segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Entenda porque 'paramos para aguardar a movimentação do trem a frente'

Sinais de via em Domingos de Morais, Linha 8-Diamante

Por Diego Silva

Quando você está dirigindo seu carro (se é que você tem um), ao se deparar com um sinal vermelho num cruzamento, qual sua atitude? Parar o carro, não é mesmo? Pois bem. Na ferrovia, o tráfego dos trens funciona de maneira similar à uma estrada, onde existem sinais e responsabilidades por quem conduz as composições.

Todas as linhas da CPTM possuem 'circuitos de via', que seriam blocos de sinalização espaçados de maneira regular. O intuito de se manter blocos de sinais é justamente para manter a segurança e um correto espaçamento entre os trens. Similar ao que acontece nas estradas, a movimentação de trens depende desses sinais para tudo funcionar de maneira certa.

Notam-se dois trens, dois sinais e três blocos de via
Funciona mais ou menos assim: Baseado na figura acima, temos dois trens e três blocos de sinalização. O trem 1 está ocupando o primeiro bloco, enquanto o segundo está livre e o terceiro, ocupado pelo terceiro trem. Digamos que o trem 1 esteja com um problema para partir da estação X e ocupa além do tempo o bloco de sinalização. Com isso, o trem 2, que estava no terceiro bloco com sinal verde, passará para o segundo bloco e encontrará um sinal vermelho. Nisso, o maquinista informa: ''Paramos para aguardar a movimentação do trem à frente''.

Os usuários, muito curiosos, falam que nunca tem um trem a frente. Em certos casos (trens com janelas abertas), alguns colocam a cabeça para fora a fim de ver se, de fato, tem algum outro trem a frente. Não percebem nada. Mas o que acontece: um bloco de sinalização pode ter quilômetros de espaçamento.

Vamos usar um exemplo real: um trem sai de Ribeirão Pires, na Linha 10-Turquesa, sentido Rio Grande da Serra. Ele libera dois sinais até próximo de uma ponte, onde entra em zona de velocidade reduzida. Segue em VR até próximo do sinal 30 de Rio Grande da Serra, que estará vermelho, por conta da presença de um trem na plataforma. Este trem sairá da plataforma, realizará transposição de via e, após passar o último carro pelo AMV (Aparelho de mudança de via), após alguns segundos, o sinal é liberado automaticamente (ou franqueado, como falamos tecnicamente). Em síntese, quando o trem sair da plataforma e trocar de linha, o bloco de sinalização será liberado e o trem citado no início poderá seguir até a plataforma.

Assim como no trânsito, os trens também se organizam através de sinais

Nem sempre o 'trem a frente' estará próximo. Ele pode estar a muitos metros de distância. Mas como foi citado logo no início: assim como no trânsito, tudo funciona por meio de sinais. Se o trem parou, foi para manter uma distância segura da composição à frente.

10 comentários:

  1. Isso ainda não faz sentido quando espero por mais de 20 min na plataforma sem passar nenhum trem e quando esse chega não segue a diante ou para metros a frente e diz que há trens a frente, como isso se estive na plataforma aguardando por mais de 20 min e não passou nenhum, é possivel que uma composição leve mais de 20min entre um bloco e outro? sendo q a media de uma estação para a outra é de 5 min

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que acontece, Jorge: Quando se demora muito para passar um trem e outro emite o anúncio, acontece por conta do sinal estar vermelho à frente, por comando manual do Centro de Controle. Dentro dos trens, existe um equipamento chamado ATC (Automatic Train Control, ou Controle Automático do Trem), que faz a leitura dos sinais. Se o ATC identificar sinal vermelho à frente, ele não permite que o trem acelere, mantendo o trem parado ou em velocidade restrita.

      Excluir
  2. Já estive em trens que avançaram o sinal vermelho !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o CCO autorizar, Bruno, o trem poderá passar o sinal vermelho. Tem uma única exceção: se estiver vermelho piscante, significa que o sinal está 'chamando' o trem, para o mesmo passar mais rápido. Acontece bastante nos horários de pico na Luz, na Linha 11-Coral, sentido Guaianazes.

      Excluir
  3. Sim, isto é meio obvio.
    O problema é que a sinalização é bem antiga, o problema x esta no tamanho dos blocos, o trem no começo do bloco de 2km, o trem fica um espaço gigantesco atrás esperando...
    Ainda mais em um sistema em que o intervalo é de 4 minutos, seria como virar um congestionamento com carros a cada 100 metros de distância. Tem-se que diminuir o tamanho dos blocos, ou aplicar o bloco móvel de uma vez (CBTC).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem assim, Júlio. Em três linhas, será instalado o CBTC. Espero que, com o bloco móvel, as distâncias sejam bastante reduzidas. Em outras três, o sistema será ATO, similar ao Metrô.

      Excluir
  4. Muito bom este artigo!!!! Finalmente entendi algo que era até óbvio, porém, me deixava curioso!

    ResponderExcluir
  5. Olá amigos do Blog. Muito interessante esta matéria sobre "paramos para aguardar a movimentação do trem a frente" De forma técnica (porém clara), foi explicado algo curioso, que muitos usuários não conheciam... Inclusive a mim! Esta medida visa a segurança de todos, porém o sistema CTBC faz muita falta, uma vez que dinamizará o fluxo de trens, permitindo um menor intervalo e distâncias menores entre um trem e outro. Clamamos pela qualidade de metrô nas linhas da CPTM o quanto antes! Abraços a todos!!!

    ResponderExcluir
  6. é mas além disso também serve para a segurança dos usuarios e para não ocorrer nenhum acidente né?

    ResponderExcluir
  7. Pois esse tipo de procedimento é o mais correto evita acidentes eu nem esquento a cabeça com isso sou bastante paciente nessa hora.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores