terça-feira, 29 de maio de 2012

CPTM 20 Anos: Os próximos passos

Estação Pirituba - Linha 7-Rubi
Por Diego Silva

Com duas décadas de vida, quase uma centena de estações para administrar, diversas frotas e quase 3 milhões de clientes, a CPTM ainda tem grandes obstáculos para superar. Das 89 estações do sistema, são poucas as que contam com total acessibilidade. Aliás, acessibilidade é um tema que ganhou muita força nos últimos tempos, pois a presença de portadores de necessidades especiais aumentou consideravelmente.

Porém, caros leitores, a CPTM está administrando o sistema de transporte igual a cidade de São Paulo cresceu: de maneira descontrolada e errada. Atualmente, a companhia encomendou mais de 100 novos trens, de última geração, para auxiliar no aumento da demanda. Mas esqueceu de um detalhe crucial: rede aérea e via permanente não suportam tantos trens assim. Desde o começo da renovação dos trilhos, era preciso ter atentado para o detalhe da infraestrutura ferroviária. Se temos bons trilhos e uma rede aérea em boa qualidade, com um fornecimento de energia competente, podemos ter mais trens circulando, com menor intervalo e em maior potência.

Sinalização em Domingos de Morais
Mas e a sinalização? É outro fator que precisa ser considerado. A Linha 10, por exemplo, ainda usa o sistema CTC (Controle de Tráfego Centralizado). Atualmente, um sistema CTC não deve ser aplicado para o tamanho de demanda que a CPTM transporta diariamente. No caso do CCO da estação Brás, ainda não temos todas as linhas centralizadas, como foi prometido em sua entrega. Ou seja, a CPTM não está preparada para dar um salto de qualidade em seu serviço.

Os próximos passos para a empresa crescer e tentar ser tão consistente e confiante quanto o Metrô de São Paulo: 

- Estações: reconstruir as estações, dando à elas um padrão de conforto, total cobertura, com acessibilidade (escadas rolantes, elevadores, sinalização adequada). Promover a qualidade do entorno das estações, dando um padrão mais agradável para as regiões onde estão localizadas as paradas.
- Via Permanente: capacitar a via permanente com dormentes de concreto, muito mais resistentes que os atuais dormentes de madeira, promovendo uma maior segurança e regularidade na passagem dos trens, evitando a constante substituição dos dormentes. Quanto aos trilhos, realizar constante manutenção, mantendo as linhas em perfeito estado, onde os trens poderão desenvolver maiores velocidades.
- Rede aérea: Construção de novas subestações, oferecendo um maior índice de corrente elétrica. Com isso, acaba-se de uma vez o problema das quedas de energia, totalmente inadmissíveis no panorama atual.
- Sinalização: Completa substituição do sistema atual por um sistema único, centralizado e generalizado. Possibilitaria a redução dos intervalos, a proximidade dos trens, a realização de mais viagens e, consequentemente, atrairia mais usuários ao sistema.
- Recursos Humanos: treinamento de todo o efetivo atuante na empresa, do mais baixo ao mais alto cargo, com foco na operação. Agentes de estação, maquinistas, escalantes e demais pessoas envolvidas na base do triângulo empresarial devem ter forte treinamento, com foco no cliente. O usuário bem atendido é um usuário satisfeito, isso reflete em comunicação e traz mais usuários ao sistema.
- Segurança: Maior critério na escolha de vigilantes patrimoniais, exigindo um nível alto de qualidade e preservação do patrimônio da empresa. Aumento considerável do efetivo nas estações, oferecendo uma imagem de maior tranquilidade aos usuários. Aumentar, e muito, o número de agentes de segurança operacional (ASO), para distribuição nas estações, trens e arredores, promovendo o fim do comércio ambulante e de pedintes, dando uma nova cara para a CPTM.
- Novos trens: todos no padrão de metrô de superfície, com motorização mínima de 50% (metade dos carros motorizados) e com open-gangway (passagem livre entre todos os carros). Utilização de trens mais antigos em operações especiais, ou em finais de semana, onde a demanda é reduzida, possibilitando assim oferecer uma manutenção mais intensiva nos trens de menos idade.
- Relação com o usuário: promover a aproximação usuário-empresa, realizando o extinto programa 'Dirigente de Plantão', reuniões com lideranças de bairro, apresentações em escolas e universidades, mostrando a importância da Companhia para a população. Promover a questão do embarque seguro, com campanhas de conscientização entre usuários. Ser uma empresa firme contra usuários baderneiros, inclusive com a questão do vandalismo nos trens. Usuário que destrói patrimônio público é criminoso.

São alguns passos que devem ser tomados como prioridade pela gestão da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. A empresa merece destaque nacional, pois é maior empresa de transporte de passageiros do Brasil, mas ainda parece estar engatinhando em todos os setores. É preciso uma completa renovação dos quadros, para dar um novo fôlego na empresa.

A CPTM é uma empresa com grande potencial, mas parece que, durante seus 20 anos de existência, poucos perceberam isso. Em duas décadas, não bastou construir quase 20 estações novas e ter colocado em operação quase 200 trens novos. Duas décadas foram suficientes para colocar essa empresa no topo do serviço prestado. Mas ainda estamos dando os primeiros passos. Falta muito para chegarmos ao ponto de dizer que a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos está num patamar de qualidade.

3 comentários:

  1. tomara que o quanto antes, todas as estações tenham intervalo de 3 minutos entre os trens!

    ResponderExcluir
  2. Para que tudo isso funcione Diego, é preciso que a população usuária se junte e se mobilize cobrando, pressionando e exigindo da CPTM tudo isso que você citou. Pois infelizmente, um dos maiores problemas da CPTM está na sua administração. Presidente e diretoria não são visionários, se acomodaram com o cargo público e não tem nenhuma preocupação real com a imagem da cia como empresas privadas e estatais criadas com gestão, como o metrô. Para isso, cabe a nós, usuários da CPTM, reinvidicar mais ações e menos falação e citações excessivas de "números".

    Você deve saber, mas já existe no facebook, 2 movimentos criados por entusiastas e usuários insatisfetos com tanta má gestão e demonstrações de incompetencia e despreparo por parte de quem comanda a CPTM. Vale lembrar:

    MOVIMENTO - Queremos a CPTM com qualidade e seriedade. Chega de descaso !!!

    http://www.facebook.com/groups/188986384539803/

    Manifestação pacífica pelo transporte:

    http://www.facebook.com/events/455216961158680/

    Ambos são recentes, e ainda estão sem uma representabilidade. Mas podemos usar o poder das redes sociais para chamar a atenção dos usuários e pressionar o governo e principalmente a CPTM para que agilize e seja mais tranaparente na divulgação das obras, como outras politicas (muitas citadas pelo seu proprio texto, nas quais concordo plenamente) usando a pressão popular (a unica que faz os politicos e administradores se mexerem de verdade)

    Caso contrário, continuaremos a ver morosidade em obras, descaso no atendimento ao usuário, entre diversas outras deficiencias.

    Eu particularmente, defendo uma reestruturação administrativa total na CPTM como parte de sua modernização. É sabido que há lá dentro gente com muitos vicios, dos tempos da CBTU e Fepasa que já se acomodaram e não tem o menor interesse em melhorar rapidamente a empresa, só de apenas ver seu salario depositado em sua conta todo mês.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores