sábado, 9 de junho de 2012

Impasse entre Estado e União deve atrasar Expresso ABC


Fonte: STEFZS
Reportagem de Fábio Munhoz

A entrega do Expresso ABC para 2014, conforme prometido pelo governo de São Paulo, deve sofrer atraso devido a impasse entre o Estado e a União. Para iniciar a construção dos trilhos, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) depende de aprovação de projeto para permuta de área com a MRS Logística, empresa que utiliza os trilhos paralelos ao da Linha 10-Turquesa para o transporte de cargas.

Para efetuar a troca, a CPTM precisa de autorização da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). O secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, relata que as negociações estavam avançadas quando a agência era comandada por Bernardo Figueiredo, cujo mandato de diretor-geral foi encerrado em fevereiro.

"Muita gente que está lá não tem dado continuidade ao que a gente vinha discutindo com a antiga direção", critica Fernandes. Mesmo sem precisar o suposto atraso, o secretário demonstra dúvidas quanto à finalização da linha até 2014. "O prazo ficou imponderável devido a esse entrave com o governo federal", lamenta.

O presidente da CPTM, Mário Manuel Bandeira, informou que a troca é necessária para servir de contrapartida da companhia à MRS. Isso porque o traçado do Expresso ABC será paralelo ao da Linha 10-Turquesa e ao da via para cargas. O novo sistema irá passar por onde hoje passam os trens cargueiros.

"Não posso fazer obra em cima de uma via que não é da CPTM . Como essa via da MRS não tem uso tão grande, ela ficaria conosco, nós liberaríamos outra via e construiríamos a segregação na contrapartida. Eles passam a área para nós e nós faríamos a segregação da carga", explica o presidente. Bandeira salienta que outros projetos da companhia também dependem de permuta com empresas de carga. Procurada, a ANTT não se manifestou.

Apesar do imbróglio, Bandeira garante que os trabalhos não estão parados. "Estamos antecipando, contratando projetos das obras das estações para começar a iniciar, independentemente da via permanente."

O Expresso ABC ligará Mauá à Estação Luz em cerca de 24 minutos. Atualmente, o tempo estimado de viagem é de uma hora. O trem também passará pelas estações Prefeito Celso Daniel - Santo André, São Caetano, Tamanduateí e Brás. O projeto está avaliado em R$ 4,1 bilhões.

Além de diminuir o tempo de viagem entre a região e a Capital, o presidente da CPTM ressaltou que a separação entre os trens de carga e passageiros irá aumentar a segurança dos usuários, já que possibilitará a diminuição no vão entre a composição e a plataforma." O gabarito (largura) do trem de carga é maior do que os outros. Sou obrigado a manter a plataforma naquela configuração porque senão dá colisão."

2 comentários:

  1. O Secretario Jurandir Fernandes precisa negociar isso com o Luiz Marinho e outros prefeitos do ABC pra que eles peçam agilidade do governo federal.

    ResponderExcluir
  2. Tenho familiares no ABC e torço pra que os dois governos se entendam em prol do interesse coletivo.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores