terça-feira, 28 de junho de 2011

Entenda as operações da CPTM

'Plataforma 7, operação safira. Trem com destino a Calmon Viana partirá da plataforma 7'

Texto e imagem: Diego Silva

Durante o horário de pico semanal, é bastante comum perceber nas estações Brás e Luz, o sistema de som informando uma determinada operação, para as plataformas anunciadas. Hoje, observando a Operação Volta para Casa da CPTM, na Estação Brás, tive mais argumento para trazer essa postagem para vocês. Para os usuários mais desinformados, uma operação nada mais é do que um posicionamento estratégico dos usuários na plataforma, a fim de serem bem escalados para embarcarem com mais segurança.
Observem as estratégias abaixo, e estejam informados:

Estação Brás
Plataforma 4 (sentido Guaianazes)
Operação Quebec: Trem série 7000 será o próximo a estacionar

Plataforma 6/7 (sentido Calmon Viana)
Operação amarela: trem série 4400 será o próximo (seis carros, ou trem curto)
Operação amarela especial: trem série 4400 vazio será o próximo
Operação safira: trem série 7000 será o próximo
Operação verde: trem série 1400/1600 será o próximo
Operação vermelha: trem série 5500/5550 será o próximo

Estação Luz
Plataforma 1 (sentido Rio Grande da Serra)
Operação branca: trem vazio irá estacionar na plataforma

Plataforma 2 (sentido Francisco Morato) *
Operação amarela: trem série 1100 irá estacionar (trem curto)
Operação verde: trem série 1700 irá estacionar (trem longo)
Operação rubi: trem série 7000 irá estacionar (trem novo)

* devido à obras de modernização na estação Luz, os trens com destino à Francisco Morato partem da plataforma 4.

Fiquem atentos aos avisos sonoros emitidos nas estações, sobre as estratégias. Procure sempre aguardar a saída dos usuários para embarcar com segurança, entrando e saindo do trem pelo lado direito das portas. Ao embarcar, utilize os corredores, não ficando na região das portas, contribuindo assim para o embarque e desembarque mais organizado. Outra situação em que os usuários devem atentar é o destino do trem. Nos horários de pico, é comum haver a operação loop, que significa viagem reduzida. Os trens não fazem a viagem completa nessa operação, levando a maior parte da demanda onde há mais índice de desembarque, e retornando mais rapidamente para o terminal, a fim de escoar a demanda.

Loops:
Linha 7-Rubi: Caieiras x Palmeiras-Barra Funda (pico da manhã, sentido Pal/Barra Funda);
Linha 8-Diamante: Barueri x Palmeiras-Barra Funda (picos da manhã e tarde, em ambos os sentidos);
Linha 9-Esmeralda: Pinheiros x Socorro (picos da manhã e tarde, em ambos os sentidos);
Linha 10-Turquesa: Luz x Mauá (picos da manhã e tarde, em ambos os sentidos);
Linha 11-Coral: Trens diretos até Estudantes (em horários específicos, partindo da Luz);
Linha 12-Safira: Brás x Engº Manoel Feio (pico da tarde, sentido Engº Manoel Feio).

sábado, 25 de junho de 2011

CPTM em Foco é notícia na Intranet da CPTM

Fonte: Intranet CPTM

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Lapa: Necessidade de uma estação nova e integrada

Estação Lapa da Linha 8-Diamante: Não existe integração com a Linha 7-Rubi

Imagem: Veja SP
Texto: Diego Silva

Um dos problemas para os usuários que utilizam os trens e desembarcam na região da Estação Lapa é a existência de duas estações com mesmo nome, em linhas distintas. Na Linha 7-Rubi, a estação Lapa dá acesso ao lado esquerdo, mais residencial e com algumas indústrias, além do pátio de estacionamento e oficinas da CPTM. Já na Linha 8-Diamante, a estação Lapa dá acesso ao terminal de ônibus e ao mercadão.
Essa questão de existir duas estações Lapa acaba confundindo, e muito, a cabeça dos usuários. E normalmente, quem pede informação acaba indo para no lugar errado, do mesmo jeito. Um ponto que vale destaque: as estações são bastante próximas, porém, não existe ligação entre ambas. Em uma análise mais calculista, as duas estações são de uso essencial para a população das duas linhas, mas nem sempre são a alternativa correta, justamente por tornar a vida do usuário mais confusa.
A medida para essa questão é apenas uma: a nova estação Lapa, integrando as duas linhas, além do terminal de ônibus. Esse projeto está em trâmite há algum tempo na CPTM, mas ainda há indefinições sobre onde exatamente seria construída a nova estação. Mas uma estação integrada para essas duas linhas seria a alternativa mais viável para os dois lados, uma vez que concentraria toda a demanda num mesmo ponto. Antigamente, durante a concepção do projeto da Linha 3-Vermelha do Metrô, existia a possibilidade dessa mesma linha chegar até a Lapa, mas por problemas da época, acabou sendo finalizada na Barra Funda (onde atualmente se integra à dois terminais rodoviários e as linhas 7-Rubi e 8-Diamante da CPTM).
Pode ser que, num futuro mais próximo, a estação Lapa integrada finalmente saia do papel, mas isso ainda é um pouco vago de se dizer. Vamos aguardar alguma definição do assunto, e se alguma linha futura de Metrô passar por ali, será mais fácil e viável de se fazer tal obra.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

CPTM recebe administradores de blog

Texto: Diego Silva
Imagem: CPTM

A CPTM, na última segunda-feira, convocou algumas pessoas que se manifestam sobre a empresa em redes sociais, para uma reunião no auditório da estação Brás. Estiveram presentes os amigos Ítalo (Blog Vida sobre trilhos), Ricardo Guimarãres (Blog Diário da CPTM), além de nossa presença, representando este que é o blog CPTM em Foco. Na reunião, fomos recebidos por representantes de diversas áreas, como planejamento, operação, manutenção, segurança e ouvidoria, além claro, os representantes do atendimento ao usuário. Na oportunidade, os blogueiros fizeram questionamentos sobre algumas dúvidas relativas à CPTM, uma vez que o foco principal da reunião foi basicamente esse: ouvir o que os blogueiros gostariam de saber sobre a CPTM. Após cerca de duas horas de perguntas, respostas e algumas apresentações, saímos dessa reunião bastante satisfeitos, porque isso mostra que o trabalho vêm sendo reconhecido, não só do CPTM em Foco, mas também do Diário da CPTM e do Blog Vida sobre Trilhos. Agradecemos a CPTM pela oportunidade do encontro, bem como à atenção que nos foi concedida. Na próxima postagem, darei continuidade mais profunda nessa reunião, mostrando para vocês algumas das perguntas e respostas referentes à reunião.

Vale ressaltar que ando um pouco ocupado com alguns problemas particulares, e por isso, não venho postando com a frequência que todos vocês estão acostumados. Assim que essas ocupações terminarem, voltaremos ao ritmo que todos estão acostumados aqui no blog. Adianto que trarei novidades muito interessantes para todos, e que iremos conquistar ainda mais seguidores e admiradores, e principalmente, calar a boca de alguns críticos com um trabalho cada vez mais sério e ético.

Alteração nas linhas da CPTM para esse feriado de Corpus Christi

Texto: CPTM
Imagem: Diego Silva

No feriado prolongado de Corpus Christi, nesta quinta-feira [23], sexta-feira [24] e final de semana [25 e 26], a CPTM realiza obras de modernização e intervenções de manutenção. A fim de não impactar os usuários, as atividades serão realizadas em horários de menor demanda.

Exceto nos trechos e horários específicos onde serão realizadas as intervenções, a circulação na quinta-feira [23] acontece com intervalos médios entre os trens semelhantes aos de um dia de domingo. Na sexta-feira [24], com exceção da Linha 9-Esmeralda, que funcionará com intervalo médio de um sábado típico, todas as demais linhas da companhia circularão com intervalos médios de um dia útil. No sábado [25] e domingo [26], a circulação acontece como num final de semana típico.

Veja como fica a operação em cada linha por conta das obras de modernização e manutenção:

Linha 7-Rubi [Luz-Francisco Morato]

Das 12h até o fim da operação comercial de sábado, obras de modernização de equipamento de via na região da Estação Caieiras vão gerar maior intervalo médio entre os trens.

Linha 8-Diamante [Júlio Prestes-Itapevi]

Das 21h de sexta [24] até o fim da operação comercial de domingo [26], serão realizadas obras de modernização de equipamento de via entre as estações Santa Terezinha e General Miguel Costa, aumentando o intervalo médio entre as composições. Das 14h de sábado [25] até o fim da operação comercial de domingo [26], serviços de remodelação da via entre as estações Júlio Prestes e Palmeiras-Barra Funda provocam aumento do intervalo médio.

Das 8h às 20h de domingo [26], serão realizadas obras de modernização e substituição de equipamento de via entre as estações Antônio João e General Miguel Costa. Por conta disso, os trens circularão com maior intervalo médio.

Linha 9 - Esmeralda [Osasco-Grajaú]

Do início da operação comercial de quinta [23] até o fim da operação de domingo [26], serão realizadas intervenções para modernização de equipamento de via, de infraestrutura e de rede aérea na região da Estação Pinheiros. Por causa disso, as composições circularão com intervalo médio maior.

Linha 10-Turquesa [Luz-Rio Grande da Serra]

Das 7h às 19h de domingo [26], haverá obras de manutenção na passagem em nível na região da Estação Rio Grande da Serra. Em razão das intervenções, os trens circularão com maior intervalo médio entre as estações de Mauá e Rio Grande da Serra.

Linha 11-Coral [trecho Guaianazes-Luz]

Das 18h até o fim da operação comercial de sábado [25], serão realizadas intervenções na estrutura da rede área e implantados postes no trecho das estações Corinthians-Itaquera e Tatuapé, gerando maior intervalo médio. Das 8h às 18h de domingo [26], a CPTM executará obras de substituição e manutenção de equipamento de via entre as estações Guaianazes e Corinthians-Itaquera. Por conta disso, as composições circularão com intervalo médio maior.

Linha 12-Safira [Brás-Calmon Viana]

Do início ao fim da operação comercial de domingo [26], haverá obras de modernização de rede aérea e substituição de equipamento de via entre as estações Jardim Romano e Itaquaquecetuba. Por isso, os trens circularão com maior intervalo médio.

Eventos "Marcha para Jesus" e "Parada LGBT"

Para atender a um eventual aumento na demanda de usuários por conta dos eventos "Marcha para Jesus", que será realizado no feriado de Corpus Christi, quinta- feira [23] e "Parada LGBT", no domingo [26], a CPTM utilizará trens extras, colocados estrategicamente nas linhas 7- Rubi [Luz -Francisco Morato], 8- Diamante [Júlio Prestes-Itapevi], 10- Turquesa [Luz -Rio Grande da Serra], 11-Coral [Luz -Estudantes] e 12- Safira [Brás -Calmon Viana].

terça-feira, 21 de junho de 2011

Acidente na Linha 11-Coral

Fonte e Imagem: Portal G1


Um caminhão desgovernado invadiu a linha 11 Coral da CPTM por volta das 15h45 desta terça-feira (21) na Zona Leste de São Paulo, segundo informações da assessoria de imprensa da empresa de transporte. O acidente ocorreu entre as estações Guaianazes e Antonio Gianetti. Antes de cair sobre a linha férrea, o caminhão colidiu e destruiu uma grade de proteção. O motorista sofreu apenas ferimentos leves e foi encaminhado para o Hospital Tide Setúbal, em São Miguel Paulista, de acordo com informações da Polícia Militar.
A linha 11 Coral liga a estação Luz a Guaianazes e a extensão dela segue até a Estação Estudantes, em Mogi das Cruzes. De acordo com as primeiras informações da CPTM, uma composição conseguiu frear a tempo e evitar a colisão com o veículo. Os trens que saem de Guaianazes em direção a Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, seguiam em uma via única, o que aumentava o intervalo entre os trens. Os bombeiros trabalhavam para retirar o veículo do local para que a circulação dos trens seja normalizada.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Remodelação de frota da Extensão da Linha 7-Rubi

Trem série 1600: Frota Budd está de volta à extensão

Texto e Imagens: Diego Silva

A extensão da Linha 7-Rubi, que liga Francisco Morato à Jundiaí, está contando com trens diferentes de algum tempo para cá. A CPTM retornou alguns trens mais antigos, das frotas 1400 e 1600, a fim de oferecer um serviço mais contínuo. Anteriormente, apenas a frota 1700 circulava por esse trecho, que contava com quatro unidades de quatro carros cada. Com o retorno da frota Budd, os trens da série 1700 deverão ser retirados da extensão, acoplados e deslocados para circulação no trecho principal dessa linha. Existem rumores sobre a possível reforma dessa frota, sendo que sua última revisão geral foi entre 1999 e 2001, realizado por diversas empresas contratadas. A extensão da Linha 7 conta com um trecho de 21,5 km, e cinco estações: Francisco Morato, Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí. Não é um trecho de grande demanda, visto que é domínio de cidades interioranas. Todavia, a extensão é mais da metade da Linha 7-Rubi (Luz x Francisco Morato, com 39 km), o que traz a necessidade do serviço nesse ponto. Em matéria passada, sugerimos para a CPTM a extensão do serviço até a estação de Campinas, eliminando a necessidade do trem regional. Com isso, a Linha 7-Rubi seria dividida em dois grandes pólos: Luz à Francisco Morato, com o atual trem, e posteriormente, Francisco Morato até Campinas, com uma integração gratuita realizada na nova estação de Francisco Morato (ainda em obras).

Trem série 1100: viagens esporádicas aos sábados na extensão

Os trens da frota Budd foram adquiridos em meados da década de 1970, a fim de realizar os serviços de subúrbio da então Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. Compostos de seis carros, os trens de aço inox sobrevivem até hoje, sendo duas das frotas mais versáteis da CPTM. Tais frotas basicamente acabaram ao longo do tempo, com cortes, acidentes e incêndios causados por usuários. Os poucos trens que restam atualmente, encontram-se em sua grande parte na extensão da Linha 7, exceto uma unidade da série 1400 e uma unidade da série 1600, que prestam serviços diários na Linha 12-Safira (ligando o Brás a Calmon Viana). Ainda não se sabe se a CPTM pretende colocar um trem direto, ligando Luz até Jundiaí (isso acontecia esporadicamente, em horários determinados, mas com a mudança de gestão, o serviço acabou). Durante uma visita técnica na CPTM, apuramos que não existe demanda suficiente para realização do trem direto, o que seria um desperdício de tempo e de energia. Atualmente, o governo do estado fala muito em trens regionais, e muito provavelmente teremos alguma novidade no que se diz a isso. Vale lembrar também que Jundiaí é um dos roteiros do Expresso Turístico, o trem de viagem da CPTM, que faz viagens semanais (aos sábados) para esse destino. A estação de Jundiaí continua em seu projeto original, e recentemente foi tombada pelo Condephaat, como patrimônio histórico.

Obras na estação Luz alteram plataformas de embarque das linhas 7 e 11

Fonte: CPTM
Imagem: Diego Silva

A partir do próximo sábado, 18/06, a CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] iniciará obras de modernização da via férrea, na estação Luz, que possibilitarão diminuir o intervalo médio entre os trens na Linha 7-Rubi [Luz-Francisco Morato], que hoje é de sete minutos, nos horários de pico.

A mudança vai interferir nas rotinas de embarque e desembarque dos usuários, uma vez que acontece numa das maiores estações da CPTM, que atende três linhas simultaneamente: 7-Rubi [Luz-Jundiaí], 10-Turquesa [Luz-Rio Grande da Serra] e 11-Coral [Luz-Estudantes], além da integração com a Linha 1-Azul, do Metrô. Para ter ideia, nos dias úteis, cerca de 400 mil usuários circulam na estação.

Inicialmente, as intervenções serão realizadas até agosto, no lado norte da estação, sentido Palmeiras-Barra Funda, interditando duas das quatro vias existentes. As obras compreendem a substituição dos aparelhos de mudança de via, conhecidos como AMV, trilhos, dormentes e britas, além de serviço de terraplanagem. Posteriormente, as intervenções deverão ocorrer no lado sul, em direção ao Brás.

Essas obras são necessárias para a redução dos intervalos entre os trens, dando agilidade ao sistema.

Fazer obras sem deixar de atender aos usuários é um grande desafio para a CPTM e exige uma série de medidas como, realizar intervenções nos horários de menor movimentação de passageiros, aos finais de semana, feriados e de madrugada. No caso da Luz, diante da complexidade das intervenções exigidas, será necessária a execução continua.

Esquema Operacional Luz

A partir de sábado [18], os trens das linhas 7-Rubi [Luz- Jundiaí] e 11-Coral [Luz-Estudantes] terão as plataformas de chegada e partida alteradas:

- Os trens da Linha 7-Rubi [Luz-Jundiaí], que atualmente usam a plataforma 2, serão remanejados para a plataforma 4.

- Os trens da Linha 11-Coral [Luz-Estudantes], nos horários de pico, alternarão suas partidas e chegadas nas plataformas 2 e 3. Nos horários de menor movimento, a operação acontecerá somente pela plataforma 2.

- Nesta etapa, os trens da Linha 10-Turquesa permanecerão usando a plataforma 1.

Para orientar os usuários sobre as mudanças temporárias, a CPTM fará campanha informativa com panfletos, cartazes, painéis e totens nas estações das linhas 7-Rubi, 10-Turquesa e 11-Coral. Também serão emitidos avisos sonoros nos trens e estações, e empregados serão posicionados nos acessos e nas plataformas da estação Luz para auxiliarem o público.

Esquema Operacional Júlio Prestes

As obras de modernização da via férrea também serão realizadas na área da estação Júlio Prestes, que ficará fechada neste fim de semana, entre 17h de sábado [18] e meia-noite de domingo [19]. A opção para os usuários da Linha 8-Diamante [Júlio Prestes-Itapevi], com destino ao bairro da Luz, será desembarcar na estação Palmeiras/Barra Funda e seguir viagem pela Linha 7-Rubi até a estação da Luz.

Benefícios

É importante compreender que as obras de infraestrutura que estão sendo realizadas nas seis linhas da CPTM permitirão que os 105 novos trens que já estão sendo incorporados à frota tenham um melhor desempenho, resultando na redução do intervalo e no aumento da oferta de lugares.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca a disposição a Central de Atendimento ao Usuário, no telefone 0800 0550121, de segunda a sexta-feira, das 5 às 22h; e aos sábados, das 6 às 18h. Para denunciar irregularidades ou delitos nos trens, estações e outras dependências da CPTM, o usuário pode enviar torpedo para o telefone celular 7150-4949, direto à Central de Segurança. O serviço funciona 24 horas e garante o anonimato do denunciante e agilidade na denúncia.

domingo, 12 de junho de 2011

É possível ir até mais longe

Novos trens estão chegando aos poucos

Texto e Imagens: Diego Silva

Uma questão que foi observada há algum tempo por nós, e que hoje vem à tona para todos vocês, leitores do Blog CPTM em Foco: porque não levar os serviços de trem até cidades mais distantes? A CPTM e o governo do estado estão com planos de criarem um trem regional para Campinas e Sorocaba. Após observação de algumas situações, pensamos no seguinte: é possível levar trens metropolitanos até tais cidades? Acompanhe nosso raciocínio nessa postagem.

Trem série 1100: nova reforma daria continuidade nos serviços

Francisco Morato até Campinas
Para os que circulam na CPTM há algum tempo, principalmente usuários da Linha 7-Rubi, se lembram que até anos atrás, era necessário pagar uma segunda tarifa, caso quisessem seguir viagem de Francisco Morato até Jundiaí, tarifa essa que hoje não se faz mais necessária. A Linha 7-Rubi, que atende desde São Paulo (estação Luz) até a cidade de Jundiaí, poderia receber um investimento mais pesado. Qual é a ideia: em vez da extensão atual, o serviço poderia ser realizado desde Francisco Morato até Campinas. Tudo isso se daria da seguinte maneira: duplicação das vias a partir de Jundiaí, re-eletrificação do trecho, acordo comercial com a MRS Logística (a quem pertence o trecho via concessão), reconstrução de estações intermediárias, como Jundiaí Paulista, Louveira, Vinhedo, Valinhos e Campinas. É de conhecimento popular que muitas pessoas residentes em Campinas, se deslocam para trabalhar em São Paulo, e vice-versa. Campinas, por ser uma cidade de grandes proporções, necessitaria sim de um transporte coletivo até São Paulo, mesmo existindo a necessidade de se fazer transbordo em Francisco Morato. Ainda: a estação de Francisco Morato será reconstruída, e o projeto poderia ser feito abrangendo 4 plataformas, sendo duas para o serviço até São Paulo, e as outras duas até Campinas.
Certo, e vem a questão: trem. Numa conversa descontraída com o dono de uma publicação ferroviária, veio a seguinte situação: se a Linha 7 está recebendo novos trens (série 7000), o que fazer com os série 1100? Esses trens já estão com a idade avançada, mas ainda são de grande utilidade. O que haveria de ser feito com eles seria uma nova reforma, completa, já que as caixas de aço inox encontram-se impecáveis, o que mostra que é o melhor material a ser utilizado na construção de trens. As suspensões, de ´mola`, passariam a ser pneumáticas, trazendo mais conforto aos usuários. O salão de passageiros receberia um novo layout, mais atraente e espaçoso, além da possível substituição das janelas por ar-condicionado. A CPTM conta com 11 trens de seis carros dessa frota, e esse plano seria muito bem observado, caso a empresa se interessasse realmente em realizar esse projeto. Com isso, a Linha 7, em seu trecho principal, ficaria com trens de oito carros (séries 1700 e 7000), e em seu segundo trecho, com 11 trens de seis carros, atendendo a demanda até Campinas. Caso houvesse necessidade, trens séries 1400 e 1600, com mesmo layout e potência dos 1100, também poderiam operar nesse trecho, como frota reserva.


Itapevi até Sorocaba
A questão desse trecho é mais delicada. Trata-se um trecho de bitola métrica, após Itapevi, o que tornaria a obra mais complicada, e talvez mais demorada. Vide a atual situação da extensão entre Itapevi e Amador Bueno, que foi prometida para novembro desse ano, mas sequer está na metade das obras. A questão aqui seria óbvia: tratar da concessão do trecho com a ALL (América Latina Logística), realizar a construção (ou reconstrução, já que foi tudo abaixo) das estações de Santa Rita, Ambuitá, Amador Bueno, São João Novo, Mailaski, São Roque, Mairinque e Sorocaba. Mas observando as atuais circunstâncias locais, trata-se de um trecho muito difícil de se fazer. Até Amador Bueno, o trecho está apto, mas a partir desse ponto, trata-se de locais praticamente abandonados, tomados de vegetação. Haveria de se fazer obras faraônicas. Claro, no tempo da Fepasa, tudo era funcional, mas com o abandono das ferrovias no século XX, ao invés de manterem como estava, simplesmente jogaram ao tempo. Caso o governo observasse a ideia, e fosse a favor, qual seria a situação: com o recebimento de 36 novos trens para a Linha 8-Diamante, toda a frota de trens série 5000 seria desacoplada, reformada por completo (troca de todos os equipamentos, reforços estruturais, uma verdadeira faxina no trem), e com isso, haveria frota para circular nesse novo trecho, totalmente modernizada e apta. Além disso, desapropriações deveriam ser realizadas, pois em pesquisa realizada para composição dessa postagem, vimos que a estação de São João Novo é o velório municipal de São Roque. A estação de São Roque é a sede da Polícia Militar... Então, fica uma situação complicada. Mas não é impossível. Talvez nesse trecho, o trem regional seja a melhor opção.

Extensão da Linha 11 poderia ir até Guararema (Foto: Willian Molina)

Suzano até Guararema
Atualmente, está em trâmite no governo a chegada da Linha 11-B até Cézar de Souza. Observando outra situação, porque não levar o trem até Guararema? A Linha 11-B, que passará a ser Suzano x Estudantes a partir de 2012 (com a chegada do Expresso Leste até Suzano, não haverá mais necessidade do trecho atual, entre Guaianazes e Estudantes, e sim a partir de Suzano), seria mantida com a frota série 4400, que atualmente atende esse trecho. Com a chegada dos novos trens na Linha 12-Safira, os trens série 4400 que atendem aquele trecho seriam deslocados para a Linha 11-B, e aumentando a oferta de lugares, sendo possivel levar o serviço até Guararema, sem maiores problemas. As estações de Cézar de Souza, Sabaúna, Luiz Carlos e Guararema necessitam de reformas e adaptações, mas nada de muita complexidade. Seria uma ótima alternativa, e algo a ser pensado pelo governo, pois aumentaria a demanda e facilitaria a vida das pessoas, para alcançar São Paulo de trem. A CPTM, atualmente, não tem problema com frota, uma vez que está em processo de renovação. E como existe muito falatório sobre o destino desses trens, o Blog mostra que é possível todos eles continuarem prestando serviços normalmente, levando a CPTM mais longe.


Claro que tudo o que falei hoje aqui para vocês são hipóteses, observações que fiz para mostrar aos leitores e para o pessoal da CPTM que também acompanha o blog, que é possível levar o trem mais longe. Se esses planos forem concretizados, não haveria mais a necessidade de ônibus fretados entre essas localidades, para acessar a ferrovia. Considerando o fator Campinas x São Paulo, onde diariamente, diversos ônibus fretados cortam a rodovia dos Bandeirantes trazendo pessoas, com o trem tudo isso mudaria. Ganhariam mais tempo, mais qualidade, economia e principalmente, a redução de emissão de poluentes pelos ônibus. Vale sempre lembrar que o trem é um transporte limpo, de alta capacidade, de alta velocidade, de maior qualidade. É possível chegar mais longe, basta querer.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Governador entrega mais 3 novos trens para a CPTM

Um dos trens entregues: acompanhamos também os bastidores das entregas

Texto e Imagens: Diego Silva

O Governador do estado, Geraldo Alckmin, entregou na manhã desta sexta-feira na estação Luz, três novos trens para a CPTM. As novas composições, da série 7000, fazem parte de uma aquisição de 40 novos trens, ainda da gestão anterior. Como já é do conhecimento de todos, esses trens contam com ar-condicionado, câmeras de vigilância, detectores de incêndio, telas indicadoras e oito carros. É possível conferir essa frota em todas as linhas da CPTM, exceto a Linha 10-Turquesa.

Trens em Palmeiras-Barra Funda: últimos detalhes para a entrega

Com essa entrega, segundo as contas do Governo do Estado, já são 52 novos trens para a CPTM, de um total de 105 prometidos. Estivemos na estação Palmeiras-Barra Funda logo cedo, por volta das 09h, e observamos os novos trens já estacionados e sendo higienizados, para serem entregues em seguida na estação Luz. As duas unidades estacionadas já estão circulando nas vias da CPTM há alguns dias, e hoje foi realizada a entrega oficial. Estiveram presentes no evento, autoridades como o presidente da CPTM, sr. Mário Bandeira, o secretário de transportes, sr. Jurandir Fernandes, o deputado estadual Orlando Morando, o presidente do Metrô, sr. Sérgio Avelleda, o maquinista do trem que se envolveu no acidente de ontem em Utinga, sr. Edinalvo da Silva, além de diretores da CPTM e representantes dos sindicatos dos funcionários de São Paulo, que ainda estão em estado de greve, em campanha salarial. A entrega dos trens aconteceu na plataforma central da estação Luz, e durante a viagem até a estação Palmeiras-Barra Funda, o primeiro carro de um dos trens ficou completamente lotado, com as autoridades e os representantes dos canais de mídia. Ao desembarcar em Palmeiras-Barra Funda, o governador cumprimentou passageiros, respondeu perguntas e seguiu até o Metrô, onde entregou os dois primeiros trens modernizados.

Veja a entrega dos dois primeiros trens do Metrô em: 

Momento em que o governador desata o nó da fita, e inaugura novo trem da CPTM

´Não me sinto um herói` diz maquinista de trem que atingiu ônibus

Fonte e Imagem: G1

O maquinista Ednalvo Delmiro da Silva, de 40 anos, que conduzia o trem que se envolveu em um acidente com um ônibus no limite entre São Caetano do Sul e Santo André, no ABC, nesta quinta-feira (9), foi homenageado pelo governador paulista, Geraldo Alckmin, nesta sexta (10), durante a entrega de três trens novos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Ele afirmou que não se sente um herói.

“Estão dizendo que eu sou um herói, mas eu não me sinto um herói, porque, se a pessoa não acena, eu não tenho tempo hábil para parar o trem. Herói é o cara que acenou para mim”, disse o maquinista. Segundo ele, um passageiro que estava no ônibus que caiu do viaduto correu ao lado da linha férrea na direção do trem.

De acordo com o maquinista, o trem trafegava a uma velocidade de 90 km/h cerca de 500 m do local onde o ônibus caiu. Ao ver o passageiro, ele começou a reduzir a velocidade. O trem passou para 60 km/h no freio máximo e, depois disso, a velocidade foi sendo reduzida gradativamente.“Acionei o freio de emergência, porque ele freia mais rápido”, declarou.

O ferroviário destacou que o ônibus caiu em uma região curva, debaixo do viaduto e próximo de uma pilastra, o que o impediria de evitar a colisão sem a ajuda do passageiro.
Após o acidente, ele disse que comunicou ao centro de controle de operações e pediu autorização para deixar a cabine. “No momento já estavam chegando os bombeiros. Eu simplesmente ajudei os bombeiros a salvar as vítimas”, disse.

Ednalvo trabalha na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) desde 1996. Apenas na Linha 10-Turquesa, que liga a Estação da Luz, no Centro, a Rio Grande da Serra, no ABC, são 11 anos. “Sempre tem uma situação inusitada, mas essa foi a mais inusitada de todas”, afirmou.

Campanha salarialO maquinista chegou a utilizar um adesivo de apoio ao movimento pelo reajuste salarial de sua categoria que fez dois dias de greve na semana passada. Porém, ao longo do trajeto em que percorreu nos trens da CPTM e do metrô, o adesivo desapareceu. “Tiraram de mim. O tumulto foi tão grande que na hora em que eu vi já estava sem”, afirmou. Quando questionado se ele apoia o reajuste, o ferroviário foi enfático: “Com certeza. Dizem que a ferrovia vai ter a qualidade do metrô. Nós queremos a equiparação”.

O secretário Jurandir Fernandes, que participou do evento em que foi entregue também dois trens modernizados ao Metrô, afirmou ainda que a Secretaria de Transportes irá oferecer durante audiência de conciliação que acontece nesta tarde, um reajuste de 3,27%, que é um índice inferior ao que os ferroviários reivindicam. A categoria fez dois dias de greve na semana passada para pedir 5% de aumento real (além da inflação). A Justiça do trabalho recomendou que voltassem ao trabalho, mesmo mantendo o estado de greve, e voltassem a renegociar. Nesta tarde, depois da audiência de conciliação que acontece no TRT, os ferroviários farão assembleia na estação Júlio Prestes.

Vítimas do acidenteNa manhã desta sexta-feira, sete pessoas feridas no acidente continuavam internadas em hospitais do ABC. A colisão ocorreu na manhã de quinta após o coletivo da EMTU cair de um viaduto sobre os trilhos da Linha 10-Turquesa. O acidente aconteceu entre as estações Utinga e São Caetano.
Ao todo, 16 pessoas se machucaram, incluindo a motorista do ônibus, Lilian de Souza Freitas, de 30 anos. Ela sofreu traumatismo no tórax e encontrava-se internada em estado de saúde estável, no fim desta manhã, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Mario Covas, em Santo André, também no ABC. Nove dos feridos tiveram alta.
A Polícia Civil instaurou na tarde dea quinta o inquérito que vai investigar as prováveis causas do acidente. Segundo o delegado Luís Fabiano Gagliato, plantonista do 2º Distrito Policial de Santo André, o inquérito é de lesão corporal culposa (quando não há a intenção), por enquanto sem o agente causador definido. As investigações ficarão a cargo do delegado titular Oswaldo Fuentes Júnior.
“Ele (o maquinista) vai ser ouvido. Ele pode ser considerado o herói desta história. Se não fosse a pronta ação dele, haveria vítimas mais graves tanto no ônibus quanto no trem”, afirmou Gagliato.
Todas as vítimas do acidente vão ser chamadas para prestar depoimento no inquérito. Além delas, uma testemunha do acidente, um motorista que trafegava atrás do ônibus quando este despencou, também será ouvido.
A motorista do ônibus deverá prestar depoimento no hospital assim que estiver em condições para isso, segundo o delegado. “O que eu posso adiantar é que ela era uma motorista experiente, com dez anos de profissão, e que a documentação dela está legal”, disse.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Cobrador do ônibus conta como aconteceu acidente

Fonte: G1
Imagem: Terra

O cobrador do ônibus que caiu de um viaduto na manhã desta quinta-feira (9) sobre uma linha férrea e acabou atingido por um trem relatou como ocorreu o acidente no ABC, que deixou 15 feridos. Clóvis Santos Galdino Júnior, de 38 anos, machucou a perna e o braço e recebeu alta no início desta tarde do Hospital de Emergências Albert Sabin, em São Caetano do Sul. “Foi muito pânico e desespero. A gente pensava que o ônibus ia explodir [após a queda] e tentamos sair. Quebramos o vidro de trás”, 
O ônibus da EMTU caiu em cima dos trilhos da Linha 10-Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) por volta das 9h30 desta quinta-feira (9), no limite entre os municípios de São Caetano do Sul e Santo André. O veículo foi atingido por um trem. Segundo a CPTM, o acidente aconteceu entre as estações Utinga e São Caetano.
O cobrador contou que a motorista viu um carro na contramão e tentou desviar. Chovia no momento do acidente e ela não conseguiu frear. O ônibus rompeu a mureta de proteção da Rua Felipe Camarão e caiu sobre a linha férrea. “Foi terrível, um barulho muito forte”, lembrou Júnior.
O assistente de cabeleireiro Eduardo Guilherme Scavassa, de 23 anos, estava no coletivo. “O ônibus virou e caiu. Em seguida, o trem bateu. O pessoal gritava ‘vai bater, vai bater’”, contou. Ele disse que havia sofrido um outro acidente há poucos dias. “Há duas semanas, eu tinha capotado o carro. Agora, aconteceu isso”, lembrou.
Ele também recebeu alta no início da tarde. Quinze pessoas que estavam no ônibus sofreram ferimentos e 14 delas receberam atendimento no Albert Sabin – seis delas tiveram alta até as 13h30 desta quinta-feira, segundo a Secretaria da Saúde de São Caetano do sul. A outra vítima, a motorista do ônibus, foi levada para o Hospital Mario Covas, em Santo André.
O ônibus foi retirado dos trilhos por volta das 13h40. Bombeiros, funcionários da CPTM, da Defesa Civil e dos departamentos de trânsito de São Caetano do Sul e de Santo André auxiliaram na remoção. No horário, o trecho da linha férrea onde aconteceu o acidente continuava interditado.

Busca de informações
Parentes buscavam informações na manhã desta quinta sobre feridos que foram levados para o Hospital de Emergências Albert Sabin. Segundo a Prefeitura de São Caetano, há casos de traumatismo craniano leve, luxação no quadril, fratura na costela, fratura na clavícula e escoriações.
Lúcia Peralta chegou ao hospital para ver a sobrinha. Segundo ela, a mulher seguia para o serviço quando ocorreu o acidente. “Ela só disse que o ônibus bateu na mureta e caiu para baixo”, contou. Segundo Lúcia, a sobrinha conseguiu ligar pelo telefone celular para avisar a família. Ela passa bem. Claudio de Paula também esteve no Albert Sabin em busca de informações sobre um parente. “Estou meio desnorteado, não sei como ele está”, comentou.
Rafael Beraldo Vicentini buscava notícias da mãe, a analista de crédito Márcia Vicentini. Ele contou que ela estava indo para o trabalho quando aconteceu o acidente. Márcia ligou para o pai e avisou sobre o ocorrido. “Ela deslocou o fêmur e está bem. Tomei um susto. Liguei a TV na academia, vi o acidente ao vivo e presumi que era o ônibus onde minha mãe estava”, relatou.
Marido de Márcia, o marceneiro João Vicentini, de 55 anos, deixou o hospital com o filho após visitar a mulher. “Estou aliviado, ela falou que está bem”, disse, emocionado. Segundo ele, o local onde aconteceu o acidente “é perigoso” porque termina o asfalto e começa uma rua de paralelepípedo.
A auxiliar geral Sueli Souza Pereira, de 51 anos, é filha de Sírio Gonçalves de Souza, de 82 anos, que estava no ônibus. Ela chegou chorando no início da tarde ao hospital, em busca de notícias do pai. “Ele tinha saído para dar uma voltinha porque não aguenta ficar em casa. Era para eu estar com ele no ônibus”, disse. O homem sofreu traumatismo craniano leve, segundo a Prefeitura.
Uma das vítimas socorridas no hospital de São Caetano sofreu lesão renal e foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Maria Braido, onde ficará em observação para posterior avaliação de necessidade de cirurgia, segundo a Prefeitura. O governo municipal afirmou que familiares de vítimas estão sendo acolhidos por uma equipe de psicólogos.
Além dos atendidos do Albert Sabin, uma mulher acabou levada pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar, para o Hospital Estadual Mario Covas, em Santo André. Ela é a motorista do ônibus e sofreu uma contusão torácica e trauma de crânio leve. A vítima ficará em observação e tem o estado de saúde considerado estável, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde.
Passageiro sentiu baque
De acordo com Roberto Barroso, que seguia pelos trilhos da CPTM, quem estava na composição sentiu um baque repentino. “Olhamos pela janela e vimos um ônibus tombado.” Barroso, que estava no primeiro vagão, disse que ninguém no trem ficou ferido. Assim como os demais passageiros, abriu as portas do trem, “para ajudar os feridos”. “Tinham muitas vítimas sobre os trilhos, ensanguentadas, no meio do barro, gritando de dor”, afirmou. “Uma situação bem feia, bem triste.” Barroso correu para ajudar uma passageira do coletivo que estava muito nervosa. “Ajudei a acalmar a vítima, que estava com muita dor.”
O porteiro Francisco Carvalho, de 63 anos, também estava no trem. Ele contou que a composição não estava muito veloz e parou de repente. Quando os passageiros desceram, viram que havia um ônibus na frente do trem.
A atriz Aline Pelegrini, de 21 anos, saiu da Estação da Luz, no Centro de São Paulo, e iria descer na Estação Santo André, no ABC, rumo ao trabalho. Sentada no primeiro vagão, ela dormia no momento do acidente. “Acordei com a movimentação dos passageiros. Não sabia o que estava acontecendo. O que mais me impressionou é que não deu para perceber o impacto. Até sair do trem, não tinha ideia do que tinha acontecido.”
Segundo a jovem, o maquinista saiu da cabine, abriu a porta e pediu para os passageiros saírem. Antes de descer, ela viu bombeiros descendo o barranco. “Fiquei impressionada, pois o ônibus ficou praticamente destruído e o trem tinha apenas um amassadinho.”

O comerciante José Onias de Barros, de 65 anos, ouviu o barulho do ônibus quebrando a barreira de proteção do viaduto e foi até o local do acidente. “Fui até lá para ver o que estava acontecendo e já vi o ônibus lá embaixo. Eu e mais pessoas fizemos sinal para ele [maquinista] parar. Ele veio maneirando. Se o trem tocou no ônibus, eu não vi. Para mim, ele encostou só”, afirmou. O comerciante contou que o socorro chegou muito rápido e ele voltou para o bar onde trabalha, não acompanhando o atendimento aos feridos.
A designer de interiores Vivian Cristina Frizon, de 44 anos, mora em um prédio do qual pode visualizar o viaduto e o local do acidente. Ao ouvir o barulho da queda do coletivo, ela correu para a janela de seu apartamento. “Pensei que fosse um trem descarrilando. Jamais pensei que fosse um ônibus. Fiquei desesperada e liguei rápido para os bombeiros.”
Segundo ela, cerca de dois minutos depois, ela ficou espantada ao ver que um trem seguia na direção do veículo tombado. “Ele vinha com velocidade. Todo mundo começou a gritar e ele foi parando. Fiquei bem chocada.”
 
Ônibus passou por inspeção em fevereiro
A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) informou que o veículo que se acidentou pertence à empresa Interbus e operava a linha 101 São Caetano do Sul (Vila Prosperidade)/ São Paulo (Vila das Olarias). “Como gerenciadora do sistema de transporte metropolitano por ônibus, a EMTU/SP está apurando as responsabilidades junto à empresa permissionária e acompanhará com rigor a assistência às vítimas. O veículo foi inspecionado em fevereiro e estava em perfeitas condições de operação”, diz a nota.

Hospital divulga nome dos feridos em acidente

Fonte e Imagem: Terra

O Hospital Municipal de Emergências Albert Sabin, por onde passaram as vítimas em estado leve da queda de um ônibus sobre uma linha de trem e do posterior choque com a composição, divulgou o nome de 14 feridos. O acidente ocorreu às 9h30 desta quinta-feira em São Caetano do Sul (SP), na Grande São Paulo.
Segundo o hospital, até as 13h desta quinta-feira, quatro vítimas tiveram alta: Cleide Aparecida de Brito, 42 anos, Leandro Domingues, 25 anos, e Pedro Carrasco, 79 anos, naturais de São Caetano do Sul, e Maurílio Batista Santos, 70 anos, natural de Guarulhos.
A Prefeitura de São Caetano do Sul informou por meio de nota oficial que entre as vítimas do acidente havia casos de "traumatismo craniano leve, luxação de quadril, fratura de costela e de clavícula, ferimentos de contusões fortes e escoriações em geral". A Prefeitura afirmou ainda que os familiares das vítimas são atendidas por psicólogos, assistentes sociais e médicos, recebendo orientações e informações, e inclusive visitando seus entes queridos.
Outras oito vítimas estavam internadas em estado leve: Arlete Amaral, 59 anos, Círio Gonçalves de Souza, 82 anos, Cláudio Almeida dos Santos, 30 anos, Eduardo Guilherme Scavassa, 23 anos, Gabriela Peralta Belvis, 18 anos, e Márcia Aparecida Beraldo Vicentino, 48 anos, naturais de São Caetano do Sul, e o cobrador do ônibus, Clóvis dos Santos Gaudino Júnior, 38 anos, e Débora de Santana Prenholato, 21 anos, naturais de São Paulo.
Segundo a Prefeitura, a passageira Carolina Pereira Guimarães, natural de São Caetano do Sul, apresentava lesão renal e foi transferida para a UTI do Hospital Maria Braido para observar se há necessidade ou não de cirurgia. Thiago Augusto de Paulo, 24 anos, também nascido no município, estava na UTI do hospital Albert Sabin, mas a instituição não divulgou seu estado.
A motorista do veículo, Lilian de Souza Freitas, foi para o Hospital Estadual Mário Covas, no ABC, com contusão toráxica e traumatismo craniano. A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo afirmou que ela foi encaminhada à UTI para observação, e seu estado não é grave. Segundo o coronel da PM José Belantoni Filho, ela foi projetada para fora do veículo.

Ônibus cai de viaduto e é atingido por trem da CPTM

Fonte e Imagem: Terra

Um ônibus bateu na mureta de proteção de um viaduto em São Caetano do Sul (SP), na Grande São Paulo, e caiu, de mais de 3 m de altura, sobre uma linha de trem na manhã desta quinta-feira. A composição não conseguiu frear a tempo e colidiu com o veículo. O acidente feriu ao menos 15 pessoas, uma delas gravemente. A prefeitura do município informou por nota oficial que todas as vítimas passam bem.
Dois helicópteros da Polícia Militar, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e um total de 21 viaturas do Corpo de Bombeiros, com 65 homens, atenderam a ocorrência. Catorze vítimas em estado leve foram levadas ao Hospital Municipal de Emergências Albert Sabin e ao Pronto-Socorro do Hospital São Caetano. A motorista do veículo, Lilian de Souza Freitas, foi para o Hospital Estadual Mário Covas, no ABC, com contusão toráxica e traumatismo craniano. A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo afirmou que ela foi encaminhada à UTI para observação, e seu estado não é grave. Segundo o coronel da PM José Belantoni Filho, ela foi projetada para fora do veículo.
O acidente ocorreu por volta das 9h30 na rua Felipe Camarão, na altura do número 100, no sentido São Paulo, próximo ao centro de São Caetano, entre as estações Utinga e São Caetano do Sul da linha 10-Turquesa. A linha faz a ligação entre as estações da Luz, no centro de São Paulo, e Rio Grande da Serra, no ABC paulista.
O gerente geral de operações da CPTM, Francisco Pierrini, afirmou há pouco em entrevista à rádio Bandeirantes que o maquinista do trem atingido visualizou o veículo despencando de um viaduto sobre os trilhos do local e conseguiu frear antes da colisão. Segundo Pierrini, os trens constumam passar pelo trecho do acidente em velocidade média de 90 km/h.
Segundo a CPTM, nenhum passageiro nem o maquinista da composição acidentada ficaram feridos. Até as 10h45, os passageiros da composição permaneciam dentro dos seis vagões, aguardando o atendimento dos outros feridos. A companhia informou que a retenção dos passageiros é para não tumultuar o resgate.
De acordo com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a linha férrea foi totalmente interditada até as 10h30, quando os trens voltaram a circular com velocidade reduzida no local, para permitir o trabalho dos bombeiros. Segundo a PM, inicialmente um trem vai puxar o ônibus da via, e a remoção completa será feita por meio de um trator, que vai entrar no barranco e puxar o veículo com cabos de aço. A empresa afirmou que o ônibus seria removido até cerca de 13h.
A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, que gerencia o sistema de transporte metropolitano por ônibus, afirmou que o veículo envolvido no acidente, da empresa Interbus, operava a linha 101 São Caetano do Sul (Vila Prosperidade) - São Paulo (Vila das Olarias). A empresa também afirmou que o ônibus acidentado foi inspecionado em fevereiro e estava em perfeitas condições de operação, e acrescentou que vai apurar as responsabilidades do acidente junto à empresa permissionária.
Segundo afirmou em entrevista à rádio Bandeirantes o comandante dos bombeiros em São Caetano do Sul, tenente-coronel José Belantoni, "não é possível apontar os motivos, mas notamos que a pista onde o ônibus tombou é feita de paralelepípedo, e estava bastante escorregadia", disse.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Governador entregará mais 2 trens novos para a CPTM

Fonte: CPTM
Imagem: Diego Silva

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, entregam nesta sexta-feira [10/6], os dois primeiros trens modernizados do Metrô, na Estação Palmeiras-Barra Funda, e mais três novas composições para a CPTM, na Estação da Luz.

As duas composições, de seis carros cada, são as primeiras de um lote de 98 unidades - 51 da Linha 1-Azul [Jabaquara-Tucuruvi] e 47 da Linha 3-Vermelha [Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda] do Metrô que passarão por modernização.

Os trens modernizados ganharam ar-condicionado, câmeras de vigilância [quatro por carro], sensores para detecção de fumaça, sistema de informação audiovisual [monitores e displays], monitoramento contínuo dos equipamentos pelo operador [data bus] e sistema de freios com controle de patinagem, entre outros.
As três novas composições da CPTM são equipadas com tecnologia de ponta como ar-condicionado, câmeras de vigilância, sistema de informação audiovisual [monitores de vídeo e displays]. Com essas três unidades, o número de novos trens entregues chega a 53, de um total de 105 adquiridos nos últimos 5 anos.

sábado, 4 de junho de 2011

Série 2100 e o seu ar-condicionado: reclamação dos usuários

Texto e Imagens: Diego Silva

Todos os usuários da Linha 10-Turquesa possuem uma reclamação em comum do trem série 2100: o ar-condicionado. Em dias quentes, o ar está numa temperatura muito agradável, por vezes até passa da conta, e se você fica muito tempo dentro do trem, sofre um choque térmico ao sair da composição, pois recebe um vapor tremendo ao passar pelas portas. Mas em dias frios, curiosamente o ar-condicionado também funciona, e continua espalhando ar frio dentro dos carros, fazendo os usuários mais friorentos passarem momentos gelados. Mas o que de fato acontece, para o ar-condicionado funcionar durante os dias frios? A nossa postagem de hoje vem justamente explicar isso:

Interior de uma unidade UT440R espanhola (fonte: UT440.com)

Aos que não sabem, o trem série 2100 da CPTM era um trem de viagem na Espanha. Até hoje existem trens desse modelo que circulam em viagens de média distância em terras espanholas. Na imagem acima, observamos que o o salão é voltado exclusivamente para viagens, com assentos confortáveis, iluminação diferenciada, e principalmente, o ar-condicionado, que é o tema dessa nossa postagem. Ok, mas o que isso tem a ver? Esse trem foi feito para longos percursos, não para atender linhas metropolitanas. Todos os usuários deveriam viajar sentados nessas composições, para que o ar-condicionado corra livremente pelo carro, atendendo a todos os usuários. As saídas principais do ar estão nas pontas dos carros, e obviamente que esses locais são os mais gelados do trem. Tudo acontece pelo seguinte motivo: os trens dessa série contam com um sensor de temperatura, que realiza o controle climático, e simultaneamente, distribui a informação em ar para o trem. Se o sensor identificar que a temperatura externa está acima do que o ar-condicionado oferece, automaticamente o ar começa a reduzir a temperatura (que é realizada em 4 posições: 21º, 23º, 25º e ventilado). Suponhamos que a temperatura externa esteja em 23º; identificado esse valor, o trem irá converter a temperatura para 21º dentro, ou então, ventilado.

Interior de uma unidade UT440R espanhola (fonte: UT440.com)

Observe na imagem acima, a disposição dos assentos de outra unidade UT440R. Notem que não existe os pega-mãos para usuários viajarem em pé. Ou seja, com o carro lotado, o ar irá se manter concentrado em sua saída, que está nas pontas dos carros, enquanto que no meio não existirá ventilação. Por isso, caros usuários, o ar-condicionado do trem série 2100 é tão frio. Espero que essa postagem tenha tirado a dúvida de alguns de vocês. E você, tem alguma dúvida? Gostaria de saber como funciona alguma coisa específica do trem? Então participe conosco! Envie sua dúvida para contato.blogcptm@hotmail.com, e sua dúvida poderá ser esclarecida pelo Blog CPTM em Foco!

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Começa a integração da Linha 9-Esmeralda com o Metrô na estação Pinheiros

Fonte: Diário da CPTM
Imagens: Diego Silva

Começou na manhã desta sexta-feira a transferência gratuita entre a estação Pinheiros da linha 9-esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e a estação Pinheiros da linha 4-amarela do Metrô.

A integração estava programada para começar ontem, mas foi adiada devido à greve que atingiu todas as linhas da CPTM. De acordo com o Metrô, a integração beneficiará 100 mil pessoas que utilizam estes sistemas de transporte pelas linhas Esmeralda e Amarela.


A transferência entre as linhas é feita através de uma passarela com 56,56 metros de extensão, construída por cima da marginal Pinheiros, com cobertura de telha termoacústica e fechamento lateral com vidro fixo temperado.


Na inauguração da estação Pinheiros do metrô, a companhia prometeu concluir a passarela até o fim deste semestre e afirmou que com a integração, a linha Amarela passaria a funcionar das 4h40 à meia-noite.


A expansão do horário de funcionamento ficou para o dia 30 de junho. Hoje, a linha funciona das 4h40 às 15h.

A linha 4, a primeira em São Paulo operada pela iniciativa privada (pelo grupo ViaQuatro), acumula atrasos. Ela, que consta dos planos do Metrô há quatro décadas, foi prometida nos anos 90.Foi durante a construção da estação Pinheiros que houve o desabamento do canteiro de obras, provocando a morte de sete pessoas em janeiro de 2007 e abrindo uma cratera no local.

O contrato das obras foi firmado só no último mandato de Alckmin, para ser concluída até 2008. Em seguida, sua primeira fase foi empurrada para 2009 e 2010.

Quando for entregue, terá 12,8 km e seis estações. A segunda fase, prometida agora para até 2014, prevê mais cinco pontos de parada.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

CPTM organiza retomada da operação após o final da greve

 Fonte: CPTM
Imagem: Diego Silva

Com a suspensão da greve pelos quatro sindicatos, a CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] iniciou a organização da retomada da operação, para que nas próximas horas a circulação de trens volte a ocorrer de forma gradual e segura.
Com isso, tão logo os maquinistas se apresentem em seus postos e os demais empregados ocupem as estações para exercerem suas funções, as seis linhas voltarão a operar, ainda nessa noite.
Nas assembleias realizadas no fim da tarde desta quinta-feira, os sindicatos acataram a decisão do Tribunal Regional do Trabalho [TRT/SP], que propôs a suspensão da paralisação com a volta aos postos de trabalho, mantendo o estado de greve, enquanto prossegue a negociação salarial.
A CPTM continuará o diálogo com a categoria e confia no processo de negociação, sem novos prejuízos à operação e consequentemente à população.

Proposta da CPTM
A proposta apresentada pela CPTM hoje na reunião do TRT manteve o reajuste de 3,27%, compreendido por 1,75% do IPC/Fipe referente aos meses de janeiro e fevereiro e mais 1,5% de aumento real, o que equivale a 186% do IPC/Fipe dos dois meses aos quais se refere o dissídio atual.
Entretanto, a CPTM propôs aumento no valor facial do vale-refeição mensal, que já é totalmente subsidiado pela empresa, passando de R$ 15,63 para R$ 18,00 [15,16% ante 8,77% oferecidos anteriormente]. Na reunião também foi proposta a extensão de 120 para 180 dias para a licença maternidade.

Greve da CPTM é suspensa em São Paulo

Fonte: G1
Imagem: Diego Silva

Trabalhadores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) decidiram suspender a greve e voltarão ao trabalho ainda nesta quinta-feira (2). Segundo os sindicatos que representam os funcionários, os trabalhos devem ser retomados em até uma hora e meia.
A decisão foi tomada após assembleia na sede do sindicato dos ferroviários. Horas antes, o juiz Davi Furtado Meirelles, do Tribunal Regional do Trabalho em São Paulo, havia proposto que a paralisação da categoria fosse suspensa e fosse mantido o estado de greve, com a continuidade das negociações. Nesta quinta, a greve completou dois dias, paralisando todas as 89 estações de trem da Grande São Paulo.
Uma nova assembleia dos ferroviários está prevista para acontecer no dia 10. A categoria reivindica um aumento real de 5% (além da inflação) e a companhia oferece um aumento de 3,27%.
Segundo Mário Bandeira, presidente da CPTM, 2,45 milhões de pessoas utilizam as seis linhas da CPTM diariamente. Ele afirmou nesta quinta que não foi possível acionar o Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese), que redireciona algumas linhas de ônibus para o itinerário dos trechos do sistema afetados pela paralisação, porque o Paese só consegue atender pequenos trechos.

Metrô
Por conta da paralisação de todas as linhas nesta quinta, o movimento de passageiros no Metrô era intenso no início da noite. Metroviários também reivindicam melhorias salariais. A categoria se reunia na noite desta quinta para decidir se entra ou não em greve a partir da 0h de sexta.
Já os motoristas e cobradores de ônibus do ABC decidiram após assembleia manter a greve na região até sexta. Uma reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em São Paulo terminou sem acordo entre os sindicatos patronal e dos funcionários.
Como não houve conciliação, a juíza do TRT responsável pela reunião, a desembargadora Sônia Franzine, fez uma proposta: aumento no INPC de 6,3% mais 1,5% de ganho real, que resulta em 7,8% de reajuste. Foi oferecido também ampliação do vale alimentação em 7,8%. A proposta, que está abaixo da que já havia sido apresentada – e recusada – pela categoria, será levada para a assembleia nesta sexta.

Greve CPTM 2011: Fim da Greve! Ferroviários voltam ao trabalho gradativamente

Fonte: CPTM / Rádio Bandeirantes
Imagem: Diego Silva

Finalizada a greve na CPTM. Após mais um período de conversas, sindicatos resolvem voltar aos trabalhos na noite dessa quinta-feira. Trens da CPTM começarão a operar gradativamente, e amanhã a situação estará normalizada. Depois de um dia de completo caos, com as 89 estações da CPTM fechadas, greve dos ônibus no ABC Paulista, superlotação no Metrô, uma boa notícia para a população paulistana. O Blog CPTM em Foco agradece a todos os visitantes que optaram por se informar conosco, e deixamos o convite para que continuem acompanhando o blog, com suas notícias e informações! Uma ótima sexta para todos!

Greve CPTM 2011: Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa suspendem greve

Fonte: O Estado de São Paulo
Imagem: Diego Silva

O sindicato que representa os funcionários das Linhas 7 - Rubi e 10 - Turquesa suspendeu na tarde desta quinta-feira a greve iniciada ontem. Segundo o Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, os trabalhadores voltariam ao trabalho ainda nesta noite, mantendo apenas estado de greve. Com isso, as negociações com a Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos (CPTM) ainda continuam.
Os demais sindicatos - responsáveis pela operação das Linhas 8 - Diamante, 9 - Esmeralda, 11 - Coral e 12 - Safira - seguem em assembleia para decidir os rumos da paralisação.

Greve CPTM 2011: Reunião dessa tarde também não gera acerto, e greve é mantida amanhã

Fonte: Twitter / SAC
Imagem: Diego Silva

Em mais uma reunião, realizada nessa tarde, os sindicatos dos funcionários da CPTM não chegaram a um acordo pleno com a companhia. Depois de uma hora de negociação, nada foi decidido, e a greve dos trens será mantida amanhã, em todas as linhas. Já fazem mais de 18 horas que os trens da CPTM estão parados em determinadas estações, e a situação será mantida até amanhã, quando deverá ocorrer uma nova reunião. Os sindicatos já estão avisados da possível multa, a ser aplicada pelo TRT, pela paralisação total do sistema, mas insistem em não trabalharem. Os usuários da CPTM ficam avisados pelo Blog CPTM em Foco da manutenção da greve amanhã, e qualquer novidade, postaremos imediatamente.

Greve CPTM 2011: Greve será decidida às 17h em assembleia

Fonte: UOL / Diário da CPTM
Imagem: Diego Silva


Os sindicalistas que representam os ferroviários em greve na Grande São Paulo se comprometeram, em audiência conciliatória no Tribunal Regional do Trabalho, a realizar assembleias às 17h desta quinta-feira (2), para decidir se a paralisação continua.
A Justiça propôs que os ferroviários mantenham o estado de greve, mas voltem ao trabalho. Caso a categoria decida manter a paralisação, a legalidade do movimento será julgada por volta das 18h.
A Justiça do Trabalho determinou que, se os ferroviários grevistas não garantirem o funcionamento de 90% dos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) durante o horário de pico e 70% nos demais momentos, os sindicatos terão de pagar multa de R$ 200 mil, o dobro do que foi decidido anteriormente. 
Mais cedo, em reunião com o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e diretoria da CPTM, os sindicalistas decidiram manter a paralisação. 
"A reunião começou tensa, mas aos poucos fomos nos entendendo. No entanto, ainda não há previsão para o retorno ao trabalho. Eles não estão cumprindo uma ordem judicial, mas isso terá de ser discutido no tribunal", afirmou Fernandes. 
A greve paralisa todas as 89 estações das seis linhas da malha ferroviária da região metropolitana de São Paulo e afeta cerca de 2,5 milhões de moradores das 22 cidades da Grande São Paulo. Segundo o presidente da CPTM, Mario Bandeira, não há como implantar um plano emergencial de transporte para aliviar a situação dos usuários.
"Não existe sistema para absorver esta demanda. O Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese) - plano de emergência que prevê colocação de ônibus extras em circulação - só funciona para cobrir pequenos trechos", explicou, em entrevista ao "Bom Dia Brasil", da Rede Globo.
Os funcionários querem 5% de aumento nos salários e o governo oferece 3,7%.
De acordo com  o presidente do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, Eluiz Alves de Matos, a decisão do TRT não abalou os ânimos da categoria. “Aguardávamos uma proposta que atendesse as reivindicações, mas nem Estado nem CPTM ofertaram algo que os trabalhadores não entendessem ser de segunda classe, a greve vai ser geral --e a multa que o TRT coloca vale tanto para o sindicato quanto para a empresa”, disse o dirigente.
Na noite de quarta-feira (2) houve registro de tumultos na estação Jurubatuba, gerados pelo acúmulo de passageiros que tiveram de optar pelo ônibus com a operação parcial da linha 9-Esmeralda. A CPTM admitiu o incidente, mas informou que se trata de "um dia atípico" e que o caso foi isolado. Em Guaianazes (zona leste), contudo, também houve relatos de pequenos tumultos.
O Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPAM-6), da Polícia Militar (PM), disse que reforçou a segurança nas estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) no ABC paulista a fim de evitar tumultos por conta da greve deflagrada pelos funcionários da companhia.
O CPAM-6 é responsável pelas cidades da região. Não há informação se a PM reforçou o policiamento na capital paulista.

Greve CPTM 2011: Reunião termina e ferroviários seguem em greve

Fonte: UOL
Imagem: Diego Silva

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, afirmou estar muito satisfeito com os resultados da reunião que teve com sindicalistas que representam os ferroviários em greve, na manhã desta quinta-feira (2). No entanto, os grevistas decidiram que não irão retornar ao trabalho antes da assembleia com a categoria, marcada para as 17h.
"A reunião começou tensa, mas aos poucos fomos nos entendendo. No entanto, ainda não há previsão para o retorno ao trabalho. Eles não estão cumprindo uma ordem judicial, mas isso terá de ser discutido no tribunal", afirmou Fernandes. 
Após o fim do encontro, os sindicalistas iriam até o Tribunal Regional do Trabalho onde, as 11h, teriam uma reunião conciliatória. 
"Pedimos para que os sindicalistas antecipem a assembleia para as 15h. Estou otimista. Acho que já poderemos ter trens circulando no fim da tarde", destacou. 
A greve, que paralisa todas as 89 estações das seis linhas da malha ferroviária da região metropolitana de São Paulo, contraria liminar expedida na terça-feira (31) pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que, em atendimento à Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e à CPTM, determinou que 90% da operação fosse mantida em horários de pico, e 70% nos demais horários. 
A paralisação da CPTM afeta cerca de 2,5 milhões de moradores das 22 cidades da Grande São Paulo. Bandeira explicou que não há como implantar um plano emergencial de transporte para aliviar a situação dos usuários.

Os funcionários querem 5% de aumento nos salários e o governo oferece 3,7%.
“O usuário vai amanhecer sem o transporte metropolitano de trem, pois é greve geral. E nossas duas linhas são a espinha dorsal da CPTM, pois interligam a zona leste à Barra Funda (zona oeste)”, afirmou o presidente do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, Eluiz Alves de Matos.
De acordo com Matos, a decisão do TRT não abalou os ânimos da categoria. “Aguardávamos uma proposta que atendesse as reivindicações, mas nem Estado nem CPTM ofertaram algo que os trabalhadores não entendessem ser de segunda classe, a greve vai ser geral --e a multa que o TRT coloca vale tanto para o sindicato quanto para a empresa”, disse o dirigente.
Na noite de quarta-feira (2) houve registro de tumultos na estação Jurubatuba, gerados pelo acúmulo de passageiros que tiveram de optar pelo ônibus com a operação parcial da linha 9-Esmeralda. A CPTM admitiu o incidente, mas informou que se trata de "um dia atípico" e que o caso foi isolado. Em Guaianazes (zona leste), contudo, também houve relatos de pequenos tumultos.

Greve CPTM 2011: Em reunião de emergência, grevistas rejeitam nova proposta da CPTM

Fonte: Twitter
Imagem: Diego Silva

Em reunião de emergência realizada há pouco, os sindicatos dos ferroviários rejeitaram mais uma proposta da CPTM. Com a rejeição, a greve se estende pelo menos até as 18h, quando deverá acontecer uma nova assembleia entre sindicatos e empresa. A paralisação de todas as linhas da CPTM já completa 10 horas, e um verdadeiro caos se formou em São Paulo. Greve nos ônibus do ABC pioram ainda mais a situação de quem tenta ou tentou chegar em São Paulo na manhã dessa quinta-feira.

Greve CPTM 2011: Sindicalistas e CPTM estão reunidos para discutir greve dos trens em São Paulo

Fonte: G1
Imagem: Diego Silva

Sindicalistas e representantes da CPTM estão reunidos desde o início da manhã desta quinta-feira (2), em São Paulo, para discutir a continuidade ou término da paralisação dos trens que começou nesta quarta-feira (1º). Participam da reunião, que acontece na Estação Brás da CPTM, o presidente da companhia, Mario Bandeira, o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e sindicalistas.
Após a reunião, uma assembleia entre os ferroviários, ainda nesta quinta, deverá definir a aceitação das propostas feitas pelo governo estadual.
Por volta das 8h30, passageiros que chegavam para pegar o trem recebiam a notícia de que não poderiam embarcar. A solução foi recorrer à Estação Brás do Metrô, que permanece em funcionamento.
Em assembleia nesta quarta, o Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, responsável pelos funcionários das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa decidiu cruzar os braços a partir da 0h desta quinta, ampliando a greve da categoria iniciada nesta quarta. O sindicato aguardava uma nova proposta de reajuste por parte da empresa, o que acabou não acontecendo. Na terça-feira (31), outros dois sindicatos de funcionários da CPTM já haviam decidido entrar em greve. Ao longo desta quarta-feira, a paralisação afetou principalmente passageiros da Zona Leste de São Paulo.
Segundo a CPTM, até as 4h15 desta manhã, em razão da paralisação que abrange 100% da malha ferroviária, não foi possível colocar em operação o Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese), que redireciona algumas linhas de ônibus para o itinerário dos trechos do sistema afetados pela paralisação.
Os funcionários querem 5% de aumento nos salários e o governo oferece 3,7%. Uma nova reunião entre sindicalistas e CPTM deve ser realizada na manhã desta quinta-feira.
O presidente da CPTM, Mario Bandeira, afirmou na manhã desta quinta-feira que espera que as linhas de trem estejam funcionando normalmente até o final da tarde na Grande São Paulo.
"Estamos neste momento reunidos com os quatro sindicatos para fazer com que eles cumpram o que foi determinado pela Justiça do Trabalho que é disponibilizar 90% do sistema e que eles tenham um pouco de bom senso e vejam o prejuízo que está sendo trazido para a população do estado de São Paulo”, disse. Na terça-feira (30), o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou que os funcionários da CPTM mantenham 90% da frota em operação no horário de pico.

Greve CPTM 2011: Com greve, passageiros encontram estações fechadas

Fonte: Portal G1
Imagem: Leticia Macedo/G1

A Estação Osasco da CPTM, no Centro da cidade de mesmo nome, na Grande São Paulo, amanheceu fechada nesta quinta-feira (2), segundo dia de greve dos funcionários da companhia. A estação faz parte das linhas 8-Diamante e 9-Safira. A situação se repete em outros terminais de embarque, como na Estação Pirituba, da Linha 7-Rubi. Na madrugada desta quinta-feira, a CPTM informou que a greve dos ferroviários afeta 100% das 89 estações de trens da Grande São Paulo. São quase 2,5 milhões de usuários afetados pela paralisação, segundo a companhia.
Em assembleia nesta quarta-feira (1º), o Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, responsável pelos funcionários das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa decidiu cruzar os braços a partir da 0h desta quinta, ampliando a greve da categoria iniciada nesta quarta. O sindicato aguardava uma nova proposta de reajuste por parte da empresa, o que acabou não acontecendo. Na terça-feira (31), outros dois sindicatos de funcionários da CPTM já haviam decidido entrar em greve. Ao longo desta quarta-feira, a paralisação afetou principalmente passageiros da Zona Leste de São Paulo.
Mesmo sabendo da greve, alguns passageiros foram até a Estação Osasco na esperança de conseguir embarcar. A assessoria de imprensa da CPTM informou que recomenda aos passageiros buscarem outras formas de transporte para se deslocarem nesta quinta-feira. Por volta das 6h, funcionários se concentravam em frente à Estação Osasco. Faixas e cartazes informando sobre a paralisação foram colocados.
Segundo a CPTM, até as 4h15 desta manhã, em razão da paralisação que abrange 100% da malha ferroviária, não foi possível colocar em operação o Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese), que redireciona algumas linhas de ônibus para o itinerário dos trechos do sistema afetados pela paralisação.
Os funcionários querem 5% de aumento nos salários e o governo oferece 3,7%. Uma nova reunião entre sindicalistas e CPTM deve ser realizada na manhã desta quinta-feira.
Com a greve, muitos passageiros optaram pelo Metrô, o que tem aumentado o fluxo de passageiros em algumas estações nesta manhã, como em Corinthians-Itaquera, da Linha 3-Vermelha.
 
Ônibus
No Grande ABC, motoristas e cobradores de ônibus de empresas particulares decidiram manter a greve iniciada na quarta-feira (1º). A paralisação afeta o transporte municipal e intermunicipal em Santo André, São Bernardo do Campo, Mauá, Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires.
Os trabalhadores querem 15% de aumento nos salários, mas as companhias oferecem 8%. O sindicato que representa os funcionários afirma que as empresas não apresentaram nova proposta.

Siga o blog por email

Seguidores