segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Fumantes estão presentes em estações e trens


Por Diego Silva

Diariamente, tenho presenciado diversos usuários fugindo da observação dos seguranças para fumar nas plataformas. Como sempre, é enviado o SMS-Denúncia, mas as equipes de campo (segurança terceirizada e até mesmo a segurança própria) são muito ruins, nunca atendendo a solicitação.

No dia 7 de agosto, o Estado de São Paulo dará um importante passo em defesa da saúde pública. Com a entrada em vigor da nova legislação antifumo, fica proibido fumar em ambientes fechados de uso coletivo como bares, restaurantes, casas noturnas e outros estabelecimentos comerciais. Mesmo os fumódromos em ambientes de trabalho e as áreas reservadas para fumantes em restaurantes ficam proibidas. A nova legislação estabelece ambientes 100% livres do tabaco.

A medida acompanha uma tendência internacional de restrição ao fumo, já adotada em cidades como Nova York, Londres, Paris e Buenos Aires. Inúmeros estudos realizados comprovaram os males do cigarro não apenas para quem fuma, mas também para aqueles que se vêem expostos à fumaça do cigarro. É principalmente a saúde do fumante passivo que a nova lei busca proteger. Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), o fumo passivo é a terceira maior causa de mortes evitáveis no mundo.

A nova lei restringe, mas não proíbe o ato de fumar. O cigarro continua autorizado dentro das residências, das vias públicas e em áreas ao ar livre. Estádios de futebol também estão liberados, assim como quartos de hotéis e pousadas, desde que estejam ocupados por hóspedes. A responsabilidade por garantir que os ambientes estejam livres de tabaco será dos proprietários dos estabelecimentos. Os fumantes não serão alvo da fiscalização.

Para evitar punições, os responsáveis pelos estabelecimentos devem adotar algumas medidas. Entre elas, a fixação de cartazes alertando sobre a proibição, e a retirada dos cinzeiros das mesas de bares e restaurantes como forma de desestimular que cigarros sejam acesos. Devem, também, orientar seus clientes sobre a nova lei e pedir para que não fumem. Caso alguém se recuse a apagar o cigarro, a presença da polícia poderá ser solicitada.

Em caso de desrespeito à lei, o estabelecimento receberá multa, que será dobrada em caso de reincidência. Se o estabelecimento for flagrado uma terceira vez, será interditado por 48 horas. E, em caso de nova reincidência, a interdição será de 30 dias.

Ao proibir que se fume em ambientes fechados de uso coletivo, a lei antifumo estabelece uma mudança de comportamento com reflexos diretos na saúde pública. Mudança que será estimulada por campanhas educativas e fiscalizada pelo poder público. E que terá na colaboração da população uma de suas principais armas.

Um comentário:

  1. REALMENTE EU TENHO ENVIADO VÁRIOS SMS E LIGADOS POR DIVERSAS VEZES AO 0800 DA CPTM RELATANDO ATOS COMO FUMAR NAS DEPENDENCIAS DA CPTM E ASSIM COMO COMÉRCIO AMBULANTE ,SOM ALTO E DENTRE OUTRAS COISAS ,MAS PARECE QUE O SERVIÇO DE SMS DENÚNCIA E O 0800 NÃO SERVEM PARA NADA, POIS EU QUASE NUNCA VEJO ATITUDES DOS AGENTES DE SEGURANÇA O QUE ME LEVA A ENTENDER QUE ESSES SERVIÇOS NÃO FUNCIONAM E COM ISSO NÃO SERVEM PARA NADA, A CPTM POR SUAS VEZES TERIA QUE CONTRATAR UM CONTINGENTE BEM MAIOR DE SEGURANÇAS E DE POLICIAIS FERROVIÁRIOS OU SEJA QUADRUPLICAR O NÚMERO DESSES PROFISSIONAIS PELO INTERIOR DE TRENS E ESTAÇÕES JÁ QUE TEM MUITA GENTE QUE ESTÁ DESEMPREGADA PARA ESSES PROFISSIONAIS COIBIREM DRASTICAMENTE ESSES TIPOS DE PRÁTICAS NA CPTM.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores