sábado, 29 de setembro de 2012

CPTM altera circulação para obras de modernização. Confira as intervenções e programe sua viagem


Fonte: CPTM

Em razão das obras de modernização da infraestrutura, a operação de trens na CPTM terá maior intervalo nas linhas impactadas neste fim de semana. Confira a programação para os dias 29 e 30 [sábado e domingo]:

Linha 7 [Luz - Francisco Morato]: sábado, das 18h até o fim da operação comercial, haverá intervenções na via permanente. No domingo, durante todo o dia, o trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus estará fechado para intervenções de grande porte.

Como opção, os usuários podem utilizar a Linha 7, entre as estações Luz e Palmeiras-Barra Funda, onde farão a transferência para a Linha 8, seguindo até a estação Domingos de Moraes. De lá, ônibus gratuitos levarão os usuários até a estação Perus, na Linha 7, onde a circulação de trens ocorrerá até Jundiaí. Os coletivos farão paradas para embarque e desembarque somente nas estações Domingos de Moraes, Pirituba e Perus.

Linha 8 [Júlio Prestes - Itapevi]: domingo, das 9h até às 21h, o trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Júlio Prestes estará fechado para trabalhos na via permanente e sinalização. Como opção os usuários poderão utilizar a Linha 7 para chegar até a estação da Luz.

Linha 9 [Osasco - Grajaú]: sábado, a partir das 20h até o fim da operação comercial de domingo, equipes atuarão nos sistemas de energia e de via permanente entre as estações Santo Amaro e Morumbi.

Linha 10 [Brás - Rio Grande da Serra]:
domingo, do início da operação comercial até 20h, serão realizadas intervenções na via permanente.

Linha 11 [extensão Guaianazes - Estudantes]: sábado, das 20h até a 1h, o trecho entre as estações Suzano e Jundiapeba ficará fechado para trabalhos no sistema de rede aérea. Como opção, ônibus gratuitos atenderão os usuários entre as estações afetadas. No domingo, durante toda a operação comercial, serão realizadas intervenções no sistema de rede aérea.

Informação aos Usuários
Para orientar o usuário sobre essas mudanças temporárias, a CPTM vem divulgando as intervenções por meio de AP [avisos sonoros] emitidos nos trens e cartazes fixados nas estações, além das redes sociais da Companhia. Empregados também estão posicionados para auxiliarem o público.

Desafio: a CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas. Na eventualidade de dúvidas ou de informações complementares, a CPTM coloca à disposição a Central de Atendimento ao Usuário, no telefone 0800 0550121.


Obras alteram intervalos nas linhas 9 e 12 no fim da noite

Na semana de 1º a 05/10, a CPTM realizará obras programadas nas linhas 9 [Osasco - Grajaú] e 12 [Brás - Calmon Viana], após às 23h, que interferirão no intervalo entre os trens. Os serviços compreendem a modernização do sistema de rede aérea de energia.

Confira:

Segunda-feira [01]
Linha 9 [Osasco - Grajaú] e Linha 12 [Brás - Calmon Viana]

Terça-feira [02]
Linha 9 [Osasco - Grajaú]

Quarta-feira [03]
Linha 9 [Osasco - Grajaú]

Quinta-feira [04]
Linha 9 [Osasco - Grajaú]

Sexta-feira [05]
Linha 9 [Osasco - Grajaú]

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Escada rolante da estação Brás causa insatisfação à usuários


Por Diego Silva

Um dos problemas que mais chamou a atenção dos participantes da página oficial do blog no Facebook nos últimos dias foi a ausência de funcionamento da escada rolante da plataforma 1 da estação Brás. Há quase um mês, diversos leitores reclamam da escada parada, onde os mesmos precisam subir as escadas caminhando (já que apenas uma está funcionando para subir). Aguardamos um posicionamento da empresa em relação ao problema, mas o tempo veio passando e nada de manutenção.

Entramos em contato ontem com a CPTM, para saber o real motivo daquela escada estar parada há tanto tempo. Em contato telefônico hoje, a Companhia informou que está aguardando uma peça chegar do exterior, para poder arrumar o equipamento. A fabricante da mesma está sediada em um país da Europa, o que dificulta a rápida manutenção. Como é um defeito difícil de acontecer e a peça utilizada não é fabricada em série, os usuários estão aguardando esse tempo um pouco maior.

O blog 'CPTM em Foco' reafirma o respeito com os leitores, levando informação e notícias sobre tudo o que acontece nas seis linhas da empresa. Você também pode participar da nossa discussão, acessando a página oficial do blog no Facebook: www.facebook.com/cptm.emfoco

terça-feira, 25 de setembro de 2012

ABB assina contrato com a CPTM

 
Fonte: Revista Ferroviária

A fabricante de equipamentos e sistemas de automação ABB fechou um contrato no valor de US$ 50 milhões com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Segundo comunicado obtido com exclusividade pelo Valor, a empresa vai construir e reformar subestações de tração das linhas Esmeralda e Diamante. 

Ao todo, serão construídas 11 subestações, nove serão reformadas e três, expandidas. A ABB também ficará responsável pela construção de mais de dois quilômetros de linhas de transmissão de energia, além de todo o sistema de controle e automação envolvido. A empresa prevê entregar os equipamentos e os serviços até 2014.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

No Dia Mundial sem Carro, acidentes deixam três mortos em SP

Trens do Expresso Leste circularam somente até Brás na manhã de sábado

Fonte: G1

Desde a madrugada até fim da manhã, deste sábado (22 ), São Paulo registrou acidentes em várias regiões da cidade. Dois deles deixaram três mortos e um interrompeu circulação dos trens em um trecho da Linha 11-Coral, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), por cerca de três horas.

Durante a madrugada, na Avenida Atlântica, na Zona Sul, um casal que estava em um Fusca morreu em uma colisão com um ônibus. O veículo de passeio ficou completamente destruído. Já na Avenida Itaquera, na Zona Leste, um homem perdeu controle do veículo e colidiu contra um muro e a entrada de um prédio. Uma pessoa morreu e três ficaram feridas. Na Estrada do Campo Limpo, na Zona Sul, um carro bateu contra um poste e foi socorrido pelo Samu.

No início da manhã, um carro bateu na mureta do Viaduto Brigadeiro Tobias, na Avenida Tiradentes, na Zona Norte. A fiação responsável pelo fornecimento de energia para a Linha 11-Coral, que liga as estações Luz e Estudantes, foi atingida. Parte do concreto caiu em na linha. A circulação foi interrompida entre as estações Luz e Brás nos dois sentidos. Os funcionários da CPTM concluíram os reparos e restabeleceram a circulação no final da manhã.

A Marginal Tietê chegou a registrar 8,1 km de lentidão, no sentido Castello Branco, da Ponte Júlio de Mesquita Neto até o acesso à Rodovia Castello Branco, por volta das 10h40.
Nesta manhã, as ciclofaixas de lazer da cidade de São Paulo, que funcionam excepcionalmente neste sábado até as 16h, foram bastante frequentadas. O tempo bom contribuiu para o paulistano aproveitar o Dia sem Carro.

sábado, 22 de setembro de 2012

CPTM altera circulação para mais um final de semana de obras. Confira as mudanças e programe a sua viagem


Fonte: CPTM

Em razão das obras de modernização da infraestrutura, a operação de trens na CPTM terá maior intervalo, nas linhas impactadas pelas obras, neste fim de semana. Confira a programação para os dias 22 e 23 [sábado e domingo]:

Linha 7 [Luz - Francisco Morato]: sábado, das 18h até o fim da operação comercial, haverá intervenções na via permanente entre as estações Caieiras e Franco da Rocha.

Linha 8 [Júlio Prestes - Itapevi]: sábado, a partir das 18h e durante toda a operação comercial de domingo, os trabalhos na via permanente ocorrerão entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Osasco.

Linha 9 [Osasco - Grajaú]: sábado, das 18h até a meia-noite de domingo, equipes atuarão nos sistemas de energia e de via permanente

Linha 11 [extensão Guaianazes - Estudantes]: domingo, durante toda a operação, as intervenções estarão concentradas no sistema de rede aérea.

Linha 11 [Expresso Leste]: os trens não operarão entre as estações Tatuapé e Luz. Os usuários terão que fazer a transferência para a Linha 3-Vermelha na estação Tatuapé. Na ocasião, os trens da Linha 10 excepcionalmente circularão até a estação Luz.

Linha 12 [ Brás - Calmon Viana] : domingo, os trens não circularão entre as estações Comendador Ermelino e Tatuapé. Para transportar os usuários no trecho afetado, a CPTM disponibilizará ônibus para fazerem a conexão entre as duas estações .

Informação aos Usuários
Para orientar o usuário sobre essas mudanças temporárias, a CPTM vem divulgando as intervenções por meio de AP [avisos sonoros] emitidos nos trens e cartazes fixados nas estações, além das redes sociais da Companhia. Empregados também estão posicionados para auxiliarem o público.

Desafio: a CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas. Na eventualidade de dúvidas ou de informações complementares, a CPTM coloca à disposição a Central de Atendimento ao Usuário, no telefone 0800 0550121.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

CPTM realizará audiências públicas das linhas 9 e 13


Fonte: Revista Ferroviária

A CPTM irá realizar, no início de outubro, três audiências públicas em relação às obras de implantação da Linha 13-Jade e de expansão da Linha 9-Esmeralda. As audiências tem o objetivo de prestar esclarecimentos, colher sugestões e contribuições visando a execução das obras, os serviços de engenharia e o fornecimento de materiais e equipamentos para as linhas.

As sessões serão realizadas entre 5 e 9 de outubro e são abertas a todos os interessados. A audiência de 5 de outubro acontecerá no Auditório da Universidade de Guarulhos (Praça Tereza Cristina, nº 88, Centro de Guarulhos), às 9h. Já as audiências de 8 e 9 de outubro serão no prédio da CPTM (Rua Boa Vista, nº 170, Centro de São Paulo), também às 9h.

A Linha 13-Jade ligará a estação Engenheiro Goulart, da Linha 12-Safira da CPTM, ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. Já a expansão da Linha 9-Esmeralda abrange o trecho entre a estação Grajaú e a futura estação Varginha, ambas na Zona Sul da Capital. Atualmente, a linha vai do Grajaú até Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Criminosos fazem arrastão em trem da Linha 8-Diamante


Fonte: Folha de São Paulo

Dois criminosos fizeram um arrastão ontem dentro de um vagão na linha 8-diamante da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), na região de Barueri, na Grande São Paulo. Ninguém foi preso pelo crime. 

O crime aconteceu entre as estações Barueri e Antônio João. Não foi informado, porém, o total de passageiros roubados, nem detalhes do que foi levado pelos bandidos. A dupla desembarcou na estação Antônio João e fugiu.

A CPTM informou, em nota, que o circuito interno de monitoramento flagrou os suspeitos e as imagens serão encaminhadas para a polícia. O caso foi registrado na delegacia central de Barueri, que ficará responsável pelas investigações.

CPTM recebe mais dois trens da Linha 8-Diamante


Fonte: Revista Ferroviária

A CPTM recebe nesta quarta-feira (19/09) mais dois trens fabricados pela CAF para a Linha 8-Diamante. Os trens fazem parte da Parceria Público-Privada (PPP) vencida pela CAF no início de 2010 para o fornecimento de 36 trens para a CPTM.

Os veículos possuem passagem livre entre os carros (gangway) e oito carros cada. A CAF está produzindo os trens em sua unidade de Hortolândia (SP).

Essa é a primeira frota da CPTM em regime de PPP, no valor aproximado de R$ 1,8 bilhão. O contrato também contempla a manutenção da frota por 20 anos.

Desde 2006, o governo de São Paulo já adquiriu 105 trens para a CPTM. Com a entrega dos dois trens, a companhia totaliza 79 novos trens em operação em suas seis linhas. Os 26 trens restantes serão entregues gradativamente até 2013.

Projetos do Expresso Jundiaí estão divididos em 4 lotes


Fonte: Revista Ferroviária

O edital da licitação internacional dos projetos básico e executivo do Expresso Jundiaí já está disponível no site da CPTM.  A licitação está dividida em quatro lotes. O lote 1 compreende o trecho entre a estação Água Branca (km 5,9) até a Vila Clarice (km 14,0); o lote 2 vai da Vila Clarice até as proximidades da Rodovia dos Bandeirantes (km 26,5); o lote 3 será entre a Bandeirantes e Várzea Paulista (km 42,2); o quarto e último lote compreende o trecho entre Várzea paulista e Jundiaí (km 53,0).

O edital está disponível nos sites www.cptm.sp.gov.br e www.e-negociospublicos.com.br. A sessão pública para recebimento das propostas está marcada para 14 de novembro, às 14h, na Rua Boa Vista nº 170, Mezanino, Auditório C, Centro, São Paulo (SP). Outras informações poderão ser obtidas pelo fax (11) 3293-4687.

O Expresso Jundiaí será um serviço rápido de ligação entre Jundiaí e São Paulo, com cerca de 47 km de extensão e tempo de viagem estimado em 25 minutos, e seguirá ao lado da atual ferrovia, que passa por Perus. A viagem terá duas paradas, uma na Água Branca, na capital paulista, e a outra no centro da cidade do interior. O valor do investimento estimado para os projetos é de cerca de R$ 153 milhões.

A demanda inicial da linha é de cerca de 20 mil passageiros por dia. O serviço deverá ser implantado e operado por uma concessionária privada, por meio de PPP, com investimento estimado em R$ 3,2 bilhões.
Nota de Esclarecimento 

“Em relação à matéria “Expresso Trem Jundiaí ainda demora”, publicada pelo site da Revista Ferroviária, a CPTM (Companhia Paulista de Trens metropolitanos) esclarece que o Diretor de Planejamento e Projetos, Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro, informou em sua apresentação que o prazo previsto para a conclusão dos projetos básicos e executivos é de 24 meses e previsão para início de operação tem o horizonte entre 2016 e 2017.

O projeto Trem Expresso Jundiaí esta inserido no PPA 2011-2015 (Plano PluriAnual), com possibilidade de ser implantado por meio de PPP (Parceria Publico Privada). Cabe ressaltar que a manifestação da iniciativa privada neste tipo de empreendimento é sempre bem vinda. Visando acelerar o processo, a modelagem incorporará valores de investimentos advindos já dos projetos básicos com definição de desempenho. Isso inclui as variáveis ambientais nas soluções técnicas do projeto e resultados dos estudos de demanda. O conjunto desses dados mitiga riscos e potencializa atratividade para o empreendimento junto à iniciativa privada.

A observação referente ao aporte de recursos do Estado tem o objetivo de destacar o real interesse na implementação deste novo padrão de serviços, como um relevante propósito da política de transportes de pessoas, e não o sentido de definir aporte exclusivo de recursos do Estado”.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Alckmin anuncia reformas em 12 estações da CPTM


Fonte: Diário Web

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) anunciou ontem, segunda-feira, que vai fazer reformas em 12 das 17 estações da Linha 7-Rubi, que liga a capital paulista a Jundiaí. O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), durante evento para lançamento do projeto de trem expresso que vai ligar as duas cidades.

As primeiras estações da reforma, Franco da Rocha, Francisco Morato, Jaraguá e Vila Aurora, já estão com as obras em andamento. A previsão é que as próximas reformas comecem entre 2013 e 2014. As inaugurações das novas paradas devem ocorrer apenas em 2015. A estimativa do governo do Estado é gastar R$ 30 milhões com os projetos das estações e cerca de R$ 675 milhões com as obras.

Em oito estações (Pirituba, Perus, Caieiras, Baltazar Fidelis, Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí) a contratação do projeto executivo já terminou. As obras devem começar entre o fim deste ano e o começo de 2013. A promessa da CPTM é contratar, até o começo do ano que vem, os projetos para as estações Água Branca, Lapa, Piqueri e Vila Clarice.

Em todas as paradas, as obras incluem a instalação de escadas rolantes, piso tátil para deficientes, banheiros e outros serviços para readequar a linha à demanda de passageiros, que hoje chega a meio milhão de pessoas por dia.

Trem expresso
O edital para contratar o projeto executivo do trem que ligará a capital e Jundiaí em 25 minutos será publicado hoje. O trajeto terá partida na Estação Água Branca e conexão com a Linha 7-Rubi e com a futura Linha 6-Laranja do Metrô - conforme o Estado antecipou há duas semanas. 

O projeto deve ficar pronto até o fim do ano. A expectativa do governo é iniciar a construção da linha no ano que vem, com custo previsto de R$ 3,2 bilhões e participação de empresas privadas.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Cemitério de vagões na Mooca será obra de arte


Fonte: Diário de Mogi

A antiga estação no coração da Mooca, zona leste paulistana, é há cerca de dez anos um grande cemitério de vagões de trens abandonados. Mas esse cenário mudará: vai virar obra de arte.

Perto da atual estação Mooca da CPTM, a linha férrea foi sinônimo de progresso e riqueza no século passado - trens que passavam por ali carregavam minérios rumo ao porto de Santos.

Até o final do mês, quem tomar o trem de passageiros em direção à estação verá 1,2 km de vagões de carga cobertos por um véu branco.

Um grupo de artistas ganhou uma licitação da Prefeitura de São Paulo, que previa a colocação de obras de arte na cidade. "Só que ao invés de criar alguma coisa, decidimos interferir em algo que já existia ali", diz José Resende, idealizador do projeto.

Com a obra, os artistas Resende e Nelson Brissac, junto com a engenheira Heloísa Maringoni, pretendem discutir a ocupação urbana da região, o destino dos resíduos sólidos na cidade e o sucateamento dos trens.
Em paralelo à intervenção, eles também farão esculturas com contêineres no Memorial da América Latina, na Barra Funda (zona oeste). Isso acontecerá hoje, a partir das 9h.

A intervenção nos dois pontos da cidade pretende mostrar que o que é hoje um grande "entojo" pode ter uma outra serventia para cidade.

Resíduos sólidos
"Queremos colocar o dedo na questão dos resíduos sólidos [como restos de demolições e sobras industriais] acumulados na cidade", explica Nelson Brissac. Cerca de 30 dos vagões que serão cobertos pelo tecido branco já têm um destino.

Eles foram comprados em leilão pela siderúrgica Gerdau, que irá reciclar o material e transformá-lo em aço.
Mas de acordo com a estimativa do grupo ainda restam cerca de 40 mil vagões abandonados pelo Estado - muitos deles pertencem à União. "Antes de começar qualquer plano de revitalização [do bairro], esses vagões precisam ser removidos de onde estão", diz Brissac.

Trens da Linha 12-Safira voltam a circular



Fonte: CPTM

Circulação é reestabelecida, mas a estação Comendador Ermelino Matarazzo permanece sem operar. A CPTM disponibiliza ônibus para atender o trecho USP-Leste até Comendador Ermelino e São Miguel Paulista até Comendador Ermelino.

Os usuários têm sido informados pelo sistema de som dos trens e estações.

Protesto de usuários interrompe circulação da linha 12 - Safira da CPTM


Fonte: R7

Um protesto de usuários interrompeu circulação da linha 12 — Safira (Brás-Calmon Viana), da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), na manhã desta segunda-feira (17). Segundo a assessoria da empresa, os passageiros estariam indignados com a demora no deslocamento dos trens.
A confusão começou quando usuários invadiram os trilhos de trem na altura do número 8.000, da avenida Doutor Assis Ribeiro, entre as estações USP Leste e Comendador Ermelino.  Eles teriam apedrejado pelo menos uma composição. 

A CPTM informou que um trem que seguia na Linha 12 (Brás-Calmon Viana), sentido Brás, por volta das 06h05, desta segunda-feira, apresentou defeito no sistema de tração na Estação Engenheiro Goulart e foi retirado da circulação. Por conta do excesso de usuários, volta das 07h30, uma outra composição não conseguiu partir no sentido da estação Brás.

Os usuários não aguardaram o restabelecimento da circulação e desceram na via. Por motivo de segurança, a circulação de trens foi interrompida e as estações fechadas para controle de fluxo.

Para conter a manifestação, o helicóptero Águia 6, da Polícia Militar, policiais militares da 4º Companhia do 2º batalhão e viaturas do Corpo de Bombeiros foram chamados, por volta das 8h50. Segundo informações iniciais, os usuários de uma composição atearam fogo no veículo por conta da demora de deslocamento do trem.

Segundo testemunhas, minutos antes a composição parou várias vezes no percurso. Diversos passageiros passaram mal. Ainda não foi confirmado se a composição realmente está em chamas, mas os bombeiros foram deslocados para a ocorrência.

Quatro pessoas são presas após quebrarem trem na zona leste de SP


Fonte: O Globo

Quatro pessoas foram presas após depredarem um trem e iniciarem um tumulto na estação Ermelino Matarazzo da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), na manhã desta segunda-feira. A Polícia Militar chegou a usar bombas de efeito moral para conter o tumulto. Um banheiro químico foi jogado nos trilhos.

A confusão, segundo a CPTM, aconteceu depois que uma falha de tração atingiu um trem que trafegava na linha 12, que transporta, por dia, cerca de 230 mil passageiros. O problema aconteceu às 6h05m e interrompeu a circulação na linha.

Por conta do excesso de usuários, por volta das 07h30m, uma outra composição não conseguiu partir e os usuários não aguardaram o restabelecimento e desceram à via.

“Por motivo de segurança, a circulação de trens foi interrompida e as 13 estações fechadas para controle de fluxo”, informou a CPTM.

A segunda-feira foi de caos para os usuários dos trens da CPTM. As linhas 7 e 8 também foram interrompidas em alguns trechos por conta do incêndio na Favela Moinho, região central da capital, que deixou uma pessoa morta.

Passageiros depredam trem e estação da CPTM na Zona Leste


Fonte: Terra

A Polícia Militar foi acionada às 8h15 desta segunda-feira para conter um tumulto provocado por passageiros na estação Comendador Ermelino da Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM), na zona leste da capital. Segundo a PM, tudo começou quando os trens que trafegam pela Linha 12-Safira deixaram de circular, provocando a ira dos usuários da CPTM, que começaram a depredar a estação.
 
Ainda de acordo com a corporação, os passageiros tentaram agredir os vigias da estação. Não há informações de quantos policiais participavam da ocorrência ou da existência de feridos.

A CPTM informou que o problema na linha foi provocado por uma composição que sofreu um pane na estação Engenheiro Goulart. Por esse motivo, toda a linha foi bloqueada para o tráfego de trens. Por volta das 9h45, não havia previsão para a liberação do trecho interrompido.

Além da Linha 12-Safira, um incêndio em uma favela na região central de São Paulo provocou a interdição de outras duas linhas da CPTM. As linhas 7-Rubi e 8-Diamante deixaram de operar entre as estações Luz e Barra Funda por causa das chamas.

Após falha, passageiros quebram trem em estação da CPTM


Fonte: G1

Passageiros depredaram um trem da Linha 12- Safira na Estação Comendador Ermelino, na Zona Leste de SP, na manhã desta segunda-feira (17). A Polícia Militar foi chamada para conter a confusão. A Companhia Paulistana de Trens Metropolitanos (CPTM) informou que o tumulto ocorreu após uma falha no trem.

Os policiais chegaram a utilizar bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os passageiros e ajudaram a esvaziar as composições, segundo informações do Globo Notícia.

O capitão Marco Aurélio, do 2º Batalhão, informou à Globo News que quatro pessoas foram detidas por vandalismo e incitação ao tumulto. Segundo o policial, a estação precisou ser esvaziada e a CPTM devolveu os bilhetes aos usuários.

Um banheiro químico foi jogado nos trilhos da linha, que liga o Brás a Calmon Viana e atende cerca de 230 mil passageiros. Até as 10h, uma ambulância do Samu estava no local, mas não havia informações sobre feridos durante o tumulto.

A confusão aconteceu depois que uma falha de tração atingiu um trem que trafegava no sentido Brás, na Estação Engenheiro Goulart. O problema aconteceu às 6h05 e interrompeu a circulação na linha.

Por conta do excesso de passageiros, volta das 7h30, uma outra composição não conseguiu partir no sentido da estação Brás. Os usuários não aguardaram o restabelecimento e desceram à via, segundo nota divulgada pela CPTM.

Para conter o fluxo de passageiros, a companhia fechou as 13 estações da Linha 12-Safira. A SPTrans informou que a operação Paese não foi acionada. As linhas, porém, que funcionam na região servida pela linha Safira operam como se estivessem em horário de pico para auxiliar os passageiros da CPTM prejudicados pela confusão.

Incêndio destrói o que restou da 'Favela do Moinho' em SP e afeta circulação das linhas 7-Rubi e 8-Diamante

Em Janeiro, prédio sofreu incêndio e foi demolido: cena se repetiu agora
Fonte: G1

Um incêndio atingia a favela do Moinho, embaixo do Viaduto Engenheiro Orlando Murgel, na região de Campos Elíseos, no Centro de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (17). O fogo, que começou pouco depois das 7h, se espalhou com rapidez. A fumaça era bastante intensa e o tráfego dos veículos foi interrompido no viaduto nos dois sentidos, por volta das 7h30, pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Os barracos embaixo do viaduto foram destruídos rapidamente, mas até por volta das 7h50 não havia informação de vítimas. Dezoito equipes do Corpo de Bombeiros faziam o combate às chamas em vários pontos da favela. Eles receberam a ajuda de moradores, que tentavam jogar água com mangueiras domésticas e retirar pertences de suas casas. A comunidade foi atingida por um grave incêndio no final do ano passado.

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) interrompeu a circulação de composições da região da favela do Moinho, por onde passam as linhas 7-Rubi e 8-Diamante. Os passageiros de um trem precisaram descer e seguir a pé por volta das 7h30. O vento e o tempo seco contribuem para a expansão das chamas. A cidade de São Paulo completa nesta segunda-feira, 61 dias sem chuvas significativas, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

O incêndio de 22 de dezembro de 2011 abalou as estruturas do Edifício Moinho, que precisou ser implodido pela Prefeitura - a circulação dos trens da CPTM chegou a ficar interrompida por semanas no local.

Linha 13 pode não ficar pronta para a Copa, diz secretário


Fonte: Sonda Brasil

O secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, admitiu que a Linha 13 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que vai ligar São Paulo ao Aeroporto de Guarulhos, pode não ficar pronta para a Copa do Mundo de 2014. “Tudo pode acontecer”, disse.

O secretário reiterou, no entanto, que a secretaria trabalha para que a obra fique pronta até julho de 2012. “Ainda não desistimos [desse prazo], estamos correndo com todo gás”, afirmou. Segundo Fernandes, o Consórcio Invepar, que assumiu a administração do Aeroporto de Cumbica, já demonstrou interesse em participar do projeto que vai ligar Cumbica, em Guarulhos, à Linha 12 da CPTM – possibilitando que passageiros do aeroporto cheguem à capital paulista por meio da rede metroferroviária.

O Consórcio Invepar, ainda segundo o secretário, também solicitou a mudançado local planejado para a estação para a instalação de um centro de convenções junto ao aeroporto. “Estamos estudando as possibilidades”, afirma. A entrega da obra que prevê 12 quilômetros de extensão entre a Estação Engenheiro Goulart (Linha 12-Safira) e o aeroporto depende, de acordo com Fernandes, das desapropriações e da velocidade da obra no tempo previsto. “Pode não ficar pronto, assim como pode estar concluído [para a Copa]”, afirmou. As obras são executadas pelo Grupo Consultor EPC, que venceu a licitação em abril, apresentando projeto no valor de R$ 22,3 milhões.

O secretário lembrou que há 55 quilômetros de obras de metrô contratadas e que deste total 30 quilômetros serão entregues em 2014, quando há eleição para o governo do Estado. “O fato de entregarmos 4,5 quilômetros em 2013 e a maior parte em 2014 não tem a ver com eleições. Gostaria de entregar tudo hoje, mas as obras têm um ritmo”, ressaltou, lembrando que em 2013 haverá entrega de 15 estações da CPTM que estão sendo reformadas.

Os recursos necessários para a execução das obras de ampliação de metrô e CPTM chegam a R$ 45 bilhões, dos quais R$ 7 bilhões saem do orçamento do Estado; R$ 23 bilhões de financiamentos junto a bancos sociais; e R$ 15 bilhões da iniciativa privada. “Estamos tentando todos os caminhos possíveis. A tendência é que a iniciativa privada caminhe mais rápido com seus projetos.”

Para o presidente da Via Quatro, Luiz Valença de Oliveira, que administra a Linha 4-Amarela, em São Paulo, a celeridade da execução da iniciativa privada ocorre por conta do modelo do negócio. “As empresas têm interesse que obras saiam mais rápido para que tenham retorno. Enquanto não há passageiros usando não temos lucro.”

Valença disse ainda que os acionistas da Via Quatro – CCR e Odebrecht TransPort – têm interesse tanto nos novos projetos de administração  e construção de novas linhas de metrô quanto nos trens regionais que vão ligar São Paulo a Jundiaí, Santos e Sorocaba. “O processo dos trens e do metrô é parecido. Temos interesse em projetos que possuem forma e estrutura vantajosa”, afirmou.

sábado, 15 de setembro de 2012

CPTM altera circulação dos trens nesse fim de semana. Confira as intervenções e programe sua viagem


Fonte: CPTM

Em razão das obras de modernização da infraestrutura, a operação de trens na CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] será realizada com maior intervalo, nas linhas impactadas pelas obras, neste fim de semana. Confira a programação:

Linha 7 [Luz - Francisco Morato]: neste sábado [15], das 19h até o fim da operação comercial, os trens circularão com maior intervalo devido a intervenções na via permanente entre as estações Água Branca e Pirituba.

No domingo [16], durante todo o dia, o trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus estará fechado para intervenções de grande porte.

Como opção, os usuários podem utilizar a Linha 7, entre as estações Luz e Palmeiras-Barra Funda, onde farão a transferência para a Linha 8, seguindo até a estação Domingos de Moraes. De lá partirão ônibus gratuitos para levar os usuários até a estação Perus, na Linha 7, onde a circulação de trens ocorrerá até Jundiaí. Os coletivos farão paradas para embarque e desembarque somente nas estações Domingos de Moraes, Pirituba e Perus.

Linha 8 [Júlio Prestes - Itapevi]: no domingo [16] durante toda a operação comercial, os trens circularão com maior intervalo devido a intervenções nos sistemas de via permanente entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Osasco.

Linha 9 [Osasco - Grajaú]: trens circularão com maior intervalo durante a operação comercial deste domingo [16], devido a serviços de modernização do sistema de rede aérea.

Linha 10 [Brás - Rio Grande da Serra]: a partir das 7h até às 17h de domingo [16], os trens circularão com maior intervalo médio devido a intervenções no sistema de via permanente.

Linha 11 [Luz - Guaianazes - Estudantes]:
no domingo [16], durante toda a operação comercial, os trens circularão com maior intervalo devido a intervenções nos sistemas de rede aérea e via permanente.

Linha 12 [Brás - Calmon Viana]: durante estes sábado [15] e domingo [16], os trens não circularão entre Brás e Tatuapé, em razão da continuidade das obras. De Calmon Viana até Tatuapé, a partir das 18h do sábado e durante todo o domingo, os trens circularão com maior intervalo. Os usuários com destino à região central deverão fazer transferência para a Linha 11, na estação Tatuapé.

Informação aos Usuários. Para orientar o usuário sobre essas mudanças temporárias, a CPTM vem divulgando as intervenções por meio de AP [avisos sonoros] emitidos nos trens e cartazes fixados nas estações, além das redes sociais da Companhia. Empregados também estão posicionados para auxiliarem o público.

Desafio: a CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Na eventualidade de dúvidas ou de informações complementares, a CPTM coloca à disposição a Central de Atendimento ao Usuário, no telefone 0800 0550121.

Expresso Jundiaí ainda vai demorar


Fonte: Revista Ferroviária

Hoje, a CPTM estará publicando no seu site o edital de licitação dos projetos básico e executivo para a implantação do Trem Expresso Jundiaí. O endereço eletrônico é www.cptm.sp.gov.br, e o texto pode ser baixado livremente. Escolhido o vencedor, será preciso esperar quatro anos para a conclusão dos projetos, o que por sua vez condiciona a abertura de PPP, segundo Silvestre Rocha Ribeiro, diretor de Planejamento da CPTM. "não podemos oferecer PPP sem ter a modelagem, e não podemos ter a modelagem sem o projeto executivo". A possibilidade de recorrer a uma MIP (Manifestação de Interesse Privado), como tem feito o Metrô de São Paulo, para acelerar o processo é descartada por Silvestre: "não precisamos disso".

O  eventual desinteresse dos parceiros privados - como aconteceu no Expresso Aeroporto -  também não o preocupa. Hoje, a CPTM tem no seu programa de obras a Linha 13-Jade para Guarulhos, partindo do Brás,  e estuda a  Linha 14-Ônix para o aeroporto, saindo da Luz. Nada impede que o mesmo aconteça com o Expresso Jundiaí:  "você acha que o governo estaria disposto a gastar R$ 150 milhões num projeto que não pretende executar?", pergunta o diretor.

O Expresso Jundiaí será um serviço rápido de ligação entre Jundiaí e São Paulo, com cerca de 47 km de extensão e tempo de viagem estimado em 25 minutos, e seguirá ao lado da atual ferrovia, que passa por Perus. A viagem terá duas paradas, uma na Água Branca, na capital paulista, e a outra no centro da cidade do interior. O valor do investimento na obra é estimado em R$ 3,2 bilhões.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

CPTM e Jurandir Fernandes não se entendem e frustram expectativas dos usuários

Estação Suzano em obras: Expresso Leste terá sua parada final aqui
Fonte: DAT

Foi só o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, vir a público e afirmar que o Expresso Leste poderia chegar até Suzano em 2013, um ano antes do previsto, para a assessoria de Imprensa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) trazer à tona a realidade e jogar um balde de água fria nas expectativas dos usuários do serviço na cidade. Embora a estação e a passarela provisórias já estejam montadas e prestes a serem abertas aos passageiros, o cronograma de obras da estação definitiva ainda mantém o primeiro semestre de 2014 como o prazo atual para a conclusão dos serviços.

Ou seja, pode ser que até o final de junho daquele ano, quando a Copa do Mundo já tiver começado em São Paulo, a desumana baldeação continuará sendo feita em Guaianazes. "Pode ser" porque levando-se em conta o histórico de promessas e prazos não cumpridos pela CPTM os usuários do transporte ferroviário na região ainda correrão o risco de ouvirem novas previsões até lá, como tem acontecido nos últimos anos. Se o primeiro anúncio tivesse sido verdadeiro, os passageiros teriam o Expresso Leste à disposição há muito tempo. Infelizmente, não foi o que ocorreu.

A presença do secretário estadual na região na semana passada, quando estimou a possibilidade de adiantar o início do serviço do trem espanhol nas cidades daqui, mais especificamente na Linha 11-Coral, foi também para dar corpo à campanha à reeleição do prefeito de Mogi das Cruzes, Marco Aurélio Bertaiolli (PSD). Não era nem sua intenção fazer qualquer anúncio nesse sentido, porém, após ser questionado, acabou fazendo mais uma previsão que a própria CPTM já demonstrou ser completamente furada. Claro, pois a vinda do Expresso Leste para as cidades do Alto Tietê, no caso Ferraz de Vasconcelos, Poá e Suzano, em um primeiro momento, e Mogi das Cruzes, em uma segunda ocasião, depende exclusivamente da reconstrução das estações nesses municípios, pois passarão a ter estrutura para receber trens mais modernos e não mais os de subúrbio, os chamados "sucatões".

Toda essa lambança e desinformação é fruto de uma falta de planejamento por parte da CPTM e do governo do Estado em falar com mais clareza desde o início com o cidadão que depende do transporte ferroviário. Do contrário, nada disso estaria ocorrendo agora. No entanto, o que paira sobre os passageiros é a incerteza sobre o assunto e a incredulidade nas autoridades. Ninguém mais sabe em quem acreditar e dar um voto de confiança. Se não tem condições de entregar uma obra em tempo, ou mesmo antecipá-la, ou não conseguirá oferecer um serviço como gostaria por enquanto, que não enchesse então as pessoas de expectativas. Só quem pega trem todos os dias e sofre com o descaso do serviço oferecido - além do desrespeito de muitos usuários nas plataformas e nas composições - sabe o que não é feito por parte da CPTM e quanto tudo precisa melhorar.

Certamente, o secretário e as autoridades da empresa estadual não sentem na pele essa situação. Daí a vir a público e gerar esperanças infundadas que só aumentam a insatisfação dos passageiros é no mínimo irresponsável. As pessoas estão cansadas de promessas. Elas querem resultados práticos. Hoje é possível ver que a obra da nova estação de Suzano caminha a passos largos, com praticamente todas as demolições necessárias já providenciadas e vários funcionários da empreiteira contratada trabalhando no canteiro. Isso, por si só, já deixa os passageiros esperançosos de que algo começa a ser concretizado. Agora, em um momento eleitoral jogar informações que não vão se converter em realidade é tão cruel quanto os problemas que o atual serviço oferece.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

CPTM aposta no Expresso Jundiaí


Fonte: Jornal de Jundiaí

Daqui a cinco anos, a Região deverá contar com outro sistema de transporte ferroviário ligando Jundiaí à Capital: será o Expresso Jundiaí, projeto que prevê ligar as estações de Jundiaí e Água Branca num intervalo de 25 minutos e cuja demanda de transporte é estimada em 20 mil passageiros por dia.

A linha terá 47 quilômetros de extensão, aproveitando parte da faixa ferroviária existente. A outra parte será implantada em trecho segregado do trem metropolitano. De acordo com a CPTM, o projeto funcional já foi concluído e, em breve, serão contratados os projetos básico e executivo. Deverão ser investidos R$ 3,2 bilhões, através de parcerias público-privadas.

A implantação do Expresso Jundiaí, segundo a CPTM, atende a necessidade de deslocamento da população entre Jundiaí, importante polo regional, e São Paulo, com um meio de transporte rápido, econômico e não-poluente, com sensível redução nos tempos de viagem - além de descongestionar o modal rodoviário existente.

Enquanto não chegamos a 2017, outras obras emergenciais estão em curso, para tentar dar mais conforto ao usuário regional. As estações Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Caieiras e Perus serão modernizadas, ganhando plataformas cobertas, escadas rolantes, elevadores, piso e rota táteis, comunicação em braile, corrimãos e rampas adequadas, banheiros públicos e sanitários exclusivos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Além disso, a estação da Vila Arens (já tombada) será restaurada. Em julho foi assinado o contrato entre CPTM e Consórcio Pedro Taddei-F&T, que fará a revisão do projeto básico e a elaboração do projeto executivo, visando o restauro da estação Jundiaí.

Ainda na Linha 7 (Luz - Francisco Morato - Jundiaí) a estação Jaraguá será totalmente reconstruída, com um investimento de R$ 32,7 milhões. Também serão reconstruídas as estações de Franco da Rocha e de Francisco Morato. E já estão em andamento as obras de construção de uma nova estação: a de Vila Aurora.

A CPTM informa que todas as linhas passam por obras, com a implantação de novos sistemas de sinalização, telecomunicações, energia, rede aérea e via permanente, além das estações mais antigas e da frota de trens. A empresa chega aos seus 20 anos de atuação transportando 2,6 milhões de passageiros por dia, atendendo 22 municípios. Números bem diferentes de 1992, quando a empresa assumiu o passivo deixado pela CBTU e Fepasa - mais de 250 quilômetros de linhas sucateadas.

Alckmin autoriza publicação do edital para licitação do Expresso Jundiaí


Fonte: CPTM

Nesta segunda-feira, 10, o governador Geraldo Alckmin lança o edital de licitação dos projetos básicos e executivos para implantação do Trem Expresso Jundiaí. Será uma concorrência internacional e o vencedor terá prazo de 24 meses para entregar os estudos. O valor do investimento estimado para os projetos é de cerca de R$ 153 milhões.

Após a publicação do edital, a CPTM, responsável pela implantação do projeto, prevê a abertura dos envelopes com as propostas em 60 dias. A empresa a ser contratada desenvolverá todos os estudos de infraestrutura necessários para o empreendimento, considerando as variáveis ambientais e aspectos geotécnicos, entre outros, na elaboração dos projetos e possíveis adequações de traçado.

A licitação também contempla a elaboração dos projetos básicos e executivos de uma nova estação em Jundiaí, da estação Água Branca e de um novo pátio de manutenção e estacionamento de trens.

Posteriormente, serão contratados os estudos ambientais que constituirão o EIA - RIMA e demais exigências no processo de licenciamento para obtenção da LP, além de estudos de viabilidade econômica e financeira que definirão a forma de aporte de recursos do Estado, uma vez que se prevê uma concessionária privada para operar esse serviço por meio de PPP [Parceria Público-Privada].

Sobre o empreendimento Trem Expresso Jundiaí
O Trem Expresso Jundiaí consiste em uma linha de trem que atenderá a necessidade de deslocamento da população entre Jundiaí, importante polo regional, e a cidade de São Paulo, com tempo máximo de viagem de 25 minutos.

A demanda inicial da linha está estimada em cerca de 20 mil passageiros por dia. O novo serviço deverá ser implantado e operado por uma concessionária privada, por meio de PPP, com investimento estimado em R$ 3,2 bilhões.

A linha terá 47 km de extensão, segregados das vias do trem metropolitano, aproveitando parte da faixa ferroviária existente. Para atender a demanda do serviço expresso, serão construídas as novas estações Jundiaí e Água Branca, que estarão integradas aos demais modos de transporte da região. A previsão é que o novo serviço entre em operação entre 2016 e 2017.
 
O projeto Trem Expresso Jundiaí será um meio de transporte rápido, não poluente e econômico. Competitivo em relação ao transporte particular e aos outros meios de deslocamento coletivo proporcionará ganhos de viagem, conforto, confiabilidade e economia, além de colaborar para a redução de carros e ônibus no modal rodoviário existente no eixo São Paulo-Jundiaí.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Do céu ao inferno em 4 horas

Trens lotados nos horários de pico: cena comum para quem usa a CPTM
Fonte: Jornal de Jundiaí

Os cerca de 15 mil passageiros que, diariamente, embarcam nas estações Jundiaí, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista ou Botujuru com destino a Francisco Morato - e, de lá, para a Luz - podem fazer duas viagens distintas para a Capital. Numa, no horário do rush (que, para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos começa às 5h e vai até às 8h30; depois, novamente entre 16h30 e 19h; e das 21h até por volta de meia-noite), os trens circulam com intervalo médio de quatro a sete minutos e as condições são críticas, mas não custa recapitular a cena: cerca de 250 pessoas vão se espremendo em cada vagão.

O passageiro é empurrado para entrar, arrastado para um canto, leva alguns pisões, fica sem controle algum sobre para onde ir. Quando as portas se fecham, sequer precisa de apoio para se segurar. Está entalado entre os demais trabalhadores. Mas tudo pode piorar: alguém, bem ao lado, com certeza ligará o telefone celular, tocando um rap, funk ou pancadão. Para todo o vagão curtir o hit, claro, porque o sujeito em questão não usa fones de ouvido. Na hora de sair, o passageiro será ´cuspido´ para fora, provavelmente já na Barra Funda ou Luz. Estará suado, descabelado, roupa amassada... E, ainda assim, o dia só estará começando.

Mas há, também, a classe "econômica". Nesta, o afortunado passageiro que embarca a partir das 9 ou 10 horas, em direção à Capital, terá de esperar um pouco mais pelo trem (o intervalo médio, passado o rush, sobe para oito minutos, segundo a companhia). Mas o usuário que embarca em Francisco Morato irá (provavelmente) sentado, com portas fechadas, num ambiente limpo, a uma velocidade média que pode chegar a 70 km/h (em determinados trechos). Ou a 20 km/h, se o passageiro der o azar de a composição em que ele embarcou estiver atrás de um trem cargueiro - que utiliza a mesma via e está autorizado a circular entre 9h e 15h30.

Os dois mundos, as duas ´categorias´ de usuários, já foram piores, como lembra a operadora de telemarketing Belame Duarte Leal, 25 anos, moradora em Francisco Morato. "Meu pai deixou de trabalhar em São Paulo depois de anos indo de trem, na pior hora, logo de madrugada, e ter de conviver com gente que escalava o vagão pela janela e ia lá em cima", conta a moça, fazendo referência aos ´surfistas ferroviários´ que, na década de 1980, arriscavam a vida viajando os cerca de 50 quilômetros entre Morato e a Capital sobre os vagões, driblando a fiação da rede.

Belame trabalha na Barra Funda e, caderno sobre o colo, vai estudando detalhes do negócio em que atua (é operadora de seguros). Ela (quase) só tem elogios ao sistema de transporte. O único "senão" é que a volta fica bem longe da tranquilidade da viagem de ida - e o jeito é se acomodar do jeito que dá, em pé mesmo, por uma viagem que, em média, demora 55 minutos entre Francisco Morato e a Luz (os jundiaienses precisam acrescentar cerca de 20 minutos ao percurso).


Muita coisa mudou, de fato, desde a extinção da ´espécie´ dos surfistas ferroviários. Os trens iam de portas abertas; hoje, não partem a menos que esteja tudo fechado; os problemas de infraestrutura - muitos, herdados da antiga malha da CBTU e Fepasa - foram sendo resolvidos, embora haja muita coisa a ser feita (leia nesta página); o sistema de policiamento implantado acabou, também, com as dúzias de ambulantes que ganhavam a vida vendendo toda sorte de bugigangas, salgados e doces de oridem prá lá de duvidosa. Hoje, ainda há alguns desavisados que arriscam a sorte: são barrados tão logo entram no vagão ou, no máximo, na estação seguinte - porque os agentes de segurança que circulam à paisana logo dão o alarme.

Confusões simples, como fumar dentro dos vagões, também terminaram. Afinal, basta que o incomodado (com essa ou qualquer outra irregularidade) saque o seu telefone celular e digite uma mensagem de texto para 97150-4949, informando o delito que está sendo praticado, os detalhes do carro, a linha em que está viajando e o número do veículo. Na estação seguinte, os seguranças entrarão no vagão para resolver o problema. O passageiro nem precisará se indispor para fazer a sua denúncia.

Não é que nosso transporte ferroviário seja de ´primeiro mundo´ - mas é, no mínimo, confortável para uma parcela de seus usuários. A parcela que, como Jamile Mendes de Almeida, moradora no Jardim Carlos Gomes, em Jundiaí, utiliza o trem esporadicamente para ir a São Paulo. "Não troco o trem por nada. É barato, é rápido, vou tranquila, sentada, até o metrô. Dependendo do horário, também volto de trem."

Ou a fração de trabalhadores formada pelo eletricista Cascimiro Alves Ferreira, morador em Morato que trabalha em Jundiaí. Na maioria das ocasiões, portanto, vai no contrafluxo. Mas nem sempre foi assim. "Já cheguei a trabalhar em Guarulhos. Ia de trem até a Zona Leste de São Paulo, depois encarava outra viagem até o bairro dos Pimenta, eram quase 4 horas de viagem entre casa e trabalho", conta.

Há, ainda, quem lembre que os finais de semana são outro caos, como diz a estudante de Comércio Exterior Sheila Martins. "Quis ir para São Paulo no sábado, esperei quase uma hora." A explicação da CPTM: a companhia tem utilizado o final de semana para acelerar as obras necessárias de estrutura.

CPTM abre concurso público - Vagas chegam a R$ 4,9 mil


Fonte: Jornal dos Concursos

Nesta sexta-feira (14) serão abertas as inscrições para o novo concurso, lançado pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), com o objetivo de preencher 40 vagas de níveis fundamental, técnico e superior. Além das colocações efetivas, a seleção também visa a formação de cadastro reserva.

As oportunidades contam com salários iniciais de R$ 1.472,62 a R$ 4.910,84, podendo passar a R$ 5.082,72, após a efetivação. As jornadas variam de 20 a 40 horas semanais e também há vagas para pessoas com deficiência (confira edital anexo).

Para garantir a participação, o candidato deve acessar o site www.makiyama.com.br até o dia 28 de setembro. As taxas vão de R$ 12,55 a R$ 22,65.

Ofertas
Candidatos com o nível fundamental concorrerão aos postos de soldador (1); pintor industrial (1); pedreiro (1); e operador de máquinas operatrizes (5). Já no nível técnico, são 10 colocações para assistente de secretaria.

Para aqueles com formação superior, as opções são para analista de projetos e obras (10); analista econômico financeiro jr. (1); analista de patrimônio jr. (3); analista de materiais jr. (4); analista de planejamento e desenvolvimento operacional jr. (2); e médico do trabalho (2).

Etapas de avaliação
O processo de seleção contará com cinco etapas, sendo a primeira composta por prova de conhecimentos teóricos. A aplicação está prevista para 21 de outubro, na capital paulista. Serão questões de língua portuguesa, matemática, inglês, noções de informática e conhecimentos específicos.

Os aprovados também passarão por checagem de pré-requisitos, avaliação do perfil profissional, prova prática e avaliação médica, todas de caráter eliminatório.

Governo de SP estuda trem de Jundiaí à Campinas


Fonte: Revista Ferroviária

Após pressão de vários municípios da região, o governo estadual vai realizar um estudo para analisar a viabilidade de reativar o transportes ferroviário de passageiros entre Jundiaí e Campinas. O edital com a indicação do estudo foi publicado no ”Diário Oficial do Estado”, com assinatura em conjunto com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O trem não será expresso, como o governo já chegou a publicar recente estudo. Ou seja, de acordo com o  secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, caso o transporte ferroviário de passageiros seja retomado, terá paradas em Louveira, Vinhedo e Valinhos.

Por enquanto, o governo aceitou apenas estudar a possibilidade de retomar o transporte ferroviário entre Jundiaí e Campinas, depois de várias audiências públicas realizadas nos municípios vizinhos. Portanto, não há garantias para sua implementação.

Mas as esperanças cresceram após discurso do governador Geraldo Alckmin (PSDB) nesta segunda-feira, em Jundiaí, durante cerimônia para o lançamento do edital de licitação dos projetos básicos e executivos para implantação do Trem Expresso Jundiaí, que ligará o município a São Paulo em 25 minutos, sem paradas.

Após a publicação do edital, a CPTM prevê a abertura dos envelopes com as propostas em 60 dias. Com investimentos na casa dos R$ 150 milhões, a licitação será uma concorrência internacional e o vencedor terá o prazo de 24 meses para entregar os estudos.

A empresa a ser contratada desenvolverá todos os estudos de infraestrutura necessários para o empreendimento, considerando as variáveis ambientais e aspectos geotécnicos na elaboração dos projetos e possíveis adequações do traçado.

Segundo Alckmin, a linha terá 47 km de extensão. ”Da Água Branca até Perus vamos aproveitar a mesma faixa ferroviária. Mas a partir daí será construída uma linha totalmente diferente do trajeto de hoje”, explica.
Além disso, o traçado terá 20 km destinados para túneis e em alguns trechos serão construídos viadutos.  “Esse trem vai passar por cima do rio Tietê”, afirma Jurandir Fernandes.

O objetivo do governo do Estado e da CPTM é de que as obras comecem em 2014 e que o novo serviço entre em operação entre 2016 e 2017. A licitação também contempla a elaboração dos projetos básicos para construção de uma nova estação em Jundiaí. Será elaborado um novo pátio de manutenção e estacionamento dos trens.

A demanda inicial da linha está estimada em cerca de 20 mil passageiros por dia. O serviço deverá ser implantado e operado por uma concessionária privada, por meio de PPP (Parceria Público-Privada) com investimento estimado em R$ 3,2 bilhões. Segundo o secretário, estima-se que o preço da passagem seja 10% superior à rodoviária, hoje a R$ 12,10.

Estações também serão reformadas
Oito estações da linha 7 da CPTM passarão por modernização ou reconstrução, inclusive a de Jundiaí, tombada pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) e passará por restauração.

Todas as estações serão adequadas ao novo volume de usuários e vão dispor de escadas rolantes e itens de acessibilidade, como elevadores, piso táteis, comunicação em Braille e adequação de corrimãos.

Serão investidos cerca de R$ 30 milhões nos estudos e R$ 675 milhões para obras. A previsão é que em 2013 os projetos básicos e executivos sejam concluídos. Na sequência será publicado o edital de contratação de obras com projeção de entrega entre 2014 e 2015.

Atualmente as estações de Franco da Rocha e Francisco Morato já estão em reformas.  Segundo Geraldo Alckmin, a linha recebeu oito novos trens e 12 passaram por reformas. O governo do Estado também vai comprar 65 trens compostos por oito carros contínuos cada, ou seja, dá para andar por entre eles.

Para o prefeito de Jundiaí, Miguel Haddad (PSDB), o investimento em modernização na malha ferroviária é fundamental. “Assim vamos conseguir desafogar o trânsito intenso nas rodovias Anhanguera e Bandeirantes”, acredita.

Governador anuncia R$ 705 milhões para modernização da Linha 7-Rubi


Fonte: CPTM

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta segunda-feira, 10, investimento de R$ 705 milhões para modernizar a Linha 7 [Luz-Jundiaí] da CPTM.

"Hojé é um dia histórico. Nós estamos fortalecendo o modal ferroviário, que é um pedido antigo da população. O trem é a nossa total prioridade", ressaltou Alckmin ao informar que todas as estações da Linha 7 serão reformadas, inclusive a de Jundiaí.

A companhia concluiu a contratação dos projetos básicos e executivos para a modernização ou reconstrução de oito estações. Outras quatro terão os editais para licitação publicados até o início de 2013. No total, serão investidos cerca de R$ 30 milhões nos estudos e R$ 675 milhões em obras.

Os projetos básicos e executivos, cujos contratos foram assinados nos últimos meses, referem-se às estações Pirituba, Perus, Caieiras, Baltazar Fidelis, Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí.

Esta última, por tratar-se de patrimônio tombado pelo Condephaat, contempla o restauro da estação.

Todas as estações serão adequadas para o novo volume de usuários e vão dispor de escadas rolantes e de todos os itens de acessibilidade como elevadores, piso e rotas táteis, comunicação em Braille e adequação de corrimãos. Também vão dispor de banheiros públicos e de uso exclusivo para usuários com deficiência ou mobilidade reduzida. Mezanino de acesso e passarela para transpor a faixa ferroviária completam os projetos das estações que serão reconstruídas.

A previsão é que em 2013 os projetos básicos e executivos sejam concluídos, permitindo à CPTM publicar os editais de contratação das obras, com horizonte de entrega entre 2014 e 2015, de acordo com a complexidade dos trabalhos a serem executados.

Até o começo do próximo ano, também serão publicados mais quatro editais visando à contratação dos projetos básicos e executivos das estações Água Branca, Lapa, Piqueri e Vila Clarice.

Atualmente, três estações da Linha 7 estão sendo reconstruídas: Franco da Rocha, Francisco Morato e Jaraguá. Além dessas, a linha ganhará nova estação em 2013. Trata-se de Vila Aurora, que está sendo construída entre as estações Jaraguá e Perus.

A CPTM está trabalhando para adequar suas 89 estações às exigências de acessibilidade: oito estão em obras e 38 já são acessíveis, de acordo com as normas vigentes. O investimento para tornar todas as estações acessíveis é da ordem de R$ 2,3 bilhões.

Além da modernização das estações, a infraestrutura da Linha 7, a exemplo das demais linhas que integram a CPTM, também está sendo recapacitada com a implantação de novos sistemas de sinalização, telecomunicação, energia, rede aérea e via permanente. As obras permitirão que os novos trens que já estão sendo entregues para a frota da CPTM tenham melhor desempenho, com impacto na redução do intervalo e aumento da oferta de lugares.

Com 420 mil usuários por dia útil, a Linha 7 atende a sete municípios: São Paulo, Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí.

Estações que serão modernizadas
Em obras: Franco da Rocha, Francisco Morato, Jaraguá e Vila Aurora

Licitação aberta para contratação de projetos básico e executivo: Pirituba, Botujuru, Baltazar Fidelis, Perus, Caieiras, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí.

Editais de licitação para contratação dos projetos a serem publicados até início de 2013: Água Branca, Lapa, Piqueri e Vila Clarice.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

CPTM altera circulação dos trens nesse feriado


Fonte: CPTM

Neste fim de semana prolongado, em razão do feriado de 7 de setembro, a CPTM aproveitará a redução do movimento de usuários em seu sistema para intensificar as obras de modernização que vem realizando em suas linhas. Assim, na sexta-feira e no sábado, haverá intervenções de grande porte em diferentes linhas, impactando nos intervalos entre trens, conforme detalhamento abaixo:

Linha 7 [Luz - Francisco Morato]: a partir de domingo [9], a CPTM iniciará uma série de intervenções de grande porte que se estenderá por mais três domingos [16, 23 e 30/09], resultando no fechamento do trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus.

Para transpor o ponto afetado, os usuários deverão utilizar o trem da Linha 7, entre Luz e Palmeiras-Barra Funda, onde farão a transferência para a Linha 8, seguindo até a estação Domingos de Moraes. De lá partirão ônibus gratuitos para levar os usuários até a estação Perus, na Linha 7, onde a circulação de trens ocorrerá até Jundiaí. Os coletivos farão paradas para embarque e desembarque somente na estação Pirituba, além das estações de transferência: Domingos de Moraes e Perus.

Linha 8 [Júlio Prestes - Itapevi]: na sexta-feira [7], o trecho entre as estações Barueri e Itapevi estará interrompido durante toda a operação comercial. Como opção os usuários poderão utilizar os ônibus disponibilizados para fazer a conexão no trecho interditado. No sábado, as intervenções estarão concentradas entre as estações Barueri e Jardim Silveira, o que aumentará o intervalo. No domingo, ao longo de toda a operação comercial, os trens circularão somente entre as estações Júlio Prestes e Barueri. A conexão entre as estações Barueri e Itapevi também será feita com ônibus.

Linha 9 [Osasco - Grajaú]: na sexta-feira [7], o trecho entre as estações Santo Amaro e Jurubatuba ficará fechado. A operação ocorrerá de Jurubatuba a Grajaú e de Santo Amaro a Osasco. Para atender aos usuários do sistema, ônibus gratuitos farão a conexão entre as estações Jurubatuba e Santo Amaro.
No domingo [9], os trens não circularão entre as estações Jurubatuba e Osasco. Para fazer o trajeto no trecho interrompido, a CPTM implantará conexão com ônibus. A conexão entre as estações Jurubatuba e Pinheiros terá paradas nas estações Santo Amaro e Berrini. Os ônibus que farão o trecho entre as estações Pinheiros e Imperatriz Leopoldina obedecerão parada no CDP - Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, no período da tarde, no horário em que ocorrem as visitas.

Linha 11 Expresso Leste [Luz - Guaianazes]: na sexta-feira [7], os trens circularão entre as estações Tatuapé e Guaianazes. Para chegar ao Brás, os usuários poderão fazer a transferência gratuita para a Linha 3-Vermelha, do Metrô, por meio da operação Paese. Na ocasião, os trens da Linha 10 [Rio Grande da Serra - Luz], excepcionalmente, estarão circulando até a estação Luz.

Linha 11 [Guaianazes - Estudantes]: no sábado [8], das 18h até o fim da operação comercial, a circulação ocorrerá com maior intervalo entre as estações Calmon Viana e Jundiapeba.

Linha 12 [Brás - Calmon Viana]: a partir das 23h de quinta [6] até a meia noite de sexta [7], a operação será realizada entre as estações Comendador Ermelino e Calmon Viana. Para chegar até a estação Tatuapé, os usuários terão como opção embarcar nos ônibus disponibilizados para fazer a conexão no trecho afetado. No sábado e domingo, os trens não circularão entre Brás e Tatuapé, em razão da continuidade das obras. Os usuários com destino a região central deverão fazer transferência para a Linha 11, na estação Tatuapé.


Desafio: a CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Informação aos Usuários: Para orientar o usuário sobre essas mudanças temporárias, a CPTM vem divulgando as intervenções por meio de AP [avisos sonoros] emitidos nos trens e cartazes fixados nas estações, além das redes sociais da Companhia. Empregados também estão posicionados para auxiliarem o público.
Na eventualidade de dúvidas ou de informações complementares, a CPTM coloca à disposição a Central de Atendimento ao Usuário, no telefone 0800 0550121.

Suzano deverá receber o Expresso Leste em 2013


Fonte: DAT

A possibilidade de antecipar para o fim de 2013 a chegada do Expresso Leste a Suzano foi admitida pelo secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes. Segundo ele, que até então previa a vinda do trem até julho de 2014, as obras de reforma da nova estação, que estariam dentro do cronograma, e a aquisição de nove trens para a linhas 11 e 12 que atendem a região do Alto Tietê são fatores que devem contribuir para a antecipação do prazo. "O prazo inicial é 2014, mas estamos fazendo de tudo para entregar antes do previsto", afirmou Fernandes, que, inclusive, prometeu uma "viagem teste" dos novos trens recém-adquiridos pelo governo do Estado até Suzano.

"A determinação do governador Geraldo Alckmin é promover uma viagem com conforto aos usuários do Alto Tietê, eliminando o chamado transbordo em Guaianazes. A ideia é transferir para Suzano a baldeação dos usuários que viajam entre Mogi das Cruzes e a capital. Atualmente, as transferências ocorrem na estação Guaianazes, o que causa transtorno para milhares de usuários da região, que todos os dias sofrem com o aperto e o empurra-empurra para entrar e sair dos trens nos horários de pico. Nove trens devem ir para Suzano neste semestre, sendo que um deles deve fazer uma viagem teste no mês que vem, para avaliar o impacto do Expresso na cidade", detalhou o secretário.

Ele contou que os novos trens terão oito carros com salão contínuo e serão acessíveis para pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida, contando com dispositivos de orientação para deficientes visuais e auditivos. "Vale lembrar que outros 65 veículos devem ser adquiridos pelo governo do Estado para padronizar todo o sistema ferroviário, ou seja, mais trens virão para a região no futuro", frisou Fernandes, informando ainda que a Estação de Ferraz de Vasconcelos também deve ser entregue em 2014.
De acordo com a Assessoria de Imprensa da CPTM, a infraestrutura das linhas 11 e 12 está sendo modernizada, com a implantação de novos sistemas de sinalização, telecomunicação, energia, rede aérea e via permanente, além da reforma das estações. Os investimentos que estão em andamento nas duas linhas são da ordem de R$ 389 milhões, dos quais R$ 232,4 milhões são para a linha com destino à Estação Estudantes e R$ 166,4 milhões para a linha que segue até Calmon Viana.

Turismo e César
Entre os investimentos solicitados que devem "aguardar mais um pouco" para serem avaliados, segundo o secretário, é a extensão do trem Expresso até César de Souza e do Expresso Turístico até o Vale do Paraíba. "São dois assuntos importantes, mas que devem voltar à pauta de discussões e estudos após a concretização dos projetos em andamento", disse Jurandir Fernandes.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Estação Pinheiros pode ter redução tarifária


Fonte: Exame

O secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Jurandir Fernandes, afirmou que sua equipe estuda dar descontos nas passagens de trem da CPTM na estação Pinheiros, em São Paulo, em alguns horários de menor movimento. O objetivo é tentar reduzir os picos de lotação no início da manhã e no fim do dia, entre 18 e 19 horas. “Se as pessoas que usam a integração do trem com o metrô das 7 às 9 horas puderem usar o transporte mais tarde devido ao preço menor da passagem, a estação vai se desafogar”, disse.

A ideia ainda está em fase de estudo, de acordo com o secretário - que participou nesta quarta-feira do evento Brasil nos Trilhos, reunindo empresários, associações, fornecedores, parlamentares e acadêmicos em Brasília. Fernandes admitiu também que nada está sendo estudado para aumentar a capacidade de passageiros na linha 4-Amarela, que sofre por lotação em pelo menos seis horas no dia – três de manhã e três no fim do dia.

Trem-bala - Questionado sobre o que muda na cidade com a passagem do trem-bala (Trem de Alta Velocidade – TAV), Fernandes disse que a Secretaria aguarda a definição sobre onde será a estação do trem em São Paulo. “A minuta do leilão do TAV mostra que Campo de Marte será a estação dentro da cidade, mas isso pode mudar. Oferecemos ao governo outras possibilidades, como a região da Água Branca, que será um centro regional de trens. Lá temos um espaço grande, mas precisaríamos saber com antecedência para guardarmos um lugar subterrâneo para ele”, explicou.

O TAV passa pelo processo de audiência pública da minuta de seu edital. A expectativa é que o leilão ocorra no dia 29 de maio de 2013.

Momento ruim da CPTM é refletido no blog


Por Diego Silva

Notável que, há algum tempo, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos foi do céu ao inferno, por conta de inúmeros problemas que acontecem diariamente na operação comercial e nos bastidores. Fato é que, até mesmo na página oficial do blog no Facebook, usuários publicam uma avalanche de reclamações sobre o serviço da empresa. Descontentes, alguns entendem que o blog é a empresa, o que não é verdade.

Desde a fundação do blog, o foco foi apresentar a empresa como os usuários nunca conheceram. Os bastidores da operação, as novidades, as mudanças e as notícias da Companhia, reunidos em uma única página. Na época do lançamento do blog, a CPTM vivia um tempo de mudança, liderado pelo Governo Serra, juntamente com o secretário José Luiz Portella e o presidente Sérgio Avelleda. O início da chegada de novos trens, novas estações e uma nova cara no sistema, que estava com um alto índice de aprovação pelos usuários, que enfim observavam a tão sonhada mudança no sistema de trens.

O tempo passou rápido e, na troca de Governo, trocou-se também o cenário e a diretoria. Uma imagem não muito difundida da CPTM estava retornando. Todo um trabalho feito por pessoas sérias e dedicadas foi por terra. Por mais que ainda estejam em prática, muitos projetos hoje não são mais tão eficientes quanto antes. Os novos trens funcionam bem, mas o sistema não estava pronto para suportar tanta tecnologia. Falta energia para tanto trem, o que torna o sistema lento e irrita profundamente os usuários.

Aos finais de semana, a empresa tenta realizar manutenções e modernizações que já deveriam ter sido feitas antes da compra dos trens. Agora, tentam explicar ao usuário o quanto isto é necessário para o bom funcionamento do sistema no futuro. Infelizmente, a cabeça do passageiro que embarca diariamente não é tão assertiva assim e o que já é difícil, torna-se ainda pior. Como citado, toda essa problemática está sendo refletida no blog, que teve seu grande momento junto com a empresa. Agora, estamos em declínio junto com a opinião dos usuários. O que me chateia é que alguns leitores fantasiam que, por noticiarmos a Companhia, fazemos parte dela.

Demora-se muito para conquistar a confiança do passageiro, mas leva apenas um minuto para perdê-la. Essa é a grande verdade. Aqui no blog, não é diferente. Se não publico o que os leitores querem ver (problemas, caos, lotação, reclamações e etc), o blog não evolui. Sou taxado de ''puxa-saco'' por só noticiar coisas de interesse da empresa, mas àquilo que é de interesse público, o usuário não se interessa. Por conta disso, 'CPTM em Foco' entra em um momento mais difícil de sua curta história e visando manter uma boa relação com o usuário e leitor, irei me afastar um pouco das atividades, pelo menos até essa poeira baixar um pouco.

Diego Silva é Tecnólogo em Logística, formado pela Universidade Nove de Julho e administra os blogs 'CPTM em Foco' e 'Metrô em Foco', sem fins lucrativos.

Linha 13-Jade: Aeroporto poderá ter até duas estações


Fonte: Terra

O presidente da Concessionária Aeroporto Internacional de Guarulhos S.A., Antonio Miguel Marques, afirmou, na manhã desta quarta-feira, que Cumbica poderá ter duas estações de trem e metrô para os próximos anos. De acordo com o empresário, a ideia é que a Linha 13-Jade, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) chegue ao aeroporto até a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil.

"Estão previstos no projeto da Linha 13 duas estações, uma em frente ao terminal 4 (terminal de carga) e a outra, que ainda está em fase de definição, vai ser provavelmente em frente ao terminal 3, mas ainda não é a posição final", afirmou Marques. As obras do terminal 3 do aeroporto já estão em andamento.

Porém, quando questionado se o prazo seria cumprido pelo governo do Estado que, segundo ele, prometeu uma das estações para o Mundial de futebol, Marques afirmou que a responsabilidade está com a CPTM.
"Quem tem que responder essa pergunta é a CPTM, mas o governador diz que estão fazendo todo esforço para o trem estar funcionando até a Copa. A previsão da CPTM é que seja concluído até a Copa", completou.

Além da melhoria no acesso ao aeroporto que deve ser feita através das estações de trem, o projeto do novo aeroporto prevê mais 6 mil vagas de estacionamento até a Copa do Mundo de 2014. Outro fato que irá melhorar a locomoção dos usuários é a construção de um "mini terminal rodoviário", que irá funcionar onde hoje ficam os táxis.

A chegada do Rodoanel ao Aeroporto de Guarulhos também foi citada pelo presidente da Concessionária, porém, o novo acesso não estará pronto para o evento.

Hotéis no aeroporto
A ideia da Concessionária é construir hotéis dentro do próprio aeroporto, que possam receber passageiros em voos de conexão, que passam a noite no País. Os estabelecimentos serão de três, quatro e cinco estrelas.

Apenas o terminal 3, que ficará pronto para a Copa, um hotel com 50 quartos será construído, localizado dentro do próprio terminal em área restrita e antes da imigração. Essa obra será feita pela concessionária, que depois negociará com redes hoteleiras para a definição da bandeira de administração do prédio.

Siga o blog por email

Seguidores