terça-feira, 31 de janeiro de 2012

CPTM reformará estações de Mogi e área central terá passagem subterrânea

Trem série 4400 - Estação Suzano - Linha 11-Coral
Fonte: Câmara Municipal de Mogi das Cruzes

O diretor presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, Mário Manuel Seabra Rodrigues Bandeira, e o diretor de Planejamento da companhia, Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro, apresentaram nesta segunda-feira (30/01/2012) os projetos de reforma e ampliação das estações ferroviárias Mogi das Cruzes e Estudantes. As duas compõem o pacote de 42 estações em toda a Região Metropolitana que serão reformadas, assim como as de Jundiapeba e Braz Cubas. As maiores novidades foram anunciadas na área central, onde será construída um prédio inteiramente novo, com integração às linhas municipais de ônibus. A estação atual será demolida e o espaço que hoje ela ocupa será usado para a construção de uma passagem subterrânea para veículos, permitindo o fechamento de três passagens de nível e possibilitando a vinda futura do Expresso Leste.

“As equipes técnicas da CPTM e da Prefeitura de Mogi há tempos têm feito diversas reuniões a fim de adequar as necessidades da cidade e do transporte ferroviário. Enfim chegamos a este projeto, que atende a tudo o que Mogi precisa e hoje está sendo homologado”, explicou Bandeira.
Segundo ele, a companhia contratará em fevereiro o projeto executivo das duas estações. A intenção da CPTM é que todas estejam concluídas em 2013 e a empresa estima investir R$ 70 milhões apenas nas quatro estações mogianas: “Todas terão acessibilidade, escadas rolantes, pisos podotáteis e todos os serviços que as novas estações da companhia oferecem.

De acordo com o projeto apresentado, será construída uma nova estação na área central, a cerca de 200 metros da atual no sentido Braz Cubas. Com o deslocamento, a nova estação ficará ao lado do Terminal Central de ônibus, permitindo a integração dos passageiros. Além disso, uma grande praça será criada no sentido oposto ao do terminal.

“Este é um projeto ousado que apresentamos à CPTM e eles concordaram em nos ajudar. Vamos criar um novo boulevard que vai mudar a área central e fazer com que ela ressurja e se valorize muito”, comemorou o prefeito Marco Bertaiolli (DEM).
O projeto prevê ainda a construção de uma passagem por baixo da linha férrea para pedestres e veículos na rua Cabo Diogo Oliver, evitando que tenham de esperar a abertura de cancelas, a exemplo da que funciona na rua Olegário Paiva. A nova passagem permitirá o fechamento da cancela que funciona ao lado da estação central e das ruas Deodato Wertheimer e Campos Salles. O fechamento destas cancelas é uma das etapas para que Mogi receba no futuro o Expresso Leste.

“Se fosse realizada apenas a reforma da estação atual, como a CPTM planejava, seria necessário R$ 10 milhões. Como eles concordaram em ajudar nossa cidade com esta questão vão investir R$ 40 milhões na construção da nova estação, além de ceder parte da área da nova passagem subterrânea e do novo boulevard, construções que ficarão a cargo da Prefeitura”, explicou o prefeito.
Na estação Estudantes as intervenções serão menores, mas também significativas, com a reforma da estação e construção de uma passagem subterrânea ligando o Terminal Estudantes de ônibus, a estação ferroviária e o Terminal Rodoviário Geraldo Scavone. A ideia é que a passagem abrigue uma galeria de arte e bicicletário.

“Até agora tínhamos um grande problema com essas passagens de nível e nenhuma solução. Hoje finalmente temos um projeto sobre o que será feito. A Câmara vai trabalhar para que esse convênio entre a cidade e a CPTM seja aprovado o quanto antes e as obras tenham início assim que possível”, destacou o presidente do Legislativo, Rubens Benedito Fernandes (PR), o Bibo.

Ainda durante a reunião, os vereadores entregaram ao presidente da CPTM um relatório sobre a vistoria que fizeram na semana passada em diversas linhas da companhia, destacando a diferença entre trens e estações de outras regiões com os do Alto Tietê: “Nosso objetivo é que tenhamos aqui a mesma qualidade que verificamos em outras linhas da empresa”, destacou o vereador Carlos Evaristo da Silva (PSD).
Também participaram do evento os vereadores Emilia Leticia Rossi Rodrigues (PTdoB), Expedito Ubiratan Tobias (PR), Geraldo Tomaz Augusto (PMDB), Jean Carlos Soares Lopes (PCdoB), Mauro Luis Claudino de Araujo (PMDB) , Olimpio Osamu Tomiyama (PSC) , Osvaldo Ferreira dos Santos (PP) e Protássio Ribeiro Nogueira (PSD).

Nova Luz

Projeto da Nova Luz
Por Diego Silva
Imagens: Acervo Pessoal

Caros leitores, após muitas postagens sobre a Linha 10-Turquesa na estação Brás, muitos pedidos de retorno para a estação Luz, muitas ideias e soluções que não foram sequer analisadas pela CPTM, venho mostrar para vocês o que pode ser a possível ''salvação'' do transporte ferroviário na capital: a Nova Luz. Apesar de ser um projeto de longo prazo (visto que é uma obra gigantesca), seria a melhor alternativa para o problema de concentrar diversas linhas de trem no centro de São Paulo.

Perspectiva artística da Nova Luz: paralela à Júlio Prestes, de frente para a Luz atual
O projeto da Nova Luz concentra o posicionamento das linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 10-Turquesa, 11-Coral, 14-Ônix (que seria o Expresso Aeroporto), mais uma linha auxiliar e uma linha para trens de carga. Com isso, onde hoje está localizada a estação Luz, ficariam apenas os trens das linhas 10-Turquesa e 11-Coral (essa, que passaria para Palmeiras-Barra Funda). Não sabemos precisar se nesse projeto, a Linha 10-Turquesa seria o trem parador ou o Expresso ABC. Na Nova Luz, seriam abrigadas as linhas 7-Rubi, 8-Diamante e 14-Ônix, além do trem de carga que passaria numa linha segregada.

Um detalhe curioso: a estação Júlio Prestes seria mesmo fechada, tornando-se um Centro de Convenções, juntamente da Sala São Paulo, que já é de conhecimento público. Porém, haveria integração subterrânea da Nova Luz juntamente com Júlio Prestes, integração essa muito proposta por vocês, leitores, mas que hoje, torna-se inviável. Como noticiado em 2011, a estação Júlio Prestes perderia mesmo o seu uso como ''terminal ferroviário'' (http://cptmemfoco.blogspot.com/2011/10/estacao-julio-prestes-podera-ser.html), passando a ser um local de encontros e eventos.

Detalhe dos cortes da estação (Clique na imagem para visualizar melhor)
Notem, leitores, que o plano de usar duas plataformas para cada linha já é considerado nessas imagens. Ou seja, o que temos hoje já vinha sendo planejado há algum tempo. No Corte 1, observem as linhas do Expresso Aeroporto (Linha 14-Ônix, projeto arquivado por conta da indecisão do Governo Federal relativo ao TAV), uma linha auxiliar para manter trens de reserva, as linhas da 7-Rubi, da 8-Diamante. Na Gare Leste (Atual Luz), apenas os trens da 10-Turquesa e 11-Coral.

Com esse projeto, a CPTM faria a maior obra de sua história, abrigando quatro linhas numa única estação, centralizando os trajetos e integrando de maneira homogênea todo o seu sistema. Tudo isso, interligado com as linhas 1-Azul e 4-Amarela do Metrô. Ou seja, num complexo ferroviário, teríamos: Linha 7-Rubi, Linha 8-Diamante, Linha 10-Turquesa, Linha 11-Coral, Linha 14-Ônix (ou outra que possa vir) pela CPTM, Linhas 1-Azul e 4-Amarela do Metrô. Numa análise fria, se hoje a Luz recebe 400 mil usuários/dia, com esse complexo, a estação poderia estar apta a receber 1 milhão de usuários por dia, no mínimo.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Linha 9-Esmeralda deverá ir até a estação Lapa

Trem série 7500 - Estação Presidente Altino - Linha 9-Esmeralda
Por Diego Silva

Caros leitores, em breve teremos mudanças na Linha 9-Esmeralda. A linha mais 'querida' da CPTM deverá ter alterações significativas, aproximando ainda mais os usuários do centro de São Paulo. A criação de um trem expresso e a inversão da linha são as duas principais mudanças que iremos tratar nessa postagem.

No mapa, a Linha 9 ganharia uma curva para a Lapa. A linha atual seria expressa.
Linha 9-Esmeralda na Lapa
O plano de levar essa linha até a estação Lapa vem de pouco tempo. Há mais ou menos três anos, a CPTM rascunhou o projeto de inverter a curva da Linha 9, com o intuito de levar os usuários da zona sul e adjacências até o centro de São Paulo. Atualmente, o trajeto é realizado entre Grajaú e Osasco, passando pela estação Pinheiros (interligada à Linha 4-Amarela do Metrô). Nessa nova proposta, a viagem sairia do Ceasa, fazendo uma curva aberta para a direita, alcançando as estações Imperatriz Leopoldina, Domingos de Morais e o terminal Lapa. Porém, ainda existe a necessidade de fazer uma estação Lapa integrada, pois atualmente existem duas estações Lapa (Linhas 7-Rubi e 8-Diamante). Mas há de se considerar que o plano abrange aquela ideia mirabolante do prefeito Gilberto Kassab, de rebaixar as linhas entre Brás e Lapa, para construir uma avenida no trecho...
Enquanto isso, um trem expresso foi noticiado tempos atrás na mídia, ligando Pinheiros à Barueri em 25 minutos. Esse novo serviço iria suprir a atual demanda que segue entre as estações Presidente Altino e Osasco, parando ainda em Carapicuíba e terminando em Barueri.

Extensão para Varginha
Já está nos planos da CPTM levar o trem de volta para Varginha. Em entregas de trens, o governador Geraldo Alckmin e o secretário Jurandir Fernandes já confirmaram o retorno, além da construção de duas estações após Grajaú: Mendes e Varginha. Com isso, espera-se um acréscimo de mais 111 mil usuários na Linha 9-Esmeralda. O custo estimado para a obra gira em torno de R$ 250 milhões, para construção das duas estações e de 4,5 km de vias.

Trem série 2070 - Estação Autódromo - Linha 9-Esmeralda
Aquisição de 21 novos trens
A CPTM está adquirindo vinte e um novos trens para a Linha 9-Esmeralda. Essa nova frota vem para suprir a demanda que está sendo conquistada nessa linha, além de já ser uma nova oferta para quando os novos projetos estiverem em operação. O processo licitatório ainda está em fase de financiamento, ou seja, a CPTM está buscando recursos para a compra desses novos trens. A meta é que em 2016, já estejam todos por aqui, em plena operação.

Mais integração
Com a chegada da Linha 9 na Lapa, teremos um melhor acesso de quem mora no extremo sul de São Paulo para a capital. Se tudo se concretizar, o trem partirá de Varginha, alcançando Grajaú (onde há um terminal rodoviário), passando por Santo Amaro (integração com a Linha 5-Lilás do Metrô), Pinheiros (integração com a Linha 4-Amarela do Metrô e com o Expresso Oeste-Sul), Imperatriz Leopoldina e Domingos de Morais (acesso à Linha 8-Diamante), estação terminal Lapa (acesso as linhas 7-Rubi e 8-Diamante). Os intervalos praticados deverão ser os mesmos de hoje, ou seja, trem passando a cada cinco minutos, em média.

Expresso Leste é prioridade para Mogi das Cruzes

Mogianos querem a chegada do Expresso Leste
Fonte: Mogi News

A chegada em definitivo do Expresso Leste, a extinção das cancelas e a reforma das quatro estações de trem de Mogi das Cruzes serão as prioridades de investimentos que a administração municipal irá solicitar ao governo estadual. Os pedidos encabeçarão "o caderno de necessidades" que será encaminhado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Metropolitano.

Eles irão atender a uma determinação do secretário estadual Edson Aparecido, que participou de uma reunião do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), realizada na quinta-feira desta semana, no Paradise Golf & Lake Resort, em Jundiapeba. Aparecido não revelou quanto o governo pretende investir no Alto Tietê, mas recomendou que as prefeituras da região elaborassem projetos que considerem essenciais. A promessa é que eles serão analisados pelo governador Geraldo Alckmin e, partir desta apreciação, o valor repassado ao Alto Tietê seja definido.

No ano passado, em processos administrativos semelhantes ao iniciado na quinta-feira no Alto Tietê, o governo estadual anunciou investimentos de mais de R$ 18 bilhões para as regiões do ABC Paulista, Campinas e Santos. É com base nesses valores que o Condemat estima um investimento para o Alto Tietê de R$ 4 bilhões a R$ 6 bilhões.

"Acabei de sair de uma reunião na Prefeitura com todos os secretários municipais de planejamento do Alto Tietê e eles começaram a desenvolver um trabalho de especificação de prioridades", contou o prefeito Marco Bertaiolli, durante inauguração da creche em Brás Cubas, na tarde de ontem.

"Nós de Mogi já estamos elaborando o caderno de necessidades para o desenvolvimento da cidade e da região e não sei quais e quantas demandas serão apresentadas, mas uma que tenho absoluta convicção que fará parte do documento é a reformulação do transporte de trilhos. Temos que acabar com as porteiras", garantiu o prefeito.

Questionado se a extensão do serviço até César de Souza faria parte desta lista com os pedidos de investimentos, Bertaiolli afirmou que a expansão será solicitada "após a chegada do Expresso Leste em todos os horários até a estação Estudantes e com todas as passagens de nível resolvidas". "Após a conclusão destes projetos a chegada dos trens até César será inevitável", disse.Bertaiolli adiantou que apresentará as mesmas solicitações ao presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Manoel Bandeira. Ele estará no município na próxima segunda-feira.

domingo, 29 de janeiro de 2012

CPTM libera circulação em trecho onde aconteceu acidente

Trens da Linha 8-Diamante já circulam até Itapevi
Fonte: Terra

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) liberou a circulação de trens em toda a extensão da Linha 8-Diamante na madrugada deste domingo.
 
A circulação estava interrompida entre as estações Engenheiro Cardoso e Itapevi desde a noite da última quinta-feira devido a um acidente envolvendo um trem com passageiros e outra composição que realizava manobras na via.
 
Durante esse tempo, o trecho interditado foi atendido por ônibus gratuitos da operação Paese. A CPTM abriu sindicância para apurar as causas do acidente. De acordo com o Corpo de Bombeiros, três pessoas tiveram ferimentos leves.

CPTM em vídeos, parte 03

Viagem entre Pres. Altino e Osasco, Linha 9-Esmeralda, de CAF 2100

Alstom 2070, estacionando em Hebraica-Rebouças (primeiro ''trem vermelho'' da CPTM)

Alstom 2070 saindo da estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda

Viagem entre Ceasa e Presidente Altino, Alstom 2070, Linha 9-Esmeralda

Chegando na estação Luz, a bordo de um Budd 1100, Linha 7-Rubi

Expulsos da cracolândia, usuários de drogas invadem linhas da CPTM

Linhas da CPTM estão sendo invadidas por usuários de drogas
Fonte: O Estado de São Paulo

Acuados pela presença ostensiva da Polícia Militar na cracolândia, usuários de droga passaram a se arriscar para fumar crack escondidos perto dos trilhos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. A CPTM afirma que aumentou a segurança na área para prevenir acidentes.

Quem mora ou trabalha na região cortada pela linha férrea diz que quando escurece o problema toma proporções mais perigosas. Das janelas de prédios dos arredores, moradores podem ver o pisca-pisca dos cachimbos de crack sendo acesos. Além do risco de acidentes, a presença dos viciados na linha do trem prejudica o sono da população ao redor.
 
A reportagem presenciou vários usuários de crack pulando o muro da linha férrea em uma passarela que liga as Ruas Capistrano de Abreu e Luigi Greco. Eles se concentram nos matagais próximos dos trilhos para fumar. Usuários de crack confirmam que, no esconderijo, ficam livres das chamadas "procissões do crack", quando policiais afugentam a multidão de viciados pelas ruas da região central.

CPTM em fotos, parte 03

0023 - Trem série 3000 - Estação Socorro - Linha 9-Esmeralda
0024 - Trem série 2070 - Estação Socorro - Linha 9-Esmeralda
0025 - Trem série 2070 - Estação Osasco - Linha 9-Esmeralda
0026 - Trem série 3000 - Estação Osasco - Linha 9-Esmeralda
0027 - Trem série 1100 - Estação Luz - Linha 7-Rubi
0028 - Trens séries 1100 e 2100 - Estação Luz

sábado, 28 de janeiro de 2012

Obras da estação de Ferraz serão retomadas em março

Estação Ferraz de Vasconcelos, na véspera da desativação
Fonte: Diário da CPTM

O prefeito de Ferraz de Vasconcelos e presidente do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), Jorge Abissamra (PSB), afirmou ontem que as obras para construção das novas estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) em Suzano e Ferraz começarão de fato no dia 1º de março. A informação foi passada ontem, durante reunião do Condemat realizada em Mogi das Cruzes.
 
"Conversei com o secretário de Transportes Metropolitanos Jurandir Fernandes e ele garantiu que os projetos das duas estações foram alterados e que os serviços serão iniciados no começo de março", destacou Abissamra.
Ele garantiu que o secretário ficou intrigado com o fato de a CPTM ter contratado em 2010 uma empresa para construir a estação e somente no final de 2011 ter elaborado o projeto definitivo da obra em Ferraz.
Apesar da nova data anunciada, dificilmente as novas estações ficarão prontas no final de 2012.

CPTM altera circulação dos trens nesse fim de semana, para obras de manutenção e melhorias

Trens série 7000 - Estação Brás - Linha 12-Safira
Fonte: CPTM

Obras de modernização e manutenção da CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] vão alterar a operação em horários e trechos específicos neste sábado [28] e domingo [29]. Os trabalhos serão realizados em períodos de menor movimentação, a fim de gerarem menos impacto aos usuários. Veja como fica a operação em cada linha e programe sua viagem com antecedência:

Linha 7-Rubi [Luz-Jundiaí]: após as 18h de sábado [28] até o fim da operação comercial de domingo [29], serão realizadas obras de implantação de equipamentos de via na região da Estação Vila Clarice, ocasionando maior intervalo entre as composições.

Linha 8-Diamante [Júlio Prestes-Itapevi]: das 18h de sábado [28] até o fim da operação comercial de domingo [29], em razão de melhorias na rede aérea de alimentação elétrica dos trens e troca de componentes de via entre as estações Domingos de Moraes e Osasco, os trens circularão com intervalo maior.

Linha 9-Esmeralda [Osasco-Grajaú]: ao longo de toda a operação comercial de domingo [29], os trens retornarão da Estação Presidente Altino, por conta de serviços de manutenção da rede aérea de alimentação elétrica entre Osasco e Presidente Altino. Para seguir viagem até Osasco, os usuários devem transferir-se para a Linha 8-Diamante, em Presidente Altino. Quem embarcar em Osasco, deve seguir pela Linha 8-Diamante e fazer a conexão para a Linha 9-Esmeralda em Presidente Altino.

Linha 10-Turquesa [Brás-Rio Grande da Serra]: das 8h às 18h30 de domingo [29], os trens circularão com maior intervalo entre as estações Santo André e Rio Grande da Serra, em razão de obras de instalação de equipamentos de rede aérea no pátio de Mauá. A operação entre as estações Brás e Santo André será normal.

Linha 11-Coral [Expresso Leste/Luz-Guaianazes]: ao longo da operação comercial de domingo [29], devido a obras de implantação de novo sistema de sinalização entre as estações José Bonifácio e Dom Bosco, os trens circularão com intervalo maior.

Linha 12-Safira [Brás-Calmon Viana]: durante a operação comercial de sábado [28] e domingo [29], os trens circularão com maior intervalo entre as estações Comendador Ermelino e Calmon Viana por conta de obras de ligação de novas vias entre as estações Itaim Paulista e São Miguel Paulista. Entre as estações Comendador Ermelino e Brás, a operação será normal.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Conheça a nova estação São Miguel Paulista, na Linha 12-Safira

Futura estação São Miguel Paulista
Por Diego Silva
Fotos: Arquivo pessoal

Caros leitores, a Linha 12-Safira da CPTM está prestes a ganhar mais uma estação nova. Trata-se da estação de São Miguel Paulista, que está sendo construída próxima de onde está localizado o prédio atual, que data dos idos anos de 1920. O novo prédio, muito mais amplo, com cobertura completa, acessibilidade e muito mais conforto, está em obras desde meados de 2010, mas ainda não tem data de término.

De extrema necessidade, a estação de São Miguel Paulista irá substituir uma estação muito acanhada, sem opções de acessibilidade ou qualquer conforto, da antiga EF Central do Brasil. Espera-se que até o fim de 2013, a nova estação já esteja em pleno funcionamento, entregue pela CPTM e pelo Governo do Estado. O plano de investimentos nas linhas da zona leste ainda abrange a reconstrução das estações de Ferraz de Vasconcelos e Suzano, além da compra de mais 9 trens para a Linha 11-Coral (Expresso Leste). Para um horizonte um pouco mais distante, entra em pauta a reconstrução da estação de Engenheiro Goulart, na Linha 12-Safira, que irá ser o ponto de partida da futura Linha 13-Jade (Engº Goulart x Aeroporto).

Nova estação de São Miguel será ampla e com cobertura completa

Equipes da CPTM estão trabalhando no local da colisão. Expectativa é que o trecho seja aberto à tarde

Equipes da CPTM trabalham para regularizar o trecho da colisão
Fonte: Globo.com
Imagem: Letícia Machado (G1)

Operários trabalhavam na manhã desta sexta-feira (27) na liberação do trecho da Linha 8-Diamante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), entre as estações Itapevi e Engenheiro Cardoso. A circulação de trens foi interrompida devido a uma batida entre dois trens ocorrida na noite de quinta-feira (26). Até as 11h30 desta sexta, não havia previsão de liberação. Ao menos sete pessoas ficaram feridas.

O Plano de Apoio entre Empresas de Transporte frente a Situações de Emergência (Paese) foi acionado e ônibus faziam o transporte de passageiros no trecho. No início da manhã, uma longa fila de passageiros aguardando os ônibus para seguir viagem se formou na estação. Às 11h30, no entanto, a situação já havia se normalizado. Passageiros que chegavam á estação embarcavam rapidamente nos coletivos.

A professora de português e inglês Elisângela Cristina, de 34 anos, chegou por volta das 11h15 á estação. Ela, que trabalha na Barra Funda, disse que costuma levar 50 minutos para chegar ao trabalho. "Mas hoje, só Deus sabe." Ela contou que não estava sabendo da interdição. No trecho entre Engenheiro Cardoso e a Estação Júlio Prestes, os trens circulavam normalmente.

O choque entre as composições aconteceu por volta das 21h20, perto da estação Itapevi da CPTM. O trem tinha saído da Estação Júlio Prestes, no Centro de São Paulo, e estava a apenas uma estação de Itapevi, seu destino final, quando bateu em outra composição, que, segundo a CPTM, fazia a manobra de retorno.

Ao menos sete pessoas ficaram feridas. Seis foram encaminhadas para o pronto-socorro central da cidade, que fica a poucos metros do local do acidente.Uma mulher com fratura no quadril foi encaminhada pelo Samu ao Hospital Geral de Itapevi. A perícia trabalhou durante toda a madrugada para investigar a causa do acidente. Em nota, a CPTM disse que abriu sindicância para apurar as causas do ocorrido.

CPTM informa que não há previsão de liberação de trecho da Linha 8-Diamante

Acidente deixou sete feridos na noite de ontem, em Itapevi, na Linha 8
Fonte: Globo
Imagem: Terra

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informou às 8h30 desta sexta-feira (27) que não há previsão de liberação do trecho da Linha 8-Diamante, que fica entre as estações Itapevi e Engenheiro Cardoso. A circulação de trens foi interrompida devido a uma batida entre dois trens ocorrida na noite de quinta-feira (26). Ao menos sete pessoas ficaram feridas.

O Plano de Apoio entre Empresas de Transporte frente a Situações de Emergência (Paese) foi acionado e ônibus faziam o transporte de passageiros no trecho. No início da manhã, uma longa fila de passageiros aguardando os ônibus para seguir viagem se formou na estação. No trecho entre Engenheiro Cardoso e a Estação Júlio Prestes, os trens circulavam normalmente.

O choque entre as composições aconteceu por volta das 21h20, perto da estação Itapevi da CPTM. O trem tinha saído da Estação Júlio Prestes, no Centro de São Paulo, e estava a apenas uma estação de Itapevi, seu destino final, quando bateu em outra composição, que, segundo a CPTM, fazia a manobra de retorno.

“Do nada bateu, foi um impacto muito grande. Eu bati a cabeça e na hora desmaiei”, contou a vendedora Ana Gabriele Prado. “Começou a fumaça. Falei: ‘vai explodir, como eu vou sair daqui’. Comecei a dar soco para abrir a porta, não abria”, disse o atendente de crédito Rafael Fernandes Pereira.
Ao menos sete pessoas ficaram feridas. Seis foram encaminhadas para o pronto-socorro central da cidade, que fica a poucos metros do local do acidente.Uma mulher com fratura no quadril foi encaminhada pelo Samu ao Hospital Geral de Itapevi.

A perícia trabalhou durante toda a madrugada para investigar a causa do acidente. Em nota, a CPTM disse que abriu sindicância para apurar as causas do ocorrido.

‘Teve muita gritaria’, diz socorrista sobre colisão entre trens em SP

Trens bateram ontem à noite, próximo de Itapevi
Fonte: Globo.com
Imagem: Terra

Socorristas que atenderam as vítimas da colisão entre dois trens em Itapevi, na Grande São Paulo, disseram ter se surpreendido ao encontrar poucos feridos no acidente ocorrido na noite de quinta-feira (26). “Tinha muita gritaria. Pensamos que as proporções eram bem maiores”, disse Edmar Reis dos Santos, que trabalha em uma base do Samu ao lado dos trilhos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

O choque entre as composições aconteceu por volta das 21h20, perto da estação Itapevi da CPTM. “O barulho foi bem alto. A gente chamou mais equipes e cortamos a tela sobre o muro que separa nossa base dos trilhos, para facilitar o trabalho. Mas todas as vítimas estavam caminhando.”

Ao todo, sete pessoas ficaram feridas. Seis foram encaminhadas para o pronto-socorro Central da cidade, que fica a poucos metros do local do acidente. Destas, quatro foram liberadas após receber os primeiros-socorros -apenas um homem de 31 anos, com ferimento na perna, e o maquinista de um dos trens, que estava em estado de choque, permaneciam na madrugada desta sexta (27) em observação. Uma mulher com fratura no quadril foi encaminhada pelo Samu ao Hospital Geral de Itapevi.

Testemunhas disseram que havia poucos passageiros no trem que seguia para Itapevi. A composição que vinha em sentido contrário tinha apenas o maquinista em seu interior. Logo após a colisão, a maioria dos passageiros saiu dos vagões e caminhou pelos trilhos.
Mãe de um dos feridos, a dona de casa Ivone da Silva Grajave, de 52 anos, disse que o filho pulou do trem logo após o acidente. “Ele acabou machucando o joelho. Mas está bem.”

Em nota, a CPTM disse que abriu sindicância para apurar as causas do acidente. O comunicado acrescenta que, por conta da ocorrência, os trens da Linha 8-Diamante (Júlio Prestes - Itapevi) circulavam apenas entre as estações Júlio Prestes e Jandira. “O trecho entre Jandira e Itapevi está sendo atendido por ônibus gratuitos da operação Paese [Plano de Atendimento entre Empresas em Situação de Emergência].” A assessoria da companhia disse que não havia previsão para a retirada das composições.

Colisão de trens na Linha 8 deixa sete pessoas feridas

Composições da série 5000 colidiram em Itapevi, na Linha 8-Diamante
Fonte e imagem: Portal Terra

Um trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que trafegava pela Linha 8-Diamannte, em direção à estação Júlio Prestes, bateu em outra composição que realizava manobras por volta das 21h20 desta quinta-feira. A colisão foi entre as estações Itapevi e Engenheiro Cardoso.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, três pessoas tiveram ferimentos leves e foram encaminhadas para o pronto-socorro da região. Por causa do acidente, os trens começaram a circular apenas entre as estações Júlio Prestes e Jandira. O trecho entre Jandira e Itapevi foi atendido por ônibus gratuitos da operação Paese. A CPTM abriu sindicância para apurar as causas do acidente.
 
Trecho interditado
Na manhã desta sexta-feira, a CPTM informou que o trecho entre as estações Itapevi e Engenheiro Cardoso seria realizado pela operação Paese. A empresa não informou a previsão de liberação da via.

Projetos para reforma das estações da Linha 10 ficam prontos até agosto

Estação Rio Grande da Serra - Linha 10-Turquesa
Fonte: Repórter Diário

Será divulgado na próxima segunda-feira (23) o nome da empresa que vai realizar o projeto executivo para reforma de algumas das estações da linha 10 da CPTM. O principal motivo para readequação das paradas da linha turquesa é a implantação do Expresso ABC, promessa antiga do governo do Estado.
Ao elaborar o projeto executivo, o vencedor da licitação ficará responsável por apontar as diretrizes que deverão ser adotadas pela construtora durante a reforma das estações. Uma espécie de “manual” que deverá ser seguido pela empresa que fará a obra.
Cada detalhe deve constar no projeto, como por exemplo, estudos do sistema viário da região, levantamento topográfico, e equipamentos necessários para a operação da estação. Fazem parte também itens com paisagismo, comunicação visual e instalações hidráulicas.
A empresa que será anunciada como vencedora do certame na próxima segunda-feira, ficará responsável por elaborar o projeto executivo para reforma das estações Ipiranga, Utinga e Prefeito Saladino.
Na terça-feira (24), a CPTM vai divulgar o resultado de outra licitação, que vai definir quem ficará responsável pelo projeto das estações Ribeirão Pires e Guapituba. O mesmo acontece no dia 9 de fevereiro, na licitação que inclui as reformas das estações São Caetano e Brás.
“Estas estações ficarão no padrão Tamanduateí, muito mais moderno, com critério de acessibilidade e já preparadas para o Expresso ABC”, explica o líder do PSDB na Assembleia Legislativa e membro da Comissão de Transportes, Orlando Morando.
As empresas vencedoras das licitações terão oito meses para elaborar os projetos. Após esta fase, o governo abrirá outra licitação para definir qual construtora irá fazer a reforma das estações. No entanto, não há prazo para que isso aconteça.

Atraso
Se a promessa feita pelo ex-governador José Serra tivesse sido cumprida, as estações da linha 10 já teriam sido reformadas, e o Expresso ABC estaria em funcionamento. O tucano prometeu – reiteradas vezes -, durante sua gestão, que o Expresso ABC entraria em operação em 2010.
A promessa, no entanto, não se traduziu em verbas suficientes para que o projeto saísse do papel. A previsão do governo Alckmin é que a linha expressa comece a funcionar em 2014.
Quando estiver em funcionamento, o Expresso ABC deve facilitar o transporte de quem mora na região e precisa ir para São Paulo. O trem vai partir de Mauá e deve seguir até a estação Brás ou Luz, parando somente nas principais estações, como Santo André, São Caetano e Tamanduateí, o que deve diminuir o tempo de viagem. A linha será operada através de uma PPP (Parceria Público-Privada).

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

CAF 8000 ainda não opera na Linha 8-Diamante: CPTM atrasou entrega

CAF 8000 - Novo trem da Linha 8-Diamante
Por Diego Silva

Caros leitores, juntamente com o assunto ''Linha 10-Turquesa no Brás'', outra pergunta que muitas pessoas me fazem é sobre o novo CAF 8000, ou seja, quando eles irão circular. Os trens já foram entregues pelo Governo do Estado, em cerimônia realizada na estação de Barueri (na data, também foi entregue a reforma e modernização dessa estação, trazendo melhorias para os usuários). Mas até hoje, os trens permanecem no pátio de Presidente Altino, após alguns testes realizados.

Anunciados em 2010, como a primeira PPP (parceria público-privada) do gênero no país, o contrato de compra desses trens tratava-se do fornecimento de 36 unidades de oito carros, com passagem entre carros (open gangway), ar-condicionado, câmeras de vigilância, anunciador automático de estações e portas mais largas em relação aos novos trens já entregues (frota CAF 7000 e 7500). Além disso, um contrato de manutenção de 20 anos também foi assinado, dando responsabilidade à CAF de cuidar dessa frota.

O blog noticiou a chegada do ''Sierra 01'': http://cptmemfoco.blogspot.com/2011/09/depois-de-muita-espera-caf-8000-enfim.html. Na época, foi uma notícia bastante interessante, pois tratava-se de um trem que já estava sendo esperado há algum tempo. Após seu desembarque em Presidente Altino, junto de seu posterior encarrilhamento, começou uma verdadeira operação de guerra no pátio de Presidente Altino: a segurança local praticamente lacrou o acesso, impedindo pessoas que fossem ''de fora'' de ir ver o novo trem. Parecia segredo de estado, caros leitores, mas sempre temos pessoas que conseguem façanhas. Essas pessoas, acima de tudo generosas, forneceram fotos para nós, para mostrarmos à vocês como era o novo trem por dentro.

Interior do novo CAF 8000
Após a entrega, durante entrevista para diversos canais de mídia, o presidente Mário Bandeira disse ao blog parceiro ''CPTM Notícias'', do amigo Denis Castro, que tais trens deveriam circular até o dia 20 de dezembro, de maneira comercial (até então, circulavam em testes). Já estamos no final de janeiro, ninguém viu nem sombra desse trem circulando na Linha 8. Segundo a empresa, as composições ainda estão em testes. Mas convenhamos: nem os CAF 7000 demoraram tanto assim. Em 05 de fevereiro de 2010, o amigo Luis Fernando clicou o então 'Quebec 01' (7001/7004) em testes, no pátio de Presidente Altino. No dia 28 de março do mesmo ano, participamos da entrega do trem, além de realizar as viagens inaugural e comercial. O CAF 8000 não tem nada de muito diferente em relação aos seus 'parentes' próximos: foi construído praticamente no mesmo desenho, sob a mesma caixa. O que muda é a passagem entre carros (que não interfere em absolutamente nada) e a ausência das cabines intermediárias.

Fala-se que na planta industrial da CAF, em Hortolândia, a linha de produção parou com a construção dos CAF 8000, porque não existe mais espaço físico em seu pátio. Enquanto isso, em Presidente Altino, o espaço físico já é limitado, o que torna impossível a chegada de mais trens. A CPTM está com um dilema, nessa questão. Os usuários da Linha 8-Diamante permanecem esperando seus novos trens, numa expectativa de um transporte cada vez melhor. Quando de sua completa chegada, os 36 novos trens deverão dar uma nova forma de operação na linha, dinamizando o transporte e operando com intervalos reduzidos, de maneira mais rápida e efetiva. Mas teremos que esperar para ver.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Entrevista - Daiane Kowalewski, maquinista da ABPF-RS

Daiane Kowaleski - A única maquinista de locomotivas à vapor do Brasil
Entrevista: Diego Silva
Fotos: Acervo Pessoal - Daiane Kowaleski

Uma história de amor e ódio. Assim pode ser definida a trajetória de Daiane Kowaleski nas ferrovias. Foi por conta de um problema de audição que ela passou a não gostar de trens. Por conta de um acidente com um trem da ALL que viu em Ijuí, foi pesquisar a numeração de um vagão. Com essa pesquisa, começou a pesquisar mais e mais sobre a história ferroviária. Hoje, Daiane é maquinista na ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária). Já seria um status enorme, se não fosse por um detalhe: ela é a única mulher maquinista de trens à vapor do Brasil. Dedicando parte de seu tempo, Daiane atendeu ao blog CPTM em Foco. Direto de Ijuí, no Rio Grande do Sul, respondeu algumas perguntas para nossa entrevista. Confira abaixo alguns trechos de um bate-papo com a maquinista:

Diego Silva: Conte-nos um pouco sobre seu gosto por trens e ferrovias
Daiane Kowaleski: Tudo começou em 2006, quando me mudei para Ijuí-RS. Até então, nunca tinha visto um trem ao vivo e a cores. Só que tinha um problema: eu estava com um problema nos ouvidos, uma inflamação. O barulho dos trens passando aqui era terrível para mim, tanto que passei da curiosidade ao ódio (veja bem). O ódio durou o tempo de eu me curar da inflamação e o barulho não me incomodar mais. Houve um acidente com tanques aqui na cidade, vi a foto no jornal. Na foto, que tenho até hoje guardada, tem as letras e a numeração SIGO na traseira do tanque tombado. Essa combinação alfanumérica foi o que me levou a pesquisar sobre o que significava. Fui pesquisando cada vez mais e mais, até chegar a informações mais técnicas e detalhadas, sobre mecânica, elétrica, modelos etc. Então, o ódio virou amor.

DS: Você sabe que esse é um universo predominante masculino. Como se sente nesse mundo?
DK: No início foi estranho, um pouco complicado. E pouca gente acreditou mesmo que eu levava a sério. Mas depois com o tempo, foi modificando. Hoje eu tenho longas conversas com ferroviários, ex-ferroviários. E aprendo muito com isso. Acontece hoje, por exemplo, eu estar circulando pelas linhas e as pessoas falarem, "ah, é a maquinista", hoje ninguém estranha mais minha presença nos trilhos e trens.

DS: É uma curiosidade que alguns ferroviários de São Paulo não sabem: Você é a única maquinista de trens à vapor do Brasil, não é mesmo?
DK: Exatamente. Existem mulheres maquinistas no Brasil. Mas de locomotivas a vapor especificamente, sou a única.

Daiane, durante mais uma viagem, no comando de uma locomotiva a vapor da ABPF-RS

DS: Como lida com esse status de ser a única maquinista de trens à vapor do país?
DK: Sabe, nem penso nisso. As pessoas se espantam. Mas é porque é um trabalho pesado, que envolve sujeira, e as mulheres realmente não são afeitas a isso. Mas eu gosto muito desse trabalho. Não vejo dessa forma.

DS: Sobre a realidade ferroviária do país, como você vê a presença da mulher daqui para frente, seja na operação, seja no apoio?
DK: É algo que tende a acontecer. A presença feminina já está em muitas classes de trabalho consideradas antes como masculinas. Eu tenho primas que são caminhoneiras, por exemplo. Eu só escolhi um meio de transporte um pouco mais pesado. E as mulheres são detalhistas, atenciosas. O mercado de trabalho está percebendo isso. Na ferrovia não vai ser diferente, a realidade está mudando. Temos mais mulheres maquinistas, mais mulheres nos CCOs (Centro de Controle Operacional), nas estações. E já vejo mais mulheres fotografando trens, além de mim. A presença feminina na ferrovia vai aumentar, e o tabu de trabalho masculino vai ser derrubado. Isso tende a acontecer como já aconteceu diversas vezes.

DS: Deixe uma mensagem para os ferroviários e ferroviárias do Brasil que estão lendo essa entrevista nesse momento.
DK: Bom, só digo que não é uma profissão tão visada no Brasil. E que isso tem que ser mudado. O ferroviário é uma classe muito importante para a economia. Levamos e trazemos riquezas, mercadorias, diversão e cultura. A ferrovia precisa ser valorizada. Todos os países que tem uma economia forte, possuem uma ferrovia forte e bem desenvolvida. Não entendo porque é diferente aqui. Mas acredito que essa realidade está mudando, e finalmente a ferrovia está tendo mais atenção, mais investimentos, e é assim que deve ser. E que os ferroviários sintam-se orgulhosos por estar levando a economia do país em seus trens Brasil afora.

Daiane, em passeio ferroviário Curitiba x Paranaguá, no Paraná

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Tarifa da CPTM poderá ser de R$ 3,00 esse ano

Trem série 2070 - Imperatriz Leopoldina - Linha 8-Diamante
Por Diego Silva

Caros leitores e usuários, se preparem... o aumento das tarifas vem aí. Ainda não é uma informação oficial, mas correm nos bastidores que a tarifa da CPTM deverá ser de R$ 3,00 ainda esse ano (segundo o que nos foi passado, após o carnaval viria esse aumento).

Esse aumento vem numa péssima hora para os usuários, pois juntamente com o aumento do salário mínimo para R$ 622, noticiado pela presidente Dilma Rousseff, já ficamos a par do aumento de diversos produtos de consumo, tanto alimentício como de utilidade pública. Nessa viagem, os transportes metropolitanos deverão embarcar junto. A mesma fonte que passou essa informação teve uma conversa com uma pessoa da SPTrans, que adiantou que os ônibus de São Paulo poderão aderir à tarifa de R$ 3,20. Lembrando que, se a CPTM tiver esse aumento na tarifa, o Metrô também terá reajuste, pois ambos são interligados.

Alteração na Linha 10 beneficiou 1 milhão de usuários, segundo a CPTM

Estação Brás é o terminal da Linha 10-Turquesa desde agosto/2011
Fonte: Jornal Destak


A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) informou que as mudanças implementadas na Linha 10-Turquesa (Brás-Rio Grande da Serra) desde agosto passado estão beneficiando cerca de 1 milhão de passageiros do sistema. Mas a empresa admite prejuízos para 20 mil usuários.

Isso porque a linha, que originalmente ia até a Luz, passou a parar uma estação antes, no Brás. Aqueles que antes desciam na Luz precisam agora fazer baldeação pela Linha 11-Coral (da CPTM) ou acessar a Linha 3-Vermelha do metrô, irá até a Sé e, de lá, pegar a linha 1-Azul.

O objetivo da mudança era desafogar a Luz, que desde setembro passou a contar com mais passageiros - os que usam a Linha 4-Amarela. A novidade também trouxe maior conforto, já que embarque e desembarque estão mais bem distribuídos. Uma pesquisa indica que 56% dos usuários aprovaram a mudança, diz a CPTM.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

CPTM define modelo operacional da Linha 10-Turquesa

Trens série 2100 - Estação Brás - Linha 10-Turquesa
Fonte: CPTM

A STM [Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos] esclarece que durante o período das obras de modernização das vias da CPTM, na região da Estação da Luz, realizadas entre agosto a dezembro do ano passado, houve significativo crescimento na demanda de usuários com a integração da Linha 4-Amarela de metrô àquela estação. Através de pesquisa, a CPTM coletou dados sobre a movimentação de usuários com a nova configuração e adotou um novo modelo operacional para as Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa.

O objetivo é atender, com maior segurança, aos 465 mil passageiros que por dia circulam na Estação da Luz. A decisão, portanto, levou em consideração aspectos técnicos, já que intervenções na Estação da Luz, que é um patrimônio histórico, são restritivas. Além disso, o usuário foi ouvido em pesquisa, a qual revelou que 56% avaliaram as mudanças de forma positiva e consideram os serviços prestados ótimo ou bom no geral.

De posse desses dados, a CPTM adotou medidas que, se por um lado alterou a rotina de deslocamento de uma parcela dos usuários da Linha 10-Turquesa que desembarcavam em Luz, trouxe benefícios à coletividade, especialmente aos usuários das linhas 7-Rubi, 11-Coral e da própria Linha 10-Turquesa. Isso porque a reorganização das linhas melhorou consideravelmente a circulação de pessoas no interior da centenária estação.

Antes da mudança da Linha 10 para a estação Brás, as três linhas [7, 10 e 11] estavam concentradas no mesmo local e as quatro plataformas existentes eram divididas da seguinte forma: uma atendia o embarque e desembarque da Linha 7, outra o embarque e desembarque da Linha 10 e o Expresso Leste, que transporta o maior número de usuários, era o único que operava com duas plataformas distintas para embarque e desembarque. Entretanto, com o aumento constante da demanda no sistema, a circulação no interior da estação ficava comprometida, criando situações de conflito nos momentos de embarque e desembarque, nos horários de pico.

Na estação Brás, a Linha 10-Turquesa passou a dispor de duas plataformas: uma para o embarque e outra para o desembarque. Isso deu mais segurança e agilidade à operação. Além disso, a Linha 10 teve o intervalo reduzido de 6 para 5 minutos.

O novo modelo também beneficiou a Linha 7-Rubi, que passou a contar com plataformas exclusivas para embarque e desembarque, proporcionando, além da segurança, mais tranqüilidade à operação na própria plataforma central, que era compartilhada pelos usuários no desembarque da Linha 11-Coral e embarque e desembarque da Linha 7-Rubi e que agora passou a ser realizado de forma separada.
Os usuários que precisam seguir rumo à Estação da Luz podem usar os trens do Expresso Leste, na própria estação Brás, onde também há transferência gratuita para a Linha 3-Vermelha do Metrô.

Clique aqui e veja a matéria exibida no SPTV 1a edição no dia 20/01/2012

Cabe lembrar que considerando o desenvolvimento do ABC, o Governo do Estado trabalha para implantar duas novas linhas de transporte sobre trilhos para atender a região. A Linha 18-Bronze, do Metrô, ligará, por meio de monotrilho, a futura estação Alvarenga, em São Bernardo do Campo, à estação Tamanduateí, que tem conexão com a Linha 2 do Metrô e a Linha 10 da CPTM, além do projeto Expresso ABC, que ligará Mauá à capital.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos reitera que todas as mudanças implementadas reforçam o conceito de rede, buscando ampliar a mobilidade urbana sem aumento de custo para o usuário, já que as integrações são gratuitas. Tanto assim, que os usuários da Linha 10-Turquesa, com destino à região de Pinheiros e do Butantã, estão sendo beneficiados diretamente pela conexão com a Linha 2-Verde, em Tamanduateí. Lá o movimento, que era de 13 mil usuários por dia, após a inauguração da nova estação integrada ao Metrô, saltou para 70 mil.

Cabe destacar que com o atual modelo, as integrações gratuitas da CPTM com estações do Metrô, estão distribuídas da seguinte forma:

2 conexões na Linha 7-Rubi: na Barra Funda, com a L3; e na Luz, com a L1;
1 conexão na Linha 8-Diamante: na Barra Funda, com a L3;
2 conexões na Linha 9-Esmeralda: em Pinheiros, com a L4; e em Santo Amaro, com a L5;
2 conexões na Linha 10-Turquesa: em Tamanduateí, com a L2; e no Brás, com a L3;
3 conexões na Linha 11-Coral: no Brás, com a L3; e na Luz, com as L1 e L4;
1 conexão na Linha 12-Safira: no Brás, com a L3.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Serviços de manutenção alteram intervalos nesse fim de semana

Trens séries 5550 e 1600 'Tang' - Abrigo Engenheiro São Paulo
Fonte: CPTM

A CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] executará obras de modernização e manutenção em horários e trechos específicos, neste sábado [21] e domingo [22]. Os trabalhos serão realizados em períodos de menor movimentação, a fim de gerarem menos impacto aos usuários. Veja como fica a operação em cada linha e programe sua viagem com antecedência:

Linha 7-Rubi [Luz-Jundiaí]: após as 22h de sexta-feira [20] até o fim da operação comercial de domingo [22], serão realizados serviços de reposicionamento das vias na região da Estação Jaraguá, gerando maior intervalo entre as composições.

Linha 8-Diamante [Júlio Prestes-Itapevi]: das 18h de sábado [21] até o fim da operação comercial de domingo [22], em razão de obras na rede aérea de alimentação elétrica dos trens entre as estações Jandira e General Miguel Costa, bem como adequações na plataforma da estação Antônio João, os trens circularão com maior intervalo entre as estações Carapicuíba e Itapevi. A operação entre as estações Júlio Prestes e Carapicuíba será feita normalmente, sem alterações.

Linha 9-Esmeralda [Osasco-Grajaú]: ao longo de toda a operação comercial de sábado [21] e domingo [22], os trens circularão com maior intervalo devido a obras de implantação de equipamentos de via entre as estações Socorro e Jurubatuba.

Linha 10-Turquesa [Brás-Rio Grande da Serra]: das 8h às 18h30 de domingo [22], os trens circularão com maior intervalo entre as estações Santo André e Rio Grande da Serra em razão de obras de instalação de equipamentos da rede aérea de alimentação elétrica na região de Mauá. A operação entre as estações Brás e Santo André será feita normalmente, sem alterações.

Linha 11-Coral [Expresso Leste/Luz-Guaianazes]: das 23h de sábado [21] à 1h de domingo [22], devido à desmontagem de equipamento de via entre as estações Corinthians-Itaquera e José Bonifácio, os trens circularão com intervalo maior. Já no domingo [22], o intervalo entre as composições será maior ao longo da operação comercial, em razão de serviços de manutenção da rede aérea de alimentação elétrica dos trens na região da Estação Tatuapé.

Linha 11-Coral [extensão Guaianazes-Estudantes]: das 7h às 20h de domingo [22], haverá maior intervalo entre as composições, devido a serviços de manutenção das vias na região da Estação Antônio Gianetti.

Linha 12-Safira [Brás-Calmon Viana]: após as 23h de sexta-feira [20] até o fim da operação comercial, os trens circularão com maior intervalo por conta de obras de implantação de novo sistema de sinalização na região da Estação Tatuapé. A partir das 18h de sábado [21] até o fim da operação comercial de domingo [22], acontecerá a implantação de equipamentos da rede aérea de alimentação dos trens entre as estações Comendador Ermelino e Jardim Helena-Vila Mara, provocando aumento no intervalo médio entre as composições.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Cidade de Mogi das Cruzes quer solução para cancelas

Prefeitura de Mogi quer solução sobre cancelas da cidade
Fonte: STEFZS / O Diário de Mogi

Representantes dos poderes Executivo, Legislativo e da sociedade civil se reuniram na manhã de ontem para debater a situação das passagens de nível de Mogi das Cruzes. Ao final do encontro, que foi realizado na Câmara e se alongou por cerca de duas horas, o resultado foi de consenso: é urgente e necessária a viabilização de projetos para eliminação das oito cancelas existentes ao longo da linha férrea que corta o Município. Os vereadores da Comissão Permanente de Transportes vão elaborar um relatório que apontará todas as questões discutidas na reunião. O documento será entregue ao presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Mário Bandeira, que deverá visitar o prefeito Marco Aurélio Bertaiolli (PSD) no próximo dia 30.

Durante a reunião de ontem, o grupo discutiu a situação de cada uma das passagens de nível da Cidade (confira quadro nesta página). Eles lembraram que o processo de eliminação das cancelas foi iniciado no último ano, depois que a Prefeitura e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) assinaram convênio no valor de R$ 48 milhões para construção de dois viadutos, em Jundiapeba, e na Vila Industrial. As obras nunca começaram porque foram prejudicadas pela crise do Ministério dos Transportes, que suspendeu as licitações em andamento entre julho e agosto, sendo que entre elas estava a concorrência para contratação da empresa que fiscalizará os serviços das transposições mogianas. O processo licitatório já foi retomado pelo Dnit, mas ainda não há data definida.

Na prática, as obras estão garantidas, porém, ainda não há previsão de início das mesmas. Quando forem concluídos, os dois viadutos vão fechar três cancelas de uma única vez. Isso porque, além da extinção dos portões de Jundiapeba, a transposição da Vila Industrial vai eliminar as passagens de nível de duas ruas, Cavalheiro Nami Jafet e Campos Sales. Os representantes da Comissão de Transportes da Câmara, vereadores Expedito Ubiratan Tobias (PR) e Carlos Evaristo da Silva (PSD), informaram que pretendem obter informações junto ao Governo Federal sobre as previsões de início das obras. "Poderemos mandar uma moção ao Dnit com este objetivo", disse Evaristo.

Outra questão que os parlamentares deverão levantar é a situação do viaduto Professor Argeu Batalha. A obra foi projetada para fazer a transposição da linha em Braz Cubas, mas as cancelas nunca foram fechadas porque não houve a construção das alças de acesso. O presidente do Sindicato dos Engenheiros do Alto Tietê, Mário Edson Galego, foi quem levantou o assunto na reunião e afirmou que, se a transposição foi entregue inacabada, a Cidade deve cobrar "a quem é de direito". O presidente do PCB de Mogi, Mário Berti Filho, completou: "Precisamos saber se as alças de acesso já estavam previstas no projeto original. Será que essas obras foram pagas e não foram construídas?", indagou.

Os questionamentos não foram respondidos pelos vereadores e nem mesmo pelo secretário municipal de Transportes, Carlos Nakaharada, que estava presente na reunião, representando o Poder Executivo. Nenhum deles soube precisar se o viaduto foi construído com recursos municipais ou estaduais e porque as alças nunca foram construídas. Questionados por O Diário, todos se comprometeram a levantar os dados.

Centro

Os transtornos causados pela cancela da Rua Cabo Diogo Oliver, nas imediações da Praça Sacadura Cabral, também motivaram intensas discussões durante a reunião. O advogado Laerte Silva, que representava a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), chegou a propor intervenções no trânsito para fechar a passagem de nível, desviando o trânsito para a Doutor Deodato Wertheimer. A sugestão foi descartada por Carlos Nakaharada. Segundo ele, a Prefeitura chegou a fazer estudos semelhantes em 2009, mas houve uma conclusão de que eles não seriam viáveis.

O secretário explicou que a CPTM e a Prefeitura discutem uma solução para o cruzamento e que a estatal está desenvolvendo estudos neste sentido, conforme já anunciado recentemente pelo prefeito Marco Bertaiolli. Nakahada explicou que a proposta é de construção de uma passagem subterrânea, com integração física da estação com o terminal do transporte municipal. Além disso, é prevista uma passagem de pedestres por dentro da estação. "São propostas, dependemos da posição do Estado. Esperamos que o presidente da CPTM fale sobre o assunto na reunião do dia 30", disse.

O grupo também discutiu a situação das cancelas da Rua Manoel Bezerra de Lima Filho, nas imediações do Mogi Shopping, e da Avenida Ricieri José Marcatto. A intenção é atrelar as obras ao projeto de extensão dos trens até o Distrito de César de Souza.

Financiamentos

O presidente da Associação dos Moradores do Jardim São Pedro, o ferroviário Adalberto Andrade, afirmou durante a reunião que os custos das obras não devem ser considerados grandes obstáculos pelas autoridades. Ele citou o Programa Nacional de Segurança Ferroviária em Áreas Urbanas (Prosefer), criado pelo Governo Federal justamente para eliminação das passagens de nível. O advogado Laerte Silva ainda lembrou que o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) também poderiam financiar as futuras obras.

Contrastes

Trem série 1100 - Estação Lapa - Linha 7-Rubi
Por Diego Silva

A CPTM é uma empresa cheia de contrastes. A cada novo dia em que embarcamos nos trens, constatamos tais fatos. Por mais que se tente colaborar para que as coisas funcionem da maneira que devem funcionar, ainda vemos certas coisas congeladas no tempo, ou então caminhando para trás.

Me surpreendo, caros leitores, como tanta gente está nadando contra a corrente dentro da CPTM. Como podem deixar ''pequenos problemas'' passarem despercebidos, sendo que esses pequenos problemas podem se tornam grandes obstáculos? Um desses problemas é a qualidade do serviço prestado pela segurança terceirizada nas estações. Ontem, uma mulher muito bem vestida estava parando diversos usuários na estação Brás, pedindo esmolas com alguma desculpa esfarrapada. Com um detalhe interessante: dois seguranças da 'Power' estavam há poucos metros, com plena visão do ocorrido. Passamos para o SMS-Denúncia (que diga-se de passagem, é um péssimo serviço, sendo que de cada dez denúncias que se envia, uma é atendida), que não atendeu o chamado (o que não é novidade). Ligamos no 0800 da CPTM, que enviou as equipes de segurança da plataforma. Mas como eu citei há pouco, o despreparo é tanto, que os vigilantes ficaram de frente com a infratora, mas não coibiram a ação. Ao ligar novamente para o 0800 e relatar tamanha ineficiência, disseram que iriam passar para o SMS-Denúncia resolver. 

Fica esse jogo de compadres entre setores da Companhia, e no fim, o problema não é resolvido. Enquanto isso, dentro dos trens, o comércio ambulante corre solto. Nas plataformas, usuários estão fumando e consumindo bebidas alcóolicas, sem qualquer impedimento. Os usuários de bem, que pagam caro para poder viajar com um mínimo de conforto, observam o declínio que a CPTM está, que parece não ter fim desde a saída de Sérgio Avelleda da presidência. O que mais me chateia nisso tudo é tentar ajudar e não ser ouvido, ser taxado como errado. Tantas vezes o pessoal de áreas internas já falou a mim e para outros amigos, que nós sabemos mais do que acontece no sistema do que eles próprios. O que é uma grande verdade: nós vivemos o dia-a-dia dos trens. Sabemos os problemas das linhas que utilizamos, quando e onde acontece. Mas ao tentar ajudar, a empresa nos vira as costas, deixando o triste espetáculo de infrações acontecer.

O sistema de segurança da CPTM melhorou muito nos últimos anos, não podemos negar. Mas ainda não é o que os usuários esperam. Em vinte anos de administração, ainda vemos os mesmos problemas da década de 1990. O que está postado aqui, é lido por diversas áreas da empresa. Como já disse outras vezes, se falando pessoalmente as coisas não acontecem, é necessário trazer ao público para ver se alguém toma alguma providência. Tenho esperança que a CPTM se torne uma grande empresa e que tenha um atendimento diferenciado. A meta de ser a mais moderna empresa de transporte ferroviário do país está cada vez mais distante, pois com tais atitudes, ninguém vai chegar em lugar nenhum.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CPTM em vídeos, parte 02

Trem série 5500 estacionando em Calmon Viana, Linha 11-Coral

Trem série 1600 estacionando em Calmon Viana, Linha 11-Coral

Viagem de Guaianazes até José Bonifácio - Linha 11-Coral

Estacionando em Corinthians-Itaquera - Linha 11-Coral

Estação Tatuapé - Linha 11-Coral

Estacionando na estação Brás - Linha 11-Coral

CPTM em fotos, parte 02

0012 - Trem série 3000 - Estação Hebraica-Rebouças - Linha 9-Esmeralda
0013 - Trem série 3000 - Estação Hebraica-Rebouças - Linha 9-Esmeralda
0014 - Trem série 2070 - Estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda
0015 - Trem série 3000 - Estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda
0016 - Trem série 2070 - Estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda
0017 - Trem série 3000 - Estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda
0018 - Trem série 2070 - Estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda
0019 - Trem série 2070 - Estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda
0020 - Trem série 2070 - Estação Grajaú - Linha 9-Esmeralda
0021 - Trem série 2070 - Estação Osasco - Linha 9-Esmeralda
0022 - Trem série 1700 - Estação Francisco Morato - Linha 7-Rubi

Siga o blog por email

Seguidores