quinta-feira, 15 de março de 2012

Ministério Público vai investigar redução de investimentos na CPTM

Trens reformados da CPTM são alvos de constantes avarias
Fonte: Diário de Suzano
Clipping: Diário da CPTM

O Ministério Público do Estado de São Paulo abriu inquérito para investigar a queda de investimentos nas linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O órgão estadual quer saber se a queda no valor tem relação direta com as constantes falhas ocorridas nas linhas de trem. 

O último problema, deste tipo, aconteceu na quarta-feira quando após um defeito, passageiros da Linha 12-Safira tiveram que descer da composição e caminhar na via. As informações foram divulgadas pelo jornal O Estado S. Paulo. 

De acordo com dados do Sistema de Acompanhamento da Execução do Orçamento (Sigeo), o investimento na Linha 12 é 29,1% menor se comparado os anos de 2010 e 2011. No ano passado, foram aplicados R$ 80,5 milhões. Em 2010, foram R$ 113,7 milhões.

Já na Linha 11-Coral, a queda nos investimentos é de 13,2%. Em 2011, a CPTM aplicou R$ 171,1 milhões. No ano anterior haviam sido R$ 197,2 milhões.

Entre as seis linhas de trem do Estado, a maior queda aconteceu na Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) com 38,6% e na Linha 7-Rubi (Luz-Jundiaí) com 36,7%.

Ao todo a redução nos gastos chegaram a 19,6%. Em 2010, foram investidos R$ 1,2 bilhão e em 2011, R$ 989 milhões. Uma redução de R$ 238 milhões.

Além das falhas nas linhas - somente neste ano foram seis -, as cidades enfrentam atrasos na entrega das obras. Segundo o Estado, estão sendo realizadas 28 intervenções que contemplam desde a reconstrução de estações até a implantação de passarelas e modernização do sistema de sinalização.

Na região, os problemas são com os atrasos. A Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos chegou a multar a CPTM pela paralisação nas obras de reconstrução da estação.  A penalidade chegou a ser cancelada depois de um acordo. As obras foram retomadas neste mês.

Suzano também enfrenta situação parecida. Com investimento aproximado de R$ 37 milhões, as obras da nova estação - que estavam previstas para este ano - só serão concluídas em 2013.

O presidente da CPTM, Mário Bandeira, disse que “a queda nos investimentos não significa uma redução de orçamento”. “O que aconteceu foi uma redução na execução orçamentária. O desejável era executar também esse quase 20%, mas enfrentamos situações que nos impediram”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores