quarta-feira, 4 de abril de 2012

CPTM pretende reduzir intervalo de trens para 3 minutos

Trens série 2000 - Estação Brás
Fonte: Diário de SP

Um mar de gente usa cada vez mais os trens das seis linhas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que circulam em 22 municípios (19 na Grande São Paulo). O número de passageiros, comparado a um tsunami pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, já beira os 2,7 milhões por dia e calcula-se que chegará a 3,5 milhões em 2014. Para atender a demanda, a empresa estatal promete reduzir os intervalos entre as composições nos horários de pico, que atualmente variam de quatro a oito minutos, para apenas três. E anuncia 105 novos trens em dois anos.

Obras de infraestrutura nas várias linhas, garante a CPTM, vão receber R$ 1 bilhão este ano. Um dos maiores desafios é garantir potência elétrica para os sistemas de tração dos trens. Equipamentos obsoletos não ajudam. Na quinta-feira, por exemplo, uma falha elétrica provocou paralisação de serviços e um quebra-quebra na Estação de Francisco Morato. Já houve 15 ocorrências graves em 2012, contra 42 no ano passado.

Não será fácil melhorar a qualidade dos serviços da CPTM. O Metrô, que transporta 3,9 milhões de passageiros por dia, tem os intervalos nos horários de pico medidos em segundos. Variam de 101 a 222 segundos. Nos outros horários, vão de 115 a 307 segundos, enquanto na CPTM o intervalo médio fora dos horários de pico é em média de oito minutos.

O objetivo de melhorar a qualidade do serviço pode acabar frustrado pelo aumento da demanda. “É provável que não dê certo”, afirmou Ailton Brasileiense Pires, presidente da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos). “Com a economia bombando e as facilidades de integração no transporte coletivo, cada vez mais gente vai procurar trens e ônibus”, previu o especialista.

Promessas 
Outro problema é que nem sempre as promessas são cumpridas. No transporte sobre trilhos, por exemplo, as linhas 4 - Amarela e 5 - Lilás do Metrô deveriam estar prontas, respectivamente, em 2009 e 2012. A primeira será concluída em 2014 e a segunda, em 2015. A Linha 6 - Laranja, que funcionaria parcialmente neste ano, continua sendo discutida nos gabinetes.

Com os ônibus, a situação não é melhor. A Prefeitura prometeu 66,5 quilômetros de corredores exclusivos até o final de 2012, mas as obras seguem no papel. “A CPTM tem o mesmo tamanho há 40 anos”, disse Pires.

Após depredação, estação operou sem problemas
Um dia depois do quebra-quebra que destruiu parcialmente a Estação de Francisco Morato, na Grande São Paulo, a CPTM informou que os serviços foram prestados normalmente na Linha 7 - Rubi (Luz - Jundiaí) e aos 32 mil passageiros que usam aquela estação todos os dias. 

A estatal minimizou ocorrência registrada na Linha 9 - Esmeralda (Osasco - Grajaú) nesta sexta-feira pela manhã. Falha de tração obrigou o reboque de vagões, o que interrompeu a circulação de trens.

Neste domingo a Linha 9 - Esmeralda não entra em operação. Pelo segundo domingo consecutivo, funcionários farão  serviços de manutenção no trajeto. Os serviços  voltarão a ser realizados nos próximos dois domingos.

Na década de 1990, os intervalos entre os trens da CPTM variavam de 15 a 20 minutos. Para levá-los a três minutos nos horários de pico em 2014, a empresa terá de trocar os controles de sinalização que calculam as distâncias entre os trens. Até lá, espera-se um aumento de 30% no número de passageiros.

A CPTM promete aplicar R$ 664 milhões e instalar seis novas subestações de energia, para evitar falhas elétricas. Nas seis linhas com um total de 260 quilômetros são feitas 2,6 mil viagens por dia, o equivalente a quase duas voltas em torno da Terra.  

Um comentário:

  1. Se tivéssemos estadistas,não executores, no poder do estado de São Paulo,com certeza não estaríamos nesse caos!A CPTM está à beira do caos(na minha opinião já está no caos) porque seus gestores não têm visão futuristas,não inovam,não colocam os usuários como prioridade,não se preocupam com certificações de qualidade,enfim, apenas executam pensando em demanda!Portanto,não temos estadistas à frente do noosso querido estado de São Paulo!Infelizmente!

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores