quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

145 anos da SPR (São Paulo Railway), a primeira ferrovia de São Paulo

Locomotiva 'Maria Inês', da SPR - Paranapiacaba
Fonte: ABPF
Idealizada por Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, em 16 de Fevereiro do ano de 1867, era inaugurada a primeira Ferrovia do Estado de São Paulo; THE SÃO PAULO RAILWAY COMPANY – SPR. 
Construída pelo capital de investidores Ingleses, foi implantada com o objetivo principal de escoar a produção de Café, cultivado nas fazendas do interior do estado, até o Porto de Santos para as exportações. Até hoje os Trilhos fazem a ligação entre o Porto de Santos, a cidade de São Paulo de passagem pela Estação Luz e a Estação de Jundiaí.

Os Ingleses, em contrapartida aos investimentos feitos para a construção desta ferrovia, implantando na época o sistema de Cabos de Aço (Funicular), para que as composições pudessem vencer o obstáculo natural desta ferrovia, a Serra do Mar, tinham a sua concessão e o monopólio de acesso do transporte ferroviário até o Porto Santista.

“Monopólio este que só foi quebrado em partes, quando da construção da Linha Mayrink - Santos pela Estrada de Ferro Sorocabana – EFS, na década de 1930.

Que a partir de 1957, com a inauguração do Ramal Ferroviário de Jurubatuba (atual Linha – 09 da CPTM Osasco / Grajaú - Linha da Marginal Pinheiros), partindo das proximidades da estação Imperatriz Leopoldina na linha tronco da EFS (atual Linha - 08 Júlio Prestes / Itapevi da CPTM), encontrava a Linha Mairinque / Santos em Evangelista de Souza, passando a ser efetivamente a 2º ligação ferroviária entre a capital e o litoral paulista. Hoje o Ramal de Jurubatuba está operacional apenas no trecho da Linha – 09 da CPTM até a Estação Grajaú. O trecho entre Grajaú e Evangelista de Souza está desativado, permanecendo operacional apenas a Linha Mairinque / Santos, para Trens de Cargueiros”.

A concessão dos Ingleses da São Paulo Railway, durou até o ano de 1946. Neste ano a ferrovia é encampada pelo governo brasileiro, passando a se chamar ESTRADA DE FERRO SANTOS A JUNDIAÍ – EFSJ, nome este popularmente conhecido até hoje. Posteriormente, a EFSJ passou a integrar a malha ferroviária federal, compondo esta através da Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima – RFFSA.

A antiga SPR, posterior EFSJ, teve o tráfego de Trens de Cargas e de Passageiros, desde a sua inauguração. Mas a partir de 1996, por conta do processo de privatização (concessão) das ferrovias, começa o processo de liquidação da RFFSA. No estado de São Paulo, entre meados de 1998 / 99, foi liquidada a FEPASA – Ferrovia Paulista S/A, que havia sido criada pelo governo paulista em 1971, com o intuito de unificar as ferrovias do estado.

Em meados de 1996, correu o último Trem de Passageiros Comercial de Longo Percurso, entre a Estação da Luz e a Estação de Santos no Valongo. E entre meados de 98/99, partiram os últimos Trens de Passageiros de Longo Percurso da FEPASA, que operavam diariamente entre as Estações Luz e Barra Funda na capital e as cidades do interior, na Alta Araraquarense e Alta Paulista.

Atualmente, os trilhos da primeira ferrovia do estado de São Paulo, são compartilhados pela concessionária MRS – Logística, que passa diariamente com seus Trens de Cargas vindos do interior, rumo ao Porto de Santos. E pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, que opera o serviço de Trens Urbanos entre a Estação Luz e a cidade de Jundiaí (Linha - 07), bem como entre a Estação Brás e a cidade de Rio Grande da Serra (Linha -10).
Expresso Turístico da CPTM, em Jundiaí
Sendo que mais recentemente, a partir de 2009, a CPTM passou a operar com o apoio desta entidade (ABPF) o serviço Expresso Turístico, aos finais de semana, com partidas aos Sábados pela manhã para Jundiaí e intercalado entre alguns Domingos de cada mês para Vila Ferroviária de Paranapiacaba no Alto da Serra, o berço da antiga SPR.

Serviço este operado pela CPTM, que utiliza dois carros de passageiros fabricados na década de 1960 pela MAFERSA, para a antiga Estrada de Ferro Araraquara – EFA, que hoje pertencem ao acervo da ABPF (Regional São Paulo). Carros estes que foram emprestados por esta a CPTM, para que seja possível a operação deste Trem, nos mesmos moldes dos extintos Trens de Passageiros de Longo Percurso (viagem).

A ABPF através de sua Regional São Paulo, opera dois núcleos, no intuito de resgatar e preservar a história desta ferrovia;

* O TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES – MARA FUMAÇA (BRÁS / MOOCA), opera aos Sábados e Domingos, entre as 10h30 e 16h. Na Rua Viconde de Parnaíba - 1253, a 700 metros do Metrô Bresser / Moóca.

* O MUSEU FERROVIÁRIO DO FUNICULAR – ALTO DA SERRA (PARANAPIACABA), fica aberto à visitação aos Sábados, Domingos e Feriados entre as 10h e 16h. Na Vila Ferroviária de Paranapiacaba (Alto da Serra - distrito de Santo André).

Em 25 de Janeiro passado, a cidade de São Paulo completou 458 anos. Entretanto efetivamente, o desenvolvimento do estado de São Paulo completa 145 anos, a partir da inauguração de sua primeira ferrovia, em 16 de fevereiro de 1867. Que alavancou o progresso deste estado, dando-lhe o título de “A Locomotiva do Brasil”.

Um comentário:

  1. Para nós paulistas é motivo de orgulho ver ainda em operação esse trecho mesmo sendo metropolitano e na minha opinião ainda era para chegar até paranapiacaba que nem era até 2002 serviço esse que a CPTM deixou de operar

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores