quinta-feira, 31 de maio de 2018

Obras de modernização alteram circulação de trens neste final de semana


Fonte: CPTM

Neste feriado prolongado, entre os dias 31/05 e 03/06, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos.  Confira a programação e antecipe sua viagem:
Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)
​Quinta: das 4h até o fim da operação comercial, serão executadas obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Domingos de Moraes Osasco. O intervalo médio entre os trens será de 20 minutos em toda a linha. 
Domingo: das 8h às 22h, haverá obras de modernização das estações Jardim Silveira e Jardim Belval. O intervalo médio entre os trens será de 20 minutos entre as estações Barueri e Itapevi. 


Linha 9-Esmeralda (Grajaú – Osasco)

Quinta: das 4h até meia-noite, em razão de serviços programadas nos equipamentos de via permanente, a circulação ficará interrompida entre as estações Presidente Altino e Osasco. Para prosseguir viagem, o usuário deverá pegar a Linha 8-Diamante.  
Domingo: das 4h até meia-noite, em razão de serviços programadas no sistema de rede aérea entre as estações Autódromo e Grajaú, o intervalo médio dos trens será de 25 minutos em  toda a linha.  


Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 7h às 19h, serão executados serviços nos equipamentos de via permanente entre as estações Ipiranga e São Caetano do Sul – Prefeito Walter Braido. O intervalo médio entre os trens será de 26 minutos em toda a linha.

Linha 11-Coral (Luz – Guaianases)

Quinta: das 4h até meia-noite, devido a serviços na extensão da Linha 11-Coral, o intervalo médio entre os trens será de 15 minutos entre as estações Luz e Guaianases.  
Sábado e domingo: das 20h de sábado até o fim da operação comercial de domingo, haverá obras de modernização nos equipamentos de via permanente entre as estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera. O intervalo médio entre os trens será de 15 minutos entre as estações Luz e Guaianases.  


Extensão da Linha 11-Coral (Guaianases-Estudantes)
Quinta: das 4h à meia-noite, serão realizadas obras de modernização na Estação Suzano. O intervalo médio dos trens será de 30 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.  
Domingo: das 4h à meia-noite, prosseguem os serviços na Estação Suzano. O intervalo médio dos trens será de 30 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.  


Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)
Quinta: das 4h à meia-noite, serão realizadas obras da Linha 13-Jade e de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Itaquaquecetuba e a Aracaré. O intervalo médio dos trens será de 30 minutos em toda a linha.  
Domingo: das 4h à meia-noite, em razão das intervenções programadas na Linha 13-Jade, no trecho entre as estações Engenheiro Goulart e Comendador Ermelino, o intervalo médio dos trens será de 35 minutos em toda a linha. 

Em caso de dúvida, procure um funcionário da CPTM ou ligue para 0800 055 0121.

domingo, 27 de maio de 2018

Última viagem do 1100 reúne fãs e admiradores


Por Diego Silva

No último sábado, dia 26, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, em parceria com este blog e com outras páginas de envolvimento midiático social e envolvimento ferroviário, realizou a última viagem do trem série 1100, encerrando de maneira definitiva a era Budd em São Paulo. O evento contou com cerca de duzentos convidados, que puderam se despedir do trem metropolitano mais antigo em operação nos trilhos paulistas.

Após muita conversa e inúmeros pedidos de diversas redes junto à CPTM, houve um consenso por parte dos responsáveis pela empresa em realizar esta despedida simbólica. Já na manhã de sábado, com um sol ainda tímido e temperatura agradável na metrópole, um grande número de envolvidos já se reunia na plataforma 1 da estação Luz, ponto de incontáveis chegadas e partidas do famoso "milzinho" ou "buddinho", apelidos dados ao trem por sua numeração e por conta de sua fabricante, a The Budd Company, instalada até anos atrás na Philadelfia, nos Estados Unidos. 

Budd 101 em Barra Funda: primeiro trem de inox do Brasil
Desde a sua entrega para a EFSJ (Estrada de Ferro Santos à Jundiaí, sucessora da The Sao Paulo Railway Co., construtora das atuais linhas 7/10), os simpáticos trens de aço inox atenderam as populações de cidades como Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires, Mauá, Santo André, São Caetano do Sul, São Paulo, Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí. Durante sessenta anos em serviços (completaria sessenta e um anos no próximo dia 01/06), transportou gerações de paulistanos e teve papel importante no desenvolvimento da cidade.

Pouco depois das 10h da manhã, conforme anunciado pelo sistema de som da centenária Luz, aponta na plataforma o último exemplar da série, de numeração 1115/1114, o último milzinho, conduzido pelo maquinista Marcelo Jacomini, fanático por trens assim como nós, que merecidamente teve a honra de conduzir a última viagem deste trem. Após o embarque dos convidados e demais passageiros, alguns momentos para liberação de partida. Neste momento, uma verdadeira volta no tempo. O amigo e entusiasta Anderson Conte, um dos partidários à preservação da ferrovia em SP, autoriza a partida do milzinho, mas à moda antiga: com um apito, relembrando os tempos clássicos, despacha a composição, que responde aos silvos com sua buzina. Fecham as portas e inicia-se a viagem, que lentamente vai deixando a centenária e imponente Luz para trás, despedindo-se de um dos seus mais frequentes visitantes.

Salão de passageiros: quatro gerações de passageiros passaram por aqui.
Durante o trajeto, que levou cerca de uma hora e meia, alguns reencontros entre amigos, algumas lágrimas de passageiros mais saudosistas que vivenciavam sua última oportunidade em um trem que fez parte de suas vidas. Ao contrário do que o ceticismo de algumas pessoas aponta, não se trata de apenas um trem, mas de um meio de transporte em que estávamos quase que diariamente. Dentro daquele salão existem mais que janelas, assentos e o velho ventilador. Existem sonhos, existem amores, encontros e desencontros. Histórias, amizades e lembranças de viagens comuns, mas que marcaram de forma impactante a vida de cada passageiro. Dos dias de sol, onde a paisagem ficava ainda mais interessante, aos dias de chuva, onde me lembro perfeitamente do silêncio que todos ficavam, devido estarem encolhidos graças ao frio que se sentia. Tantas histórias e recordações que seria impossível descrever aos leitores.

1115/1114 em Água Branca (Imagem: Paulo Lima)
A cada parada realizada, os usuários nas plataformas olham curiosos para saber o que acontecia. Já acostumados com os novos trens das séries 8500 e 9500, maiores e com ar condicionado, os passageiros da Linha 7 agradeceram à CPTM pelo encerramento dos serviços dos budds, uma vez que contavam com idade avançada e vinham sofrendo diversos problemas. Mas ainda assim, há quem estivesse grato ao "trem pequeno", apelido comum quando a composição apontava nas plataformas e obrigava seus passageiros a mudar de posicionamento, devido ser menor que seus companheiros de trecho. Aproximando-se da estação Jundiaí, passamos por diversos trens da mesma série, já sucateados e entregues ao tempo. Infelizmente faz parte do processo de modernização de frota da CPTM, que já nos contempla com quase cento e cinquenta trens novos. 

Milzinho aponta na curva em Jundiaí: missão cumprida e última viagem concluída com sucesso
Apontamos na plataforma e então, encerramos a derradeira viagem. Hora de fotos, homenagens e despedidas. O maquinista, Marcelo Jacomini, bastante procurado para fotos e depoimentos, conduziu o trem de maneira impecável, sem erros operacionais ou desconfortos. Na plataforma, usuários olhavam curiosos a movimentação. Após mais uma série de fotos com o trem, sua cabine e seu salão e detalhes, foi chegada a hora da despedida. Similar à partida na estação Luz, o colega Anderson Conte fez a liberação do trem por meio de apitos, relembrando mais uma vez os tempos antigos e clássicos de ferrovia. Agora, sob comando da supervisora Celina Corrêa, diante de uma salva de palmas, o milzinho foi recolhido para as oficinas da Lapa, onde deverá aguardar trâmites burocráticos para sua preservação ou desmanche. Encerrada, assim, a era Budd em São Paulo, após seis décadas de muito trabalho, de muitos sonhos e principalmente, de muita história. 


Gostaria de agradecer, primeiramente a Deus por poder participar de tudo isso, presenciando toda essa mudança e podendo relatar nestas palavras, que ficarão disponíveis nesse blog para o mundo todo saber. Agradeço também à CPTM, no qual sou funcionário, por receber nossas idéias e poder proporcionar esse momento dileto na história ferroviária, já tão esquecida neste país, mas que ainda conta com tantos admiradores e defensores. Agradeço também aos envolvidos para que isso fosse possível, aos amigos que participaram e aos leitores do blog, que há oito anos nos acompanham, fazendo do CPTM em Foco, uma das referências em notícia e conhecimento ferroviário.

Obrigado, 1100. Deixará lembranças, histórias, sonhos e principalmente, registros e recordações de muitos passeios que fizemos nas linhas 7 e 10. Sua memória sempre será preservada por aqui. Dedico essa matéria à todos que trabalharam com essa frota, desde maquinistas, pessoal da manutenção e limpeza, que ao longo de sessenta anos, cuidaram para o trem circular da melhor forma possível.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Último 1100 se aposenta amanhã


Por Diego Silva

Após sessenta anos de serviços prestados nas linhas 7-Rubi e 10-Turquesa (além de uma breve passagem na Linha 11-Coral), neste sábado, se encerra o ciclo da frota série 1100 nos trilhos paulistas. O último remanescente dessa série, de numeração 1114/1115, fará sua última e derradeira viagem entre Luz e Jundiaí por volta das 10h, em evento simbólico organizado e apoiado por este blog.

Com a atual renovação de frota da CPTM, diversas frotas antigas e obsoletas vêm deixando a circulação, dando espaço para trens modernos, confortáveis e cheios de tecnologia embarcada. Iniciada em 2010, a atualização da frota paulista já alcança a marca de 143 novos trens em circulação, ainda com cerca de trinta trens a serem entregues.

A frota 1100, adquirida pela extinta EFSJ (Estrada de Ferro Santos a Jundiaí) em 1957, contava até então com onze trens de seis carros. É a primeira frota de aço inox do Brasil, fato que revolucionou a indústria ferroviária, pela durabilidade do material rodante e sua manutenção. Atualmente, vem sendo substituído pelos trens coreanos da Hyundai/Rotem, série 9500, que circulam no trecho principal da Linha 7 em paralelo aos trens série 1700 e os novos CAF série 8500.

Marketing da CPTM recebeu o blog para reuniao
O evento
Em parceria com diversos blogs, tais como "CPTM Noticiando" e "Diário da CPTM", esta página enviou uma proposta de "despedida" simbólica junto ao departamento de marketing da CPTM, que prontamente nos atendeu, colhendo sugestões para que fosse realizada tal façanha. Após reunião com os responsáveis, apresentamos nossas idéias e, apos análises, a diretoria da Companhia sinalizou positivamente, num ato de gentileza e atenção para aqueles que admiram o sistema e lutam por sua preservação e memória.

A última viagem do trem série 1100 terá cobertura completa do blog CPTM em Foco e seus parceiros. Compareça e venha participar deste momento na história ferroviária paulista!

Despedida do trem série 1100
- Sábado, as 10h, na estação Luz
- Embarque na plataforma 1, sentido Jundiaí, somente do 3° carro para o 6° carro
- Acesso pelas Linhas 1-Azul e 4-Amarela do metro e Linha 11-Coral da CPTM.
- R$ 4,00.