terça-feira, 19 de março de 2013

Recurso suspende licitação do trem para Aeroporto de Guarulhos


Fonte: STEFZS


Um recurso administrativo suspendeu o processo de licitação para a construção da Linha 13-Jade, que vai ligar a estação Engenheiro Goulart, na zona leste de São Paulo, ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. O recurso foi apresentado por uma das empresas consideradas desqualificadas para executar a obra durante a análise prévia da documentação. A retomada do projeto ainda não tem data definida para ocorrer, de acordo com o secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes.

Ele afirma que a fase de pré-licitação da obra é lenta, pois enfrenta questionamentos das empresas. 'Paralisações podem durar uma semana ou meses. Nesse caso, já estamos analisando a liberação', disse.

Em dezembro, quando a linha foi lançada a intenção do governo do Estado era assinar o contrato com a empresa que seria responsável pela obra neste mês. 'É muito difícil prever agora', diz. Quando a obra foi lançada, a previsão era de conclusão até o fim de 2014, mas com o provável adiamento da assinatura do contrato o prazo não deve ser cumprido, já que a obra dura de 18 a 24 meses. O projeto vai custar R$ 900 milhões e os trens cerca de R$ 300 milhões. O projeto será financiado pela agência francesa ADF, que deve liberar 500 milhões de euros para o governo paulista. A linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) terá 11 quilômetros e demanda prevista de 120 mil passageiros por dia. O trajeto deve ser feito em 17 minutos.

Concessão

O secretário de transportes informou ainda que o governo do Estado deve conceder a linha para a iniciativa privada após a construção. 'Já há empresas interessadas. Vamos analisar o modelo. A empresa pode, por exemplo, comprar o trem e equipamentos para a linha férrea, além de operar a linha', afirma. Jurandir Fernandes diz ainda que a concessionária poderia construir a extensão da linha 13 para o bairro São João, um dos mais populosos de Guarulhos e que está localizado atrás do aeroporto.

O governo também deve conceder o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da Baixada Santista e estuda a concessão dos monotrilhos da Linha 17-Linha Ouro (Jabaquara-Aeroporto de Congonhas-Morumbi) e Linha 15-Prata (Ipiranga-Cidade Tiradentes). Os três projetos são construídos pelo governo do Estado e seriam concedidos para um operador ao fim das obras.

2 comentários:

  1. só eu que nao fiquei surpreso ? isso é só um engana troxa... nunca vai sair do papel esses trens ... ele ja existiu e foi extinto ... tramway da cantareira ... e os de longadistância ... nem ferrando vai ter

    ResponderExcluir
  2. Proposta de implantação em São Paulo de trens expressos urbanos com composições pendulares de dois andares (double decker) para locais de alta demanda:

    * Expresso Noroeste (Linha 7 Rubi)
    -5 estações (Francisco Morato, Franco da Rocha, Caieiras, Lapa, Água Branca).
    ~183 mil pass/dia (2014)

    Expresso Oeste Sul (Linha 8 Diamante)
    -4 +2 estações (Barueri, Carapicuíba, Osasco e Pinheiros), com previsão de prolongamento até Tamboré e Alphaville.
    ~216 + 44 mil pass/dia (2014)

    * Expresso Sudeste (Linha 10 Turquesa)
    -6 estações (Luz, Brás, Tamanduateí, São Caetano, Santo André e Mauá).
    ~416 mil pass/dia (2014)
    São Paulo Cumbica (Linha 13 Jade)
    -n estações (São Paulo, aeroporto de Cumbica).
    ~80 mil pass/dia (2014)
    Espero que os burocratas não cometam a mesma insensatez que ocorreram com as linhas 4-Amarela, e 5-Lilás entre outras, no quais foram especificadas bitolas e alimentações elétricas divergentes das existentes, assim ficariam bloqueadas as integrações em “Y” como esta por ocorrer nas integrações da estação Chácara Klabin das linhas 5-Lilás com a 2-Verde entre outras, nas quais os usuários tem que obrigatoriamente fazer transbordo nestas estações se desejarem prosseguir viagem.
    *Poderia se reunificar as linhas 7 e 10 entre Mauá e Francisco Morato, como eram antigamente.
    Eis os fatores que justificam a implantação trens de dois andares em algum desses trens expressos;
    - Para a altura da carruagem (h~=4,3m) o cabo de alimentação (catenária) de 3 kVcc x pantógrafo atende, podendo trafegar em linhas convencionais.
    - Poderá existir a necessidade de investimento na repotêncialização de algumas subestações, e a capacidade mínima requerida da via permanente é de 30 t/eixo (cargueiro), sendo recomendável a utilização de trilho TR-68, e dormentes de concreto.
    - Adequação e reforma dos trechos entre as estações Júlio Prestes e Água Branca com a construção da do Bom Retiro.
    - Fornecidos na largura de 3,15 m (padrão) e bitola 1,6 m, não existem necessidades de adaptações nas estações, mesmo sendo os pendulares, pois sua inclinação se dá somente no momento que trafega, (exceto se a estação for curvilínea) não recomendável.
    - Potência= ~ 3000 kW.
    - Atendimento de poucas estações (caso da linha 8).
    - Demanda pequena (no caso das linhas 7 e 8).
    - Existência de linha disponível ociosa entre Mauá e Brás (caso linha 10)
    - Trens de dois andares poderiam transportar 60 % mais passageiros, além da quantidade de composições poderem ser ajustadas em conformidade com a demanda (horários de pico).
    - O nº máximo recomendável de passageiros por m² é de 6 pessoas, (e não 8 conforme indica o Metrô e a CPTM).
    - No mínimo 4 portas por lado semelhantes aos trens suburbanos, sendo que as duas centrais serem bloqueadas para longos percursos.
    - Acesso a cadeirantes e necessidades especiais só no 1º piso, (Incluindo as do tipo piso rebaixado).

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores