quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Estação Rio Grande da Serra


Por Diego Silva
Pesquisa: Site Estações ferroviárias

Rio Grande em 1867 (Augusto Militão de Azevedo)
Hoje falaremos da estação Rio Grande da Serra, cidade onde estou localizado e publico matérias e fotos para todos vocês.

ORIGEM DO NOME
A estação de Rio Grande leva esse nome por estar próxima ao rio de mesmo nome, tendo sido renomeada como Rio Grande da Serra em meados dos anos 1960.
A cidade em si, inicialmente, era chamada de 'Distrito de Geribatiba', posteriormente Icatuaçú e em 1964, após emancipada, chamou-se Rio Grande da Serra.


A ESTAÇÃO
Rio Grande em 1880 (autor desconhecido)
De pau à pique, num lugar completamente deserto, a estação de Rio Grande foi construída inicialmente para servir como parade de cruzamento e reabastecimento das locomotivas da São Paulo Railway, durante o início das operações da primeira ferrovia paulista. Historicamente, seria ponto de partida de uma linha de trens para o Vale do Paraiba, projeto esse que nunca saiu do papel, apesar de haver um desvio há poucos metros da estação, que termina na região de Suzano, que pertenceu ao Ramal de São Paulo da Estrada de Ferro Central do Brasil. Esse desvio em particular hoje serve como apoio para passagem de trens da concessionária MRS Logística rumo ao Porto de Santos (anteriomente, mesmo service utilizado pela Rede Ferroviária Federal S/A, a RFFSA).

Trem série 101 em RGS, 01.05.1994 (Diário do Grande ABC)
Além disso, de Rio Grande, havia mais um desvio que se estendia até a Pedreira Pires do Rio, existente até hoje, para transporte de pedras que serviam para o calçamento de grandes avenidas, entre elas, a Avenida Paulista.
Atualmente, apenas as duas linhas de tráfego da CPTM e os desvios da MRS Logística estão ativos, além de um pátio de manobras atrás da estação, também da concessionária privada que administra o trecho desde 1996. Aos domingos, é comum ver o Expresso Turístico da CPTM passar pela cidade, rumo à Paranapiacaba.
Budd série 141: De Rio Grande da Serra para Paranapiacaba

Atende hoje os trens da Linha 10-Turquesa, que partem do Brás. Até 2002, partia dela também em horários definidos, um trem até a Vila de Paranapiacaba, onde ainda existe trecho eletrificado, porém, sem uso por parte da CPTM. Durante algum tempo, foi usado uma litorina elétrica de fabricação americana Budd, série 141, conhecida entre os ferroviários por 'Classe Única'. Com sua erradicação, a CPTM disponibilizava trens de acordo com sua disponibilidade. Não era incomum observar trens das séries 1400 e 1600 circulando no referido trecho, mas também há registros de trens das séries 1100 e até mesmo os espanhois da série 2100 (com ar condicionado) tendo circulado de Rio Grande até a famosa vila inglesa (Nota do autor: eu mesmo tive o prazer de realizar tal viagem num trem espanhol até Paranapiacaba, apesar do desejo em realizar nos trens mais antigos, que sempre tiveram seu charme).

Trem série 1100 em Rio Grande da Serra, numa tarde fria de agosto

Um comentário:

  1. Excelentes matérias.

    Ancioso desde já para a futura postagem sobre a Estação Ribeirão Pires, cidade que morei durante 4 anos de minha vida e com certeza a uma das melhores em que já morei, vai ser legal matar um pouco da saudade.

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por comentar no blog. Pedimos a gentileza de não usar palavras ofensivas contra a empresa nem contra seus funcionários, ou mesmo contra o blogueiro. O objetivo do blog é informar e compartilhar conhecimento.

Siga o blog por email

Seguidores