quarta-feira, 3 de abril de 2013

Blog visita sistema de trens do Rio de Janeiro


Por Diego Silva

Caros leitores, após algum tempo sem escrever para vocês, estou de volta. Como alguns seguidores do Facebook e do Twitter sabem, estive no Rio de Janeiro para conhecer o sistema de trens e metrô locais. Aproveitando o conhecimento adquirido nesses dois dias, trago algumas lembranças e histórias para vocês.

Essa aventura começou na quinta-feira, dia 28 de março. Saí do TERSA (Terminal Rodoviário de Santo André) às 22h35. Uma viagem de quase oito horas até o Rio de Janeiro. Uma noite longa, sem conseguir dormir (o ônibus não tinha lá tanto conforto assim). Cheguei na Rodoviária Novo Rio por volta das 06h. Às 07h15, estava na estação Central do Brasil. Chovia bastante no Rio de Janeiro naquela manhã.

Primeira foto tirada no Rio de Janeiro: série 400 e série 1000 na estação Central do Brasil

A primeira impressão da Central do Brasil é de estar 'parada no tempo'. Acho que, assim como qualquer turista que chegar e olhar, pensei: ''esse será o transporte da Copa''? Se for mesmo, a CPTM está mil anos na frente. Mas enfim, opinião pessoal do blogueiro. De repente, o jogo pode virar sem mais nem menos. A estação Central lembra um pouco o Brás antes de sua reforma. São treze plataformas, de onde saem trens para todos os lugares. Como o nome da estação diz por si só, tudo sai dali. Diferente do nosso sistema, que se espalha, a Supervia usa um sistema 'tronco', onde todas as linhas saem de uma estação só.

Linha da MRS em Mangaratiba: montanhas, ferrovia e praia

Na primeira parte da visita ao Rio de Janeiro, fui até a Praia do Sahy, em Mangaratiba. Além de conhecer o local, pude também fazer algumas fotos de locomotivas da MRS Logística que por ali estavam. O local é muito tranquilo, sendo indicado para turistas e até mesmo pessoas do Rio que queiram um lugar tranquilo para curtir um sol. Na volta, usei dois ônibus, sendo que o segundo fez uma viagem enorme (quase duas horas) para chegar até a estação Marechal Hermes, de onde tirei esta foto abaixo como a última do primeiro dia no Rio.

Cair da tarde em Marechal Hermes

No segundo e último dia de Rio, fui conhecer o sistema de trens da Supervia, concessionária que administra o transporte ferroviário carioca, liderado pela Odebrecht. Embarquei na estação Deodoro, uma das mais importantes do sistema. A parada serve como estacionamento de trens nos fins de semana e feriados, isso foi percebido assim que desci para as plataformas. Encontrei o 700 modernizado (similar ao 1700 que temos em São Paulo).

De Deodoro até a estação Central, utilizei o novo trem chinês da Supervia, série 3000. Muito prático e confortável, a viagem se cumpriu em cerca de vinte minutos. Os novos trens possuem ar condicionado, tv a bordo e passagem livre entre carros. Uma coisa apenas chamou a atenção: os trens circulam com luzes apagadas durante o dia. Segundo explicação de um amigo, a Supervia compra energia em leilões da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), o que justifica uma possível economia de energia durante a operação diária.

Enquanto registrava algumas imagens da estação Central do Brasil e de alguns trens, um rapaz se aproximou e perguntou se eu fazia parte do Blog CPTM em Foco, pois ele era leitor e etc. O seguidor mora em Ferraz de Vasconcelos e disse estar a passeio no Rio também. Conversamos brevemente, mas ficou o contentamento de minha parte, por ser reconhecido pelos leitores, mesmo longe dos 'domínios'.


Da estação Central, partimos rumo à Japeri, distante quase 70 km do centro do Rio de Janeiro. Embarcado em um trem Mafersa da série 700 original, a viagem se cumpriu em uma hora e vinte minutos, alcançando picos de 90 km/h. No trajeto, uma coisa que chamou muito a atenção é o livre trânsito de vendedores ambulantes. É possível comprar de tudo na Supervia: refrigerantes, cerveja, água, sorvetes, amendoins, pipocas doces, canetas, lanternas, pilhas, cortadores de unhas, balas, chicletes... Em cada estação, mais ambulantes vão embarcando, tornando o trem uma verdadeira feira livre.

Em Japeri, uma cena no mínimo curiosa: os usuários descem na via e vão caminhando livremente. Um jovem e uma mulher chegaram ao ponto de passar por baixo de um trem da série 900 que estava ligado, fora de serviço em uma linha auxiliar. O risco é enorme, mas os transeuntes parecem pouco ligar. Enquanto parte do grupo se alimentava em um quiosque, um dos seguranças terceirizados, ao melhor estilo Power/Gocil/Suporte da CPTM, veio nos perguntar se tínhamos autorização da empresa para fotografar. Tudo resolvido, resolvemos voltar para Central. É aí que começa a parte mais memorável da viagem.

Trem série 500: Inacreditáveis 105 km/h na viagem até a estação Central do Brasil
Partimos da estação de Japeri à bordo de um trem da série 500. O anúncio de partida é muito diferente do que conhecemos: ''Senhores clientes, boa tarde. Este é um trem parador com destino a estação Central. O tempo estimado de viagem é de 1 hora e 30 minutos, a Supervia agradece a preferência e deseja a todos uma boa viagem''. E o trem começa a acelerar... A princípio, uma viagem um pouco desconfortável, mas que ganha ares de aventura, pois ao romper a marca de 100 km/h, já foge completamente de tudo o que estamos acostumados a ver em São Paulo.

Após a estação de Queimados, uma situação curiosa para nós mas cotidiana para quem utiliza o sistema: as portas travaram e não se fechavam. O maquinista ainda tentou abrir e fechar quatro vezes as portas. Vendo que nada resolveria, deu partida com a porta aberta mesmo... E assim, viajamos uma parte do trecho de portas abertas, em alta velocidade. Como se tratava de um trem parador, paramos em todas as estações do trecho, o que tornou a viagem bastante demorada.

Em síntese, a ida ao Rio foi bastante proveitosa. Além de rever os amigos, conhecer os trens da Supervia e do Metrô foi bastante gratificante. Ao longo da semana, contarei mais detalhes sobre tudo o que presenciei e farei algumas óbvias comparações entre São Paulo e Rio de Janeiro.

10 comentários:

  1. Oi Diego Silva tudo bem? Vc Lembrou daquele Rapaz que mora em Ferraz de Vasconcelos e que estava a pesseio no Rio. Meu não imaginava que vc estaria no Rio(Supervia),meu quando vi alguem tirando foto na central com a camisa do Senai da CPTM na hora lembrei do Blog! Parabens pela materia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Marcos! (risos) Nunca eu iria esperar alguém me reconhecer no Rio de Janeiro... Mas bacana que você me reconheceu. Sempre legal ter alguém que admira e acompanha o trabalho. A matéria está muito genérica, pq é muita história para contar em pouco espaço. Mas valeu a viagem! Obrigado pela visita e pelo comentário!

      Excluir
  2. E ainda tem gente que reclama da CPTM eu estava vendo uns videos de algumas frotas da SuperVia uma delas o pessoal sofrendo com trem praticamente chuvendo dentro,essa SuperVia em termos de transporte sobre trilhos está uns 20 anos atrasado em relação a CPTM um completo lixo.

    http://www.youtube.com/watch?v=NhDHihxv3Ig

    ResponderExcluir
  3. Meu, fiquei chocado com o trem andando com as portas abertas. Boa materia e parabens.

    ResponderExcluir
  4. Show de bola,volte sempre ao RJ,será muito bem vindo!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Dos trens que se salvam da SuperVia somente os Rotem Série 2005 e os trens chineses CNR 3000 e algumas unidades do Mafersa 700 reformados, se o sistema de trens da SuperVia já é desse jeito tem muito que melhorar.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela matéria, só faltou um mapa do sistema de transporte do RJ, para entendermos melhor como foram os trajetos!!! Aliás as fotos estão ótimas também!!!

    ResponderExcluir
  7. Amigo Diego, Boa noite!!
    Novamente um prazer estar por aqui...

    Aguardo ansioso por mais histórias sobre sua expedição pela SuperVia!!!

    Tenha excelente semana, Abraço!

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores