sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

CPTM teve dois acidentes em menos de 48 horas

Descarrilamento ontem, no Ceasa (Linha 9-Esmeralda)
Fonte: Revista Ferroviária

No segundo acidente em menos de 48 horas, um trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) descarrilou ontem perto da Estação Ceasa, da Linha 9-Esmeralda, e interrompeu a circulação de trens das 16h20 até o fim da operação, à meia-noite. A composição acidentada se preparava para entrar em operação, no horário de pico, e estava vazia.

O acidente não deixou feridos. Até as 22h de ontem, a CPTM não havia confirmado se o problema estaria resolvido até a manhã de hoje.

Trens só circularam no trecho entre as Estações Ceasa, na zona oeste, e Grajaú, na sul. Em uma tentativa de minimizar os transtornos para os passageiros, 50 ônibus foram colocados para atender passageiros nas Estações Ceasa e Domingos de Moraes, da Linha 8-Diamante.

Segundo a CPTM, o descarrilamento atingiu os dois últimos vagões da composição, que seguia no sentido da zona sul. Ele estava vazio porque, no horário de pico, trens são redirecionados para atender a parte com maior demanda da linha - a região da Marginal do Pinheiros, usada principalmente por passageiros que utilizam a linha como ligação entre a Linha 4-Amarela do Metrô, que vai para o centro da cidade, e a 5-Lilás, que segue até a região do Capão Redondo, no extremo sul. Os usuários estão sendo avisados pelo sistema de som das estações e trens, disse a companhia, na nota distribuída à imprensa às 19 horas. A empresa disse ainda já ter aberto sindicância para investigar o acidente e requisitado ajuda da Secretaria de Estado da Segurança Pública na apuração dos fatos.

1745, atingido pela locomotiva Alco 6005, em Vila Clarice
Reincidência. 
O posicionamento da companhia foi parecido com o divulgado anteontem, quando outro acidente deixou 51 feridos. Um trem carregado de passageiros bateu contra uma locomotiva de serviço perto da Estação Vila Clarisse, da Linha 7-Rubi, na zona norte. A circulação de trens ficou paralisada por duas horas e meia e o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que uma das hipóteses investigadas era falha humana.

Os acidentes recorrentes da CPTM - com o caso de ontem, foram oito com vítimas, 99 passageiros feridos e 5 trabalhadores a serviço da companhia mortos - são alvo de investigação no Ministério Público Estadual. A CPTM tem três semanas para apresentar esclarecimentos ao promotor de Justiça Maurício Antônio Ribeiro Lopes, da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo, sobre as causas de tantas falhas repetidas.

4 comentários:

  1. Se for pegar todos os fatos anteriores mais os ultimos 2 isso mostra que isso tá com cara de sabotagem porque tá muito esquisito essa história acontecer esse monte de problemas um atrás do outro ou estão tentando a todos os custos derrubar o atual Presidente da CPTM por não estar cumprindo com os prazos de entrega das obras e mudanças feitas em algumas linhas da CPTM e trens 7000 rodando em outras linhas sem ser 7 ou 12 tudo leva crer que pode ser isso e quem paga o pato os usuarios que não tem nada haver com a história se continuar assim não vai ter trem pro povo andar e ainda mais alguns trens 7000 que estão emprestado para essas linhas vão acabar voltando pra suas respectivas linhas arrebentado.

    ResponderExcluir
  2. Eu acho muito difícil ser sabotagem, pelo menos partindo de funcionários da própria companhia. Qdo ocorre um acidente, sempre dizem que foi "falha humana", mas nunca é falha dos dirigentes que preferem investir em trens novos, antes de investir na infraestrutura necessária. Então, os funcionários envolvidos nos acidente, com culpa ou não, con a intenção ou não de causar o acidente ou não, no final são demitidos.

    Sabotagem de alguém de fora é ainda mais improvável, visto que nenhum dos acidentes parece ter sido causado por pessoas de fora da companhia, sem falar que atualmente é muito difícil alguém de fora ter acesso a áreas restritas - nem tanto assim pra falar vdd.

    Acidentes causados por pessoas que não trabalham na CPTM são fáceis de se identificar, normalmente se colocam algum obstáculo na via, depredam ou roubam patrimônio. Seria necessário mtoo conhecimento técnico e tempo para causar esses acidentes os fazendo aparentar que foram "catástrofes" ou falhas de alguém de dentro da companhia.

    Mas é uma possibilidade. De fato esses acontecimentos são muitos estranhos, e mesmo a justificativa da nova presidência não esclarece tudo.

    A menos que seja interessante pro governo a degradação da CPTM...

    ResponderExcluir
  3. Esses problemas entristece a nós funcionários e causam mais transtorno ainda aos usuários, que pagam para viajar com segurança e conforto.
    Quando falaram lá na oficina sobre descarrilhamento pensei que fosse algo menos grave do que a foto mostra. Por isso deu tanto trabalho e claro, menos um trem. Que pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo ao analisar e comparar pelo Q1 CARROS 7001-7002 que nao voltaram mais.axo q esse Q18 tbm n volta mais n hein mais tirci mto para que volte pois adoro os 7000 e gostaria de saber se vc sabe se da para salvar alguma coisa desse Q18 axo que se os carros 7069-R069 que descarrilaram nao tiver recuperacao poderiam aproveitar os carros 7005-R005 que nao sofreu nenhuma colisao e esta inteiro e ser reabilitado com o restante do conjusto do Q18 ou o 7026-R026 que esta inteiro tbm e poderia ser reabilitado tbm com o conjunto do Q18 caso os 2 carros que descarrilaram que sitei acima tenham dado PT.

      Excluir

Seguidores