ele já nasceu pronto e apesar dos problemas de superlotação ainda funciona bem.

    Mas não percamos a fé. Se Deus quiser um dia melhora e me sinto orgulhoso de contribuir, quando em serviço por isso.

    ResponderExcluir
  2. Ta vendo a linha 7 continua na mesma porcaria de situação 8,4 passageiros por metros quadrados... E cadê os novos trens para diminuir esse nível de lotação??? Estão fazendo a maior falta na linha e a CPTM faz pouco caso, colocando trens menores no horário de rush na linha, enquanto que os trens que nela deveriam estar, estão a maior parte em outras linhas... Uma vergonha: De vinte 7000 do prometido, 1/5 foi entregue para a linha, enquanto que duas unidades de 8 carros novinhas estão paradas, e a CPTM pouco liga para reforma-las/trazerem de volta para circular...

    ResponderExcluir
  3. E depois eles vêem com essa histórinha tosca de que qualquer trem pode circular em qualquer linha, quando na verdade isso só ocorre com os novos trens... A linha 7 é uma das que está mais precisando desses trens e está aí jogada ao vento... E nas outras linhas se tiver atingindo esse número de lotação, eles rapidamente correm para pegar trens de outras linhas e jogar nelas, agora quando a L7 precisa onde estão os trens????

    ResponderExcluir
  4. Uma prova é a L7 Rubi que de Rubi não tem nada!!! A estação de Franco da Rocha era para ser entregue em Outubro, até agora as obras contam com metade dos funcionários que tinham, e ela está com a obra em 85% pronta; já a de Morato, hun! Sem Comentários!!!
    A sinalização está como uma das piores!!!
    Trens novos prometidos 20, entregues: 10 unidades, em circulação 4 unidades...
    Os trens de 6 vagões da qui que tem mais de 50 anos, circula como a maioria da frota nos horários de pico matutino e vespertino.
    Os trens daqui não receberam reformas em 2007-2009 como os trens das linhas 11B e 12, os 1700 são trens de potência ótima mais estão muito acabados, os 1100 estão melhor na conservação do que eles!!!

    Isso é uns dos "poucos problemas" da Linha A Marrom; prefiro dizer Linha A Marrom pois pra mim só o que melhorou na L7 foi a diminuição dos intervalos dos trens pois o resto! aff!!! Sem Comentários!!!!!

    ResponderExcluir
  5. É Vergonhoso ver unidade 1100 referindo a Linha 7 como A-Marrom Barra Funda-Jundiaí, sei que muitos gostam dele, mas gente são mais de 50 anos, e pra ser bem sincero eu os odeio.
    Agora no geral, realmente a CPTM e o Governo de São Paulo deixam a desejar cada vez mais, falo do que eu vejo todos os dias (como uso a L7 e a L3), trens velhos, que no frio de 5:20 da manhã o maquinista é obrigado a ligar a porcaria do ventilador que quando ta frio deixa mais frio ainda e quando ta calor deixa mais quente ainda, os trilhos são ridiculamente inclinados em alguns pontos, agora entregaram a plataforma nova da Barra-Funda que não tem uma mísera escada rolante e de manhã aquilo é um horror, demora no mínimo 5 minutos para subir dois lances de escada, a passarela sobre a estação de Caieiras leva nada a lugar nenhum, é de um lado para outro da estação e cai no lado contrário ao terminal de ônibus municipal ou seja tem que atravessar a avenida de qualquer jeito e fora que não tem nem faixa de pedestre (ok, isso é problema da prefeitura), trens de carga me infernizam pelo menos 2 vezes por semana........enfim só problemas
    PS: O intervalo entre trens diminuiu

    Desculpe por se referir somente à L7, mas é a que eu utilizo diariamente então não seria justo eu falar de outras linhas

    ResponderExcluir
  6. Eu até gosto dos 1100, mas se o governo e a CPTM prometeram trens novos eles têm que entregar (prometeu agora cumpre)... Os 1100 são muito bons por ter seus carros longos, mas perde por ser mais lento que os outros e ter uma capacidade de transporte menor... Acho que nós usuários da L7 temos que nem pedir, EXIGIR da CPTM aquilo que é nosso por direito...

    ResponderExcluir
  7. Agumas coisas estão voltando no tempo. Pena que não são pontos saudosos.

    Todas a linhas que pego agora tem ambulantes ilegais, e organizados. Sinal claro da falta de segurança.

    A CPTM, em 1 ano, está conseguindo acabar com a reputação que construiu desde o final dos anos 90.

    ResponderExcluir
  8. Uma vergonha um estado como Sao Paulo ter um transporte tão ruim, os trens estao cada dia piores, as promessas nao foram cumpridas, o plano de expanssao esta naufragando, e o que foi feito parece que piorou a situacao. Ex: no metro tudo ficou mais dificil, os trens novo do metro sao incrivelmente mais baixos que os antigos, eu mesmo tive que ficar com o pescoço encolhido para ficar em um metro sabado passado, pois tive a "sorte" de ter 1,98 metros, e o trem mal atinge 1,90 ou seja quem tem acima de 1,90 sofre ate com isso. E claro sem contar com a sensacao de enclausuaramento que um trem tao baixo causa.

    ResponderExcluir
  9. Estou vendo muitas reclamações na L7.

    Mas infundadas.

    Na linha 7 para conseguir trafegar mais trens

    é necessário aumentar a capacidade de fornecer eletricidade para os trens.

    E terminar o sistema de trafego computadorizado.

    Não é so colocar os trens novos na linha como pensam.

    E esse aumento de infra-estrutura demora.

    ResponderExcluir
  10. E ainda vai continuar vendo querido Dasfeg, porque enquanto estiver ruim eu vou reclamar... No mundo de hoje só reclamando e protestando para acontecer tais melhoras...
    Eu reconheço que demora mesmo mas se o governo e CPTM tivessem maior comprometimento isso já estaria perto de terminar...
    As outras linhas estão muito melhores e evoluídas que a 7...

    ResponderExcluir
  11. O que vai esperar de um secretário que trata a CPTM e seus passageiro como empresa e usuários de segunda classe?

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores